browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

A CIA costumava infiltrar-se na (Comprar a) mídia Pre$$titute. Agora a CIA é a mídia.

Posted by on 18/04/2021

Nos velhos tempos, quando “as coisas” eram mais inocentes e simples, o ninho de psicopatas que é a Central Intelligence Agency – CIA teve que se infiltrar secretamente na mídia para manipular e controlar a narrativa das informações que os norte americanos estavam consumindo sobre sua nação e o mundo. Hoje em dia, não há separação significativa entre a mídia de notícias pre$$titute e a agenda da CIA.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

A CIA costumava infiltrar-se na (Comprar a) mídia Pre$$titute. Agora a CIA é a mídia.

Fonte:  Caityjohnstone.medium.com

Por Caitlin Johnstone

O jornalista Glenn Greenwald acaba de destacar um ponto interessante sobre a reportagem do The New York Times sobre a chamada matéria “Bountygate” que o canal estourou em junho do ano passado sobre o governo russo tentando pagar combatentes ligados ao Taleban para atacarem soldados norte americanos no Afeganistão .

Greenwald twittou  que “Um dos repórteres do NYT que originalmente liberou a história de recompensas da Rússia (originalmente atribuída a ‘oficiais de inteligência’ sem nome) hoje diz que era uma reivindicação da CIA” . “Então, os meios de comunicação [PRE$$TITUTES] – de novo e novamente – repetiram as histórias da CIA sem questionar: parabéns a todos”.

Na verdade, a história original dO NYT não fez nenhuma menção de envolvimento da CIA na narrativa, citando apenas “funcionários”, mas este último artigo fala como se tivesse informado os seus leitores de raízes da história no mentir, torturar , tráfico de drogas , a belicista  Agência Central de Inteligência desde o início.

O autor “jornalista” ainda escreve “O New York Times relatou pela primeira vez no verão passado a existência da avaliação da CIA”, com o hiperlink levando ao artigo inicial que não fazia menção à CIA. Foi só mais tarde que a pre$$titute The New York Times começou a informar que a CIA estava investigando as alegações de generosidade russas.

Esta seria a mesma narrativa de “generosidades russas” que foi desacreditada em setembro,  quando o oficial militar dos EUA no Afeganistão disse que nenhuma evidência satisfatória havia surgido para as alegações, que foi desacreditado ainda mais hoje com um novo artigo do The Daily Beast intitulado “ US Intel Walks Back Claim Russians Colocam Recompensas em American Troops ”.

O Daily Beast, que publicou sem crítica muitos artigos promovendo a narrativa “Bountygate” da CIA, relata o seguinte:

Foi uma história de sucesso sobre o retorno da Rússia ao “Grande Jogo” imperial no Afeganistão. O Kremlin espalhou dinheiro pelo antigo campo de batalha da Ásia Central para militantes matarem as forças americanas restantes. Isso gerou um grande clamor dos democratas e seus amplificadores #resistance sobre o traiçoeiro fantoche russo [Trump] na Casa Branca, cuja admiração por Vladimir Putin havia posto em perigo as tropas americanas.

Mas na quinta-feira, o governo [do marionete senil] Biden anunciou que, afinal, a inteligência dos EUA só tinha confiança “baixa a moderada” na história. Traduzido do jargão do mundo da espionagem, isso significa que as agências de inteligência descobriram que a história é, na melhor das hipóteses, não comprovada – e possivelmente falsa.

Assim, a mídia pre$$titute promoveu agressivamente uma narrativa da CIA da qual nenhum deles jamais viu qualquer prova, porque não havia prova, porque era uma afirmação totalmente infundada desde o início. Eles literalmente publicaram um comunicado à imprensa da CIA e o disfarçaram como uma notícia.

Isso permitiu que a CIA jogasse sombra e inércia sobre a retirada de tropas do Afeganistão proposta de Trump e da Alemanha e continuasse a intensificar os sentimentos anti-Rússia no cenário mundial , e pode muito bem ter contribuído para o fato de que a CIA estará oficialmente entre aqueles que estão isentos da “retirada” performativa de Biden no Afeganistão .

Em ditaduras totalitárias, a agência de espionagem do governo diz à mídia pre$$titute quais “histórias” publicar, e a mídia pre$$titute as publica sem questionamentos e isso é chamado de jornalismo feito por prostitutas, ops, “jornalistas”, sem ofensa às profissionais do sexo que são muito mais dignas que a mídia pre$$titute. Nas democracias livres, a agência de espionagem do governo diz “Ei, amigo, tenho um furo para você!” e os meios de comunicação o publicam sem questionar.

Em 1977, Carl Bernstein publicou um artigo intitulado “ A CIA e a Mídia ” relatando que a CIA havia se infiltrado secretamente nos veículos de notícias mais influentes da América e tinha mais de 400 repórteres [pre$$titutes] que considerava ativos em um programa conhecido como  Operação Mockingbird . Foi um grande escândalo, e com razão. A mídia deve relatar com veracidade o que acontece no mundo, não manipular a percepção pública para se adequar às agendas de espiões e psicopatas fomentadores de guerra.

Hoje em dia, a colaboração da CIA acontece aberta e escancaradamente, e as pessoas são muito propagandeadas para sequer reconhecer isso como escandaloso. Veículos de outrora grande influência, como o The New York Times, transmitem sem crítica a desinformação da CIA, que é então considerada verdade pelos “especialistas” pre$$titutes em notícias da TV a cabo .

O único proprietário do The Washington Post é um contratante da CIA , e WaPo nunca revelou esse conflito de interesses ao reportar sobre as agências de inteligência dos Estados Unidos de acordo com o protocolo jornalístico padrão.

Os meios de comunicação de massa agora empregam abertamente veteranos de agências de inteligência como John Brennan, James Clapper, Chuck Rosenberg, Michael Hayden, Frank Figliuzzi, Fran Townsend, Stephen Hall, Samantha Vinograd, Andrew McCabe, Josh Campbell, Asha Rangappa, Phil Mudd, James Gagliano, Jeremy Bash, Susan Hennessey, Ned Price e Rick Francona , assim como são conhecidos ativos da CIA como Ken Dilanian da NBC, assim como estagiários da CIA como Anderson Cooper e candidatos à servir a CIA como Tucker Carlson.

Esta não é a Operação Mockingbird. É ALGO MUITO PIOR. É A MANIPULAÇÃO E CONTROLE TOTAL das noticias apresentadas ao público como FATOS. A Operação Mockingbird foi a CIA fazendo algo para a mídia. O que estamos vendo agora é a CIA agindo abertamente como se fosse a própria mídia. Qualquer separação entre a CIA e a mídia pre$$titute, na verdade até mesmo qualquer pretensão de separação, foi abandonada.

“Jornalistas” transformados em meros palhaços:

Isto é péssimo. Isso é muito, muito ruim. A democracia não tem existência significativa se os votos das pessoas não são expressos com uma compreensão clara do que está acontecendo em sua nação e seu mundo, e se seu entendimento está sendo moldado para se adequar às agendas do próprio governo com o qual devem influenciar seus votos, o que você tem é a força militar e econômica mais poderosa da história da civilização, sem prestar contas e ter nenhuma responsabilidade perante o eleitorado. É apenas uma imensa estrutura de poder que abrange o globo, fazendo o que quiser para quem quiser. Uma ditadura totalitária disfarçada.

E a CIA é a pior instituição que poderia estar encabeçando os movimentos dessa ditadura. Um pouco de pesquisa sobre as muitas, muitas coisas horríveis que a CIA fez ao longo dos anos irá rapidamente mostrar a você que isso é verdade; o inferno, basta ar uma olhada no que a CIA estava fazendo com o Programa Phoenix no Vietnã.

Há uma ilusão comum e doentia em nossa sociedade de que as agências governamentais depravadas, recheadas de psicopatas assassinos conhecidas por terem feito coisas más no passado, simplesmente pararam de fazer coisas más por algum motivo. Essa crença é apoiada por nenhuma evidência e é desmentida por montanhas de evidências em contrário. É acreditado porque é confortável e, literalmente, por nenhum outro motivo.

A CIA não deveria existir, muito menos controlar a mídia, muito menos os movimentos do império norte-americano. Que possamos um dia conhecer uma humanidade inteiramente livre do domínio dos psicopatas mentirosos e assassinos, de nosso comportamento planetário total como um coletivo, até os pensamentos que temos em nossas próprias cabeças.

Que possamos extrair seus dedos horríveis dos cordões que controlam todos os aspectos de nosso ser.

Novo livro: Notes From The Edge Of The Narrative Matrix .


“Parece duvidoso se, de fato, a política de “Botas no rosto” pode continuar indefinidamente.  Minha própria convicção é que a oligarquia governante encontrará maneiras menos árduas e perdulárias de governar e de satisfazer sua ânsia de poder, e essas formas serão semelhantes às que descrevi em Admirável Mundo Novo [uma verdadeira profecia publicada em 1932]

Na próxima geração, acredito que os governantes do mundo descobrirão que o condicionamento INFANTIL e a narco-hipnose são mais eficientes, como instrumentos de governo, do que e prisões e campos de concentração, e que o desejo de poder pode ser completamente satisfeito sugerindo às pessoas que amem sua servidão ao invés de açoita-los e chutando-os até à obediência. ”  Carta de Aldous Huxley  EM 1949 para George Orwell autor do livro “1984” 


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.