browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

USAF e Pentágono querem amostras genéticas de cidadãos russos para “estudo”

Posted by on 31/07/2017

vírus-mortalCom que objetivos quer o Pentágono recolher amostras genéticas de cidadãos russos? 

O analista e colaborador da Sputnik, Aleksandr Khrolenko, opinou que o pedido poderia estar relacionado com a criação, desenvolvimento, testes e preparação de armas biológicas para serem usadas contra a Rússia !!!!. A Convenção sobre as Armas Biológicas (Os EUA NÃO SÃO SIGNATÁRIOS) proíbe o desenvolvimento, produção e armazenamento de material biológico para fins bélicos. 

Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Com que objetivo quer o Pentágono recolher amostras genéticas de cidadãos russos?

Fonte: https://br.sputniknews.com/

Recentemente, a Força Aérea dos EUA publicou um concurso para adquirir amostras de RNA procedentes da Rússia. Embora o contrato não revele o propósito do pedido, o analista Aleksandr Khrolenko duvida que o concurso tenha a ver com o interesse do Pentágono em proteger a saúde dos cidadãos russos.

Antes, A Força Aérea dos EUA expressou vontade de comprar 12 amostras de ácido ribonucleico e 27 membranas sinoviais de pessoas que vivem na Rússia.

gripe-aviáriaO ácido ribonucleico (RNA) é o principal nucleotídeo que participa de forma ativa da formação de nossa informação genética. O líquido sinovial, por sua parte, é um fluido que se encontra nas articulações, composto essencialmente de plasma sanguíneo. Ambos permitem identificar com alta precisão os marcadores genéticos de uma determinada população.

O analista e colaborador da Sputnik, Aleksandr Khrolenko, opinou que o pedido poderia estar relacionado com desenvolvimento, testes e preparação de armas biológicas.

Uso potencial

A Convenção sobre as Armas Biológicas proíbe o desenvolvimento, produção e armazenamento de material biológico para fins bélicos. Desde sua entrada em vigor, no início da década de 1970, o protocolo da convenção foi assinado e ratificado pela maioria dos países do mundo.

No entanto, no ano de 2001, os EUA abandonaram unilateralmente o acordo, bloqueando os esforços da comunidade internacional nesta esfera. A entrada nos laboratórios biológicos norte-americanos é simplesmente proibida aos inspetores.

bacteria-virusA Rússia, por sua vez, apelou repetidamente ao cumprimento do acordo internacional, solicitando que Washington garanta de modo adequado a segurança do programa biológico do Pentágono.

“O arsenal nuclear dos EUA é considerável. No entanto, mesmo um conflito nuclear limitado não é nada conveniente para o Pentágono, pois ‘terá efeito de ricochete’. Enquanto a guerra biológica é muito eficiente e não destrói a infraestrutura econômica”, explicou Khrolenko.

As armas biológicas são capazes de exterminar rápida e seletivamente as forças do potencial inimigo, afirmou o analista.

Testes de aplicação

Surtos das infeções mais perigosas aparecem com frequência na África e Ásia, mas o Pentágono se interessa cada vez mais pelos países ex-soviéticos, onde a situação epidemiológica continua sendo relativamente segura.

Assim, nos últimos anos, os EUA têm expandido sua rede de laboratórios biológicos em redor da Rússia. Países como a Ucrânia, a Geórgia, o Azerbaijão ou o Cazaquistão, não apenas cederam seus territórios para os experimentos do Pentágono, mas também ofereceram agentes biológicos que ainda são conservados como legado da União Soviética sob pretexto de garantir a segurança das antigas repúblicas soviéticas.

“Como os laboratórios biológicos são independentes do país anfitrião, o Pentágono pode realizar experimentos com vírus e bactérias perigosas quase sem controle”, frisa o analista.

chemtrail-fortdetrick

Pesquisadores do Exército dos EUA, do Instituto de Pesquisa Médica de Doenças Infecciosas (ou USAMRIID) trabalham em Fort Detrick, em Frederick, Maryland, têm reconstruído e modificado o vírus da gripe espanhola H1N1, tornando-o muito mais mortal do que alguma vez ele naturalmente já o tenha sido, quando foi naturalmente o responsável pela pandemia de gripe espanhola de 1918-1919, que matou mais de 20 milhões de pessoas no mundo inteiro e mais de 500 mil somente aqui nos EUA.

Basta apenas infectar uma única ave durante o período de migração para provocar epidemias como a que explodiu na Sibéria no verão de 2016. Naquele momento, o surto de carbúnculo, que afetou 24 pessoas, foi explicado como consequência do aquecimento global, mas “quem pode assegurar hoje que não se tratou de um ato premeditado?”, pergunta o analista.


contagem-regressiva-azul“Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais”. Efésios 6:11,12

“Aquele que controla os outros pode ser poderoso, mas aquele que DOMINA A SI MESMO é mais poderoso ainda.” 

Lao Tsé (Filósofo chinês, fundador do Taoísmo, escreveu o “Tao Te Ching” 600 a.C.-531 a.C.)


Muito mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

10 Responses to USAF e Pentágono querem amostras genéticas de cidadãos russos para “estudo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *