Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Escalada da Guerra: Rússia ataca Kyev e outras cidades da Ucrânia após explosão de ponte

A Rússia lançou nesta segunda-feira massivos ataques com dezenas de mísseis contra o centro de Kiev e dezenas de regiões da Ucrânia em aparente retaliação ao que o presidente russo, Vladimir Putin , chamou de “ataque terrorista” a uma ponte crucial que liga a Rússia à península da Crimeia. 

Escalada da Guerra: Rússia ataca Kyev e outras cidades da Ucrânia após explosão de ponte

Fonte: The Hill.com

Os ataques com mísseis no coração da capital, além dos ataques com foguetes em todo o país, marcaram uma dramática escalada da Rússia, à medida que suas tropas estão sendo empurradas para trás em milhares de quilômetros de território em uma contra-ofensiva relâmpago pelas forças armadas ucranianas e Putin chega. sob crescente pressão pelas falhas do que ele chama de “operação militar especial”.

Pelo menos cinco mortes de civis foram relatadas e 12 pessoas ficaram feridas em Kyev na segunda-feira, quando pelo menos 83 mísseis foram disparados contra o país. As forças armadas da Ucrânia disseram que as defesas aéreas conseguiram derrubar 43 mísseis russos. 

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky disse em um discurso em vídeo de Kiev que a Rússia atacou uma dúzia de regiões em seu país – incluindo Lviv no oeste, Mykolaiv no sul, Dnipro no leste e Kharkiv no norte – com mísseis e drones iranianos. Ele também rotulou as autoridades russas de “terroristas” e disse que o objetivo de seus ataques era destruir os sistemas de energia e infraestrutura da Ucrânia e atingir civis. 

“Eles querem pânico e caos, querem destruir nosso sistema energético. Eles estão sem esperança. O segundo alvo são as pessoas. Tal hora e tais alvos foram especialmente escolhidos para causar o máximo de dano possível”, Zelensky disse, mas acrescentou: “A Ucrânia existia antes desse inimigo aparecer, a Ucrânia continuará existindo e irá atrás dele”. 

Os ataques matinais em Kyev pareceram atacar no centro da cidade, com vídeos e fotos mostrando uma cratera em um playground em um parque central da cidade, danos do outro lado da rua do teatro de ópera e as janelas dos prédios estouradas.

Zelensky disse que manteve ligações urgentes com o chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, e o presidente francês, Emmanuel Macron, para discursar em uma sessão de emergência do G-7. 

“Discutimos o fortalecimento de nossa defesa aérea, a necessidade de uma reação europeia e internacional dura, bem como o aumento da pressão sobre a Federação Russa”, disse Zelensky sobre sua ligação com Macron. 

Os ataques da Rússia também pareceram cruzar os países vizinhos da Ucrânia, com o ministro das Relações Exteriores da Moldávia, Nicu Popescu, dizendo que o embaixador russo estava sendo convocado depois que três mísseis de cruzeiro lançados de navios russos no Mar Negro cruzaram o espaço aéreo da Moldávia. 

“A Moldávia condena nos termos mais fortes possíveis a violação de seu espaço aéreo por três mísseis de cruzeiro russos quando a Rússia atacou cidades ucranianas esta manhã”, twittou Popescu.  “Condenamos a contínua agressão da Rússia contra a Ucrânia.”

Os ataques massivos de precisão com mísseis à Ucrânia ocorreram um dia depois de ataques com mísseis russos na cidade ucraniana de Zaporizhzhia matarem pelo menos 13 pessoas e ferirem mais de 50, incluindo pelo menos seis crianças.

Os ucranianos estavam se preparando para esses ataques após a explosão maciça na ponte Kerch no início da manhã de sábado. A linha rodoviária e ferroviária é vista como pessoalmente importante para Putin, uma representação simbólica e física do controle da Rússia sobre a Crimeia desde o referendo de Moscou em 2014. 

Em um discurso em vídeo na noite de domingo, Putin chamou a explosão na ponte de “ato terrorista” e culpou os serviços especiais da Ucrânia como “iniciadores, artistas e mentores”.

Mas as autoridades ucranianas, enquanto comemoram a destruição da ponte, não assumiram a responsabilidade, levantando questões entre os especialistas em segurança se a Ucrânia realmente realizou o ataque. 

“Entre os especialistas, houve sérias considerações, discutimos muito isso, devemos fazer e devemos fazê-lo agora?” disse Hanna Shelest , diretora de programas de segurança do Conselho de Política Externa “Prisma Ucraniano”.

“Por um lado, entendemos a importância disso para a logística, porque as armas russas e o suprimento de combustível para a frente sul estão definitivamente acontecendo por esta ponte e seria bom não tê-la”, disse ela.

“Mas, ao mesmo tempo, entendendo o simbolismo para o presidente russo, os riscos da resposta foram maiores do que as consequências reais, porque você sempre pode mirar em todos esses estoques de munição diretamente, pelo HIMARS, o que eles estão fazendo todos esses meses”, acrescentou, referindo-se aos sistemas de lançadores de foguetes múltiplos de longo alcance fornecidos pelos EUA  

“Estamos celebrando a ideia da ponte, mas não que a tenhamos feito”, disse Shelest. “Nenhum serviço ucraniano disse nada sobre isso, ‘nós podemos fazer isso’ ou ‘como aconteceu’. ”

O New York Times informou que um alto funcionário ucraniano corroborou relatos russos de que Kyev estava por trás do ataque a ponte, mas falou sob condição de anonimato por causa da proibição do governo de discutir a explosão.

Mais de 50 ataques com mísseis foram relatados em cidades ucranianas. Mísseis de cruzeiro, como Kh-101 e o Kalibr. O caos se instala e uma mulher pode ser ouvida gritando ao fundo

A enxurrada de ataques à Ucrânia segue a nomeação sábado do general da Força Aérea Sergei Surovikin como novo comandante geral das forças russas que lutam na Ucrânia, Reuters relatou. Surovikin serviu anteriormente no Tajiquistão, na Chechênia e na Síria. 

Além disso, a imprevisibilidade de Putin na condução da guerra na Ucrânia provocou alarme entre os EUA, aliados e especialistas em segurança de que o líder russo está à beira de implantar armas nucleares, com efeitos catastróficos. 

O líder russo elevou repetidamente as capacidades nucleares da Rússia, alertando contra ver suas ameaças como um “blefe” contra o que ele diz ser os interesses de segurança nacional da Rússia.

O ex-chefe do Estado-Maior Conjunto, Mike Mullen ,no domingo, durante uma entrevista à ABC, comparou Putin a um animal encurralado após perdas crescentes na Ucrânia e disse que ele está se tornando “cada vez mais perigoso” para o mundo. 

O presidente Biden alertou na semana passada que o mundo estava próximo do “Armagedom” em meio às ameaças nucleares de Putin. 


  • Na Era de Ouro, as pessoas não estavam conscientes de seus governantes.
  • Na Era de Prata, elas os amavam e cantavam. 
  • Na Era de Bronze, elas os temiam.
  • E por fim, na Era do Ferro (os dias do Kali Yuga, o Armagedom, ou seja, HOJE)elas os desprezavam.
  • Quando os governantes minam a confiança popular, as pessoas comuns (e Deus) perdem sua fé nos governantes. – Retirado do Tao Te Ching 

“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *