Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Mais Um: Macron diz que a Europa deve reduzir a dependência do dólar

Macron diz que a Europa deve reduzir a dependência do dólar americano e buscar ‘autonomia estratégica’: Enquanto os EUA combatem uma recente inundação de países ‘desdolarizando‘ completamente seus negócios internacionais – negociando commodities em outras moedas, a última coisa que era necessária era o presidente francês Emanuel Macron amplificar esta mensagem especial e suspeitamente após visitar a China.

Mais Um: Macron diz que a Europa deve reduzir a dependência do dólar

Fonte: Zero Hedge

Depois de passar cerca de seis horas com o presidente chinês Xi Jinping como parte de uma visita de estado de três dias à China, Macron deixou extremamente claro que a França não quer ter nada a ver com a Terceira Guerra Mundial, enfatizando que a Europa deve empregar “autonomia [??] estratégica”, presumivelmente liderada pela França, para se tornar uma “terceira superpotência”, de acordo com o Politico .

Ao falar com repórteres a bordo do COTAM Unité, o Força Aérea Um da França, o presidente francês disse que o “grande risco” que a Europa enfrenta neste momento é que ela “se envolva em crises que não são nossas, o que a impede de construir sua autonomia estratégica. “

Esta não é a primeira vez que Macron sugere reduzir a dependência dos EUA. Em novembro, o presidente francês pediu uma “ordem global única enquanto discutia os interesses de poder da Rússia e da China e a ameaça de guerra.

Estamos em uma selva e temos dois grandes elefantes tentando ficar cada vez mais nervosos“, disse ele.

“Se eles ficarem muito nervosos e começarem uma guerra, será um grande problema para o resto da selva. Você precisa da cooperação de muitos outros animais, tigres, macacos e assim por diante “, acrescentou Macron.

A China concorda

O conceito de autonomia estratégica de Macron foi “endossado com entusiasmo” por Xi e pelo PCC, que têm se concentrado na noção de que o Ocidente está em declínio enquanto a China cresce e que o enfraquecimento da relação transatlântica acelerará essa tendência.

“O paradoxo seria que, tomados pelo pânico, acreditamos que somos apenas seguidores da América”, disse Macron. “A pergunta que os europeus precisam responder… é do nosso interesse acelerar [uma crise] em Taiwan? Não. Reação chinesa exagerada”.

Poucas horas depois que seu voo deixou Guangzhou e voltou para Paris, a China lançou grandes exercícios militares em torno da ilha autogovernada de Taiwan, que a China reivindica como seu território, mas os EUA prometeram armar e defender. 

Esses exercícios foram uma resposta à viagem diplomática de 10 dias da presidente taiwanesa, Tsai Ing-Wen, aos países da América Central, que incluiu uma reunião com o presidente da Câmara dos EUA, o republicano Kevin McCarthy, enquanto ela transitava pela Califórnia. Pessoas familiarizadas com o pensamento de Macron disseram que ele estava feliz por Pequim ter pelo menos esperado até que ele saísse do espaço aéreo chinês antes de lançar o exercício simulado de “cerco de Taiwan”. -Político

As declarações submissas [à China] de Macron vêm depois que ele e Xi discutiram ‘intensamente’ sobre Taiwan, segundo autoridades francesas que acompanharam o presidente.

Dito isso, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, que acompanhou Macron, disse que enfatizou a estabilidade na região, dizendo a Xi durante sua reunião na quinta-feira passada em Pequim que “a ameaça [do] uso da força para mudar o status quo é inaceitável”.

De acordo com o relatório, Xi respondeu chamando qualquer um que pensasse que poderia influenciar o PCC sobre Taiwan estava iludido .

“Os europeus não podem resolver a crise na Ucrânia; como podemos dizer com credibilidade sobre Taiwan: ‘cuidado, se você fizer algo errado, estaremos lá’? Se você realmente quer aumentar as tensões, essa é a maneira de fazê-lo”, disse Xi.

De acordo com Yanmei Xie, analista de geopolítica da Gavekal Dragonomics, “a Europa está mais disposta a aceitar um mundo em que a China se torne uma potencia regional”.

“Alguns de seus líderes até acreditam que tal ordem mundial pode ser mais vantajosa para a Europa.”

Durante as conversações trilaterais de Xi com von der Leyen e Macron na quinta-feira passada, o líder chinês ficou chateado com duas coisas ;

“Xi estava visivelmente irritado por ser considerado responsável pelo conflito na Ucrânia e minimizou sua recente visita a Moscou”, disse uma fonte presente na sala. “Ele estava claramente furioso com os EUA e muito chateado com Taiwan, com o trânsito do presidente taiwanês pelos EUA e [com o fato de] questões de política externa estarem sendo levantadas pelos europeus.”

Nesta reunião, Macron e von der Leyen assumiram posições semelhantes sobre Taiwan, disse essa pessoa. Mas Macron posteriormente passou mais de quatro horas com o líder chinês, muitas delas apenas com a presença de tradutores, e seu tom foi muito mais conciliador do que o de von der Leyen ao falar com jornalistas. – Político

Hora de abandonar o dólar?

Macron sugeriu que a Europa era muito dependente dos Estados Unidos para obter armas e energia e agora deve se concentrar em impulsionar suas próprias indústrias de defesa.

Mas talvez o mais notável tenha sido sua sugestão de que a Europa precisa reduzir sua dependência da extraterritorialidade do dólar americano”, uma linha que tanto Moscou quanto Pequim vêm enfatizando.

“Se as tensões entre as duas superpotências esquentarem… não teremos tempo nem recursos para financiar nossa autonomia estratégica e nos tornaremos vassalos”, afirmou.

Rússia, China, Irã e outros países foram atingidos por sanções dos EUA nos últimos anos, baseadas na negação de acesso ao sistema financeiro global dominante determinado em dólares. Alguns na Europa reclamaram do “armamento” do dólar por Washington, que força as empresas europeias a desistir de negócios e cortar relações com terceiros países ou enfrentar sanções secundárias incapacitantes.

Enquanto estava sentado na cabine de sua aeronave A330 com um moletom com as palavras “French Tech” estampadas no peito, Macron afirmou já ter “vencido a batalha ideológica sobre autonomia estratégica” para a Europa. – Político

Enquanto isso, uma nota de rodapé interessante…

Como é comum na França e em muitos outros países europeus, o gabinete do presidente francês, conhecido como Palácio do Eliseu, fez questão de conferir e “revisar” todas as citações do presidente a serem publicadas neste artigo como condição para conceder a entrevista. Isso viola os padrões e a política editorial do POLITICO, mas concordamos com os termos para falar diretamente com o presidente francês. O POLITICO insistiu que não pode enganar seus leitores e não publicaria nada que o presidente não dissesse. As citações deste artigo foram todas ditas pelo presidente, mas algumas partes da entrevista em que o presidente falou ainda mais francamente sobre Taiwan e a autonomia estratégica da Europa foram cortadas pelo Eliseu.


{Nota de Thoth: A estrondosa queda da “Estátua de Nabucodonosor“, com o fim do Hospício e os psicopatas da civilização ocidental e a própria destruição da região da cidade de Roma [incluso a cloaca do Vaticano] estão bem próximos de acontecer. O Hospício Ocidental, o circo do G-7 [do qual dois marionetes já caíram, Mario Draghi e Boris Johnson], os ditos “Países de Primeiro Mundo” vão fazer face ao seu carma “liberal“}


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Artigos Relacionados:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

0 resposta

  1. Macron está sentindo que o caldo entornou. Está tentando salvar alguma coisa. Sem contar que seus primos gauleses vão cair matando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *