browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Como “Grandes Bancos” ajudaram Eike a fraudar mercado (o Cassino) em US$ 1 bilhão

Posted by on 24/03/2020

Como “Grandes Bancos” (J.P. Morgan, Goldman Sachs, Morgan Stanley, BTG Pactual, ItaúBBA e Credit Suisse), ajudaram Eike a fraudar o mercado em cerca de US$ 1 bilhão: 

As irregularidades foram feitas num longo período — tanto no seu auge, quando chegou a ser a [pseudo] sétima maior fortuna do mundo, como nos anos de derrocada do império X. Por meio de uma operação financeira conhecida no mercado por P-notes, Eike comprava e vendia no exterior ações do seu grupo sem se identificar. Desse modo, podia fraudar e manipular o mercado, utlizar-se de inside informations e outras irregularidades.

Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Eike Batista teve ajuda de seis bancos para operações irregulares de mais de R$ 1 bilhão. O bilionário, que já foi um dos homens mais ricos do Brasil, terá sua delação premiada assinada até sexta-feira.

Fonte:  https://blogs.oglobo.globo.com/

Brasília – O (agora careca, sem a peruca) empresário Eike Batista fala na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado que apura irregularidades no BNDES 

O prato principal da delação de Eike Batista, fechada ontem com a PGR depois de uma longa negociação, são os bancos de investimentos. Provavelmente, a colaboração de Eike morreria na praia se ele não falasse sobre as operações que fazia com os bancos JP Morgan, Goldman Sachs, BTG Pactual, ItaúBBA, Morgan Stanley e Credit Suisse.

E o que Eike Batista revelou no acordo fechado ontem pelos advogados Rodrigo Mudrovitsch e Victor Rufino e que será assinado até sexta-feira?

O ex-homem mais rico do Brasil detalhou operações irregulares com esses bancos no valor total de cerca de US$ 1 bilhão. As irregularidades foram feitas feitas num longo período — tanto no seu auge, quando chegou a ser a sétima [pseudo]maior fortuna do mundo, como nos anos de derrocada do império X.

Por meio de uma operação financeira conhecida no mercado por P-notes, Eike comprava e vendia no exterior ações do seu grupo sem se identificar. Assim, podia fraudar e manipular o mercado, utilizar-se de inside information e outras irregularidades.

Eike não envolveu os presidentes destes seis bancos na delação. Contou aos procuradores apenas os nomes dos diretores que participavam, na outra ponta, das operações. O que não significa que os CEOs não possam sofrer consequências, pois a partir da homologação da delação é que as investigações sobre os ilícitos cometidos pelos bancos começarão.

Eike, em sua delação conta apenas as operações de que participou ou autorizou. Mas há também a suspeita, por parte dos procuradores, que executivos de Eike Batista tenham feito para si próprios as mesmas operações com as P-notes.

Eike Batista responsabilizou diretores dos bancos, com quem operava diretamente, mas não os presidentes dos gigantes financeiros. Ele pagará R$ 800 milhões de multa e cumprirá quatro anos de reclusão, um em regime fechado, um em domiciliar e dois em semiaberto. O dinheiro da multa do empresário será usado no combate ao coronavírus no Brasil.


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores. 

Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarãoE surgirão muitos FALSOS PROFETAS, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo”.  Mateus 24:6-13

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.