Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

China alerta sobre uso de ‘Armas Genéticas Devastadoras’ contra Raças e Etnias predeterminadas

Alguns países “armaram-se” com armas biológicas mortais que visam genes humanos específicos, alegou na segunda-feira a principal agência de espionagem da China – a primeira vez que um órgão estatal chinês mencionou publicamente tal ameaça. Numa publicação na sua conta oficial do WeChat, o Ministério da Segurança do Estado disse que algumas nações tinham como alvo a população chinesa por “motivos ocultos”.

A principal agência de espionagem da China alerta sobre “armas genéticas” capazes de atingir etnias ou raças específicas

Fonte: SCMP.com

  • “Algumas nações” [os EUA?] desenvolveram armas biológicas que têm como alvo a população chinesa por “motivos ocultos”, afirma o Ministério da Segurança do Estado na conta oficial do WeChat, sem oferecer detalhes
  • Embora alguns chamem isso de “ficção científica”, o sequenciamento avançado de DNA, os dados genéticos e o uso da I.A. podem tornar as “armas biológicas étnicas” uma realidade, dizem os pesquisadores

O ministério não nomeou esses países nem ofereceu provas para apoiar sua afirmação. A existência de tais armas tem sido rejeitada pela comunidade científica dominante como uma “teoria da conspiração”.

Num relatório publicado em Fevereiro do ano passado, investigadores do Conselho de Riscos Estratégicos afirmaram que a ameaça das armas biológicas como elemento dissuasor era “irrelevante” porque nenhum país estava a salvo dos efeitos de uma pandemia.

Mas o que o ministério chinês alega que os países criaram não é um agente biológico concebido para o mundo inteiro, mas sim a criação de uma ameaça direcionada, ou de armas genéticas, contra uma população, uma etnia específica.

As armas genéticas, também conhecidas como armas biológicas étnicas, são armas biológicas geneticamente modificadas que são capazes de atingir membros de uma raça ou etnia específica.

Embora até 99,9 por cento do ADN humano seja compartilhado entre todos os indivíduos da Terra, existem diferenças genéticas importantes que distinguem aqueles de uma determinada etnia ou raça, afirmou o ministério chinês.

Segundo o ministério, essas pequenas diferenças podem ser utilizadas para “matar alvos de uma raça pré-determinada”. O ministério chinês não é o primeiro a alegar a existência de armas biológicas geneticamente direcionadas.

Em Junho, o candidato presidencial dos EUA, Robert F. Kennedy Jr., afirmou que “os chineses estão desenvolvendo armas biológicas étnicas”, afirmando ainda que os EUA também está desenvolvendo essa tecnologia. As autoridades russas acusaram os EUA no ano passado da Ucrânia produzir armas biológicas em laboratórios financiados pelos Estados Unidos, com alguns relatos da mídia sugerindo que eles acreditavam que essas armas poderiam ter alvos étnicos, no caso os eslavos russos.

“É altamente improvável que uma arma que atinja certos grupos étnicos possa ser desenvolvida”, disse Richard Parsons, professor sênior de Toxicologia Bioquímica no King’s College London, ao Science Media Centre em resposta às alegações da Rússia.

Parsons disse que embora existam atualmente agentes farmacêuticos que são mais eficazes em certos grupos étnicos, estes demoram muito tempo a desenvolver-se e “mesmo os membros do mesmo grupo étnico não compartilham todas estas diferenças”.

Oliver Jones, chefe de Biociências e Tecnologia de Alimentos da Universidade RMIT, disse ao Science Media Center que a afirmação “pertence puramente ao domínio da ficção científica”. Jones disse ao SCMPost por e-mail que os humanos são tão geneticamente semelhantes que uma arma direcionada a um grupo provavelmente prejudicaria o perpetrador também.

“Até onde eu sei, ninguém mostrou realmente uma maneira plausível, ou mesmo apenas teoricamente plausível, de como isso poderia ser feito”, disse ele.

O conceito de agentes biológicos geneticamente modificados chamou a atenção do público no início da pandemia de Covid-19, quando alguns cientistas levantaram a hipótese de que o vírus causador da doença não parecia ser de origem natural.

Em janeiro de 2020, Kristian Andersen, diretor de Genômica de Doenças Infecciosas do Scripps Research Institute, afirmou por e-mail que ele e outros cientistas descobriram que o genoma do vírus era “inconsistente com as expectativas da teoria evolutiva”.

Menos de dois meses depois, uma carta publicada na revista Nature citando Andersen como autor principal disse que exames mais aprofundados mostraram que o vírus “não era uma construção de laboratório ou um vírus manipulado propositalmente”.

Embora o consenso científico amplamente adoptado seja de que a engenharia genética não foi a causa da pandemia de Covid-19, destacou ao mundo a possibilidade de tal ameaça. As preocupações sobre a ameaça potencial das armas biológicas genéticas não são novas. Em 1999, um relatório da Associação Médica Britânica alertou que a criação de tais armas seria viável num futuro próximo.

Um relatório do Centro James Martin para Estudos de Não Proliferação em 2021 afirmou que um sistema de armas concebido para “otimizar o efeito em grupos específicos com base no perfil genético” era possível, mas enfrentava vários desafios técnicos.

Uma delas é a seleção de marcadores genéticos. Quanto mais específico for um marcador, menor será a probabilidade de ser suficientemente frequente em todos os membros de uma etnia ou raça para o atingir como um todo. Se a arma biológica optar por atingir um marcador frequente, é mais provável que este exista em grupos étnicos e populações próximas e, portanto, se transforme em alvos não intencionais, de acordo com o relatório.

Outro desafio é que os efeitos e os alvos de uma arma observados em laboratório podem não se traduzir no mundo real, o que pode significar que a arma se espalha de forma descontrolada ou simplesmente não funciona.

Mas o relatório do Centro James Martin alerta que os avanços na sequenciação do ADN, na inteligência artificial e na recolha de conjuntos de dados genéticos poderão “permitir a identificação de alvos cada vez mais precisos para um sistema de armas genéticas”.

A Convenção sobre Armas Biológicas, da qual a China, a Rússia e os Estados Unidos são signatários, é uma salvaguarda global que visa proibir o desenvolvimento e a utilização de tais armas.

De acordo com um relatório de 2021 da Global Challenges Foundation, embora se espere que os estados sob a convenção destruam quaisquer dessas armas criadas, a falta de uma definição acordada para uma arma biológica significa que os países podem aproveitar as lacunas para ainda pesquisá-las enquanto cumprem o tratado.

Jones destacou que o que pode ser definido como arma pode variar muito, pois pode ser um patógeno modificado ou um organismo prejudicial, entre outras coisas. Independentemente da definição, ele disse que o uso de tal arma seria “tentativa de genocídio”.

“As armas genéticas são mais ocultáveis, enganosas, fáceis de espalhar e prejudiciais a longo prazo”, afirmou o ministério chinês no seu post. “Uma vez usado na guerra, as consequências serão devastadoras.”

“É difícil saber por que vários órgãos governamentais e indivíduos afiliados fizeram alegações sobre tais armas geneticamente direcionadas, uma vez que elas não existem, disse Jones, acrescentando que suspeita que os políticos que fazem tais alegações “realmente não entendem a ciência disso”.


“E ouvireis de GUERRAS e de rumores de GUERRAS; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores.  –  Apocalipse 13:16


AVISO PARA OS ASSINANTES DO BLOG: Para os leitores assinantes do Blog, que recebiam o link para acessar as postagens em seus endereços de E-Mail, solicitamos, por favor, que refaçam a sua inscrição aqui neste LINK: https://linktr.ee/thoth3126, devido à problemas técnicos e perda de dados que tivemos com a migração de servidor. Também avisamos aos nossos leitores que estamos preparando uma NOVA VERSÃO do Blog que em breve será disponibilizada para todos.

Convidamos também a conhecerem e seguirem nossas redes sociais:
Instagram: https://www.instagram.com/th.oth3126/
Facebook: https://www.facebook.com/thoth3126.blog
X (antigo Twitter): https://twitter.com/thoth3126_blog
Youtube: https://www.youtube.co


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *