Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Como a Ucrânia Queria Expandir a Guerra para a Bielorrússia

Bem, os psicopatas nazistas e judeus khazares em Kiev-OTAN-EUA – literalmente – nunca dormem. Este documento – anexado e verificado ao mais alto nível, é um relatório ucraniano sobre diversas operações de reconhecimento levados à efeito na fronteira entre a Ucrânia e a Bielorrússia realizadas quatro meses atrás. Vários grupos de operações especiais ucranianos estiveram envolvidos em um reconhecimento profundo antes de um possível plano no estilo “Ave Maria“: lançar uma ofensiva contra o território da Bielorrússia, expandindo assim a guerra por procuração dos EUA-OTAN sobre a Rússia “multilateralmente”.

Como a Ucrânia Queria Expandir a Guerra para a Bielorrússia

Fonte: Strategic-Culture – por Pepe Escobar

Não está claro se esta foi uma ideia de Kiev; foi um plano ditado pelos mestres da OTAN; ou uma mistura dos dois. Minsk, é claro, não estava exatamente observando à distância.

Agora vamos ao cerne da questão. O documento especifica “reconhecimento aéreo 130 tripulação Rbpak MATRICE-30”, em um relatório de inteligência datado de 21 de julho de 2023:

“Foi realizado um levantamento aéreo da República da Bielorrússia: foram feitas duas Matrizes – 30 subidas A altitude de vôo é de 950 m. Sistema de guerra eletrônica não foi detectado, a comunicação com o controle remoto não foi perdida, os sinais GPS estavam no modo Normal. Sem cruzar o DKU.

Durante voos na direção KALININO-SK-42. x: 5727537; Y: 5583485 foi descoberto um veículo de videovigilância “Grenadier” – SK-42. x:5727404; Y:5583417. Projetado para monitoramento de estações de aproximação à fronteira.

Traços e sinais da passagem de DRGS inimigos e o movimento de equipamentos inimigos nessas direções não foram detectados. Nenhuma alteração foi detectada ao longo do DKU. Durante o reconhecimento aéreo realizado, não foram detectadas ações ativas relacionadas à ofensiva inimiga.

A área é arborizada e intransitável para pessoal e equipamentos inimigos. Esta seção do DKU não exige levantamento aéreo adicional.”

Observe aqueles pântanos intransponíveis

Agora passamos para um relatório de inteligência do grupo “IRLANDETS” (“Irlandês”), também datado de 21 de julho de 2023.

“O reconhecimento foi realizado por meio de reconhecimento e busca militar na direção do ZABOLOTYE na área da faixa de fronteira e áreas adjacentes.

Ponto de decolagem do helicóptero X:5719499; Y:5520355. Início do percurso: X: 5719667; Y:5518682. Fim da Rota: X: 5719641; Y:5522372.

A área ao longo do centro recreativo e as estradas que levam ao centro recreativo foram pesquisadas. Não foram encontrados vestígios ou sinais de passagem de grupo de sabotagem e reconhecimento inimigo e equipamento inimigo.

O terreno na área de reconhecimento é intransitável para equipamentos inimigos, o que se deve a uma barreira natural em forma de pântanos intransponíveis, densas florestas e um rio que corre ao longo da linha de fronteira nesta praça. Porém, este trecho é possível para a passagem de pessoal.

Composição do inimigo, especialmente grupo de sabotagem e reconhecimento. Presença confirmada de campos minados. Não foi observado acúmulo de equipamento militar, pessoal inimigo próximo ao centro recreativo. Inteligência aérea conduzida. Passamos a realizar tarefas para a finalidade pretendida em outra área, de acordo com os grupos do plano de ação da agência de inteligência.”

Vamos coletar algumas frutas

Agora vamos ao relatório de reconhecimento do RG (grupo de inteligência) “Partizan”, também datado de 21 de julho de 2023:

“A exploração foi realizada através de busca e observação, entrevistando a população local na direção do distrito de PEREBRODY (X:5733040; Y:5499111) – ZHADEN (X:5732068; Y: 5488281) – BUDIMLYA (X:5726038; Y: 5498176) na área da faixa de fronteira e áreas adjacentes.

Foram examinadas áreas ao longo do centro recreativo, foram verificadas barreiras de engenharia e sapadores, estradas florestais e de campo que conduzem ao centro recreativo: presença de valas antitanque, entulhos e obstáculos de árvores, campos minados.

Não foram encontrados vestígios ou sinais de passagem de grupo de sabotagem e reconhecimento inimigo e equipamento inimigo. A área de exploração é condicionalmente transitável para veículos e pessoal, o que se deve a uma barreira natural, nomeadamente: albufeiras, zonas pantanosas, barreiras de engenharia.

Presença confirmada de campos minados (SK – 42: 1)X:5734692; 5495350; 2)X:5734724; Y:5495106; 3)X:5734899; Y:5494965; 4)X:5735543; Y:5497866; 5)X:5737721; Y:5501118).

Na realização do reconhecimento, foram utilizados meios ópticos: binóculos. A situação nos moldes do DKU é calma. Nenhum som de movimento ou movimento de equipamento inimigo foi registrado.

Devido à época dos frutos silvestres, a população local coleta massivamente os frutos silvestres nas florestas fronteiriças, deslocando-se para os locais em quadriciclos, transporte rodoviário e scooters. Assim, durante o período de realização do reconhecimento, esses veículos e coletores foram registrados até a fronteira inclusive.

Prosseguimos com a execução de tarefas de acordo com o Plano de Ação do grupo de inteligência Partizan.”

Ai está. Esta era a situação há quatro meses.

Muita coisa aconteceu desde então: a escassez massiva de fundos e armas para Kiev; os holofotes da guerra roubados por Israel; e o duelo intestino dentro da Ucrânia entre Zelensky-Zaluzhny.

Ainda assim, não há garantias de que os planos para incendiar a Bielorrússia e toda a região do Báltico tenham sido definitivamente arquivados pelos psicopatas da OTAN-EUA e Kiev.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *