browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Afeganistão: Investidores dos fabricantes de armas do Complexo Industrial Militar são os ‘grandes” vencedores

Posted by on 22/08/2021

Enquanto os falcões da guerra que mentiram sobre a invasão e ocupação do Afeganistão pelos EUA por duas décadas continuam a espalhar fantasias em meio à tomada do Taleban e à  evacuação americana  de Cabul, os críticos progressistas na terça-feira lembraram ao mundo QUEM se beneficiou da “guerra sem fim. Entrincheirar as forças dos EUA no Afeganistão foi o plano de negócios do complexo militar-industrial para mais de 20 anos“,  declarou o grupo de defesa Public Citizen, com sede em Washington, DC.

Guerra do Afeganistão: Investidores dos fabricantes de armas do Complexo Industrial Militar são os ‘Grandes” vencedores, como sempre. Os preços das ações dos fabricantes de armamentos superaram amplamente o desempenho do mercado de ações em geral durante a Guerra do Afeganistão.

Fonte:  Consortion News

Por Jessica Corbett

E os falcões que  mentiram  sobre a invasão e ocupação do Afeganistão pelos Estados Unidos por duas décadas  continuam  a  vender fantasias  em meio a uma tomada do Taleban  e à evacuação  americana  de Cabul, críticos progressistas lembraram nesta terça-feira ao mundo quem se beneficiou da “interminável guerra.”

“Entrincheirar as forças dos EUA no Afeganistão foi o plano de negócios do complexo militar-industrial para mais de 20 anos”,  declarou o grupo de defesa Public Citizen, com sede em Washington, DC.

Assange descreveu uma década atrás como a guerra “sem fim” do Afeganistão foi planejada pela “elite de segurança transnacional”

“Falcões da Guerra e empreiteiros de defesa do [Complexo Industrial Militar] cooptaram as necessidades do povo afegão para encher seus próprios bolsos”, acrescentou o grupo. “Nunca foi tão importante acabar com o lucro da guerra.”

Em um tweet de terça-feira de manhã, o Public Citizen destacou os retornos em ganhos das ações das gigantes da indústria de armamentos nos últimos 20 anos – calculados em uma análise “de cair o queixo ”   do  The Intercept – e afirmou que “o Complexo-Industrial Militar conseguiu exatamente o que queria com essa guerra.”

Jon Schwarz, do Intercept , examinou os retornos das ações das cinco maiores empreiteiras de defesa: Boeing, Raytheon, Lockheed Martin, Northrop Grumman e General Dynamics.

Schwarz descobriu que um investimento de $ 10.000 em ações igualmente dividido entre essas cinco empresas em 2001 no dia em que o então presidente Georg W. Bush assinou a autorização antes da invasão dos EUA valeria $ 97.295 esta semana, não ajustado pela inflação, impostos ou taxas .

De acordo com o  The Intercept :

“Este é um retorno muito maior do que o disponível no mercado de ações geral no mesmo período. $ 10.000 investidos em um fundo de índice S&P 500 em 18 de setembro de 2001, valeriam agora $ 61.613. Ou seja, as ações de defesa superaram o mercado de ações em geral em 58% durante a Guerra do Afeganistão. ”

“Esses números sugerem que é incorreto concluir que a aquisição imediata do Afeganistão pelo Taleban após a saída dos EUA significa que a Guerra do Afeganistão foi um fracasso”, acrescentou Schwarz. “Pelo contrário, da perspectiva de algumas das pessoas mais poderosas dos Estados Unidos, pode ter sido um sucesso extraordinário. Notavelmente, os conselhos de administração de todas as cinco empresas de defesa citadas incluem oficiais militares aposentados de alto nível”. 

“A Especulação pelo lucro numa Guerra não é nova”, o jornalista Dina Sayedahmed  disse em resposta à comunicação “mas vendo os números disso é impressionante.”

A comentarista político progressista e apresentadora de podcast Krystal Ball usou as descobertas de Schwarz para se opor a um argumento-chave que tem sido amplamente usado pela mídia pre$$titute para justificar quase 20 anos de matança na guerra.

“Isso é o que realmente se trata de pessoas”, ela tuitou sobre os retornos dos empreiteiros de defesa. “Qualquer um que acredite que estivemos no Afeganistão para ajudar mulheres e meninas é um mentiroso ou um tolo” [ou ambos].

Conglomerados do Complexo Industrial Militar de grande fabricantes de armamentos

Jack Mirkinson  escreveu na segunda-feira para o  Discourse Blog que “é inquestionavelmente doloroso pensar sobre o que o Taleban pode infligir às mulheres e meninas, mas vamos dispensar essa fantasia de que os EUA estiveram no Afeganistão para apoiar as mulheres, ou para construir a democracia, ou para fortalecer as instituições afegãs, ou qualquer uma das outras linhas que são implantadas sempre que alguém tem a ousadia de sugerir que guerra e ocupação sem fim são uma coisa prejudicial ”.

“Não fomos ao Afeganistão para apoiar seu povo e não ficamos no Afeganistão para apoiar seu povo”, acrescentou. “É surpreendente, dado o que sabemos sobre os  monstros  políticos que os Estados Unidos  sustentaram  repetidamente em todo  o mundo , que persista o mito de que fazemos qualquer coisa por amor aos direitos humanos. Entramos e ficamos pelo mesmo motivo: o império americano é uma força que deve permanecer em movimento perpétuo”.

Um helicóptero UH-60L Blackhawk foi carregado em um C-17 Globemaster III no campo de aviação da Base Bagram em Parwan, Afeganistão, em 16 de junho como parte da retirada militar dos EUA. (Foto do Exército dos EUA pelo sargento de 1ª classe Corey Vandiver)

Como o Common Dreams  relatou na segunda-feira, enquanto o Taleban retomou o controle, os defensores da anti-guerra argumentaram que a diplomacia é o único caminho para a paz de longo prazo, com Azadeh Shahshahani do Projeto Sul enfatizando que “os únicos que se beneficiaram da guerra dos EUA no Afeganistão foram políticos e corporações que lucram com a guerra, enquanto incontáveis ​​vidas foram destruídas ”.

Respondendo ao tweet de Shahshahani sobre quem se beneficiou de duas décadas de carnificina e derramamento de sangue no Afeganistão, Zack Kopplin, do Government Accountability Project,  escreveu : “Adicionando generais à mistura que também lucram com a guerra”.

Este artigo pertence a   Common Dreams.


“O indivíduo é [TÃO] deficiente mentalmente [os zumbis], por ficar cara a cara, com uma conspiração tão monstruosa, que nem acredita que ela exista. A mente americana [humana] simplesmente não se deu conta do mal que foi introduzido em seu meio. . . Ela rejeita até mesmo a suposição de que as [algumas] criaturas humanas possam adotar uma filosofia, que deve, em última instância, destruir tudo o que é bom, verdadeiro e decente”.  – Diretor do FBI J. Edgar Hoover, em 1956


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

4 Responses to Afeganistão: Investidores dos fabricantes de armas do Complexo Industrial Militar são os ‘grandes” vencedores

  1. Keanu Reeves

    Você sabe quem vai herdar a Terra? Os negociantes de armas, porque todas as outras pessoas estão ocupadas de mais matando umas as outras.

    – O Senhor das Armas

    • Thoth3126

      ESTÁ ESCRITO: Os justos herdarão a Terra e habitarão nela para sempre. Salmos 37:29
      Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a Terra; Mateus 5:5
      Mas os mansos herdarão a Terra, e se deleitarão na abundância de paz. Salmos 37:11
      Porque os malfeitores serão desarraigados; mas aqueles que esperam no Senhor herdarão a Terra. Salmos 37:9
      Porque aqueles que Ele abençoa herdarão a Terra, e aqueles que forem por Ele amaldiçoados serão desarraigados. Salmos 37:22

  2. Wilson

    Oi no meu canal Telegram, tenho as provas de vídeos no YouTube e reportagem de jornais da visita de Bolsonaro dia 15 maio de 2019 ao morto em 01 dezembro 2018 o Busch pai… é o que diz as reportagens e vídeos….o bobo da corte dos senhores da guerra, visitando o ex Cia e ex presidente morto…

Deixe um comentário para Thoth3126 Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.