browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Brasil: ajudando os Países menos desenvolvidos

Posted by on 18/01/2015

A vocação natural do BRASIL e de nós brasileiros: Dar uma Mão, ajudar os Países Menos Desenvolvidos (uma atitude altamente cristã).

“Como um país multicultural e multi-étnico, é mais fácil para o Brasil  “dialogar com todos os povos“, ao mesmo tempo que tem a vantagem de não ter um passado colonialista ou imperialista, o que significa que outros países “não se sentem oprimidos” pela presença do Brasil e dos brasileiros”. 

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

Fonte: http://www.ipsnews.net

Por Mario Osava

Rio de Janeiro, Brasil (IPS) – Os bancos de leite materno que estão ajudando a reduzir a mortalidade infantil na Guatemala, e estão começando a ser criados agora na África como parte formal das inúmeras tecnologias sociais desenvolvidas pelo Brasil que estão impulsionando o crescimento rápido de sua cooperação para o desenvolvimento internacional de países menos desenvolvidos.

O total de recursos destinados anualmente às organizações internacionais, de assistência técnica e humanitária, e bolsas de estudo para estudantes estrangeiros cresceu 129 por cento entre 2005 e 2009, de $ 158 milhões de dólares para $ 362 milhões de dólares, de acordo com o primeiro relatório sobre Cooperação Brasileira para o Desenvolvimento Internacional.

Que ainda não é muito, nem um por cento do PIB, apenas 0,02% , disse Guilherme Schmitz, um dos autores do estudo, realizado pelo Instituto Brasil de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Mas o gigante da América do Sul só agora está ganhando estatura como um país doador. E como uma nação em desenvolvimento, não tem uma meta para  aplicação até, disse à IPS – ao contrário dos países industrializados, que se comprometeram a dar 0,7 por cento do PIB à ajuda pública ao desenvolvimento.

Além disso, o cancelamento da dívida dos países pobres não foi levado em conta na estimativa de cooperação total do Brasil, apontou. Se foi, ele disse, como o foi nas contas de outros países, a quantidade total de cooperação do Brasil para o desenvolvimento seria significativamente maior.

Quando é contabilizado, a ajuda humanitária ao Haiti, após o devastador terremoto que matou cerca de  300.000 vidas há um ano, também irá expandir o total de 2010.

Mas as maiores contribuições vão para organismos internacionais, incluindo agências das Nações Unidas, como a Agência de Refugiados da ONU, e, a nível regional, os bancos de desenvolvimento e vários fundos. Esta categoria é responsável por 76 por cento de cooperação de desenvolvimento do Brasil.

O combate à fome deveria ser uma prioridade de todos os povos em todos os países.

Uma das maiores contribuições vai para o Fundo de Convergência Estrutural e Fortalecimento Institucional (Focem), criado pelo Mercosul (Mercado Comum do Sul). FOCEM recebe mais de 30 por cento dos fundos que o governo brasileiro contribui para organismos internacionais.

O FOCEM foi criado em 2004 para fortalecer o desenvolvimento dos parceiros menores do bloco, Paraguai e Uruguai, e nas áreas mais pobres em todos os países membros, para reduzir as assimetrias entre os parceiros. A assistência humanitária internacional do Brasil aumentou 90 vezes entre 2005 e 2009 – de $ 488 mil dólares para $ 43,5 milhões de dólares -, mas este país ainda representa apenas 5,5 por cento do total mundial, de acordo com o estudo apresentado em 12 de janeiro pelo governo de Dilma Rousseff.

Ultimamente o Brasil tem ajudado diretamente aos países atingidos por catástrofes, com apenas uma pequena parte ainda canalizada através de organismos multilaterais. A diplomacia do Brasil prefere evitar termos como “doação” ou “ajuda”, para diferenciar entre a ajuda ao desenvolvimento tradicional fornecido pelos países ricos e a cooperação Sul-Sul entre países em desenvolvimento, que ultimamente tem ganhado impulso.

“O termo doador implica uma hierarquia, enquanto que a nossa cooperação é diferente, horizontal, entre os parceiros, e com base em um compromisso de solidariedade”, disse Marco Farani, diretor da Agência Brasileira de Cooperação (ABC) do Ministério das Relações Exteriores.

Além disso, o Brasil tem “soluções que são adaptáveis a outros países em desenvolvimento”, sem as dificuldades que afligem o diálogo entre os países ricos e as nações menos desenvolvidas e, “sem a tentação de impor modelos”, disse Farani à IPS .  A Cooperação do Brasil é gerenciada por funcionários públicos que não são remunerados especificamente para essa atividade, em contraste com a tendência nos países industrializados para contratar consultores e organizações não-governamentais para realizar tais tarefas, ressaltou.

“E, como um país multicultural e multi-étnico, é mais fácil para o Brasil “dialogar com todos”, ao mesmo tempo que tem a vantagem de não ter um “passado colonialista ou imperialista”, o que significa que outros países “não se sentem oprimidos” pela presença do Brasil e dos brasileiros”, disse ele.

“Tanto na realização dos ODM (Objetivos de Desenvolvimento do Milênio) e promoção do desenvolvimento sustentável em geral, o intercâmbio sul-sul de conhecimentos e lições aprendidas é vital para o sucesso” dos planos das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), disse Helen Clark, administradora à IPS.

Os ODM, acordados pela comunidade internacional em 2000, incluem uma redução de 50 por cento em pobreza e da fome, a educação primária universal, redução da mortalidade infantil em dois terços; cortes na mortalidade materna em três quartos, a promoção da igualdade de gênero, assegurando sustentabilidade ambiental; reversão da disseminação de HIV / AIDS, a malária e outras doenças, e uma parceria global para o desenvolvimento entre os ricos e os pobres, até 2015, tomando 1990 como base.

“As contribuições de monta do Brasil para o desenvolvimento global representam o compromisso do país em ajudar a resolver os desafios do mundo em desenvolvimento”, acrescentou, enquanto reafirmando o compromisso do PNUD para procura de novas formas de apoio Sul-Sul de cooperação.

“Hoje a cooperação Sul-Sul não é uma forma alternativa de abordar os desafios do desenvolvimento”, Rathin Roy, diretor do Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG), disse à IPS. “Ele É a corrente principal. Isto porque a história do desenvolvimento contemporâneo do século 21 é sobre o desenvolvimento de países que fizeram avanços significativos no crescimento e desenvolvimento humano, e forjaram o seu próprio caminho para a frente neste esforço, ao invés de seguir o histórico mantra de “melhores práticas”.

O Brasil e o povo brasileiro tem em sua alma a marca impressa da SOLIDARIEDADE.

O IPC-IG baseado em Brasília é um programa conjunto entre o PNUD e o governo brasileiro, criado para facilitar a aprendizagem Sul-Sul relacionada à política de desenvolvimento. A cooperação “Sul –  Sul não é uma questão tecnocrática”, disse Roy. “É multilateral na concepção”, e  “é sobre não aceitar as “regras do jogo “como elas são dadas” (pelos países ricos).  É “uma parceria em que o conhecimento e experiência, ao invés de recursos e poder, formam a base para a cooperação”, acrescentou.

Cooperação técnica, científica e tecnológica cresceram aos trancos e barrancos durante os dois mandatos do presidente socialista Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2011), que viu a cooperação internacional como “um instrumento da política externa e de prestígio nacional”, bem como “uma das responsabilidades do país”, disse Farani.

O Brasil, que tem a mais ampla rede de banco de leite materno do mundo, ampliou essa tecnologia de baixo custo pela América Latina. Os bancos obtêm o excedentes de leite materno de mães que estão dispostas a fazer o esforço de coletar seu leite para doá-lo a crianças que não são capazes de serem amamentadas por um motivo ou outro.

A Guatemala é um dos países da região, que agora têm redes próprias de bancos de leite materno. As equipes médicas lá foram treinados para processar e controlar a qualidade do leite doado. A tecnologia, que tem se mostrado eficaz na redução da mortalidade infantil, também está sendo empregada agora em Angola, Cabo Verde e Moçambique, ex-colônias portuguesas como o Brasil.

A maioria do apoio do Brasil para os países pobres é nas áreas de saúde, agricultura e formação profissional e vocacional. A ideia é compartilhar o conhecimento que o país tem acumulado na agricultura tropical – especialmente na empresa de pesquisa do governo brasileiro, a Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuária (Embrapa) – e na prevenção e tratamento do HIV / AIDS.

O terremoto do Haiti de 2010 foi uma catástrofe de magnitude 7,0 com epicentro perto da cidade de Léogâne ( Ouest Departamento ), a cerca de 25 km a oeste de Port-au-Prince, a capital. O terremoto ocorreu às 16:53 hora local (21:53 UTC ) na terça-feira, 12 janeiro de 2010 e matou cerca de 300 mil pessoas.

África e América Latina são as principais áreas de envolvimento, especialmente os países membros do Mercosul, o Haiti, o país mais pobre das Américas, e outras  nações de língua portuguesa . O sucesso tem sido visto, por exemplo, no aumento da safra de soja em Cuba e nos rendimentos mais elevados e na qualidade do algodão em quatro grandes produtores dessa cultura na África: Benin, Burkina Faso, Chade e o Mali.

O relatório sobre a cooperação internacional, realizada pela ABC e pelo IPEA, procura sistematizar, pela primeira vez, as atividades de cooperação de 65 instituições públicas. É um esforço “pioneiro” entre os países em desenvolvimento, disse Schmitz.

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

13 Responses to Brasil: ajudando os Países menos desenvolvidos

  1. Thoth3126

    Somos livres para expressar a nossa opinião, e vivemos em um país democrático, assim como voce é livre para ler o que bem quiser. Absurdo, lamentável, irresponsável é o seu comentário. O mundo não é só branco e preto, existem tons de cinza e muita cor. Vá curar a sua raiva e esqueça o nosso blog. Muita Luz e Paz

    • Mauro Alves

      É isso aí, cara mais sem noção! É por causa de opiniões como esta deste sr. Ademir Cavalcante é que o nosso país não vai pra frente! Fica perdendo tempo com comentários sobre o governo em vez de fazer algo em prol do país!!!

  2. Mauro Alves

    Muito bom e instrutivo o blog Thoth, recebo emails de vcs à tempos e é um assunto mais interessante que o outro. Parabéns!!!

  3. markyoo

    um dia andava por ai e vi um mendigo dividindo um pedaço de pão com um outro.os dois comeram e sorrindo passaram a andar sempre juntos se ajudando mutuamente.moral da historia ,parabéns Brasil, com todos os problemas que tem ainda acha motivo e meios de ajudar os outros.Essa sim é uma grande nação,pacifica e irmã de todos, sem prepotência ou preconceito.É o mundo novo que começa aqui.BRASILLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL EU TI AMO.

    • Thoth3126

      Caro Markyoo, compartilhamos do mesmo sentimento a respeito do Brasil. Muita Luz e Paz, a todos nós, brasileiros, um povo alegre e pacífico.

    • Leitor

      O Óbolo da Viúva (Ninguém é tão pobre que não tenha nada para dar nem tão rico que nada possa receber)

      E estando Jesus assentado defronte donde era o gazofilácio, observava ele de que modo deitava o povo ali o dinheiro; e muitos, que eram ricos, deitavam com mão larga. E tendo chegado uma pobre viúva, lançou duas pequenas moedas, que importavam um real. E convocando seus discípulos, lhes disse: Na verdade vos digo, que mais deitou esta pobre viúva do que todos os outros que deitaram no gazofilácio. Porque todos os outros deitaram do que tinham na sua abundância; porém esta deitou da sua mesma indulgência tudo o que tinha, e tudo o que lhe restava para seu sustento. (Marcos, XII: 41-44 – Lucas, XXI: 1-4).

      O Rei e seus servos
      Um rei que quis ajustar contas com seus servos.Quando começou a ajustá-las, trouxeram-lhe um que lhe devia dez mil talentos.Como ele não tinha com que pagar, seu senhor ordenou que fosse vendido, ele, sua mulher, seus filhos e todos os seus bens para pagar a dívida.Este servo, então, prostrou-se por terra diante dele e suplicava-lhe: Dá-me um prazo, e eu te pagarei tudo!Cheio de compaixão, o senhor o deixou ir embora e perdoou-lhe a dívida.Apenas saiu dali, encontrou um de seus companheiros de serviço que lhe devia cem denários. Agarrou-o na garganta e quase o estrangulou, dizendo: Paga o que me deves!O outro caiu-lhe aos pés e pediu-lhe: Dá-me um prazo e eu te pagarei!Mas, sem nada querer ouvir, este homem o fez lançar na prisão, até que tivesse pago sua dívida.Vendo isto, os outros servos, profundamente tristes, vieram contar a seu senhor o que se tinha passado.Então o senhor o chamou e lhe disse: Servo mau, eu te perdoei toda a dívida porque me suplicaste.Não devias também tu compadecer-te de teu companheiro de serviço, como eu tive piedade de ti?E o senhor, encolerizado, entregou-o aos algozes, até que pagasse toda a sua dívida.Assim vos tratará meu Pai celeste, se cada um de vós não perdoar a seu irmão, de todo seu coração.
      (Mateus XVIII:23-35)

      *** Eis nosso país. Começa tudo pelo perdão das dívidas externas e o auxílio mútuo. Não é agindo como países predadores que alçaremos voo rumo a nossa libertação do medo e ascenção espiritual. Não é replicando o mal que os grandes nos fazem aos pequenos que nos tornaremos uma grande nação. Como podemos esperar sermos perdoados se o perdão não o praticamos?

      Eis nosso manual de vida que relutamos em seguir, deixado pelo mestre Kristos Jesus, até quando, senhor, seremos assim?

  4. Flavio

    Valha o amigo não entendeu a mensagem … 20 minutinhos todo dia de meditação ajuda.

    Parabéns Thoth pelo trabalho.

  5. claudio vitorino

    Nosso país, é a grande nação deste planeta, temos todos os povos, todas as raças, todos os credos. Nesse principio somos os povos mais receptivos, mais hospitaleiros e mais solidários desse planeta Terra, que não e pequeno e tem bilhões de habitantes. Mas nos somente, nos temos o privilegio de ser assim, e assim para sempre o seremos. Temos problemas internos, governamentais como todos países tem, mas somente poucos brasileiros sabem realmente valorizar o país em que vivem. NOS SOMOS POVOS ABENÇOADOS. E SOMOS SIM UMA GRANDE NAÇÃO. Somente os pequenos de intelectualidade pífia, de espirito fraco, os néscios, não enxergam isso…

  6. Sylvia

    Caro Thoth,
    Só uma observação de leitora antiga, posso?
    A IPS é um orgão da ONU e uma mídia do sistema, seus posts são antinom em geral, visando juntar os pontinhos…
    E vc derrapou na mente reativa ao responder o 1º comentário que influenciou alguns leitores a reagir em sua defesa e/ou do blog, va bene?
    O Sol está ativando muito todas as frequências e as arestas aparecem muito mas é preciso Harmonizar.
    Quando Nexus chegar ( cada vez mais) e consumir democraticamente todas as divergências físicas, geográficas, mentais, bunkers et al em Gaia veremos só Luz e Amor.
    Até lá, 2018? somos belos seres espirituais condicionados à vida física neste orbe de tantas pirâmides…

  7. Marcio

    Parabéns pela matéria, Thoth3126! Esse Ademir ai tá precisando estudar uma pouco mais de história e pesquisar um pouco sobre as relações internacionais entre os países. Sujeito mais sem noção! Parabéns para o Brasil que faz uma política internacional de ajuda aos nossos irmãos necessitados de outras nações. Somos todos irmãos neste planeta. Muita paz e Luz para todos!

  8. Marcks

    HHHHHOOO que lindo quanta caridade. Acredito em Papai Noel!! Fazer caridade é apenas ampliar a dependência e sofrimento do outro. A experiência de cada SER e suas intenções é o que vai agregar conhecimento para sua jornada Eterna no Presente Infinito. Cada um que tem que caminhar com suas Próprias pernas e sair do Buraco em direção a LUZ com suas Próprias forças. Enquanto Houver Idolatria, Haverá Escravidão. Dependências mutuas de caridosos e carentes, ferramenta de manipulação e escravização da consciência humana utilizada pelas Religiões, Reinos e Governos. O Governo tem culpa?? Sim tem e muita, más quem faz questão de VOTAR e apoiar essa FALSA Democracia?? Alias o que é Democracia?? Eu não sei o que é isso, é ensinado nas Escolas do País para Todos??? Nossos pais nos ensinaram ou sabem o que é Democracia??? Democracia é VOTO Obrigatório em Urnas Fraudulentas é isso??? hahahaha Ajude a si mesmo que automaticamente já estará ajudando os outros com ressonâncias de pensamentos e sentimento equilibrados, amorosos e constantes. Mudar a vibração Interna é, automaticamente sem precisar de caridades, governos ou religiões, é mudar a vibração externa. O Externo é o Reflexo de si mesmo, para ver o bem ou o mal basta se olhar no espelho, não precisa de caridade para expressar externamente a “RECOMPENSA” de ser aceito na sociedade hipócrita que vivemos para ser caridoso ou coitado Muita Luz a todos e ALOHA!!!

  9. Marcela

    Parabéns Thoth3126!!! Adorei a matéria. Sou acadêmica de Direito e estava procurando algo sobre o tema do meu tcc “Politicas Sociais exportadas pelo Brasil”, seu artigo é maravilhoso, e abriu caminhos para minha pesquisa. Acredito que nosso país tem muito para nos orgulhar, é claro que tem problemas, mas se cada um fizer sua parte… Muito obrigada pela ajuda!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *