Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Mapas que ajudam a entender o ataque do Hamas à Israel

O surpreendente ataque relâmpago realizado pelo Hamas em território israelense já deixou mais de mil mortos em Israel e em Gaza. De um lado, representantes do governo de Israel dizem que a guerra será “longa e difícil”. Do outro, líderes do Hamas, o grupo palestino que governa a Faixa de Gaza, ameaçaram expandir a escalada de violência para outros locais, como Cisjordânia e Jerusalém. As incursões aconteceram por terra, pelo mar e pelo ar, de forma inédita, coordenada e eficaz, algo sem precedentes (com o uso de parapentes).

Mapas que ajudam a entender o ataque do Hamas à Israel

Fonte: BBCLondres

As forças israelenses confirmam que mais de uma centena de civis e militares são mantidos reféns pelos palestinos e fizeram operações para retomar o controle sobre áreas atacadas pelos combatentes do Hamas.

A seguir, você confere quatro mapas que ajudam a entender o mais recente conflito entre Israel e o grupo palestino Hamas. Na parte central do mapa, em branco, está Israel. Os pontilhados marcam os territórios palestinos: a Faixa de Gaza, à esquerda, e a Cisjordânia, à direita.

Jerusalém, um dos pontos mais conflituosos entre as partes envolvidas, é reivindicada como capital tanto por palestinos como por israelenses. Tel Aviv, localizada na costa do Mediterrâneo, é uma das cidades mais populosas de Israel.

Na parte central do mapa, em branco, está Israel. Os pontilhados marcam os territórios palestinos: a Faixa de Gaza, à esquerda, e a Cisjordânia, à direita.

Já Sderot, que fica próxima da Faixa de Gaza, foi um dos epicentros da invasão do Hamas realizada na manhã do sábado (7/10).

No mapa mais abaixo, os pontos em vermelho são alguns dos locais que registraram a forte presença de combatentes do Hamas. Após o lançamento de milhares de mísseis a partir de Gaza (área pontilhada em cinza), centenas de militantes do Hamas cruzaram as barreiras de fronteira em direção ao território israelense.

As incursões aconteceram por terra, pelo mar e pelo ar, de forma inédita, coordenada e eficaz, algo sem precedentes (com o uso de parapentes). Durante a invasão, veículos militares e a base militar de Israel Re’Im foram capturados, e centenas de pessoas (civis e militares) acabaram mortas ou tomadas como reféns.

Os pontos em vermelho são alguns dos locais que registraram ataques de combatentes do Hamas.

Logo após a ação do Hamas, o governo de Israel anunciou que o país estava em guerra e iniciou operações militares na Faixa de Gaza.

Ataques aéreos com caças e mísseis destruíram edificações e deixaram centenas de mortos e milhares de feridos entre a população palestina na Faixa de Gaza. Há a possibilidade de que Israel também faça operações de uma invasão por terra em Gaza nos próximos dias.

Já em território israelense, as forças armadas do país fizeram operações para retomar o controle de regiões que foram invadidas pelo Hamas.

Nesta segunda-feira (9/10), o porta-voz das Forças de Defesa de Israel (IDF), Daniel Hagari, afirmou que os militares israelenses recuperaram todas as comunidades perto da Faixa de Gaza — mas confrontos isolados com homens armados palestinos continuam a acontecer.

Anteriormente, os militares disseram que os combates estavam ocorrendo em “sete ou oito” locais dentro do território israelense, marcados em vermelho no mapa acima.


⁷ E, quando ouvirdes de guerras e de rumores de guerras, não vos perturbeis; porque assim deve acontecer; mas ainda não será o fim. ⁸ Porque se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá terremotos em diversos lugares, e haverá fomes e tribulações. Estas coisas sào os princípios das dores. – Marcos 13:7,8


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *