Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

A corrupção é agora o nosso modo de vida normal na América

A corrupção sistêmica e a implosão do contrato social têm consequências: é chamado de colapso da civilização, e já aconteceu antes com o império romano.. A decadência social e econômica é tão glacial que apenas aqueles poucos que se lembram de um ponto de ajuste anterior estão equipados para notar o declínio de nossa civilização. Essa é a posição em que nos encontramos hoje. Quando o banco ícone de Wall Street JP Morgan Chase se envolveu em fraude e foi multado em US$ 1 bilhão, ninguém foi para a prisão porque ninguém nunca vai para a prisão por fraude corporativa e conluio criminoso: o JPMorgan vai pagar quase US $ 1 bilhão de multa para resolver a investigação dos EUA sobre práticas comerciais .

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

A corrupção é agora o nosso modo de vida nos EUA

Fonte: Charles Hugh Smith

Muitos americanos desconsiderarão a corrupção sistêmica que caracteriza o estilo de vida norte americano [e por extensão o ocidente], porque nada conheceram além da corrupção sistêmica. Eles se habituaram a isso porque não têm memória de uma época em que o saque não era legalizado e maximizar o auto-enriquecimento por qualquer meio disponível não era a lei não escrita do país.

Se você ainda não vê a América como pouco mais do que uma coleção entrelaçada de esquemas, golpes, fraudes, desfalques, mentiras, sistema de jogo, ofuscação de risco e exploração das massas por pessoas de dentro do sistema, leia Como a corrupção está se tornando o Sistema Operacional na América  (nakedcapitalism. com, via Cheryl A.)

Aqui em oftwominds.com, você pode querer ler No Wrongdoing Here, Just 6.300 Corporate Multas and Settlements . (Maio de 2015)

Quando o banco ícone de Wall Street JP Morgan Chase se envolveu em fraude e foi multado em US$ 1 bilhão, ninguém foi para a prisão porque ninguém nunca vai para a prisão por fraude corporativa e conluio criminoso: o JPMorgan vai pagar quase US $ 1 bilhão de multa para resolver a investigação dos EUA sobre práticas comerciais .

Simplificando, a corrupção é gratuita na América porque a maior parte dela é legalizada, n~zo existe punição com prisões. E tudo o que ainda é ilegal nunca é aplicado às elites e insiders, exceto (de acordo com a corrupção do regime comunista) para um raro julgamento-espetáculo onde um exemplo é feito de um flagrante trapaceiro (pense em Bernie Madoff: repetidas tentativas de denunciantes para expor o fraudes para reguladores foram estouradas por anos. Foi só quando Madoff roubou ricos e poderosos insiders que ele caiu.)

Existem três fontes principais para a corrupção sistêmica completa da América. Uma é a transição da responsabilidade cívica pelo contrato social e pelo interesse nacional para o saque legalizado do vencedor .

Essa transição é visível na história dos impérios em fase final de colapso. O pressuposto subjacente à ordem social desliza de um dever compartilhado para com a nação e seus concidadãos para uma obsessão em fugir dos deveres cívicos: o serviço militar, os impostos e o cumprimento das regras são todos evitados por iniciados e membros das elites, e essa podridão moral / social então corrompe toda a ordem social, na medida que membros das elites e insiders, apóiam-se cada vez mais fortemente na classe produtiva remanescente para pagar os impostos e fornecer a força militar para defender sua riqueza e seu status.

Que a corrupção está agora em todos os lugares da América é óbvio para todos, exceto para aqueles que estão totalmente cegos pela negação. Os JP Morgan, Goldmann Sachs, et caterva pagam multas como um  custo de fazer negócios ilícitos e corruptos, enquanto os “funcionários públicos” manipulam o sistema para maximizar suas pensões com uma variedade de truques: conluio para aumentar as horas extras do insider que está se aposentando; encontrar um médico charlatão para aprovar um falso “sopro no coração” para que o insider não pague impostos sobre seu cheque de “deficiência”, e assim por diante, em um desfile interminável de mentiras, golpes, skims e truques internos .

A desculpa é sempre a mesma: todo mundo faz. É claro que este é o colapso não apenas do contrato social, mas da moralidade e da ética em geral: vale tudo e os vencedores levam mais . Os insiders olham para o outro lado, temendo que seus próprios esquemas e golpes sejam contestados, e as elites e insiders vêem aqueles que não estão em seus esquemas e golpes como idiotas dignos de pena.

A segunda dinâmica é que A financeirização [dos vampiros de Wall Street] corrompeu completamente a economia americana, e essa corrupção agora se espalhou para as ordens políticas e sociais. Depois que o setor financeiro conquistou a economia real, ele começou a desviar 95% da riqueza da economia para o topo, a elite dos 0,1% e seus bajuladores, lacaios, apologistas, executores e tecnocratas.

À medida que esvaziaram a economia real, distorceram incentivos e tornaram o risco moral o princípio orientador do modo de vida americano, os destinatários da dominação da financeirização ganharam a riqueza para comprar o poder político da classe política pateticamente corruptível.

A corrupção que chamamos de financeirização corrompeu a democracia e minou o contrato social do pais, eviscerando o valor do trabalho e criando uma ordem política paga para jogar que é uma zombaria da democracia .

O terceiro fator é a decadência das instituições americanas em frentes de ganho pessoal . Embora os membros do Ensino Superior sejam mestres em relações públicas autônomas, a verdade é que eles não estão preocupados com o fato de seus “clientes” (estudantes) servos de dívidas estudantis aprenderem as habilidades essenciais necessárias nas décadas tumultuadas que virão – eles estão preocupados com as receitas necessários para pagar seus enormes salários e se seus benefícios podem secar.

A “educação” nada mais é do que uma fachada para a corrupção do auto-enriquecimento e engrandecimento pelas elites e pessoas de dentro do topo do poder.

O mesmo é verdade para o sistema de “saúde”. A preocupação dos iniciados não é o declínio da saúde da população americana, é o declínio nas receitas à medida que menos “clientes” chegam para o escalonamento financeiro do atendimento de emergência.

“Saúde” nada mais é do que uma fachada para a corrupção do auto-enriquecimento pelas elites e pessoas de dentro do topo do poder.

Graças ao infinito dinheiro grátis do sistema [pseudo] Federal Reserve para financistas e aos infinitos déficits federais de emprestar e explodir, a crença não declarada é que, uma vez que há um “dinheiro” infinito, minhas fraudes mesquinhas e esquemas nem mesmo prejudicam a alimentação – sempre há outro trilhão ou três para deslizar e trapacear, e nunca haverá qualquer limite para a manjedoura.

Não há limite até que o sistema imploda completa e definitivamente.

Irônico, não é? A crença tão conveniente de que a riqueza e o poder da América são eternos e divinos em sua glória fomenta a corrupção crassa que enfraqueceu a América a ponto de não ter mais volta: fragilidade sistêmica É fragilidade.

excepcionalismo americano virou de cabeça para baixo: a América agora é tão perniciosamente corrupta quanto qualquer nação do mundo em desenvolvimento à qual nos sentimos presunçosamente “tão superiores”, e com extremos de riqueza e desigualdade de renda que ultrapassam até mesmo as cleptocracias mais vorazes. Esse “excepcionalismo” desestabilizador é agora a característica definidora da economia, sociedade e ordem política americanas.

A corrupção sistêmica e a implosão do contrato social têm consequências: é chamado de colapso,  queridos, e a podridão agora é muito profunda para ser revertida, ou seja, a vaca se perdeu no brejo de tanto ser “ordenhada”…


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores. – Mateus 24:6-8

“E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da BESTA; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis[666]“.  –  Apocalipse 13:16-18


Mais informações, leitura adicional:

Permite reproduzir desde que mantida a formatação original e a conversão como fontes.

phi-cosmoswww.thoth3126.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *