A Batalha Psicológica pela Verdade – e o poder da Revolta dos Agricultores

O ‘Estado Profundo’ não tem poder sobre você. Nenhum. Ele só pode tentar fazer você acreditar que sim. E nisso eles são muito inteligentes, utilizando técnicas psicológicas sofisticadas que dão a impressão de manter uma posição dominante e exercer o poder do controle de qualquer narrativa. Mas, para os mais conscientes e com discernimento, isto é uma quimera; e imediatamente se vê isso como tal, manifestando-se a posição destemida de autoridade e o ‘Estado Profundo’ fica em xeque; ele só pode operar defensivamente.

A Batalha Psicológica pela Verdade – e o poder da Revolta dos Agricultores

Fonte: Julianrose.info

Isto é conseguido através da criação de barreiras pelo ‘Estado Profundo’ cada vez maiores à liberdade de expressão, circulação e escolha. Eles sabem que estão do lado perdedor na batalha entre a Luz e as trevas [eles], então eles tem que usar todos os truques para parecer estar no controle. É um campo de batalha psicológico.

Edward Bernays, o fundador da publicidade moderna, teve muito a ver com a transformação dos poderes de percepção e engano em arma. Ele descobriu que é possível fazer com que as pessoas acreditem e façam quase tudo quando aprenderam a explorar a psique das massas ignorantes e medrosas com imagens e palavras cuidadosamente escolhidas.

Depois de explorar a atração subconsciente generalizada das pessoas pelas armadilhas dos consumíveis sedutores. O “aparente” domínio global liderado pelas empresas/banqueiros do estado profundo baseia-se na astúcia de Bernays, utilizando conhecimentos avançados sobre como influenciar as funções de diferentes áreas do cérebro humano.

O objetivo é criar uma teia de sinalização virtual que aponte a direção que a vida deve tomar para superar alguma crise propositalmente fabricada. Uma crise que se afirma irá cozinhar, matar de fome ou destruir as pessoas e o planeta. Pessoas em estado de medo consideram tudo isso real, é claro, e seguem em frente com sua visão de túnel, aceitando os ditames patológicos do status quo.

A cabala do estado profundo tem um domínio mental sobre a percepção das massas desavisadas do que é e do que não é verdade, e lança os moderadores, verificadores de fatos e “silenciadores repentinos” para neutralizar qualquer coisa que surja como um emissário da verdade. Muitos de nós tivemos experiência em primeira mão com esta fórmula carrasca de censura.

No entanto, “nós, as pessoas com discernimento e propósito”, estamos vencendo. Há simplesmente demasiado material informativo à solta para a “polícia do pensamento/vigilância/censura” cobrir, apesar das suas intervenções algorítmicas.

A sua tática é, portanto, tentar obter vantagem, pressionando com mais força a “agenda do desastre”. Isto é exemplificado pela disseminação global da agenda distópica exposta na Quarta Revolução Industrial do CEO do WEF, o judeu khazar Klaus Schwab.

O desastre inventado mais omnipresente é, obviamente, o “aquecimento global provocado pelo homem” – cuja solução declarada é o Transumanismo. Todas as etapas intermediárias são consideradas vitais para aumentar a velocidade e a eficiência do processo de transformação de “humano em desumano”.

A digitalização da vida é central para o argumento dos arquitetos do controle de que a humanidade é incapaz de gerir a si mesma e que, sem a sua intervenção e agendas, o resultado será o colapso completo da vida planetária. Apenas uma raça de “super seres” sem alma, assistidos por computador, pode salvar o dia, dizem pessoas como os judeus khazares e ativistas LGBTQ+, casados com outros homens, Yuval Noah Harari [WEF], Sam Altman {da OpenAI/GPT-4} e o também khazar Klaus Schwab [WEF].

Consideremos como esta agenda influencia a psicologia daqueles que ainda não encontraram em si mesmos a autoconfiança para descartar aquilo que não tem nenhum sentido prático de propósito e nenhum fundamento no bom senso básico.

Os arquitetos do controle total contam com que a maioria permaneça resistente à implementação do seu plano diretor hegemônico de alta tecnologia. Tanto que podem anunciar livremente que, ao segui-lo, “você não será dono de nada e será feliz”, comerá “insetos” e residirá numa “cidade de 15 minutos”.

Na batalha psicológica pela verdade, os [satânicos] perpetradores da mentira têm acesso a um vasto armazém de técnicas de persuasão alucinantes para fazer com que a sua agenda pareça a única escolha.

Reconhecem que quando uma elevada percentagem de indivíduos acredita ser incapaz de operar sem um telefone celular – estarão suficientemente desfocados e distraídos para serem incapazes de se rebelarem contra uma aceitação fatídica da escravidão ao irmão mais velho da conveniência tecnológica.

A Geração Z [de Zumbis da tecnologia] vítimas robotizadas facilmente manipuladas da hipnose digital em massa.

Aqui reside o problema: se o segmento urbano “educado” da sociedade, em ascensão, não vê problemas em conduzir as suas vidas dentro de uma bolha de cartões de crédito de compras de conveniência em hipermercados, sistemas de comunicação digital EMF, pacotes de entretenimento alimentados por computador e um emprego bem remunerado num mundo global ou corporação transnacional – de onde virá a resistência?

Se este grupo de pessoas [robôs] já está demasiado longe para registar um pontapé interno quando confrontado com um plano de alto nível para “felizmente” ter todos os seus bens materiais e liberdades tirados deles – então quem ou o que irá soar o alarme?

Parece-me que apenas uma pequena percentagem da humanidade consegue ler a agenda insidiosa que está lenta e metodicamente sendo implantada para o seu futuro atrás da prisão de controle mental sem grades. Apenas alguns com mais consciência e discernimento conseguem compreender a psicologia do psicopata insensível, frio e cruel e o seu desejo desalmado de possuir e controlar, a qualquer preço.

Mas uma vez que se sai do mundo das compras urbanas sem deus, obcecados das nove às cinco e dos caçadores de emprego “bem instruídos” com formação universitária, começa a surgir um potencial para se tornar real.

Entre aqueles trabalhadores que regularmente sujam as mãos, que cultivam os campos; constroem abrigos; consertam carros; consertam encanamentos; consertam eletricidade e cavam esgotos, o futuro cibernético digital de realidade virtual da Quarta Revolução Industrial – e do “Green New Deal”/Emissão Zero CO² – parece pura fantasia. Os delírios dos desequilibrados.

Eles não precisam lutar mentalmente para tentar compreender a lógica distorcida que está sendo transmitida pelas PRE$$TITUTA$ da máfia da mídia global. Eles simplesmente sabem em seu íntimo que isso tudo é muita ‘besteira’.

São aqueles que formam a base da pirâmide que mantêm a sociedade unida. Que unem a infraestrutura básica que sustenta o nosso dia a dia. E é a partir daqui que uma percentagem crescente rejeita a psicologia da doutrinação mental e a promoção de um futuro virtual digitalizado.

As notáveis ​​revoltas unificadas de agricultores do “Jogo fora do Acordo Verde” que acontecem em todas as partes da Europa são um testemunho disso. Estão levantando-se contra a imposição de regras falsas de “Emissão Zero CO² até 2045” que exigem o fim dos agricultores que trabalham na terra e o fim do gado que mantém essas terras férteis.

Esses agricultores estão protestando às dezenas de milhares. Na Polônia, estão sendo montados bloqueios de tratores que duram meses em cidades, supermercados e postos de fronteira. Os mineiros de carvão, confrontados com a exclusão devido a desemprego em grande escala do tipo “travar o aquecimento global”, estão juntando-se à revolta.

Os agricultores dizem que não cessarão as suas perturbações e protestos até que as suas exigências sejam satisfeitas pelos seus governos e pela UE. Esta é a linguagem refrescante e pura do desafio genuíno aos psicopatas globalistas.

Isso deixou as “autoridades” abaladas. Afinal, o Acordo Verde é a espinha dorsal da agenda para nos escravizar a todos num ‘Admirável Mundo Novo’ de tudo sintético e pervertido – desde os alimentos à natureza, às pessoas e ao núcleo da família.

O público em geral simpatiza com as ações dos agricultores europeus. Aproximadamente 80% dos cidadãos europeus estão do seu lado, de acordo com pesquisas de opinião. Conseguir que um núcleo sólido de consumidores se levante e participe neste movimento de baixo para cima pela sobrevivência de alimentos reais e de uma agricultura real será vital para manter a dinâmica dos protestos e expor a agenda globalista.

Vindo de um lugar improvável, o trabalhador agrícola dos campos, uma revolta sólida está ganhando força. As exigências dos agricultores são essencialmente por justiça econômica, redução de impostos, respeito e reconhecimento do papel vital que desempenham na segurança alimentar das suas nações.

No âmbito da agenda da “Emissão Zero CO²” nenhuma destas exigências é levada a sério. A solução do WEF não é apoiar a comunidade agrícola, mas destruí-la assim como à família tradicional!

Na batalha pela verdade de 2024, todos deveriam comportar-se tão resolutamente como os agricultores. A necessidade é ser intransigente nas relações cara a cara com mentirosos políticos e hipócritas, em sua maioria psicopatas e marionetes de pessoas “invisíveis”.

Nós somos os administradores do Planeta Terra. Para manter o seu equilíbrio e bem estar – não temos outra escolha senão entrar numa luta sem pacto e descanso contra todas as forças opostas. Aqueles que possuem terras, podem cultivar alimentos e tirar água do poço são os últimos indivíduos independentes, saudáveis e livres do planeta. Eles não estão dispostos a capitular diante de um bando de psicopatas, em sua maioria ativistas do transhumanismo, transgênero e ativistas LGBTQ+, em Bruxelas, Londres, Varsóvia, Washington, Paris em todos os centros urbanos – e nós também não capitularemos.

A vida de todos depende do acesso a alimentos nutritivos, saudáveis. Portanto, a vida de todos depende da sobrevivência e da prosperidade futura do agricultor, do homem do campo. Apoie-os agora em seus momentos de necessidade. A necessidade deles também é a sua necessidade.

Eles não têm futuro – e nem nós – sem uma revolução que salve vidas e que restabeleça as prioridades para o que é realmente importante na vida. Pense profundamente sobre isso e aja sem demora.

E se tiver dúvidas – pergunte aos agricultores quem realmente controla a cadeia alimentar. Quem realmente está no comando quando se trata de alimentar o mundo? Levantem-se, todas as pessoas boas. Pegue o seu destino com as suas duas mãos. Unam-se vigorosamente para forjar uma grande vitória da humanidade sobre a desumanidade e a permissividade defendidas pelos psicopatas.

Permitir que alguém caia em um estado de escravidão abjeta é uma doutrina do cemitério. Todos aqueles que conservam alguns glóbulos vermelhos do sangue sabem que o caminho para a verdade não aceita compromissos e nunca pode ser subvertido pelo ópio orquestrado da doutrinação em massa.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.326 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth