Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

França (Macron), a OTAN e o Destino do ‘Império’ parte I

Julho começou com uma série de estrondos que não podem ser ignorados. Não estou falando sobre o barulho vindo da Rússia e da Ucrânia sobre a ‘contra-ofensiva’ ou quem quer explodir a Usina Nuclear de Zaporizhia. Estou falando sobre os efeitos a jusante que o conflito esta causando. O velho mundo está desmoronando em linhas sectárias e senis enquanto vemos a Rússia continuar a lutar contra o Ocidente até a paralisação ao longo das margens do rio Dnieper após tomar 20% de terras ucranianas.

França (Macron), a OTAN e o Destino do ‘Império’ – parte I

Fonte: TomLuongo.me

E uma paralisação deve ser o resultado mais provável em todos os nossos cartões de bingo geopolíticos.

Desde os mercados de capitais à geopolítica tenho apontado a grande cúpula da OTAN na semana que vem em Vilnius, Lituânia, como um potencial ponto de virada [reverberando em todo o ‘Hospício Ocidental’]. Todos os conflitos que existem hoje ocupando as manchetes, desde encontros navais no Golfo Pérsico até Janet Yellen alimentando o conflito com a China com sua mera presença, se reduzem a uma única conclusão.

Todas as principais facções de poder no Ocidente [nazistas, judeus khazares, banqueiros, políticos, indústria de armas, et caterva] temem a ‘perda de poder’.

Em 2018, esse foi um grande insight sobre a geopolítica. Hoje é passado e com razão. É obvio.

Mas é aí que a parte fácil termina. Porque quando você chega a períodos como este, onde alguns jogadores surtaram e saíram do roteiro e o ‘plano’ não sobreviveu ao contato com o inimigo [nesse caso um feroz urso russo], a reação natural a isso é a divisão pura.

Os cartéis são metaestáveis, todos eles. Do conselho escolar local à maior convocação internacional de globalistas, os cartéis são tão fortes quanto a mão atual de todos os jogadores.

Para usar minha velha analogia do hóquei, quando o time está ganhando não há problemas no vestiário. Quando começa a derrota, é quando os dedos apontam, as vozes se levantam e, eventualmente, o técnico é demitido porque você não pode demitir todo o time.

Hoje, o presidente francês Emmanuel Macron pode ser apenas um técnico.

A luta interna das facções de psicopatas no topo da cabala [do hospício ocidental] que pensa que comanda o mundo está atingindo um pico febril. O fedor do desespero, raiva e medo é tão forte agora que eles precisam enviar os velhos para fazer diplomacia porque eles não suam tanto.

E isso me leva à França e a Macron.

Guilhotinas longas

Os motins na França já estão chegando há muito tempo. A classe média está em revolta há anos com a política do WEF de Davos projetada para destruir suas vidas e forçá-los a entrar em casulos, comerem insetos, não possuir nada e ser feliz ou serem destruídos. Desde os protestos iniciais dos Coletes Amarelos aos tumultos generalizados de hoje, esse momento vem sendo construído há anos na França.

A imigração dividiu a forte identidade francesa. E agora temos a previsível violência inter-racial desencadeada pela morte de um argelino de 17 anos. Mas essa é a história real? É o único ângulo nesta história?

Claro que não é. E não estou aqui para dizer que sei qual é a verdadeira história, mas posso dizer, como sempre, que o momento é duvidoso, especialmente considerando o que está acontecendo em nível internacional à medida que nos aproximamos da cúpula da OTAN na próxima semana.

Meu bom amigo Alex “All Roads Lead to London” Krainer publicou um artigo pensativo sobre a França e, previsivelmente, chegou à conclusão provisória de que a atual explosão de violência na França traz todas as marcas de uma “revolução colorida” incentivada pelos britânicos. E é difícil discordar dele.

A França tem sido um espinho na marcha em direção à expansão da OTAN e ao domínio da política liderada pelos EUA / Reino Unido [Deep State] por décadas, desde DeGaulle. Mesmo líderes globalistas comprometidos como François Hollande e Jacques Chirac se opuseram à maneira como a OTAN se transformou desde o fim da União Soviética (veja as breves lições de história de Alex para contextualizar).

Agora, não é tão simples quanto Macron gostaria que você acreditasse; ele é o policial bom para o policial mau de todos os outros quando se trata de guerra com a Rússia e/ou China. Mas seria difícil acreditar no contrário se você apenas examinasse certas manchetes e não cavasse nem um milímetro mais fundo.

Todos na UE [e nos EUA e “alhures”] têm seus papéis atribuídos e os desempenham perfeitamente. O problema surge quando esses papéis se chocam com os outros membros da cabala, alguns dos quais estão ficando com medo ou acreditam que a liderança atual está “fora do programa”.

Isso é o que eu acho que está acontecendo entre a Anglosfera e a França, em particular.

Macron não estava fingindo quando foi pego de surpresa pela aliança AUKUS e pelo cancelamento do contrato do submarino em 2021. Sua base de poder repousa em manter felizes os militares franceses, tidos em alta consideração pelo povo francês, e os empreiteiros militares franceses.

Perder aquele contrato foi um grande tapa na cara de ambos. Portanto, isso dá alguma credibilidade a Macron ser o homem de ponta para o jogo de poder da UE para controlar / minar a OTAN e substituí-la por seu tão procurado Exército da UE.

Na corrida para a atual guerra contra a Rússia sendo travada na Ucrânia, Macron se apresentou como o cara tentando parar a loucura e evitar a guerra. Ele fez uma ligação muito pública e alardeada pelas pre$$tituta$ da mídia para Moscou antes do início da guerra para tentar “intermediar” uma solução.

É claro que os russos deixaram claro que Macron ligou apenas para reiterar as mesmas velhas exigências sobre a integridade territorial ucraniana. No que diz respeito a ser a voz da razão na Europa, é tudo teatro o tempo todo com Macron. Ele é um mestre sinalizador de [pseudo]virtudes.

O que ele realmente quer é o que eu tenho dito que o WEF e Klaus Schwab de Davos queria desde o início do governo Biden: um EUA/Reino Unido meio enlouquecido entrando em guerra total contra a Rússia na Ucrânia para enfraquecer os dois lados enquanto ele posiciona a França e a Alemanha para serem os novos contratantes de defesa para a Europa.

Isso prepararia o terreno domesticamente para a Europa pressionar pelo fim da OTAN, subsumir ainda mais a soberania nacional no regulador da UE Borg e, eventualmente, transformar tudo isso em um governo global [estilo NWO-Nova Ordem Mundial] liderado pela ONU.

Nesta frente, ele tem sido um idiota útil para as velhas potências globalistas britânicas (cf. Episódio #146 do Podcast Gold Goats ‘n Guns com Richard Poe )

Corrigi isso para adicionar agora a marginalização da indústria italiana para garantir a hegemonia franco-alemã sobre a UE como parte da parte. Todos nós aprendemos enquanto vamos por aqui, pessoal.

Agora, não estou dizendo que este é um plano inteligente, ou mesmo um resultado muito provável, mas é claramente o que ele e o resto dos comunistas eurotrash farejadores, fora de contato com alguma realidade, psicopatas e arrogantes querem e continuam a acreditar que eles podem obter.

Então, Macron está jogando o jogo longo para o WEF de Davos para tornar a Europa independente da arquitetura de segurança dos EUA/Reino Unido da OTAN enquanto lidera uma aquisição interna francesa da própria UE. E não pense por um segundo que ele / Davos não quer virar todo esse projeto de cabeça para baixo, deixando os britânicos como servos desta vez.

Isso está irritando os antigos neoconservadores britânicos e seus parceiros no crime no Departamento de Estado dos EUA, no Conselho de Segurança Nacional, nos think tanks K-Street e na CIA.

Não é nenhuma novidade, pessoal.

França e Inglaterra sempre foram rivais. E os britânicos estão constantemente triangulando a França e os Estados Unidos para manter ambos desequilibrados o tempo todo. Eles também usam a russofobia polonesa e báltica para triangular contra a Alemanha. É o que os narcisistas malignos patológicos e psicopatas fazem o tempo todo.

Triângulo Ofensivo

Dito isto, as maquinações dentro da UE ainda estão lá com a França trabalhando com a Alemanha para manter os italianos reprimidos enquanto se prepara para invadir o norte da Itália sob o Tratado de Quirinale de 2021 assinado pelo primeiro-ministro Mario Draghi (um trabalho bem feito para o Deep State) e testemunhado pelo presidente Sergio Matarela. Ambos marionetes davosianos em sua essência.

Claro que é saudado como um ‘novo nível de cooperação entre a França e a Itália’, mas é exatamente o que você pensa que é, uma pílula de veneno para garantir que a Itália tenha mais dificuldade em deixar a UE e dar à França acesso fácil para comprar empresas italianas, subvertendo Soberania italiana e engenhosidade para a glória da França.

Consistentemente nos últimos meses, Macron tem bancado o “bom policial” durante uma turnê global.  Durante a recente reunião entre os líderes da UE e a China, por exemplo, os alemães repreenderam a China sobre direitos humanos e apoio à Ucrânia, enquanto Macron assinou um grande acordo para a Airbus.

Depois, há a recente tentativa de Macron de abrir caminho para a próxima Cúpula do BRICS em agosto, para a qual ele foi sonoramente rejeitado para surpresa de ninguém. Mas, novamente, é como o telefonema para Putin antes da guerra.

“Vejam! Ele é o simpático globalista eurotrash comunista. Ele quer ser legal com os eslavos e muçulmanos sujos.

É tudo muito cansativo.

E isso me leva aos argumentos de Alex Krainer e outros de que os atuais distúrbios na França parecem uma tentativa de revolução colorida contra Macron. O comportamento de Macron induziu, tenho certeza, mais do que um pouco de schadenfreude no presidente russo, Vladimir Putin, que na semana passada teve que encerrar o que ainda parece ser uma jogada dos EUA/Reino Unido contra ele por meio do líder do Grupo Wagner, Yevgeny Prigozhin.

Depois de anos assistindo Macron zombar cruelmente durante a tentativa de derrubar Assad na Síria e Lukashenko na Bielorrússia, apenas para permanecer em silêncio durante a rebelião de Prigozhin há duas semanas, Macron agora está condenando a “influência estrangeira” nos problemas da França exigindo que a mídia social seja fechada, como se ele fosse algum horrível mulá iraniano, e agora usando abertamente poderes ditatoriais para espionar as pessoas por meio de seus telefones.

Quero dizer, o que ele é, algum tipo de ditador autoritário vil?

Onde está o senil judeu khazar George Soros e sua patética Open Society Foundation (agora tendo que cortar drasticamente a equipe à medida que o financiamento seca ) para condenar o choque de modelos de governança? A França não é agora melhor do que a Rússia ou a China?

O silêncio impressionante é dourado por assim dizer.

Dirigindo-se à OTAN na Passagem

Se o Reino Unido estava por trás da explosão do barril de pólvora francês, qual seria a causa próxima para isso?

Não é segredo que os britânicos estão furiosos com o fato de o secretário de Defesa, Ben Wallace, não estar mais na linha de sucessão para liderar a OTAN. O presidente Biden, agora abertamente possuído, controlado, manipulado, amparado [para não CAIR] e operado por tantas pessoas que ele não pode mais saber quem está representando enquanto o laço se fecha em torno do seu corrupto pescoço e do seu filho em casa, Biden esmagou a candidatura de Wallace para manter Jens Stoltenberg por mais um ano como secretário-geral.

Por que Stoltenberg? Consistência na liderança para esgotar o tempo. Porque o mandato da verdadeira herdeira Ursula Von der Leyen termina no próximo ano como presidente da Comissão da UE, é por isso. Von der Leyen é a garota de Klaus Schwab por completo. E sua ascensão ao topo da OTAN é apenas parte do plano real para depreciar a OTAN enquanto a UE segue seu próprio caminho.

Na preparação para a cúpula da OTAN na próxima semana, Stoltenberg fez comentários que chamaram a atenção de Andrew Korybko, que notou a omissão do apoio contínuo de armas à Ucrânia em suas expectativas sobre o que seria alcançado.

Stoltenberg:

“Espero que os líderes aliados cheguem a um acordo com três elementos para aproximar a Ucrânia da OTAN. Primeiro, concordaremos com um programa plurianual de assistência. Garantir a total interoperabilidade entre as forças armadas ucranianas e a OTAN. Em segundo lugar, vamos atualizar nossos laços políticos. Ao estabelecer o Conselho OTAN-Ucrânia. E terceiro, espero que os líderes aliados reafirmem que a Ucrânia se tornará membro da OTAN. E unam-se em como aproximar a Ucrânia de seu objetivo.”

Concordo com Andrew que há algo acontecendo aqui que o Reino Unido, os poloneses e os bálticos não vão gostar nem um pouco. Eles estão tentando estabelecer um tratado clandestino com a Ucrânia para criar uma armadilha da OTAN. Os presidentes polonês e lituano estiveram em Kiev no final de junho  discutindo a formação de uma brigada conjunta com a Ucrânia para o final deste ano.

Preparar a mesa para que Von der Leyen suceda Stoltenberg deixa um gosto muito Davos na boca da OTAN, o que agradaria a Macron e deixaria o Reino Unido louco.

Os europeus finalmente perceberam que não podem sobreviver aos russos na Ucrânia porque o sistema militar e bancário dos EUA está dizendo: “Já chega, muito obrigado?” Se você quer lutar pela Ucrânia, faça isso.

Nesse caso, eles estão prontos para “encerrar o dia” na Ucrânia e executar seus planos de ter a Blackrock et.al. reconstruir o país à imagem da Quarta Revolução Industrial de Klaus Schwab.

Com o presidente Biden sob pressão crescente [deve ser removido do cargo ainda neste segundo semestre], a janela para escalar esta guerra além do ponto sem retorno para a OTAN e os EUA está se fechando. Daí a rapidez com que as cartas chegam à mesa e os marcadores são pagos.

E se for esse o caso, não faria sentido para o Reino Unido acelerar a agitação civil na França, semear a divisão interna no exato momento errado, quando o Fed e o Banco do Japão estão espremendo o continente europeu entre as mós gêmeas de custos mais altos de energia impulsionando a inflação e taxas de juros mais altas abrindo buracos nos balanços nacionais?

A cidade de Londres está perdendo o controle sobre sua colônia americana. O Fed agora é totalmente independente do conselho da LIBOR. Nossos mercados de capitais serão negociados independentemente das empresas no Reino Unido e/ou na Europa.

Não é mais “Nossos bancos, seu problema” para os EUA. Agora é “Nossos dólares, seu problema” para a Europa.

Pense na reclamação de Macron sobre o custo do gás LNG dos EUA e do Reino Unido anunciando grandes investimentos offshore em petróleo e gás. Isso levou diretamente à deposição da primeira-ministra Liz Truss e à chegada ao poder de Rishi Sunak da Europa.

Com tudo se movendo tão rapidamente, é quase impossível mapear quem trabalha para quem neste momento, a menos que você mantenha os princípios básicos de triangulação e colonização em mente.

Tudo pode acontecer nas próximas semanas na França, já que essa revolta contra Macron pode ser apenas a maior jogada de chantagem que vimos em muito tempo.

Mas nada menos do que o destino de um projeto de 300 anos para o governo mundial está em jogo. Cada uma dessas facções horríveis e diabólicas [satanista] quer governar o mundo, mas nenhuma delas tem os meios para conseguir isso. Então, observá-los manobrando um ao outro na linha de fogo seria hilário se as apostas não fossem tão altas para o resto de nós.

Mas isso é o suficiente por hoje.

Na parte II, tentarei abordar por que o lado financeiro disso é quase mais interessante do que o lado político.


“O indivíduo é deficiente mentalmente [os zumbis], por ficar cara a cara, com uma conspiração tão monstruosa, que nem acredita que ela exista. A mente americana [humana] simplesmente não se deu conta do mal que foi introduzido em seu meio. . . Ela rejeita até mesmo a suposição de que as [algumas] criaturas humanas possam adotar uma filosofia, que deve, em última instância, destruir tudo o que é bom, verdadeiro e decente”.  – Diretor do FBI J. Edgar Hoover, em 1956.

A estátua do sonho de Nabucodonosor, um símbolo daquilo que a humanidade construiria na Terra. Os dias de insanidade da atualidade estão contados, muito em breve, a “Grande Prostituta”, a cidade de Roma será varrida da face da Terra PELO IMPACTO DE UM METEORO/ASTEROIDE, dando início a derrota completa dos servidores das trevas e o fim de seus planos nefastos para o controle do planeta.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *