Vários e Recentes Acidentes com suas aeronaves revivem o escrutínio sobre a Boeing

Um avião fabricado pela Boeing caiu e outros três sofreram problemas técnicos esta semana, trazendo um foco renovado nos problemas de produção e qualidade “DEI/Acordada” da gigante aeroespacial dos EUA. Um jato de passageiros da série 737-800 [Caixão Voador] da United Airlines teve que fazer um pouso de emergência cerca de 40 minutos após a decolagem nessa sexta-feira. O voo UA166 saia de Fukuoka, no Japão, para Guam e relatou um “problema com os flaps”.

Uma última emergência da Boeing no Japão segue-se a dois incidentes de aterragem na Turquia e a um acidente no Senegal

Fonte: Rússia Today

Na madrugada de quinta-feira, uma aeronave da Air Senegal Boeing 737-38J derrapou na pista durante a decolagem do Aeroporto Internacional Blaise Diagne (AIBD) em Dakar, no Senegal. Havia 73 passageiros e seis tripulantes a bordo do voo para Bamako, no Mali. Onze ficaram feridos no incidente, quatro deles gravemente.

Na tarde de quarta-feira, um Boeing 737-800 da Corendon Airlines estourou um pneu do trem de pouso dianteiro ao chegar ao Aeroporto Gazipasa-Alanya (GZP), no sul da Turquia. Todas as 190 pessoas a bordo foram evacuadas com segurança, mas os cubos das rodas foram fortemente danificados, de acordo com a autoridade aeroportuária.

Mais cedo naquele mesmo dia, um Boeing 767 teve que fazer um pouso de emergência no Aeroporto de Istambul (IST). O voo FX6238, operado pela FedEx, chegou de Paris, do aeroparto Charles de Gaulle (CDG), mas teve de aterrar “sem abrir o trem de aterragem dianteiro devido a um problema técnico”,  afirmou a operadora do aeroporto de Istambul em comunicado.

O aeroporto levou um dia para retirar o avião com segurança da pista 16R, de acordo com o CEO do Aeroporto de Istambul, Selahattin Bilgen.

A série de problemas em aeronaves da Boeing surgiu depois que a Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA) anunciou que abriu uma investigação sobre uma das fábricas da Boeing. Funcionários de uma instalação na Carolina do Sul que fabrica o jato Boeing 787 Dreamliner podem ter ignorado as inspeções obrigatórias e falsificado registros, disse a agência.

A empresa aeroespacial já havia relatado problemas com o 787 de fuselagem larga, culpando-os pelas sanções dos EUA contra a Rússia que interromperam a produção de um componente-chave.

A Boeing sofreu perdas substanciais em 2019-2020, depois que a FAA suspendeu todos os aviões 737-MAX devido a uma série de acidentes fatais. A agência acabou atribuindo os acidentes a uma combinação de sensores defeituosos e problemas de software, e a Boeing insistiu que os aviões estavam perfeitamente seguros desde então. No entanto, memorandos internos vazados sugeriam o contrário .

Dois insiders e denunciantes da Boeing apareceram mortos nos últimos três meses. Joshua Dean, 45, morreu repentinamente de pneumonia resistente a antibióticos em 2 de maio. O ex-funcionário da Spirit AeroSystems deu o alarme sobre os padrões frouxos do controle de qualidade na linha de produção do 737-MAX.

John Barnett, ex-gerente de controle de qualidade da Boeing, foi encontrado morto em março, pouco antes de testemunhar em um processo de denúncia contra a empresa no senado americano. As autoridades consideraram o incidente um suicídio.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.326 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth