Nº de mortos em Ataque Terrorista no Daguestão sobe para 20, russos temem mais por vir

O número de mortos no ataque terrorista de domingo nas cidades de Derbent e Makhachkala, no Daguestão, no sul da Rússia, aumentou significativamente, agora que surgiram mais detalhes do ataque de “inspiração religiosa” que teve como alvo igrejas ortodoxas e uma sinagoga, aparentemente por jihadistas vestidos de preto.

Fonte: Zero Hedge

O Comitê Investigativo da Rússia e a mídia estatal  anunciaram na segunda-feira que 20 pessoas morreram, incluindo pelo menos 15 policiais e um padre ortodoxo, tornando-se um dos maiores ataques terroristas nesta região do norte do Cáucaso em décadas. Mais 46 pessoas ficaram feridas.

Os primeiros relatos, enquanto as notícias do incidente ainda estavam surgindo, indicavam que pelo menos nove pessoas morreram, a maioria policiais, e que duas dúzias ficaram feridas. 

“Esta noite, nas cidades de Derbent e Makhachkala, ataques armados foram realizados contra duas igrejas ortodoxas, uma sinagoga e um posto de controle policial”, disse o comunicado, segundo a agência de notícias estatal RIA Novosti.

Além disso, seis dos atacantes foram “liquidados” após tiroteios em larga escala nas ruas, que também envolveram os atacantes lançando coquetéis molotov para atear fogo a sinagoga e outros prédios . Os ataques foram altamente coordenados, dado que as duas cidades onde eles se desenrolaram simultaneamente estão a 78 milhas de distância uma da outra.

TASS: Restos carbonizados de veículos de uma das duas igrejas ortodoxas danificadas durante o ataque terrorista de 23 de junho em Makhkachkala.

A Igreja Ortodoxa Russa confirmou mais tarde que seu arcebispo Nikolai Kotelnikov havia sido “brutalmente morto” em Derbent, no momento em que as celebrações da festa de Pentecostes estavam em andamento. Foi amplamente divulgado que os  terroristas invadiram a igreja e cortaram a garganta do padre . 

O chefe da Igreja Ortodoxa Russa foi citado no NY Times da seguinte forma :

O caos destacou as tensões étnicas e religiosas de longa data na Rússia, particularmente na região do Cáucaso do sul do país, que inclui o Daguestão. O Patriarca Kirill I, chefe da Igreja Ortodoxa Russa, disse que “não foi coincidência” que o ataque tenha ocorrido no dia em que os cristãos ortodoxos observam o Pentecostes.

“Vemos que o inimigo não desiste de tentar destruir a paz e a harmonia inter-religiosas em nossa sociedade”, disse Kirill em um comunicado.

É assim que ficou a #Sinagoga em #Derbent depois do vil ataque terrorista cometido pelos “jihadistas” locais na #Rússia.

O mesmo relatório também observa que “não foi dito QUEM, exatamente, era o inimigo. Não houve comentários do Kremlin e as autoridades disseram pouco sobre as identidades dos atacantes, embora alguns  relatos da mídia estatal  tenham dito que alguns dos atiradores podem ter sido filhos de um oficial local.”

Considerando que o país ainda está se recuperando do ataque terrorista ainda maior de 22 de março à Prefeitura de Crocus, em Moscou, que matou pelo menos 145 pessoas e feriu centenas, naturalmente as suspeitas recaíram sobre o ISIS-K ou outro grupo terrorista islâmico [CIA, MOSSAD, MI6, et caterva] radical.

Fonte: The New York Times

Há relatos de que há temores entre a população em geral de que possa haver mais violência e terror no futuro, já que há 20 anos esta região no Mar Cáspio, que faz fronteira com a Chechênia era assolada por violência semanal e diária.

“Agora há uma Rússia diferente”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, na segunda-feira. “A sociedade está consolidada e tais manifestações terroristas não são apoiadas pela sociedade na Rússia ou no Daguestão.”


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.310 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth