‘Doença X’ será Divulgada (Liberada) em 2025?

O tratado pandêmico da OMS é a porta de entrada para um regime totalitário global, de cima para baixo, um governo mundial único usando a saúde para ser imposto.  A razão pela qual podemos ter a certeza de que haverá pandemias adicionais, quer sejam fabricadas apenas com recurso ao medo e ao exagero, ou com uma nova arma biológica real criada para esse fim, é porque o plano de controle do WEF, também conhecido como ‘The Great Reset’, baseia-se na premissa de que precisamos de soluções globais na vigilância de biossegurança e de resposta centralizada e única para todo o planeta.

‘Doença X’ será Divulgada (Liberada) em 2025?

Fonte: The Expose

De 15 a 19 de janeiro de 2024, os líderes globais dos psicopatas reuniram-se no 54º Fórum do WEF de Davos, o Fórum Económico Mundial (WEF), onde o tema principal de discussão foi  “Preparação para a Doença X”, uma hipotética nova pandemia que se prevê que mate 20 vezes mais pessoas do que a COVID-19.

Em agosto de 2023,  um novo centro de pesquisa de vacinas foi criado em Wiltshire, Inglaterra, para começar a trabalhar numa vacina contra a desconhecida “Doença X”.

O Congresso dos EUA silenciosamente introduziu a “Lei da Doença X de 2023” (H. R.3832) em junho de 2023. O projeto de lei prevê o estabelecimento de um programa BARDA para desenvolver “contramedidas médicas para ameaças virais com potencial pandêmico”. O projeto foi encaminhado ao Subcomitê de Saúde no início de junho de 2023, mas ainda não foi aprovado.

A pandemia [Fake] da COVID-19 permitiu uma mudança sem precedentes na distribuição do poder e da riqueza em todo o mundo e, como previsto, não seria um acontecimento único. Provavelmente surgirá um novo contágio em 2025 e os meios de comunicação [as Pre$$tituta$] e a mídia social [Big Techs] já estão nos preparando para aceitarmos isso.

De 15 a 19 de janeiro de 2024, os líderes globais dos psicopatas reuniram-se na cúpula de Davos do Fórum Económico Mundial (WEF), onde o principal tema de discussão foi “Preparação para a Doença X”,¹  uma hipotética nova pandemia prevista para surgir em 2025 e matar 20 vezes mais pessoas do que a COVID-19.² Conforme relatado pelo Mirror³: 

“A Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta sobre uma potencial Doença X desde 2017, um termo que indica um patógeno desconhecido que poderia causar uma grave epidemia internacional…

Os palestrantes do evento ‘Preparação para a Doença X’ na próxima quarta-feira [17 de janeiro de 2024] incluem Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, a ministra da saúde brasileira Nisia Trindade Lima, e Michel Demaré, presidente do conselho da AstraZeneca.

Na sua primeira reunião pós-pandemia, realizada em Novembro de 2022, a OMS reuniu mais de 300 cientistas para considerar quais das mais de 25 famílias de vírus e bactérias poderiam potencialmente criar outra pandemia.

A lista elaborada pela equipe incluía: o vírus Ebola, a doença do vírus de Marburg, Covid-19, SARS e o coronavírus da síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS-CoV). Outros incluíam febre de lassa, doenças nipah e henipavirais, febre de Zift Valley e a zika – bem como “o patógeno desconhecido” que causaria a ‘Doença X’”.

Entrevistei Meryl Nass sobre como a OMS está tentando assumir o controle de aspectos da vida de todos. Ela acaba de publicar um artigo importante no fim de semana,  Por que Davos está tão interessado em doenças?  sobre como o WEF e a OMS se tornaram parceiros para aterrorizar o mundo. 

Alexis Baden-Mayer, Esq., diretor político da Associação de Consumidores Orgânicos, fez algumas pesquisas sobre os participantes deste evento do WEF, e as duas coisas que todos eles têm em comum são:

  • 1) despejar a vacina AstraZeneca COVID no mundo em desenvolvimento (principalmente na Índia e no Brasil) depois de os países ricos o terem rejeitado devido ao seu risco admitido de coagulação sanguínea, e
  • 2) pressionar pela implementação de sistemas médicos de IA que eliminarão os médicos, juntamente com a escolha e a privacidade dos pacientes.

Execuções práticas ou planejamento responsável?

Em um tweet de 11 de janeiro de 2024, a analista da Fox News e ex-secretária assistente de assuntos públicos do Departamento do Tesouro dos EUA, Monica Crowley, escreveu que [4]:

“… Das mesmas pessoas que trouxeram a COVID-19 agora vem a “Doença X“: na próxima semana, em Davos, os globalistas não eleitos no Fórum Econômico Mundial-WEF realizarão um painel sobre uma futura pandemia 20 vezes mais mortal que a COVID…

Mesmo a tempo das eleições, um novo contágio que lhes permitirá implementar um novo tratado de saúde da OMS com abrangência global, fechar novamente todos os países, restringir a liberdade de expressão e destruir as demais liberdades dos cidadãos. Parece rebuscado? O mesmo aconteceu com a pandemia Covid-19 no início de 2020. Quando seus inimigos lhe disserem o que estão planejando [Programação Preditiva] e como estão planejando, acredite neles. E prepare-se.

Stuart Ray, vice-presidente de medicina para integridade e análise de dados no Departamento de Medicina da Johns Hopkins, rejeitou tais avisos, dizendo à revista Fortune [5] que “a coordenação da resposta de saúde pública não é conspiração, é simplesmente planejamento responsável”.

Eu estaria disposto a acreditar neles se não fosse por uma tendência agora óbvia: o que quer que os globalistas afirmem que vai acontecer, na verdade acontece com uma frequência notável, e as suas capacidades de prognóstico tornam-se mais fáceis de explicar quando se considera que a maioria das pandemias letais foram causadas por vírus produzidos pelo homem, produtos de pesquisas sobre ganho de função em laboratórios. É muito fácil prever um novo surto viral se você disser que o vírus está esperando nos bastidores pois já foi produzido artificialmente.

Com isto em mente, pesquisas recentes da China certamente suscitam preocupação, para dizer o mínimo. De acordo com uma pré-impressão de 3 de janeiro de 2024 [6], descobriu-se que um coronavírus pangolim relacionado ao SARS-CoV-2 – descrito como um “mutante adaptado à cultura celular” chamado GX_P2V que foi cultivado pela primeira vez em 2017 – matou 100% dos camundongos (camundongos humanizados transgênicos ACE2) infectados com ele.[7]

A principal causa da morte foi inflamação cerebral. Segundo os autores, “este é o primeiro relatório que mostra que um coronavírus pangolim relacionado ao SARS-CoV-2 pode causar 100% de mortalidade em camundongos hACE2, sugerindo um risco de o GX_P2V se espalhar para os humanos”.

No entanto, se este vírus sofreu mutação como resultado da passagem por culturas de células, então não é provável que ele surja na natureza. É outra criação humana de laboratório não natural, então, em vez de dizer que pode se espalhar dos pangolins para os humanos, seria mais correto admitir que pode representar um risco (bastante sério) para os humanos caso ocorra uma “fuga do laboratório”.

Ensaios gerais COVID

Em 2017, o Centro de Segurança da Saúde Johns Hopkins realizou uma simulação de pandemia de coronavírus chamada cenário SPARS Pandemic 2025-2028.[8] É importante ressaltar que o exercício enfatizou “dilemas de comunicação relativos a contramedidas médicas que poderiam surgir de forma plausível” num cenário de pandemia.

Depois, em Outubro de 2019, menos de três meses antes do surto de COVID-19, a Fundação Bill & Melinda Gates, em colaboração com a Johns Hopkins e o WEF-Fórum Econômico Mundial, organizou o Evento 201.

O próprio nome sugere que pode ter sido uma continuação do exercício SPARS Pandemic. Os cursos universitários são numerados com base em seus pré-requisitos. Um curso 101 não requer nenhum conhecimento prévio, enquanto os cursos 201 exigem familiaridade prévia com o tema em questão.

Tal como no cenário da Pandemia SPARS, o Evento 201 envolveu um surto de um coronavírus altamente infeccioso, e o foco principal (se não o único) do exercício foi, mais uma vez, como controlar a informação e manter a “desinformação” [os contestadores da narrativa oficial] sob controle, e não como efetivamente descobrir e compartilhar remédios.

A censura nas redes sociais desempenhou um papel proeminente no plano do Evento 201 e, nos acontecimentos do mundo real de 2020 até ao presente, informações precisas sobre o desenvolvimento, produção e lesões de vacinas foram efetivamente suprimidas e censuradas em todo o mundo, graças às empresas de redes sociais e a censura do Google aos pontos de vista opostos à narrativa oficial.

Em março de 2021, foi simulado um surto de “uma cepa incomum do vírus da varíola dos macacos”.[9] No final de Julho do ano seguinte, o diretor-geral da OMS declarou que um surto de varíola dos macacos em vários países constituía uma emergência de saúde pública de preocupação internacional, [10] contra o seu próprio grupo consultivo.

Bill Gates planeja novo contágio catastrófico

Exercício de ‘Contágio Catastrófico’

Considerando ambas as simulações, SPARS (“Evento 101”?) e Evento 201, prenunciaram o que eventualmente ocorreu na vida real durante o COVID, quando Bill [Hell’s] Gates organiza mais um exercício de pandemia, vale a pena prestar atenção aos detalhes.

Em 23 de outubro de 2022, Gates, a Johns Hopkins e a OMS co-organizaram “um exercício de desafio global” denominado “Contágio Catastrófico”,[11, 12] envolvendo um patógeno fictício denominado “síndrome respiratória de enterovírus epidêmico grave 2025” (SEERS-25).

O enterovírus D68 [13] está normalmente associado a resfriados e doenças semelhantes à gripe em bebês, crianças e adolescentes. Em casos raros, também é conhecido por causar meningite viral e mielite flácida aguda, uma condição neurológica que resulta em fraqueza muscular e perda de reflexos em uma ou mais extremidades.

Sabe-se que os enterovírus A71 e A6 causam febre aftosa,[14] o poliovírus, o enterovírus prototípico, causa a poliomielite, um tipo de paralisia potencialmente fatal que afeta principalmente crianças menores de 5 anos. modelado nesta simulação parece ser algo semelhante ao enterovírus D68, mas pior.

Começam os testes de vacinas para o vírus mortal Nipah

Um vírus conhecido que tem alguma semelhança com o SEERS-25 fictício é o vírus Nipah. Este vírus tem uma taxa de mortalidade de cerca de 75%,[15] e os sobreviventes muitas vezes enfrentam problemas neurológicos de longo prazo decorrentes da infecção. Diz-se também que o Nipah afeta as crianças em maior grau do que os adultos.[16]

Aliás, foram lançados recentemente ensaios em humanos para uma vacina contra o vírus mortal Nipah [17]. Os voluntários receberam as suas primeiras injeções no início de Janeiro de 2024. A injeção experimental utiliza a mesma tecnologia de vector viral utilizada para produzir a injeção contra a COVID da AstraZeneca.

O julgamento está sendo realizado pela Universidade de Oxford em uma área não revelada, onde o Nipah está infectando ativamente as vítimas. (A Índia parece ser indicada, já que um surto em Kerala matou duas pessoas e hospitalizou três em setembro de 2023[18])

Acredita-se que a doença se espalhe através da interação com animais infectados, como cabras, porcos, gatos e cavalos. Também pode se espalhar através de produtos sanguíneos e alimentos contaminados. Os sintomas podem surgir desde alguns dias após a exposição até 45 dias.

Os sintomas iniciais incluem febre, dor de cabeça e doença respiratória, que pode progredir rapidamente para encefalite (inchaço cerebral), convulsões e coma em apenas alguns dias. Segundo a OMS, sabe-se que os porcos [a carne mais consumida na CHINA . . .] são “altamente contagiosos” durante o período de incubação e é possível que os humanos também o sejam, embora isso ainda não tenha sido confirmado.

Treinar líderes africanos para acompanharem a narrativa

De forma reveladora, o exercício de Contágio Catastrófico centrou-se em envolver e treinar a liderança dos países africanos para seguir a agenda. As nações africanas “sairam do roteiro” com mais frequência do que outras durante a pandemia da COVID e não seguiram os passos das nações desenvolvidas quando se tratou de aplicar as vacinas mRNA Covid e foi o continente que menos “sofreu” com a pandemia.

Como resultado, os fabricantes de vacinas enfrentam agora o problema de ter um enorme grupo de controle, uma vez que a absorção da vacina contra a COVID no continente africano foi de apenas 6%[19]mas teve um desempenho muito melhor do que os países desenvolvidos em termos de infecções por COVID-19 e mortes relacionadas.[20]

O exercício de Contágio Catastrófico prevê que o SEERS-25 matará 20 milhões de pessoas em todo o mundo, incluindo 15 milhões de crianças, e muitos dos que sobreviverem à infecção ficarão com paralisia e/ou danos cerebrais. Por outras palavras, a “deixa” dada é que a próxima pandemia desta vez poderá atingir as crianças e não os idosos, como foi o caso da COVID-19.

“A vacina contra a ‘Doença X’ desconhecida já está em desenvolvimento” [e como pode ser assim se o ´AGENTE/VÍRUS ainda é DESCONHECIDO?????]

Que maravilhosamente reconfortante – já estamos desenvolvendo uma vacina para a Doença X. Programação mais preditiva da BBC, de propriedade do Deep State

Em Agosto de 2023, foi criado um novo centro de investigação de vacinas em Wiltshire, Inglaterra, totalmente equipado com mais de 200 cientistas, para começar a trabalhar numa vacina contra a desconhecida “Doença X”. Conforme relatado pelo Metrô: 21

“Demorou 362 dias para desenvolver a vacina contra a Covid-19. Mas a equipe do Centro de Desenvolvimento e Avaliação de Vacinas quer reduzir esse tempo para 100 dias. Os cientistas da instalação desenvolverão uma série de protótipos de vacinas e testes.

O novo laboratório faz parte de um esforço global para responder às ameaças globais à saúde. O Reino Unido e outros países do G-7 assinaram a ‘Missão dos 100 Dias’ em 2021. O governo investiu £ 65 milhões no laboratório.

A professora Dame Jenny Harries, chefe da Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido, disse que as novas instalações iriam “garantir que nos preparemos para que, se tivermos uma nova Doença X, um novo agente patogênico, tenhamos esse trabalho com a maior antecedência possível” [podemos continuar “dormindo” tranquilos].

Nos EUA, o Congresso também introduziu a “Lei da Doença X de 2023” (HR3832 22 ) em Junho de 2023.

A Lei da Doença X altera uma seção da Lei do Serviço de Saúde Pública com duas novas cláusulas que exigem “a identificação e o desenvolvimento de tecnologias de fabricação de plataformas necessárias para o desenvolvimento avançado e a fabricação de contramedidas médicas para famílias de vírus que tenham potencial significativo para causar uma pandemia”, e “pesquisa e desenvolvimento avançados de contramedidas médicas flexíveis contra famílias prioritárias de vírus respiratórios e outros patógenos virais respiratórios com potencial significativo para causar uma pandemia, com abordagens específicas de patógenos e agnósticas de patógenos…”

Escusado será dizer que, uma vez que é impossível personalizar vacinas utilizando o método convencional de cultivo de vírus em ovos ou noutros meios celulares em 100 dias, parece inevitável que todos estes esforços se centrem na expansão de tecnologias baseadas em fatores genéticos. Isto, apesar do fato de a tecnologia de mRNA utilizada para as vacinas contra a COVID ter provado ser desastrosa do ponto de vista da segurança e, ainda por cima, ineficaz.

Por que as pandemias fabricadas continuarão

Neste ponto, é bastante claro que a “biossegurança” é o meio escolhido pelo qual a cabala globalista pretende tomar o poder sobre todo os povos do mundo e acelerar o sua agenda de despovoamento em MASSA. A OMS está trabalhando para garantir o poder exclusivo sobre a resposta à pandemia a nível mundial através do seu  tratado internacional sobre pandemia  que, se implementado, erradicará a soberania de todos os países membros.

O tratado sobre pandemia da OMS é a porta de entrada para um regime totalitário global, de cima para baixo, um governo mundial único e tirânico, com a adoção de Passaportes de Vacina, ID digital e Controle Social. Em última análise, a OMS pretende ditar todos os cuidados de saúde. Mas para garantir esse poder, precisarão de mais pandemias. A COVID-19 por si só não foi suficiente para que todos integrassem uma unidade centralizada de resposta à pandemia, e eles provavelmente sabiam disso desde o início.

Portanto, a razão pela qual podemos ter certeza de que haverá pandemias adicionais, sejam elas fabricadas usando apenas medo e exagero ou uma arma biológica real criada para esse propósito, é porque o plano de aquisição, também conhecido como The Great Reset, é baseado na premissa de que nós, os comedores inúteis, animais hackeáveis, necessitamos de vigilância global da biossegurança e de resposta centralizada de saúde dos globalistas via OMS.

A biossegurança, por sua vez, é a justificativa para um  passaporte internacional de vacinas, ao qual os países do G-20 assinaram, e esse passaporte também será a sua identificação digital. Essa identificação digital, então, estará vinculada à sua pontuação de crédito social, rastreador pessoal de pegada de carbono, registros médicos, registros educacionais, registros de trabalho, presença nas redes sociais, registros de compras, suas contas bancárias e uma moeda digital programável do banco central (CBDC).

Depois que todas essas peças estiverem totalmente conectadas, você estará em uma prisão digital, e a cabala dominante – seja oficialmente um governo mundial ou não – terá controle total sobre sua vida, do berço ao túmulo.

Já estamos sofrendo sob um governo mundial ainda informal

Na verdade, já temos um pseudo-governo mundial, na forma das organizações não-governamentais (ONGs) de Bill Gates e de outros oligarcas, como George Soros, do WEF, da OMS, do sistema de banco [Rothschild] cental, et caterva. Eles estão tomando decisões sobre cuidados de saúde que deveriam ser deixadas para nações e/ou estados individuais, e estão tomando decisões que encherão seus próprios bolsos, independentemente do que aconteça com a saúde pública.

Em 25 de fevereiro de 2009, durante uma reunião [Council of Eugenics] da OMS, o judeu khazar Henry Kissinger declarou: “Uma vez que o rebanho (os bovinamente zumbis) aceita as vacinas obrigatórias, o jogo termina. Eles aceitarão qualquer coisa – doação forçada de sangue ou órgãos – para um bem maior, NÓS PODEMOS MODIFICAR GENETICAMENTE E ESTERILIZAR CRIANÇAS, para um bem maior – Controle as mentes das ovelhas e você controla o rebanho. Os fabricantes de vacinas devem ganhar bilhões. E muitos de vocês nesta sala são investidores. É uma grande vitória para todos. Nós reduzimos o rebanho e o rebanho nos paga pelos serviços de extermínio“.

Eles coordenam e sincronizam a comunicação pandêmica durante os treinos simulados e, então, quando surge a situação do mundo real que se encaixa no projeto, o roteiro pré-planejado é executado mais ou menos literalmente.

Entre a declaração do G-20 para implementar um passaporte internacional para vacinas sob os auspícios da OMS e o tratado sobre pandemia da OMS, tudo está alinhado para assumir o controle da próxima pandemia e, ao fazê-lo, garantir ainda mais as bases para um governo mundial único.

Conforme discutido no meu artigo de 2021, “Ensaios gerais da COVID-19 e prova do plano”, as medidas pandêmicas implementadas para a COVID-19 foram o culminar de décadas de planeamento cuidadoso para alterar radical e permanentemente a governança e as estruturas sociais do mundo. .

O sistema médico foi utilizado no passado para impulsionar uma agenda da Nova Ordem Mundial — agora rebatizada como “A Grande Reinicialização” — e está agora a ser utilizado para implementar as fases finais desse plano de longa data. A COVID-19 foi uma prática do mundo real e mostrou quão eficazmente uma pandemia pode ser usada para alterar o equilíbrio de poder e privar a população global da sua riqueza e liberdades individuais.

Portanto, não tenho dúvidas de que serão declaradas futuras pandemias adicionais, porque são os meios para atingir os fins dos globalistas. Para evitar este golpe global, precisamos que todos falem e partilhem a verdade até ao ponto que for possível. Só então as nossas vozes superarão em número as vozes da máquina de propaganda.

Door To Freedomdoortofreedom.org ), uma organização fundada pela Dra. Meryl Nass, tem um post que explica como o tratado pandêmico e as alterações do Regulamento Sanitário Internacional (RSI) mudarão a vida como a conhecemos e nos despojarão de todos os vestígios de liberdade. Baixe  este post  e compartilhe-o com todos que você conhece. Coloque-o também em outdoors públicos e em locais onde as comunidades compartilham informações.

Notas


SEJA UM ASSINANTE DO BLOG: Para os leitores do Blog que ainda não são assinantes e desejam acessar as postagens em seus endereços de E-Mail, solicitamos, por favor, que façam a sua inscrição aqui neste LINK: https://linktr.ee/thoth3126

Convidamos também a conhecerem e seguirem nossas redes sociais:
Instagram: https://www.instagram.com/th.oth3126/
Facebook: https://www.facebook.com/thoth3126.blog
X (antigo Twitter): https://twitter.com/thoth3126_blog
Youtube: https://www.youtube.com/@thoth3126_blog

Siga o canal “Blog Thoth3126” no WhatsApp: https://www.whatsapp.com/channel/0029VaF1s8E9Gv7YevnqRB3X


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.328 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth