Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Deep State usa Guerra Rússia x Ucrânia para cobrir sua Intencional Sabotagem Alimentar

Está começando a ficar evidente que alguns maus atores estão tomando medidas deliberadamente para garantir uma grave crise alimentar global. Todas as medidas que os estrategistas do [des]governo do senil marionete Joe Biden vêm tomando para “controlar a crise energética” estão prejudicando a oferta ou inflando o preço do gás natural, petróleo e carvão para a economia global. 

Deep State usa Guerra Rússia x Ucrânia para cobrir sua Intencional Sabotagem Alimentar

Fonte: WilliamEngdahl.comPor F. William Engdahl

Isso já está tendo um enorme impacto nos preços dos fertilizantes e insumos para a produção de alimentos. Isso começou muito antes da Ucrânia ser invadida pela Rússia. Agora estão circulando relatos de que o pessoal de Biden interveio para bloquear o transporte ferroviário de fertilizantes no momento mais crítico para o plantio da primavera. Neste outono [setembro a dezembro no hemisfério norte], os efeitos disso serão explosivos.

Com o momento crucial para o plantio de primavera nos EUA em sua fase crítica, a CF Industries de Deerfield, Illinois, o maior fornecedor dos EUA de fertilizantes de nitrogênio, bem como um aditivo vital para motores a diesel, emitiu um comunicado à imprensa afirmando que:

“Na sexta-feira, 8 de abril, Em 2022, a Union Pacific informou à CF Industries sem aviso prévio que estava obrigando certos transportadores a reduzir o volume de vagões particulares em sua ferrovia com efeito imediato”. 

A Union Pacific é uma das quatro principais empresas ferroviárias dos EUA que, juntas, transportam cerca de 80% de todo o frete ferroviário agrícola dos EUA. O CEO da empresa CF, Tony Will, declarou:

“O momento desta ação da Union Pacific não poderia vir em pior hora para os agricultores. Não apenas o fertilizante será atrasado por essas restrições de envio, mas o fertilizante adicional necessário para completar as aplicações da primavera pode não chegar aos agricultores para a produção de alimentos para os consumidores”. 

A CF fez apelos urgentes à Administração Biden para remediar a situação, mas até agora sem nenhuma ação positiva do governo federal.

Sabotagem DIRETA

A CF Industries observou que era uma das apenas trinta empresas sujeitas à medida severa, que é indefinida. Eles enviam via linhas ferroviárias da Union Pacific principalmente de seu Complexo Donaldsonville em Louisiana e seu Complexo Port Neal em Iowa, para atender a estados agrícolas importantes, incluindo Iowa, Illinois, Kansas, Nebraska, Texas e Califórnia. 

A proibição afetará fertilizantes nitrogenados, como a ureia [alto – 40% – teor de nitrogênio] e nitrato de amônio ureia (UAN), bem como fluido de escape de diesel, DEF (chamado AdBlue na Europa). O DEF é um produto de controle de emissões necessário para caminhões a diesel hoje. Sem ele os motores não podem funcionar. É feito de ureia. A CF Industries é a maior produtora de ureia, UAN e DEF na América do Norte, e seu Complexo de Donaldsonville é a maior unidade de produção individual para os produtos na América do Norte.

Ao mesmo tempo, os manipuladores que controlam a gangue do marionete senil Joe Biden anunciou um remédio falso para os preços recordes nas bombas de gasolina. Washington anunciou que a EPA permitirá um aumento de 50% na mistura de biodiesel e etanol à base de milho para o verão. Em 12 de abril, o Secretário de Agricultura anunciou uma iniciativa “ousada” do governo dos EUA para aumentar o uso de biocombustíveis de etanol de milho cultivados internamente. 

O secretário Tom Vilsack afirmou que a medida “reduziria os preços da energia e combateria o aumento dos preços ao consumidor causado pela alta de preços de Putin (sic), explorando um futuro forte e brilhante para a indústria de biocombustíveis, em carros e caminhões e nos setores ferroviário, marítimo e de aviação. e apoiando o uso de combustível de € 15 neste verão.”

Apenas que o “Putin Price Hike” [Fator “Putin” na elevação de preços dos combustíveis] em maiúsculas não é resultado das ações russas, mas das decisões da Washington Green Energy de eliminar gradualmente o petróleo e o gás. A inflação dos preços da energia também está prestes a aumentar muito nos próximos meses devido às sanções econômicas dos EUA e da UE sobre a exportação de petróleo e gás russos. No entanto, o ponto central é que cada acre de terra agrícola dos EUA dedicado ao cultivo de milho para biocombustíveis remove essa produção de alimentos da cadeia alimentar, para queimá-la como combustível. 

Desde a aprovação da Lei de Padrões de Combustíveis Renováveis ??dos EUA de 2007, que estabeleceu metas anuais crescentes para a produção de milho para misturas de etanol, os biocombustíveis capturaram uma grande parte da área total de milho, mais de 40% em 2015. Essa mudança, exigida por lei, à queima de milho como combustível havia adicionado uma grande inflação de preços de alimentos bem antes do início da crise de inflação da covid.

 Os EUA são de longe o maior produtor [385 milhões de toneladas em 2021] e exportador mundial de milho. Agora, exigir um aumento significativo no etanol de milho para combustível em um momento de preços astronômicos de fertilizantes, e o transporte ferroviário de fertilizantes está sendo bloqueado sem nenhum motivo plausível por ordens da Casa Branca, enviará os preços do milho [e todos os seus produtos derivados] para a estratosfera. Os controladores do circo de Washington DC sabem disso muito bem. Esta sendo deliberadamente criado.

Não é à toa que o preço do milho dos EUA atingiu a maior alta de 10 anos já em meados de abril, já que as exportações da Rússia e da Ucrânia, principais fontes, estão agora bloqueadas por sanções e pela guerra. Além do uso ineficiente de energia do milho dos EUA para fornecimento de biodiesel, a mais recente iniciativa de etanol de Biden aumentará a crescente crise de alimentos sem fazer nada para reduzir os preços da gasolina nos EUA. 

Um dos principais usos do milho para alimentação dos EUA [e no mundo todo] é seu uso como ração animal para produção de proteínas através da carne de bovinos, suínos e aves, bem como para dietas humanas. Esta cínica ordem de biocombustíveis não é sobre a “independência energética” dos EUA.  O senil marionete Joe Biden determinou isso em seus primeiros dias no cargo com uma série de proibições de perfuração de petróleo e gás e implantação de oleodutos como parte de sua agenda Zero Carbon.

No que está claramente se tornando uma guerra da administração dos EUA contra os alimentos, a situação de escassez está sendo dramaticamente agravada pelas exigências da USDA para que os criadores de frangos, galinhas, patos, marrecos e perus matem [cerca de 30 milhões de cabeças já foram sacrificadas] milhões de aves em 27 estados, supostamente por sinais de infecção por gripe aviária. 

O “vírus” H5N1 Bird Flu foi exposto em 2015 como uma farsa completa. Os testes usados ??pelos inspetores do governo dos EUA para determinar a gripe aviária agora são os mesmos testes de PCR  não confiáveis ??usados ??para COVID em seres humanos. O teste é inútil para isso. Autoridades do governo dos EUA estimam que, desde que os primeiros casos foram “testados” positivos em fevereiro, pelo menos 23 milhões de frangos e perus foram abatidos para supostamente conter a propagação de uma doença cuja causa poderia ser o confinamento incrivelmente insalubre de frango industrial em massa . CAFOs. 

O resultado dessa insanidade absurda é um aumento acentuado nos preços dos ovos em cerca de 300% desde novembro e uma perda severa de fontes de proteína de frango para os consumidores americanos em um momento em que a inflação geral do custo de vida está em alta de 40 anos e o preço da carne de frango disparou.

Para piorar as coisas, os estados da Califórnia e do Oregon estão novamente declarando emergência hídrica em meio a uma seca de vários anos e estão reduzindo drasticamente a água de irrigação para os agricultores da Califórnia, que produzem a maior parte dos vegetais e frutas frescas dos EUA. Desde então, essa seca se espalhou para cobrir a maior parte das terras agrícolas a oeste do rio Mississippi, o que significa grande parte das terras agrícolas dos EUA.

A segurança alimentar dos EUA está sob uma severa ameaça como nunca antes desde o Dust Bowl da década de 1930, e a “Agenda Verde” imposta à administração do marionete senil Joe Biden está fazendo tudo para piorar o impacto para os cidadãos norte americanos.

Em comentários recentes, o presidente dos EUA, Biden, observou sem dar detalhes que a escassez de alimentos nos EUA “será real”. Seu governo também é surdo aos apelos de organizações de agricultores para permitir o cultivo de cerca de 4 milhões de acres de terras agrícolas ordenadas a serem deixadas de cultivo por “razões ambientais”. No entanto, esta não é a única parte do mundo onde a crise alimentar está em franco desenvolvimento.

Desastre Global

Essas ações deliberadas dos marionetes sociopatas de Washington DC estão ocorrendo em um momento em que uma série global de desastres alimentares [ em sua maioria também sendo intencionalmente fabricados] cria a pior situação de abastecimento de alimentos em décadas, talvez desde o fim da Segunda Guerra Mundial.

Na UE, que depende significativamente da Rússia, Bielorrússia e Ucrânia para compra de cereais, fertilizantes e energia, as sanções estão piorando drasticamente a escassez de alimentos já induzida pela pandemia fake covid. A UE usa sua tola Agenda Verde como desculpa para proibir o governo italiano de ignorar as regras da UE que limitam a ajuda estatal aos agricultores. Na Alemanha, o novo ministro da Agricultura do Partido Verde, Cem Özdemir, que quer eliminar gradualmente a agricultura tradicional supostamente por suas emissões de “gás de efeito estufa”, deu uma resposta fria aos agricultores que desejam cultivar mais alimentos. A UE enfrenta muitas das mesmas ameaças desastrosas à segurança alimentar que os EUA e ainda mais dependência da energia russa, que está prestes a ser sancionada de forma suicida pela UE.

Os principais países produtores de alimentos da América do Sul, especialmente Argentina e Paraguai, estão no meio de uma severa seca atribuída a uma anomalia periódica do La Niña no Oceano Pacífico que prejudicou as colheitas lá. As sanções aos fertilizantes da Bielorrússia e da Rússia estão ameaçando as lavouras do Brasil, agravadas com gargalos no transporte marítimo e escassez do produto.

A China acaba de anunciar que, devido às fortes chuvas em 2021, a safra de trigo de inverno deste ano pode ser a pior de sua história. O PCC também instituiu medidas severas para levar os agricultores a expandir o cultivo para terras não agrícolas com pouco efeito relatado. 

De acordo com um relatório do observador da China Erik Mertz, “nas províncias chinesas de Jilin, Heilongjiang e Liaoning, as autoridades relataram que um em cada três agricultores não tem suprimentos suficientes de sementes e fertilizantes para começar a plantar para a janela ideal da primavera…

De acordo com fontes dessas áreas, eles estão presos à espera de sementes e fertilizantes que foram importados para a China do exterior – e que estão presos nos navios de carga na costa de Xangai com seus portos fechados devido a severo e tirânico lockdown pela covid” [também intencional para impactar toda a cadeia produtiva ocidental].  Xangai, o maior porto de contêineres do mundo, está sob uma bizarra quarentena total “Zero Covid” há mais de quatro semanas, sem fim à vista, até mesmo estradas em terras agrícolas. A situação alimentar na China está forçando o país a importar muito mais em um momento de escassez global, elevando ainda mais os preços mundiais de grãos e alimentos.

A África também esta sendo severamente impactada pelas sanções impostas pelos EUA e pelas exportações de alimentos e fertilizantes da Rússia e da Ucrânia, que acabaram com a eclosão do conflito. Trinta e cinco países africanos obtêm alimentos da Rússia e da Ucrânia. Vinte e dois países africanos importam fertilizantes de lá. Alternativas estão em falta à medida que os preços sobem e a oferta e o sistema de transporte marítimo entra em colapso. A fome está prevista para o continente africano, é apenas uma questão de tempo.

David M. Beasley, diretor executivo do Programa Mundial de Alimentos da ONU, declarou recentemente sobre as perspectivas globais de alimentos:

“Não há precedente sequer próximo disso desde a Segunda Guerra Mundial”.

Notavelmente, foi o Departamento do Tesouro do marionete senil Joe Biden que elaborou uma lista das sanções econômicas mais abrangentes contra a Rússia e a Bielorrússia, pressionando os lacaios da UE a seguir obedientemente, sanções cujo impacto no fornecimento e preços globais de grãos e fertilizantes e energia era totalmente previsível. Na verdade, foi uma sanção para os EUA, Europa e a economia global.

Estes são apenas os exemplos mais recentes de sabotagem consciente e deliberada dos controladores do circo que é o governo dos EUA, com a manipulação e uso da cadeia alimentar como parte da Agenda Verde de Biden, do WEF de Davos, Bill Gates e da Fundação Rockefeller, como parte de sua agenda distópica de eugenia Great Reset. A agricultura tradicional deve ser substituída por uma dieta sintética cultivada em laboratório de carnes falsas e proteínas de gafanhotos, insetos e vermes, em todo o mundo. Tudo pela suposta glória de controlar o clima global. Isso é realmente muito louco.

F. William Engdahl é consultor de risco estratégico e palestrante, é formado em política pela Princeton University e autor best-seller sobre petróleo e geopolítica, matéria exclusivamente para a revista online “New Eastern Outlook”


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *