Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

O Mito do ‘Dólar Invencível’

Escrevo muito sobre  a dívida nacional. E a maioria das pessoas não se importa com esse assunto. Isso é porque existe uma crença generalizada de que o dólar é invencível. A atitude predominante é que o governo dos EUA pode contrair empréstimos {emitindo Títulos] e gastar indefinidamente. Afinal, isso não causou problema até agora. Mas um pavio longo pode queimar por muito tempo antes de finalmente chegar ao barril de pólvora. Mas não é assim.

O Mito do ‘Dólar Invencível’

Fonte: SchiffGold.com – De autoria de Michael Maharrey

Não sei quanto tempo temos até que a bomba da dívida exploda, mas sei que estamos cada vez mais próximos a cada dia. E, infelizmente, muito poucas pessoas se importam o suficiente para resolver o problema. O recente drama da paralisação do governo é um exemplo disso.

Um acordo provisório sobre gastos eliminou a ameaça de paralisação das manchetes, mas ela ainda está lá, à espreita, nas sombras dos corredores do Congresso. Se os legisladores não resolverem algo até 17 de novembro, o governo será forçado a parar.

Não se fala muito sobre um encerramento neste momento, mas quando as pessoas discutem a possibilidade, quase sempre se concentram na crise mítica que o encerramento do governo federal pode causar. Isso contorna o problema real – os gastos governamentais fora de controle.

A sabedoria convencional é que o Congresso precisa fazer o que for preciso para evitar uma paralisação. Se isso significar manter os gastos nos níveis atuais ou mesmo aumentar os gastos, que assim seja. O punhado de membros intransigentes do Congresso que querem resistir aos cortes de gastos são sempre considerados os bandidos neste teatro kabuki. 

Como disse o economista Daniel Lacalle num  artigo recente publicado pela  Mises Wire : “A narrativa parece ser que os governos e o setor público nunca deveriam ter de implementar decisões orçamentais responsáveis [isso só é válido para os países de “terceiro mundo”], e os gastos devem continuar indefinidamente”.

Mas toda a farsa do encerramento do governo é apenas o sintoma de um problema muito mais profundo. O governo dos EUA já tem uma dívida de mais de $ 33 Trilhões de dólares. Na verdade, a administração Biden conseguiu adicionar  meio Trilhão de dólares à dívida em apenas 20 dias.

É difícil exagerar o quão má se tornou a situação fiscal do governo dos EUA. Temos uma trifeta de dívida crescente,  déficits enormes e receitas federais em declínio, e o vício em gastos do governo federal está na raiz do problema. Lacalle resumiu desta forma:

O problema nos Estados Unidos não é a paralisação do governo, mas o déficit irresponsável e imprudente que as administrações continuam a impor, independentemente das condições econômicas.”

Só em agosto, a administração Biden gastou mais de $ 527 bilhões de dólares. Na verdade, o governo federal tem gasto em média meio trilhão de dólares todos os meses.

E não há fim à vista. Não há vontade política para cortar substancialmente os gastos. Enquanto isso, o governo federal está sempre em busca de novos motivos para gastar ainda mais dinheiro. Com a eclosão da guerra acontecendo no Oriente Médio, já existe  uma proposta para enviar ajuda a Israel e possivelmente adicionar mais ajuda à Ucrânia a esse acordo .

Como disse Peter Schiff num podcast recente,  os EUA não podem permitir-se a paz, muito menos a guerra .

Lacalle resume a atual situação fiscal do governo dos Estados Unidos. Não é uma imagem bonita.

Nas próprias projeções da administração Biden, o déficit acumulado entre 2023 e 2032 seria superior a $ 14 Trilhões de dólares, assumindo que não haveria recessão ou declínio do emprego. A dívida pública ultrapassou os $ 33 Trilhões de dólares americanos e o déficit orçamentário num período de crescimento e de forte criação de emprego é superior a $ 1,7 Trilhões de dólares americanos. 

Em agosto de 2023, custava US$ 808 bilhões para manter a dívida, o que representa 15% do gasto federal total, segundo o Tesouro dos EUA. As taxas de juros estão subindo ao mesmo tempo que o governo rejeita todas as restrições orçamentais. Esta é uma bomba-relógio monetária.”

E como Lacalle salientou, o governo continua a gastar independentemente do que esteja acontecendo na economia. De acordo com os governantes e o seu pessoal de apoio acadêmico, nunca é um bom momento para cortar despesas.

Quando a economia cresce e há quase pleno emprego, os governos anunciam mais gastos porque é “hora de contrair empréstimos”, como escreveu Krugman. Quando a economia está em recessão, os governos dizem que precisam de gastar ainda mais para salvar a economia. No processo, a dimensão do governo na economia aumenta e as receitas fiscais recordes são totalmente consumidas num instante porque as despesas excedem sempre as receitas.”

Os constantes empréstimos e gastos são alimentados pelo mito de que os empréstimos não importam realmente, e o aumento da popularidade da Teoria Monetária Moderna (MMT) colocou esse mito em esteroides.

Os defensores da teoria MMT afirmam que os gastos não importam. Como observa Lacalle, chegam mesmo ao ponto de afirmar que o mundo poderia “ficar sem dólares” se o governo federal tomasse medidas significativas para controlar os gastos deficitários, causando um “colapso monetário”.

Isso é tão ridículo que nem deveria ser discutido. O mundo não ficará sem dólares se o governo dos Estados Unidos reduzir os seus desequilíbrios. A liquidez global em dólares é resultado de swaps de bancos centrais entre instituições monetárias. Não existe uma crise global de liquidez em dólares devido a um excedente dos Estados Unidos, como vimos quando aconteceu em 2001.

Além disso, a ideia de que a oferta de dólares é criada apenas pelos gastos do déficit governamental é uma loucura. Esta visão distorcida da economia coloca a dívida pública no centro do crescimento, em vez do investimento privado. Tenta convencê-lo de que um déficit é sempre positivo e que a única criação de moeda deve provir de gastos improdutivos e não do crescimento do crédito ao investimento produtivo.  Obviamente, isso está errado.”

Mas não importa o quão alto os opositores soem o aviso, as pre$$tituta$ da mídia mainstream continuam a encolher os ombros face à dívida crescente e aos déficits cada vez maiores. Eles parecem acreditar que, uma vez que ainda não importou, não importará nunca.

O estatuto do dólar como moeda de reserva global permite ao governo dos EUA sair impune. Como explica Lacalle, a procura global por dólares ainda é elevada. O índice do dólar (DXY) está subindo porque os desequilíbrios monetários de outras nações são maiores do que os desafios dos Estados Unidos.

Isto embalou os americanos com uma falsa sensação de segurança. Muitos americanos, incluindo a maioria em posições de poder, parecem pensar que os EUA podem fazer o que quiserem quando se trata de contrair empréstimos e gastar.

Lacalle faz uma observação séria: “Todos os impérios acreditam que a sua moeda será eternamente exigida, até que ela colapse. ”

Quando a confiança na moeda entra em colapso, o impacto é repentino e intransponível. Os cidadãos globais podem começar a aceitar outras moedas independentes ou títulos garantidos por ouro, e o mito da eterna procura de dívida dos EUA desaparece. Infelizmente, os governos estão sempre dispostos a ultrapassar os limites da responsabilidade fiscal porque outra administração enfrentará o problema. 

A crescente irresponsabilidade da dívida e do déficit dos Estados Unidos significa mais impostos, menos crescimento e mais inflação no futuro. A dívida pública não é uma dádiva de reservas para o sector privado; é um fardo de problemas económicos para as gerações futuras. Dinheiro sólido só pode vir da responsabilidade fiscal. Atualmente, não temos nenhuma.”

O resultado final é que o dólar não é invencível.

O estopim está queimando rápido. . .


AVISO PARA OS ASSINANTES DO BLOG: Para os leitores assinantes do Blog, que recebiam o link para acessar as postagens em seus endereços de E-Mail, solicitamos, por favor, que refaçam a sua inscrição aqui neste LINK: https://linktr.ee/thoth3126, devido à problemas técnicos e perda de dados que tivemos com a migração de servidor. Também avisamos aos nossos leitores que estamos preparando uma NOVA VERSÃO do Blog que em breve será disponibilizada para todos.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *