Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Mundo pode enfrentar escassez de alimentos básicos essenciais

Colheitas de arroz são afetadas pelo mau tempo nos maiores países produtores, diz a Fitch Solutions. Países ao redor do mundo estão enfrentando a maior escassez de arroz em duas décadas, informou a CNBC na quarta-feira, citando um relatório da Fitch Solutions.  Segundo estimativas da agência, a safra 2022/23 terá uma escassez de 8,7 milhões de toneladas na oferta global, a maior desde 2003/04, quando foi de 18,6 milhões de toneladas.

Mundo pode enfrentar escassez de alimentos básicos essenciais

Fonte: RussiaToday

Dados do Statista.com mostram que a produção global de arroz no ano passado foi de 502,9 milhões de toneladas, tornando-se o terceiro grão mais produzido no planeta depois do milho e do trigo. No entanto, a produção vem caindo nos últimos meses como resultado do mau tempo em países produtores de arroz como China e Paquistão, observa o relatório.

A China, o maior produtor global, que forneceu mais de 148 milhões de toneladas métricas de arroz beneficiado ao mercado em 2021-22, sofreu fortes chuvas e inundações no segundo semestre do ano passado, que afetaram grande parte das terras agrícolas do país. Atualmente, o país está “experimentando o maior nível de seca em suas regiões produtoras de arroz em mais de duas décadas“. Ambas as situações podem ser terríveis para a cultura vulnerável, dizem os analistas.

O Paquistão, com quase 8% do comércio global de arroz, também enfrentou graves inundações este ano, que viram sua produção anual cair 31%.

Além disso, as previsões indicam que a Índia, segundo maior produtor mundial de arroz, pode sofrer com calor intenso no segundo e terceiro trimestres de 2023, o que também pode comprometer o rendimento de sua safra. Os países europeus produtores de arroz, como França, Alemanha e Reino Unido, também sofrem com o maior nível de seca em 20 anos, o que pode comprometer ainda mais a oferta deste ano do cereal, dizem analistas.

Devido à escassez, os analistas esperam que os preços do arroz permaneçam em torno de suas máximas atuais – de US$ 16-18 por cwt (50,8 kg), que é mais que o dobro de 2020 – pelo restante do ano. Os analistas observam que, além das restrições de oferta, os preços do arroz também são afetados pela operação militar da Rússia na Ucrânia. O conflito prejudicou o fornecimento de grãos ucranianos e russos ao mercado global, elevando os preços do trigo, o que tornou o arroz uma alternativa cada vez mais atraente e impulsionou a demanda.

Os analistas advertem que, “dado que o arroz é o alimento básico em vários países muito populosos”, espera-se que seu preço aumente a inflação global dos preços dos alimentos.

A Fitch Solutions estima, no entanto, que o mercado global de arroz pode retornar a “uma posição quase equilibrada em 2023/24” e um superávit em 2024-25, em grande parte devido a um aumento esperado na produção na Índia na próxima safra.


{Nota de Thoth: A estrondosa queda da “Estátua de Nabucodonosor“, com o fim do Hospício e os psicopatas ‘acordados’ da civilização ocidental e a própria destruição da região da cidade de Roma [incluso a cloaca do Vaticano] pela QUEDA DE UM ASTEROIDE estão bem próximos de acontecer. O Hospício Ocidental, o circo do G-7, os ditosPaíses de Primeiro Mundo” vão fazer face ao seu carma “liberal” e “acordado”}


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Artigos Relacionados:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *