browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

A Guerra contra o Planeta Terra

Posted by on 15/09/2016

trevas-eliteglobalA GUERRA contra o Planeta TERRA (Gaia) 

No livro “A Zona Verde: os custos ambientais do militarismo”  Barry Sanders escreve que, assim como outras instituições capitalistas, cada força militar (marinha, aeronáutica e exército)… deve crescer mais e mais o seu gordo orçamento a cada ano, o movimento expansionista é o sangue da vida do imperialismo.” Além disso, afirma Sanders, “O militar não pode admitir limitação de nenhum tipo que seja. … O Pentágono conduz seus negócios por trás de espessas e muito bem fechadas portas …

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@protonmail.ch

A GUERRA contra o Planeta TERRA – Linda Greene –  Bloomington Alternative

Fonte: http://www.bloomingtonalternative.com/node/10311

…Os militares escrevem as suas próprias regras e nem as seguem ou violam  todas, dependendo da situação e de seus interesses (n.t. Ou de quem dele se utiliza para implementar sua agenda nos EUA e no Planeta inteiro, lentamente) 

green_zone-book

O Livro “The Green Zone”, de Barry Sanders,

O Livro “The Green Zone”, de Barry Sanders, (“A Zona Verde”-O Custo do Militarismo ao Meio Ambiente)Use muitas lâmpadas de baixa energia, como você gosta, desligue o termostato do aquecedor e dirija um carro híbrido, mas o que você faz como um indivíduo – de fato, a soma do que todos nós poderíamos fazer para o meio ambiente – não reduz em quase nada para aliviar a destruição daquilo que as forças militares dos EUA causam ao Planeta Terra.  

Quase todos os “números dos orçamentos militares permanecem fora dos relatórios oficiais, permanecem secretos e fora da vista do público.” Sanders obteve as informações que ele cita no livro, recolhendo o que ele pode a partir de “relatórios misteriosos” e obscuros de sites pertencentes ao DoD-Departamento de Defesa e do Escritório de Contabilidade do Governo, dos EUA, além de livros e artigos. 

Sanders descreve, em detalhes horripilantes, como os militares SÃO “a maior fonte de poluição no país e no mundo: os militares dos Estados Unidos – em especial os militares em seu modo mais feroz de estado de prontidão – a saber, os militares em combate, lutando uma guerra. ” Ele prossegue dizendo:

“Quando nós declaramos guerra a uma nação estrangeira, agora também declaramos guerra ao Planeta Terra inteiro, ao solo, às plantas, animais, a água, ao vento (e atmosfera) e os seres humanos do pais/região invadidos e/ou que são alvos, essa declaração de guerra é da forma mais abrangente e profundamente infectante.”

uss_dwight_eisenhower_1

O USS Enterprise, o gigantesco porta aviões nuclear (oito reatores) o maior navio do mundo, com 342 metros de comprimento com capacidade para transportar até 80 aviões caças.

Uma maneira de poluição provocada pelos militares em combate é através do seu uso impressionante de combustível fóssil, a partir do qual se criam enormes quantidades de gases tóxicos que contribuem na geração do efeito estufa. 

Por exemplo, o uso militar de veículos blindados, aviões e aviões de luxo, sozinhos consomem perto de 2 milhões de galões (7,56 milhões de LITROS) de combustível a cada dia. Sanders dramatiza esse ponto, observando que o Pentágono “usa bastante óleo em um ano para abastecer todos os sistemas de trânsito nos Estados Unidos de 14 a 22 anos.” 

Os contribuintes pagam uma média de US$ 3 dólares por galão pelo mesmo combustível. “Sanders descreve, em detalhes, como os militares são a maior fonte de poluição nos EUA e no mundo todo“.  

tanque-Blindado-ABRAMS-M1A2

Blindado-ABRAMS-M1A2

Um tanque blindado Abrams faz apenas 0,2 milhas por um galão de consumo ( n.t. – Percorre apenas 322 metros com 3,78 litros de combustível, média de, pasmem, 85 metros por cada LITRO de combustível !!!)Um porta-aviões consome 100 mil litros por dia, quando estacionado em uma costa. 

Metade do combustível vai para as aeronaves (aviões de caça) a bordo do navio. O B-52 Stratofortressum bombardeiro da USAF, usa 500 galões (1.890 litros) de combustível por minuto, enquanto que um motorista americano normal médio consome cerca de 600 galões (2.268 litros) por ano, de acordo com a Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA). 

boeing-b52-stratofortress_2

Um bombardeiro Boeing B-52 Stratofortress e à sua frente a sua mortal carga de bombas que testemunha a grande capacidade de carga desse que é o maior avião bombardeiro do planeta

A construção de bases militares utiliza uma grande quantidade de combustível, e operá-las também requer aparelhos de ar condicionado poderosos que expelem enormes quantidades de CO2 e outros poluentes na atmosfera contribuindo para o aumento do efeito estufa. A poluição militar por um ano “é igual ao que 14,6 milhões de veículos produzem no mesmo período”, segundo Sanders. Todos os relatórios e propostas sobre a redução do aquecimento global, contudo, ignoram a contribuição dos militares de todos os países para a poluição do planetae, portanto, estão fatalmente errados. 

Depois, há as bombas. Elas contaminaram (intencionalmente planejado) grande parte do Iraque com Urânio  Empobrecido (Depleted Uranium-DU). Nos dois primeiros dias da “Operação Choque e Pavor”  em Março de 2003, os militares norte-americanos bombardearam o Iraque com 320 toneladas de urânio empobrecido, substância radioativa que tem uma meia-vida de 4,7 bilhões de anos.  ( http://en.wikipedia.org/wiki/Shock_and_awe )

Somente uma dos muitos tipos de bombas usadas pelos EUA, a GBU sozinha produz 1,5 toneladas métricas de partículas de aerossol de DU (Depleted Uranium-Urânio empobrecido) radioativo que podem causar mutações genéticas e morte por todos esses anos. (O que vem ocorrendo em larga escala no IRAQUE nesses últimos 11 anos após o bombardeio sofrido durante a invasão pelos EUA do país em 2003. O Urânio Empobrecido já vem agindo há onze anos sobre a população e os efeitos são devastadores como se pode observar na foto a seguir). 

uranio-iraque-tragédia

Mutações genéticas já acontecem em larga escala entre a população do Iraque atingida pelo Urânio Empobrecido e mesmo nos filhos dos soldados norte-americanos !!

Sem falar na poluição dos residentes nos EUA com o perclorato, um material tóxico usado no fabrico de bombas e o uso de fósforo branco durante a guerra (proibidos por diversos tratados internacionais e pela convenção de Genebra), as bombas de fragmentação, e uma nova e mais “eficaz”, bomba de napalm (incendiárias).  

A guerra do Afeganistão recebe um capítulo inteiro do seu livro. Sanders aponta que mais da metade do total de bombas lançadas por parte dos Estados Unidos nos últimos três anos foram usadas em bombardeios contra a região do interior do Afeganistão em 2006.” 

De acordo com um relatório da Human Rights Watch, apenas duas das 29 províncias do Afeganistão estiveram livres de minas terrestres. “Nos primeiros dois dias da “Operação Choque e Pavor” os militares bombardearam o Iraque com 320 toneladas de urânio empobrecido, um elemento pesado que tem uma meia-vida de 4,7 bilhões de anos.”

“A guerra esta tão profundamente enraizada no sistema “democrático” – que de fato, em muitos aspectos, é o próprio sistema – que nós temos que agarrá-lo onde e do que ele vive, e causar a sua morte, que é ao nível do dinheiro”, no orçamento para seus enormes custos e gastos,  Sanders escreveu. 

E ele defende com veemência, eliminar o seu financiamento e a fonte de seus recursos como sendo necessária para deter esse sistema HOMICIDA dos militares, matando todas as coisas vivas, usando o dinheiro de nossos impostos. 

uranio-munição

“Os mísseis e projéteis que levam pontas dotadas de urânio empobrecido se ajustam à perfeição à descrição de uma bomba suja…Eu diria que é a arma perfeita para assassinar um monte de gente”. – Marion Falk, especialista em física e química do Laboratório Lawrence Livermore, Califórnia (EUA)

A partir de 15 de fevereiro, Tom Hayden relatou para a Peace and Justice Resource Center, que a administração OBAMA solicitou mais US$ 159 bilhões de dólares para manter a guerra no Iraque e Afeganistão, além de mais US$ 33 Bilhões de dólares  para cobrir o custo do recente aumento de tropas (mais soldados). 

O Orçamento Militar Oficial aprovado pelo Congresso diz que o custo total das guerras agora chega a fantásticos US$ 1,080 TRILHÕES de dólares, incluindo US$ 748 BILHÕES DE dólares para o Iraque, US$ 340 BILHÕES DE dólares para o Afeganistão e US$ 29 bilhões para “melhorar a segurança interna” dos EUA

A Deputada Barbara Lee, Democratas-Califórnia, escreveu a HR 3699, uma lei que corta US$ 33 bilhões em financiamento para o aumento de tropas no Afeganistão. O deputado Dennis Kucinich apresentou uma “resolução privilegiada” para forçar a votação do Congresso sobre as guerras no Afeganistão e Paquistão, de acordo com os mandatos da Lei dos Poderes da Guerra do Congresso.  

Sanders tem uma solução para a devastação ambiental das causas militares: A proibição da guerra. “No século 21”, diz ele, dado o estado precário de nosso planeta, devemos começar a ver a guerra como um método antiquado de resolver (ou de criar) problemas políticos 

O movimento anti-guerra deve tornar-se um movimento Não à Guerra, conosco trabalhando ao lado daqueles que acreditam que, se agirmos agora e com determinação e sem equívocos, pode ainda ser possível se viver neste planeta por décadas e até séculos a partir de hoje.

Esta meta, diz Sanders, pode ser alcançada se os nossos esforçosse expandirem de forma exponencial, em um movimento comunitário em todo o mundo, do tipo que ninguém jamais testemunhou antes, que se recusa a fazer concessões sobre uma relação básica COM a vida.” 

bomba_nuclear

E o uso de armas nucleares seria o fim, total e absoluto da vida na Terra…

 Como Sanders escreve: “No século 21 os militares ainda são a instituição mais sagrada do nosso país.” Até agora, quase ninguém se atreveu a criticar suas políticas e práticas, e muito menos o seu orçamento. Esse silêncio, Sanders insiste, tem de acabar. Sanders afirma que “muito poucas pessoas vão falar pelo planeta, pelos indefesos que não tem voz.” 

Uma dessas raras pessoas é o próprio Sanders, que escreve de forma persuasiva e eloqüente sobre a necessidade urgente de se desmilitarizar o planeta e se desarmar os fazedores de guerra, caso contrário a nossa biosfera NÃO vai sobreviver.

EUA: Superbomba’ (13.608 quilos) bunker-buster pronta para uso 

http://www.rt.com

Tradução e imagensThoth3126@gmail.com

A maior bomba convencional já desenvolvida em todos os tempos no planeta já está pronta para causar destruição sobre os “inimigos dos EUA“.

O Secretário da Força Aérea dos EUA, Michael Donley disse que a superbomba tamanho recorde,  MOP-bunker buster tornou-se operacional depois de anos de testes. “Se ela precisasse ser usada hoje, estaria pronta para uso imediato“, disse Donley ao jornal da Força Aérea. 

Continuamos a fazer o testes na bomba para aperfeiçoar as suas capacidades, o que está em curso. Nós também temos a capacidade de usá-la com a configuração existente hoje.” 

 

bomba-mop-usa

O Pentágono gastou US$ 330 milhões para desenvolver e entregar mais de 20 unidades da bomba teleguiadas MOP-Massive Ordnance Penetrator, a bunker-busters, com a precisão de que é projetada para acabar com até 200 metros de concreto maciço.

O Pentágono gastou US$ 330 milhões para desenvolver e entregar mais de 20 unidades da bomba teleguiadas MOP-Massive Ordnance Penetrator, a bunker-busters, com a precisão de que é projetada para acabar com até 200 metros de concreto maciço. Embora tenha sido também um grande dispositivo nuclear, o novo foguete convencional tem seis vezes o peso do anterior bunker-buster usado pela Força Aérea dos EUA, e carrega uma carga explosiva de 5.300 libras (2.404 quilos de explosivos). 

Os Chefes militares dos EUA admitiram abertamente que a arma foi construída para atacar as instalações nucleares fortificadas de “estados párias” como o IRÃ e a Coréia do Norte. Embora o Pentágono insista que não se destina a uma ameaça específica, os funcionários não identificados dentro do ministério da defesa têm repetidamente afirmado que a bomba está sendo feita sob medida para desativar as instalações nucleares iranianas em Fordo, ou pelo menos para intimidar Teerã. 

O IRÃ está trabalhando em velocidade alucinante para expandir sua instalação de enriquecimento de urânio em Fordo, que é construída dentro de uma montanha, no coração do país, e já havia sido declarada como “inexpugnável” por altos funcionários de Teerã. O IRÃ frequentemente desfila o seu rápido avanço de seu programa nuclear, apesar de negar que pretende construir uma bomba nuclear. No início deste ano, o Pentágono rapidamente desviou US$ 120 milhões em dois períodos distintos de outros programas de armas para utilização no desenvolvimento da superbomba MOP. 

O dinheiro foi transferido para significativamente redesenhar e atualizar o míssil teleguiado com precisão para fornecer “uma maior e melhor resposta à ameaças” contra os “bunkers subterrâneos mais profundos.” A reivindicação de Donley pode ser lida como uma reafirmação da determinação dos EUA em frustrar as ambições nucleares iranianas. 

superbomba-560x244-37771

Superbomba’ (13.608 quilos) bunker-buster pronta para uso

Se essa superbomba MOP seja capaz de destruir realmente as instalações de Fordo esta aberta ao debate e pode não ser ainda conhecido por qualquer um dos lados. A eficácia da bomba bunker-buster depende da força do solo em que se mergulha, como ela entra em contato, e da estrutura interna das instalações. No caso de Fordo, os EUA só pode ter uma idéia superficial de seu layout.

Na melhor das hipóteses, os EUA acreditam que um ataque bem-sucedido pode redefinir o programa iraniano e atrasá-lo de volta em vários anos, e, na pior das hipóteses, pelo menos, o colapso das passagens e acessos para a instalação e a substancial força de trabalho da sua reconstrução.

Duas bombas podem ser montadas simultaneamente em uma versão modificada do bombardeiro B-52, e uma autoridade dos EUA afirmou anteriormente que a eficácia de qualquer operação vai depender de quantos “acertos nos alvos”, os bombardeiros norte-americanos obtenham.

No entanto, mesmo que a superbomba MOP possa ser de eficácia limitada contra o IRÃ, os Estados Unidos têm pouca alternativa válida. A única outra arma capaz de destruir uma instalação nuclear desse tipo a partir de ataque aéreo  seria um míssil (com uma BOMBA) tático nuclearPostado em Janeiro/2015.

© Autonomous Nonprofit Organization “TV-Novosti”, 2005 – 2015. All rights reserved.

Permitida a reprodução desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

5 Responses to A Guerra contra o Planeta Terra

  1. mario

    E ainda querem conquistar o espaço,novos mundos,ter contato com civilizações evoluídas?Mas assim ,planeta de cabeças medíocres eu mata oproximo ,armas para destruição em massa,e ainda querem ter contato com essas naves que circundam a terra todos os dias.Acredito que essas entidades que estão vindo sabem que este ser que aqui esta é perverso e merece muito cuidado,porque ele ainda acha que é o dono deste universo,teoria que nunca foi verdadeira nem antes,nem agora.Portanto a humanidade esta em grande perigo porque esses donos da terra,paises que brigam por nada e que não leva a lugar nenhum e que não havera vencedor .Agora vencer o que?e praquê ,estas pessoas estão brincando e colocando em risco bilhões de vidas na terra.Como nenhum deles pensaram nisso.

    • Ofir de Arien

      Exatamente, como você diz. O raciocínio é simples, mas não dá mais pra voltar atrás, agora é ladeira abaixo. O ser humano É o problema. Se não fossem eles lá, talvez fosse eu, fosse você. O homem, querendo ou não, acaba sendo um produto do meio. Tem que ser muito forte para não sucumbir. E, geralmente, se você quer ser ético e de bom coração, e agir contra o sistema, o sistema dá um jeito de obliterá-lo. Triste, triste. É por isso que eu não me adapto a esse planeta.

  2. Ewerton

    Bem-vindo ao reino hominal.

  3. Silvio José Benevides e Maia

    Na Balança Evolucional Pendular

    temos de um lado o materialismo, e do outro o espiritualismo.

    Queiram ou não, e a eternidade pode esperar quaisquer retardos, os seres vão avançando em movimentos pendulares do materialismo para o espiritualismo, nessa estrada eterna que depois de certo ponto sai do materialismo -o que não significa desprezar a matéria, imprescindível à vida, elemento criacional que também é. Pelo contrário, aprende-se a respeitá-la e curti-la como maravilha do universo, do infinito, para esse terminal sinônimos.

    Quando o ser merece ouvir e ouve, de um dos pequeninos de Cristo, um “Muito obrigado doutor, por ser justo comigo”, sente no próprio coração que já vai bem nessa estrada, e já pode sentir e curtir sua beleza.

  4. tudela

    Quero uma ajuda pessoal. Qual e reflexao nesse tema? Esta na hora de acabar com a guerra contra a Terra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *