O “Vaticano” da Ordem dos Cavaleiros Templários, em Portugal ?

Escondida à vista de um castelo templário inscrito pela Unesco como Patrimônio Cultural da Humanidade, esta pequena igreja pode ser apenas um dos mais importantes – se esquecido – refúgio da misteriosa e poderosa Ordem dos Cavaleiros Templários em Portugal. Durante quase 900 anos, as torres elevadas e as muralhas da cidadela do Convento de Cristo, no topo da colina, guardaram a sonolenta cidade de Tomar, no centro de Portugal.

O “Vaticano” da Ordem dos Cavaleiros Templários em Portugal ?

Fonte:  BBCTravel-PORTUGAL

Construída em 1160 como quartel-general do misterioso exército católico dos Cavaleiros Templários que [pseudamente] servia ao Papa, esta ampla fortaleza românica, gótica e barroca inscrita pela Unesco serviu como uma peça central adequada do poder dos Templários em Portugal durante 400 anos.

 Mas se você olhar para baixo das altas muralhas do convento e procurar fora das muralhas da cidade por uma pequena igreja do outro lado do rio Nabão, você encontrará um dos mais importantes – se esquecido – sítios templários do mundo: a Igreja de Santa Maria do Olival .

O Convento de Cristo (século XII – século XVIII) é a denominação atribuída a um conjunto de edificações históricas situado na freguesia de São João Baptista, cidade de Tomar, Portugal. O início da sua construção remonta a 1160 e está intimamente ligado aos primórdios do Reino de Portugal e ao papel então desempenhado pela Ordem dos Cavaleiros Templários, onde tinha a sua sede portuguesa, tendo subsequentemente sido reconfigurado e expandido pela sua herdeira Ordem de Cristo.

Anterior ao castelo, esta raramente visitada igreja gótica foi construída a mando do cruzado e cavaleiro templário Gualdim Pais [foi o quarto Grão Mestre da Ordem dos Cavaleiros Templários em Portugal] para servir de panteão sagrado para a Ordem dos Cavaleiros Templários.

Além de se tornar um local importante para os ritos sagrados nos subterrâneos de iniciação dos Templários ao longo dos séculos, a igreja também guarda os restos mortais de alguns dos cavaleiros mais famosos de Portugal – incluindo o próprio Gualdim Pais.

E porque os Cavaleiros Templários de Tomar ajudaram a lançar a expansão marítima de Portugal no século 15, liderada por Henrique, o Navegador (um conhecido cavaleiro Templário), esta modesta igreja de pedra tornou-se o centro espiritual de todas as igrejas portuguesas construídas no exterior – levando alguns a declará-la o “Vaticano” dos Cavaleiros Templários.

Hoje, desde a estrela de cinco pontas acima da entrada principal ao fato de a própria igreja ser construída abaixo do solo, este Monumento Nacional Português permanece codificado com o simbolismo Templário oculto. Há rumores de que um sistema labiríntico de túneis conecta o castelo no topo da colina com a igreja, a cerca de 1,5 km de distância.

O Castelo de Tomar era constituído por uma cintura de muralhas e estava dividido em três espaços. Na parte sul situava-se o recinto da vila (onde hoje se encontra o laranjal). Na parte mais elevada da colina, a norte, foi estabelecida a casa militar dos Templários, ladeada pela casa do Mestre (a Alcáçova; em ruinas), com a sua torre de menagem e, a poente, o oratório dos cavaleiros templários (a Charola). Separava estes dois recintos o vasto terreiro do castelo, hoje um espaço ajardinado.

Esses túneis subterrâneos ajudaram até mesmo os templários locais a escapar de um cerco mouro em 1190. Atualmente, muitas das câmaras secretas que Gualdim Pais e os cavaleiros usaram para escapar de seus invasores ainda são visíveis nas florestas que cercam o castelo no topo da colina.

Mysteries of the Knights Templar da BBC Travel rastreia os locais secretos e cerimônias misteriosas do que já foi uma das organizações mais poderosas e ricas da Europa, a Ordem dos Cavaleiros Templários.


{Nota de Thoth: Em breve haverá um novo papa, será um francês, e será o ÚLTIMO  . . .  A estrondosa queda da “Estátua de Nabucodonosor“, com o fim do Hospício e os psicopatas da civilização ocidental e a própria destruição da região da cidade de Roma [incluso a cloaca do Vaticano] estão bem próximos de acontecer. O Hospício Ocidental, o circo do G-7, os ditos “Países de Primeiro Mundo” vão fazer face ao seu carma “liberal e acordado”}


A regra dessa ordem da Cavalaria de monges guerreiros foi escrita por {São} Bernardo de Clairvaux. A sua divisa foi extraída do livro dos Salmos: “Non nobis Domine, non nobis, sed nomini tuo da gloriam” (Salmos. 115:1 – Vulgata Latina) que significa “Não a nós, Senhor, não a nós, mas pela Glória de teu nome” (tradução Almeida)

“Leões na guerra e cordeiros no lar; rudes cavaleiros no campo de batalha, monges piedosos na capela; temidos pelos inimigos de Cristo, a suavidade para com os seus amigos”. – Jacques de Vitry


Saiba mais sobre os Templários:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Uma resposta

  1. Ao longo do tempo, as interpretações distorcidas provocam mais confusões nas mentes despreparadas. Obrigado e parabéns pelo texto trazido até nós.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.327 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth