O Desastre nas Eleições Fraudadas na França no fim de semana

Parece que no último domingo, 7 de julho de 2024, o segundo turno das eleições francesas é uma das maiores fraudes eleitorais da história francesa, talvez até da história europeia. Os engenheiros eleitorais têm feito isto da mesma forma que fizeram nas eleições de 2020 nos EUA [e no Brasil], quando, ao que tudo indica, o Presidente Trump, o Republicano, mas muito mais importante, um antiglobalista, venceu com uma vitória esmagadora. No entanto, o democrata (‘Dementia’ Joe) Biden, um marionete senil facilmente manobrável, emergiu subitamente como o vencedor.

Fonte: Global Research

Da mesma forma, na França, o Partido de Madame Le Pen, o “Rally Nacional” (NR), é injustamente chamado por todas as PRE$$TITUTA$ mainstream como uma populista de extrema-direita, quando na realidade, Madame Le Pen é principalmente uma anti-globalista conservadora que deseja uma nova França soberana, e não uma França submetida à União Europeia e por procuração à vontade/agenda dos Estados Unidos, tal como a maioria dos membros da UE.

Estas eleições a dois níveis, com um segundo turno quando não surge nenhum vencedor por maioria absoluta no primeiro turno, são feitas sob medida para executar a fraude. Porque entre as duas eleições, os manipuladores de votos e os planos eleitorais passam a trabalhar com técnicas e ferramentas bem refinadas, tendo presente o comportamento eleitoral das pessoas durante o primeiro turno.

Juntos: Brigitte Macron, o Barão David de Rothschild e seu marionete ‘acordado’ Emmanuel Macron 

Esses paralelos podem e DEVEM ser observados em todo o mundo ocidental.

É claro que, como sempre, não há tentativas de manipulação. Ainda não. A sofisticação neste comércio alcançou extraordinárias habilidades tecnológicas de TI e Inteligência Artificial (IA).

No entanto, os resultados das eleições na França depois de domingo, 7 de Julho, cheiram muito mal. Todas as probabilidades foram quebradas. O “Rally Nacional”, destacou-se com 34% dos votos no primeiro turno, apenas UMA semana antes, em 30 de junho.  

Todas as concepções deram ao “Rally Nacional” uma grande vantagem para o segundo turno – até mesmo uma maioria absoluta foi projetada.

Isso não aconteceu. O partido de Madame Le Pen ficou em terceiro lugar após a segunda votação. “Por trás do Partido da Coalizão da Nova Frente Popular (NPF) e dos Centristas de Macron, Ensemble” .

O chamado “retrocesso” da RN, conquistando apenas 142 assentos parlamentares (de 577), deu, pelo menos à superfície, ao Presidente Macron a vantagem para continuar no seu movimento globalista e especialmente na sua odisseia belicista, prometendo enviar franceses / Tropas da OTAN para a Ucrânia lutando contra a Rússia. Botas francesas, alguns mercenários, alguns conselheiros, já estão no terreno em Kiev, Odessa e outros locais da Ucrânia.

O que a Rússia fez com a França? Ou para a Alemanha? Ou para o Reino Unido? Ou para a União Europeia? Não há mal nenhum. Apenas buscando amizade, negócios e alianças.

Na verdade, a Rússia procura apenas a paz e relações amistosas – procurando uma normalização do continente euro-asiático, uma medida também fortemente apoiada pelo Presidente da China, Xi Jinping. Os presidentes Putin e Xi estão muito interessados ​​na paz com a Ucrânia. Mas a [Besta da OTAN/G-7/Khazares] OTAN-Ocidente não permite, não está interessada. Eles querem mais guerra e, eventualmente, conquistar re dividir o vasto e riquíssimo território da Rússia [este é um antigo desejo, de séculos, especialmente dos judeus khazares]. Este é um sonho ou busca ridícula do Ocidente, com mais de 200 anos. Eles não conseguiram e nunca conseguirão.

Entretanto, a indústria da guerra torna-se cada vez mais lucrável – à medida que as pessoas morrem, as famílias e cidades são destruídas, o futuro das sociedades é devastado. Isso é sem importância. A hegemonia e a sua indústria bélica devem continuar a ganhar dinheiro, e o mundo deve continuar a ser desestabilizado, e o mundo deve continuar a ser despovoado – e as guerras são apenas um instrumento para obter a realização destas agendas globalistas.

A política europeia e os políticos europeus estão doentes, alguns são psicopatas irrecuperáveis e marionetes que ocupam cargos para implementar a agenda da NWO-Nova Ordem Mundial.

A Nova Frente Popular (NPF) de esquerda obteve aparentemente 188 assentos, mas nenhuma maioria absoluta (289 assentos). Na verdade, nenhuma das alianças obteve maioria absoluta.

O NPF consiste numa coligação frouxa de vários partidos de esquerda, que vão desde os Socialistas  aos [idiotas] Verdes, os Comunistas e a esquerda radical França Insubmissa, e outros partidos menores. Quão confiável é esta aliança? Não muito, ou nada.

É uma aliança improvisada e fictícia para manter o marionete Rothschild globalista ‘acordado’ e o fomentador da guerra no lugar; o obediente ao WEF de Davos, o vassalo da UE e de Washington DC submisso à sua hegemonia: o Sr. Macron, também chamado de “Le Petit Napoleão”.

O Ensemble, o partido centrista de Emmanuel Macron, conquistou 161 cadeiras. No entanto, Macron deverá continuar a ser Presidente sem maioria – um Presidente falso e impotente, um marionete mais controlável ainda .

O que há de errado com esta imagem?

Em 30 de junho, o Rally Nacional, com 34% dos votos, estava muito à frente de todos os demais partidos. O partido de Macron, o Conjunto Centrista , ficou em segundo lugar com apenas 22% dos votos. Não inesperadamente, porque os cidadãos franceses estavam e continuam chateados e cansados ​​com as políticas globalistas de Macron, favorecendo os imigrantes em detrimento dos cidadãos franceses, gastando bilhões do dinheiro dos contribuintes para apoiar a Ucrânia, uma causa perdida – isso qualquer estudante poderia ter-lhe dito desde o início.

Gastar dinheiro francês em guerra no exterior, em vez de o fazer em casa, onde os serviços sociais e as infraestruturas físicas desmoronam e a reforma deles seriam extremamente necessários, não é, obviamente, muito popular. Nem nos EUA, nem em nenhum país ocidental, se você perguntar ao povo, não aos políticos corruptos, mas ao POVO.

A propósito, foi assim que o Império Romano acabou por entrar em colapso, e outros impérios – gastando dinheiro interno no estrangeiro para conquistas estrangeiras enquanto a pátria apodrece em pedaços e seu povo passa necessidades.

Pouco depois do primeiro turno das eleições de 30 de Junho, os “Verdes” e os “Socialistas” afirmaram em termos inequívocos que nunca fariam uma aliança com os “comunistas”. E o que eles fizeram? Só para evitar que uma coligação da Reunião Nacional pudesse obter a maioria absoluta, eles devem ter sido ordenados ou comprados para colaborar com os comunistas. Mas, como mencionado anteriormente, essa não é uma aliança estável e/ou viável.

Pelo menos o primeiro-ministro de Macron, Gabriel Attal o ativista LGBTQ+ casado com o seu ministro das Relações Exteriores Stéphane Séjourné, foi honesto consigo mesmo. Ele demitiu-se. Em vez de trabalhar numa aliança pouco saudável, artificial e insustentável, ele decidiu renunciar. Bravo!

Qual é o próximo?

Há rumores de que esta nova coligação múltipla na França será ingovernável – e Macron poderá ter de convocar eleições antecipadas. É claro que os poderes constituídos farão tudo o que puderem para evitar na Europa, tal como nos EUA, a eleição de um anti-globalista. Alguém que queira fazer do seu país, o país do Povo, Grande Novamente, um parceiro soberano para outros parceiros soberanos, não é desejável, não é aceitável.

Embora, numa eleição honesta e verdadeiramente democrática, seja isso que mais de 90% das pessoas desejam, se realmente e verdadeiramente as deixarmos escolher. Eles querem o seu próprio país, não uma subordinação a Bruxelas e Washington, ou a oligarcas bilionários psicopatas e às suas agendas.

Até agora sabemos, a União Europeia foi um teste sobre como fazer com que pessoas, vários países, fossem governados por uma entidade. A UE também pode ter sido considerada a precursora de um Governo Mundial Único com uma moeda única. E, sim, em breve será totalmente digitalizado para a escravização total. Esse é o plano. Pergunte a Madame Christine Lagarde, atual Presidente do Banco Central Europeu (BCE).

Um Governo Mundial Único com uma moeda única – e eventualmente totalmente digital – é o que as pessoas nunca quiseram, uma chamada União Europeia – melhor chamada de des-união Europeia. A UE foi imposta ao povo como o paraíso na terra, com uma moeda única, câmbio livre e viagens ininterruptas.

Todas as vantagens perdem o sentido quando já não podemos decidir sobre a nossa política interna, sobre a nossa política monetária, sobre a nossa política comercial, sem que uma Unidade não eleita olhe por cima dos nossos ombros e nos diga o que podemos fazer e o que não podemos fazer.

Isso é exatamente o que temos hoje. E não é de admirar que Madame Le Pen e a sua perspectiva nacionalista anti-globalista não sejam apenas populares, mas QUERIDAS PELO POVO.

Manifestações violentas da “esquerda” contra os protestos dos apoiantes nacionalistas, por terem sido enganados numa vitória clara, marcaram a noite do segundo turno do dia das eleições, 7 de Julho. Este não é o fim. Mais podem vir.

No domingo, 7 de julho, mais de 30 mil policiais de choque foram mobilizados por toda a França, em antecipação aos tumultos. Como eles sabiam que haveria tumultos antes que os resultados das eleições fossem conhecidos?

Há definitivamente um cheiro podre nestas eleições erradamente intencionalmente convocadas para criar tumulto. Muitos chamam isso de fraude. Serão os franceses os primeiros na Europa a clamar – STOP – e a retomar o controle de seu país titando a Franças das mão dos globalistas e seus marionetes ‘acordados’, LGBTQ+ . . . ?

Peter Koenig  é analista geopolítico e ex-economista sênior do Banco Mundial e da Organização Mundial da Saúde (OMS), onde trabalhou por mais de 30 anos em todo o mundo. Ele é o autor de  Implosão – Um Suspense Econômico sobre Guerra, Destruição Ambiental e Ganância Corporativa; e  coautor do livro de Cynthia McKinney “Quando a China espirra: do bloqueio do coronavírus à crise político-econômica global” ( Clarity Press – 1º de novembro de 2020). Peter é pesquisador associado do Centro de Pesquisa sobre Globalização (CRG). Ele também é membro sênior não residente do Instituto Chongyang da Universidade Renmin, Pequim.  


Uma resposta

  1. Esta terrível ameaça esquerdo terrorista esta sabotando todas as vitórias de partidos de Direita que parece estar ficando sob domínio hipnótico!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.310 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth