Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Especialista militar americano explica avanço russo ‘lento’ na Ucrânia

Segundo a opinião do oficial aposentado e ex-assessor sênior do secretário de Defesa, a Rússia alcançou amplamente seu objetivo de neutralizar os militares ucranianos, mas os governos ocidentais “acreditam” erroneamente que o progresso deliberado projetado pelos militares russos, para evitar baixas civis, reflete fraqueza e o ocidente está canalizando armas para prolongar os combates, disse o ex-assessor do Pentágono. O maior problema agora é que no Ocidente, não há verdade. Há ilusões e há essa impressão de sucesso dos ucranianos” que não se acumulam, acrescentou o coronel. “A maior mentira que ouvi repetida na televisão é que as tropas russas foram instruídas a matar civis ucranianos deliberadamente. Isso é um absurdo, é um absurdo”.

O ex-assessor do Pentágono Coronel Doug Macgregor fala sobre a guerra Rússia-Ucrânia

Fonte: GrayzoneRússia Today

Especialista militar americano e ex-assessor sênior do secretário de Defesa do governo Trump, coronel aposentado do Exército dos EUA Douglas Macgregor, explica avanço russo ‘lento’ na Ucrânia. Propaganda no Ocidente criou falsas expectativas de sucesso ucraniano, declarou coronel aposentado dos EUA.

O presidente russo, Vladimir Putin, deu ordens estritas desde o início para evitar baixas civis e grandes danos materiais, disse o coronel aposentado do Exército dos EUA Douglas Macgregor ao Grayzone em uma extensa entrevista na terça-feira. Isso retardou o avanço dos russos “a ponto de dar falsas esperanças tanto aos ucranianos… no caso”, disse Macgregor.

“A guerra, para todos os efeitos, já foi decidida”, disse o coronel aposentado. “Toda a operação desde o primeiro dia foi focada na destruição das forças ucranianas. Isso está em grande parte completo.”

As unidades ucranianas ainda ativas “estão completamente cercadas, bloqueadas e isoladas em várias cidades”, disse Macgregor, incluindo até 60.000 combatentes na fronteira com Donetsk, cujos suprimentos provavelmente estão acabando.

A cobertura da mídia [pre$$titute$] sobre os combates, no entanto, ignora essa realidade e pinta um quadro de que os militares russos são “ineptos” – nas palavras de alguns senadores americanos – porque não derrotaram Kiev em poucos dias. Isso é então usado como argumento pelos defensores da intervenção da OTAN e de uma “zona de exclusão aérea”, mas também por aqueles que desejam enviar mais armas para Kiev [e desejam um conflito generalizado na Europa].

É muito óbvio que Washington quer que isso continue pelo maior tempo possível, na esperança de que a Rússia seja desesperadamente prejudicada. Eu simplesmente não vejo isso acontecendo”, disse Macgregor a Grayzone na terça-feira.

O maior problema agora é que no Ocidente, não há verdade. Há ilusões e há essa impressão de sucesso dos ucranianos” que não se acumulam, acrescentou o coronel. “A maior mentira que ouvi repetida na televisão é que as tropas russas foram instruídas a matar civis ucranianos deliberadamente. Isso é um absurdo, é um absurdo”.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pediu ao Congresso dos EUA na quarta-feira que envie caças, mísseis de defesa aérea e outras armas para Kiev, além de estabelecer uma zona de exclusão aérea sobre a Ucrânia, para que seu exército possa derrotar a Rússia. Ele fez o mesmo argumento para os legisladores canadenses na terça-feira.

Macgregor, no entanto, acredita que tais carregamentos não terão efeito e que a recusa de Zelensky em negociar um armistício só fará com que mais ucranianos sejam mortos e mais cidades destruídas.

Embora seja difícil saber como está a situação militar na Ucrânia, os EUA afirmam que a Ucrânia está oferecendo uma resistência muito mais feroz do que a Rússia esperava. Os ex-funcionários que conversaram com o Yahoo News   sugeriram que a resistência se deve em parte ao programa de treinamento da CIA. Os EUA continuam a alimentar os combates, já que o presidente Biden já  prometeu mais de US$ 1 bilhão em nova ajuda militar  para a Ucrânia desde o início da invasão.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *