browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis” …

Posted by on 18/06/2020

Como se ainda não tivéssemos suficientes problemas com a pandemia pelo coronavírus em 2020, agora estamos diante da possibilidade de que vários conflitos regionais entrem em erupção. China e Índia estavam despejando tropas em uma região fronteiriça disputada e agora houve um incidente em que eles finalmente estão se matando.  Na península coreana, a Coréia do Norte acabou de explodir “um escritório de ligação conjunto” que havia usado nas negociações com o governo sul-coreano. E no Oriente Médio, a Turquia alerta para graves conseqüências se Israel seguir em frente com um plano de anexar partes da Judéia e Samaria. 

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Rumores de guerras em várias regiões do planeta: China, Índia, Coréia do Norte, Coréia do Sul, Israel e Turquia caminham para deflagar guerras regionais

Fonte:  http://themostimportantnews.com/archives/rumors-of-wars-china-india-north-korea-south-korea-israel-and-turkey-all-move-toward-war


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores”.  Mateus 24:6-8


Se uma grande guerra regional eclodir em um desses pontos de antigas disputas e discórdias, será outro golpe devastador para uma economia global que já está implodindo, e há uma probabilidade muito forte de que os EUA e outras grandes potências ocidentais e a Rússia possam ser atraídos para esses conflitos.

No momento, a maioria dos americanos está focada em seus graves problemas internos e, portanto, está prestando muito pouca atenção à crescente crise na fronteira entre a China e a Índia. Ambas as nações mais populosas do planeta [e ambas com dispositivos nucleares] enviaram contingentes substanciais de tropas para uma área da fronteira há muito disputada, e uma reunião que deveria neutralizar as tensões resultou na eclosão de um grave conflito armado e  na morte de vários soldados de ambos os lados…

“A mídia estatal chinesa descreveu o incidente na noite de segunda-feira no vale do Rio Galwan, onde ambos os países enviaram tropas nas últimas semanas como “o confronto mais sério entre soldados chineses e indianos até agora”, confirmando baixas, mas sem mais detalhes sobre elas. Fontes do governo indiano que falaram sob condição de anonimato disseram ao  The Times of India  que 20 militares do exército indiano morreram nos combates”.

“A inteligência americana acredita que 35 soldados chineses também morreram, incluindo um oficial sênior, disse uma fonte familiarizada com essa avaliação ao US News. O incidente ocorreu durante uma reunião na região montanhosa entre os dois lados – ambos concordaram em se desarmar – para determinar como os dois contingentes militares retirariam com segurança suas presenças da região”.

Esta é a primeira vez em décadas que tropas chinesas e indianas se matam, e aparentemente  houve muito pouco tiroteio …

“A reunião em dado momento ficou tensa e resultou em um confronto físico entre as tropas. Segundo a avaliação da situação, todas as vítimas foram causadas pelo uso de cassetetes e facas e de quedas sofridas em função da topografia íngreme, diz a fonte”.

Isso soa como uma cena de um filme de guerra excessivamente sangrento de Hollywood, mas supostamente isso realmente aconteceu. Esperamos que os líderes das duas nações sejam capazes de esfriar as tensões por um tempo, mas os chineses têm uma história muito longa de disputas fronteiriças muito amargas com seus vizinhos e, sem dúvida, a China continuará fazendo tentativas de exercer soberania sobre essa área. 

Enquanto isso, as tensões na península coreana aumentaram para um nível que não vemos há muitos anos. Na terça-feira, a Coréia do Norte explodiu um prédio  que havia sido usado para negociações com a Coréia do Sul …

“A Coréia do Norte explodiu um escritório de ligação conjunto usado para negociações entre ela e a Coréia do Sul, o mais recente sinal de que os laços entre os dois adversários de longa data estão se deteriorando rápida e novamente”.

“A mídia estatal norte-coreana informou que o prédio de quatro andares, localizado na cidade de Kaesong, ao norte da zona desmilitarizada que divide as duas Coréias, foi “completamente destruído por uma” explosão fantástica “às 14h50, horário local”.

Essa é certamente uma maneira de fazer uma declaração.

E isso aconteceu apenas alguns dias depois que a irmã de Kim Jong Un, o ditador de plantão na Coreia do Norte, Kim Yo Jong, emitiu  um aviso muito ameaçador …

“Em uma declaração enigmática no final de sábado, Kim Yo Jong prometeu que seu país “tomaria uma próxima ação” contra a Coréia do Sul – uma medida que ela sugeriu que seria realizada pelos militares do país”.

“Ao exercer meu poder autorizado pelo “Líder Supremo”, pelo nosso Partido e pelo Estado, dei instruções aos braços do departamento encarregado dos assuntos com o inimigo para realizar decisivamente a próxima ação”, disse Kim através da Agência Central de Notícias da Coréia do Norte”.

De repente, a abordagem da Coréia do Norte sobre as relações com a Coréia do Sul mudou dramaticamente, e essa mudança coincidiu com Kim Yo Jong assumindo um papel muito mais proeminente nos assuntos nacionais.  Acredito que há muito mais coisas acontecendo na Coréia do Norte do que nos chega através da mídia, e Kim Yo Jong parece preferir uma abordagem muito mais militante do que a que nos acostumamos nos últimos anos.

No Oriente Médio,  o Times de Israel está relatando  que as Forças Armadas de Israel {IDF]  estão se preparando para um “estado de guerra” enquanto Israel se prepara para anexar partes da Judéia e Samaria …

“Pouco mais de duas semanas antes de uma possível anexação israelense de uma parte ainda não especificada da Cisjordânia, as Forças de Defesa de Israel estão se preparando para uma ampla gama de cenários para possíveis consequências regionais – até e incluindo uma onda de ataques terroristas em larga escala – embora ainda  não seja informado  exatamente o que o governo tem em mente”.

“As forças armadas israelenses estão se preparando para uma possível agitação maciça, informou o Canal 12 na noite de domingo, incluindo o que está chamando de um “estado de guerra” potencial caracterizado por uma investida no estilo da Segunda Intifada de ataques a bomba”.

Nesta semana, o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu mais uma vez deixou claro  que não pretende alterar seus planos , e isso significa que o processo de anexação pode começar logo no início de julho.

Há algumas semanas, escrevi um artigo inteiro sobre como isso poderia potencialmente desencadear uma grande guerra na região , e os líderes dos povos árabes continuam deixando claro que haverá  “consequências”  se Israel continuar com suas intenções de anexação de mais território árabe …

“O plano de Israel de estender sua soberania ao vale do Jordão, e partes da Judéia e Samaria, “destruirá todas as esperanças” de uma paz duradoura no Oriente Médio, disse o principal diplomata da Turquia na quarta-feira”.

“Se a potência ocupante [Israel] cruzar a linha vermelha, nós [os países muçulmanos] devemos mostrar que isso terá consequências”, disse o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, durante uma reunião especial do Comitê Executivo da Organização de Cooperação Islâmica, segundo Anadolu, da Turquia. Agência”.

Vamos ver o que acontecerá.

Penso que Netanyahu está convencido de que Donald Trump provavelmente perderá as eleições em novembro, e isso significa que ele provavelmente acredita que só tem uma janela de alguns meses para anexar partes da Judéia e Samaria ainda com o apoio dos EUA. Parece que Netanyahu está absolutamente determinado a avançar em sua agenda de mais ocupação de territórios árabes, e também parece que os vizinhos árabes de Israel estão preparados para responder com muita força.

Em apenas algumas semanas, os mísseis poderiam começar a voar de um lado para outro, e todo o Oriente Médio poderia entrar em erupção em chamas. Este é um momento tão crítico que devemos orar pela paz. Mas, sem dúvida, estamos vivendo um período de “guerras e rumores de guerras”, conforme foi citado na Bíblia há cerca de dois mil anos, e certamente não será preciso muito para desencadear inúmeros conflitos regionais que podem criar um grande conflito global.


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores.  Mateus 24:6-8

“E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis“.  –  Apocalipse 13:11-18


Leitura adicional:

One Response to “E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis” …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.