browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

USAF e Pentágono querem Amostras Genéticas de cidadãos russos para ‘Estudo’

Posted by on 05/03/2022

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é armas-biologicas.jpgO analista e colaborador da Sputnik, Aleksandr Khrolenko, opinou que o pedido poderia estar relacionado com a criação, desenvolvimento, testes e preparação de armas biológicas para serem usadas contra a Rússia !!!!. A Convenção sobre as Armas Biológicas (Os EUA NÃO SÃO SIGNATÁRIOS) proíbe o desenvolvimento, produção e armazenamento de material biológico para fins bélicos e especialmente voltados para uma raça específica, um grupo genético da população de um pais alvo específico.. 

Com que objetivo quer o Pentágono recolher amostras genéticas de cidadãos russos?

Fonte: https://br.sputniknews.com/

Recentemente, a Força Aérea dos EUA publicou um concurso para adquirir amostras de RNA procedentes de cidadãos da Rússia. Embora o contrato não revele o propósito do pedido, o analista Aleksandr Khrolenko duvida que o concurso tenha a ver com o interesse do Pentágono em proteger a saúde dos cidadãos russos.

Antes, A Força Aérea dos EUA expressou vontade de comprar 12 amostras de ácido ribonucleico e 27 membranas sinoviais de pessoas que vivem na Rússia.

O ácido ribonucleico (RNA) é o principal nucleotídeo que participa de forma ativa da formação de nossa informação genética. O líquido sinovial, por sua parte, é um fluido que se encontra nas articulações, composto essencialmente de plasma sanguíneo. Ambos permitem identificar com alta precisão os marcadores genéticos de uma determinada população.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é genetica-experiencias-adn-dna.jpg

O analista e colaborador da Sputnik, Aleksandr Khrolenko, opinou que o pedido poderia estar relacionado com desenvolvimento, testes e preparação de armas biológicas [BIOWEAPONS].

Uso potencial

A Convenção sobre as Armas Biológicas proíbe o desenvolvimento, produção e armazenamento de material biológico para fins bélicos. Desde sua entrada em vigor, no início da década de 1970, o protocolo da convenção foi assinado e ratificado pela maioria dos países do mundo.

No entanto, no ano de 2001, os EUA abandonaram unilateralmente o acordo, bloqueando os esforços da comunidade internacional nesta esfera. A entrada nos laboratórios biológicos norte-americanos é simplesmente proibida aos inspetores.

A Rússia, por sua vez, apelou repetidamente ao cumprimento do acordo internacional, solicitando que Washington garanta de modo adequado a segurança do programa biológico do Pentágono.

“O arsenal nuclear dos EUA é considerável. No entanto, mesmo um conflito nuclear limitado não é nada conveniente para o Pentágono, pois ‘terá efeito de ricochete’. Enquanto a guerra biológica é muitíssimo mais eficiente e não destrói a infraestrutura econômica do pais alvo”, explicou Khrolenko.

As armas biológicas são capazes de exterminar rápida e seletivamente as forças de resistência do potencial inimigo, afirmou o analista.

Testes de aplicação

Surtos das infeções por vírus mais perigosos aparecem com frequência na África e Ásia, mas o Pentágono se interessa cada vez mais pelos países ex-soviéticos, onde a situação epidemiológica continua sendo relativamente segura.

Assim, nos últimos anos, os EUA têm expandido sua rede de laboratórios biológicos em redor da Rússia. Países como a Ucrânia, a Geórgia, o Azerbaijão ou o Cazaquistão, não apenas cederam seus territórios para os experimentos do Pentágono, mas também ofereceram agentes biológicos que ainda são conservados como legado da União Soviética sob pretexto de garantir a segurança das antigas repúblicas soviéticas.

“Como os laboratórios biológicos são independentes do país anfitrião, o Pentágono pode realizar experimentos com vírus e bactérias perigosas quase sem controle”, frisa o analista.

chemtrail-fortdetrick

Pesquisadores do Exército dos EUA, do Instituto de Pesquisa Médica de Doenças Infecciosas (ou USAMRIID) trabalham em Fort Detrick, em Frederick, Maryland, têm reconstruído e modificado o vírus da gripe espanhola H1N1, tornando-o muito mais mortal do que alguma vez ele naturalmente já o tenha sido, quando foi naturalmente o responsável pela pandemia de gripe espanhola de 1918-1919, que matou mais de 20 milhões de pessoas no mundo inteiro e mais de 500 mil somente aqui nos EUA. FONTE

Basta apenas infectar uma única ave durante o período de migração para provocar epidemias como a que explodiu na Sibéria no verão de 2016.

Naquele momento, o surto de carbúnculo, que afetou 24 pessoas, foi explicado como consequência do aquecimento global, mas “quem pode assegurar hoje que não se tratou de um ato premeditado?”, pergunta o analista.


Você quer mesmo saber como esse coronavírus “surgiu na China” e se espalhou pelo mundo em pouco tempo? Ao pesquisar os arquivos de registros de patentes nos EUA on-line, foi descoberto o registro de uma patente de Coronavírus concedida para o C.D.C. –  Centers for Disease Control and Prevention [se trata do principal instituto nacional de saúde pública dos EUA. O C.D.C. é uma agência federal dos EUA sob o United States Department of Health & Human Services (HHS)] que tem sua sede em Atlanta, Geórgia. Assim emerge um fato indiscutível, o de que o “DONO” DESSE VÍRUS MORTAL E SEU CRIADOR é o PRÓPRIO C.D.C. (Centro de Controle e Prevenção de Doenças)

O coronavírus do surto atual não teve origem na China, mas FOI IMPLANTADO neste país asiático com a clara intenção de causar o maior dano possível aos chineses. A consequência natural, quando  [se já não descobriu] a China perceber que a eclosão do surto pode ter sido um ataque de BIOWEAPON ao seu território e contra seu povo, qual será o tipo de resposta a ser dada pela China aos [ir]responsáveis pela contaminação. Começamos a ano de 2020 com muitos que operam nas sombras desejando aumentar o caos no planeta.

PATENTE de criação de um CORONAVÍRUS fornecida ao CDC (Centers for Disease Control and Prevention)  US7220852B1 – SOBRE A CRIAÇÃO DE CORONAVÍRUS [SARS] ….

Na patente acima, do registro de um CORONAVÍRUS [uma BIOWEAPON], você encontrará 72 páginas de conteúdo para poder julgar esse letal “surto repentino e desconhecido de coronavírus” na ChinaLeia a patente nesse link primeiro, faça o download e compartilhe este artigo amplamente antes que os AGENTES do DEEP STATE a excluam. Mantenha-se sábio, com discernimento e saudável!


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.thoth(172x226)www.thoth3126.com

One Response to USAF e Pentágono querem Amostras Genéticas de cidadãos russos para ‘Estudo’

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.