Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

China anuncia ‘Grandes Mudanças’ nas Restrições Covid após protestos em massa

Os comunistas de Pequim abandonaram as medidas tirânicas e controversas que fechavam pessoas em casa em blocos residenciais inteiros por semanas após protestos em massa da população. O governo da China revelou novas políticas Covid ZERO e aliviou algumas das restrições mais tirânicas. A decisão veio logo após uma série de protestos em massa em todo o país na semana passada, quando os manifestantes exigiram o fim dos bloqueios e quarentenas enquanto gritavam slogans contra o PCC e Xi Jinping.

China anuncia ‘Grandes Mudanças’ nas Tirânicas Restrições Covid Zero após protestos em massa

Fonte: Rússia Today

Na quarta-feira, a Comissão Nacional de Saúde da China emitiu novas diretrizes de combate à Covid, segundo as quais “pessoas infectadas assintomáticas e casos leves” ficarão isoladas em casa por uma semana, em vez de trancadas nos centros [de concentração] especiais de quarentena. Além disso, as autoridades prometeram “reduzir ainda mais o escopo dos testes de ácido nucleico e reduzir a frequência dos testes PCR.

Protegeremos ao máximo a segurança e a saúde das pessoas e reduziremos ao mínimo o impacto no desenvolvimento social e econômico”, disse a declaração do Mecanismo de Prevenção e Controle do Conselho Estadual.

Além disso, a nova abordagem exige que as autoridades de saúde designem áreas de alto risco em nível de prédio, em contraste marcante com a prática anterior de isolar áreas residenciais inteiras, às vezes por semanas consecutivas.

A exigência de ter um resultado negativo no teste de PCR para entrar em transportes ou locais públicos também foi suspensa, exceto para aqueles que desejam visitar hospitais, escolas e lares de idosos. As Escolas sem casos de Covid-19 poderão retomar as aulas normalmente, com previsão de abertura de supermercados, cafés, academias e bibliotecas.

De acordo com o South China Morning Post, as autoridades de várias cidades importantes, como Pequim e Guangzhou, haviam, de fato, implementado algumas das novas medidas em nível local antes do anúncio de quarta-feira.

A medida se segue à protestos em massa contra as restrições do Covid-19, que originalmente explodiram na região oeste de Xinjiang no final de novembro. Moradores foram às ruas de Urumqi depois que dez pessoas foram mortas em um incêndio em um prédio de apartamentos que estava bloqueado pelas restrições covid. 

Os manifestantes alegaram que as restrições de bloqueio, incluindo bloqueios de estradas perto de edifícios residenciais, prejudicaram seriamente o trabalho dos bombeiros. Funcionários negaram que houvesse qualquer ligação.

As manifestações logo se espalharam por outras cidades como um rastilho de pólvora, com pessoas exigindo o fim das políticas de “Zero Covid”. Manifestantes furiosos entraram em confronto com a polícia em Guangzhou e Xangai e várias prisões foram feitas – algo inédito na China continental nas últimas décadas.


“Precisamos do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *