Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

‘Nuclearizar’ Gaza é uma possibilidade – declara ministro israelense

As observações de Amichai Eliyahu provocaram condenação generalizada tanto em Israel como na Palestina. O Ministro do Patrimônio israelense, Amichai Eliyahu, sugeriu que seu país poderia lançar um ataque nuclear em Gaza. As observações controversas causaram indignação em todo o governo israelita, com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu suspendendo Eliyahu indefinidamente de suas funções.

‘Nuclearizar’ Gaza é uma possibilidade – declara ministro israelense

Fonte: Rússia today

Numa entrevista de domingo à Rádio Kol Berama, quando questionado se Israel poderia lançar uma bomba atómica sobre o enclave palestino, o ministro, que é membro do partido de extrema-direita Otzma Yehudit, respondeu que “esta é uma das possibilidades” .

Eliyahu também se manifestou contra a ajuda aos palestinos habitantes do enclave, que está sob cerco israelita há várias semanas, argumentando que “não entregaríamos ajuda humanitária aos nazistas” e que “não existem civis não envolvidos em Gaza”.

Pouco depois dos comentários polêmicos, Netanyahu anunciou que o ministro havia sido suspenso de todas as reuniões do governo. Escrevendo no X (anteriormente Twitter), o seu escritório citou-o como tendo dito que “as declarações de Eliyahu não são baseadas na realidade”, acrescentando que Israel está “operando de acordo com os mais elevados padrões do direito internacional para evitar prejudicar inocentes”.

O ministro da Defesa israelita, Yoav Gallant, condenou o que chamou de “palavras infundadas e irresponsáveis” de Eliyahu, acrescentando numa publicação no X que “é bom que estas não sejam as pessoas responsáveis ​​pela segurança de Israel”.

Estas observações foram repetidas pelo líder da oposição Yair Lapid, que chamou Eliyahu de “extremista”  e destacou que a sua declaração “causou danos às famílias dos reféns, à sociedade israelita e à nossa posição internacional”, instando Netanyahu a despedir o ministro.

As observações do ministro também não passaram despercebidas ao Hamas, que lançou um ataque surpresa contra Israel no mês passado. Afirmou que os comentários são uma “expressão do nazismo dos ocupantes e das [suas] práticas de genocídio”, que surgiram após o “fracasso militar de Israel face à resistência [palestina]”.

Entretanto, Eliyahu tentou controlar os danos, insistindo que “é claro para qualquer pessoa com cérebro que a observação sobre o átomo era metafórica”. Ele afirmou, no entanto, que Israel “deve apresentar uma resposta enérgica e desproporcional ao terror”, acrescentando que esta abordagem mostrará “aos Hamas e aos seus apoiantes que o terrorismo não vale a pena”.

Israel nunca confirmou ou negou publicamente ter armas nucleares. No entanto, acredita-se que possui tais armas desde o final dos anos 1960. De acordo com uma estimativa do Instituto Internacional de Pesquisa para a Paz de Estocolmo (SIPRI), Israel teria um total de 90 ogivas nucleares.


“E ouvireis de GUERRAS e de rumores de GUERRAS; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores.  –  Apocalipse 13:16


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *