Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Rabino judeu declara que o estado de Israel deve ser ‘Varrido do Mapa’

O Neturei Karta é um grupo judeu cuja solução controversa para o derramamento de sangue em Gaza e entre palestinos e israelenses é trazer ao fim o Estado de Israel. A RT.com falou com o Rabino Yisrael Dovid Weiss, que explicou por que eles acham que isso é necessário. Não é sempre que você encontra um rabino judeu com uma bandeira palestina presa em seu casaco. Mas o Neturei Karta é um grupo de judeus antisionista tudo menos convencional.

“Então me disse: A maldade da casa de Israel e de Judá [Judeus] é grandíssima, e a Terra se encheu de sangue e a cidade [Jerusalém] se encheu de perversidade; porque dizem: O Senhor abandonou a Terra, e o Senhor não vê [nada]. Pois, também, quanto a mim, não poupará o meu olho, nem me compadecerei; sobre a cabeça deles farei recair o seu caminho [carma]”.  – Ezequiel 9:9,10


Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Conheça um franco rabino que diz que o estado sionista de Israel é um monstro que deve ser removido do mapa

Fonte:  Rússia Today

Por Chris Sweeney,  é um autor e colunista que escreveu para jornais como The Times, Daily Express, The Sun e Daily Record, juntamente com várias revistas internacionais. Siga-o no Twitter  @Writes_Sweeney

Eles são um grupo religioso de judeus Haredi cujo nome em aramaico significa ‘Protetores da Cidade’. A cidade em questão é Jerusalém e o grupo se baseia na recusa em aceitar ou reconhecer a existência do estado de Israel. Confuso para voce ?

Uma de suas principais figuras, o Rabino Weiss, explicou a posição de seu grupo de judeus à RT.  Ele disse:

“O Sionismo é a transformação do Judaísmo, da religião, da subserviência a vontade de Deus, em um conceito material de [fanático] nacionalismo. Isso é inaceitável para quem quer servir a Deus. Para criar esse [fanático] nacionalismo, eles ]os fanáticos judeus sionistas] estão removendo Deus da equação.

“Fomos avisados ??pelos profetas de que seríamos expulsos da terra de Israel e isso aconteceu com a destruição do [segundo] templo [em Jerusalém, pelos romanos em 70 d.C.] há 2.000 anos. Não devíamos voltar em massa – é um exílio decretado por Deus – e também não devemos nos rebelar contra qualquer nação em que residamos. Devemos ser cidadãos leais e orar pelo bem-estar da terra que é nossa anfitriã.  Também nunca devemos fazer qualquer tentativa de acabar com o exílio.

Neste mapa uma “diferente” visão do ORIENTE MÉDIO: O GRANDE ISRAEL: Em 04 de setembro de 2001 uma manifestação foi realizada em Jerusalém, para apoiar à ideia da implantação do Estado de Israel desde o RIO NILO (Egito) até o RIO EUFRATES (Iraque). Foi organizado pelo movimento Bhead Artzeinu (“Para a Pátria”), presidido pelo rabino e historiador Avraham Shmulevic de Hebron. De acordo com Shmulevic: “Nós não teremos paz enquanto todo o território da Terra de Israel não voltar sob o controle judaico …. Uma paz estável só virá depois, quando ISRAEL tomar a si todas as suas terras históricas, e, assim, controlar tanto desde o CANAL de SUEZ (EGITO) até o ESTREITO de ORMUZ (o IRÃ) … Devemos lembrar que os campos de petróleo iraquianos também estão localizadas na terra dos judeus”. UMA DECLARAÇÃO do ministro Yuval Steinitz, do Likud, que detém o extenso título de ministro da Inteligência, Relações Internacionais e Assuntos Estratégicos de Israel hoje: “Estamos testemunhando o extermínio do antigo Oriente Médio. A ordem das coisas esta sendo completamente abalada. O antigo Oriente Médio está morto, e o novo Oriente Médio não está aqui ainda. Esta instabilidade extrema poderia durar mais um ano, ou até mais alguns anos, e nós não sabemos como a nova ordem do Oriente Médio vai se parecer à medida que emergir a partir do caos e derramamento de sangue e fumaça atual. É por isso que devemos continuar a agir com premeditação”. No mapa acima podemos ver as pretensões de judeus radicais (tão ou mais radicais quanto os fanáticos islâmicos).

Para aqueles que não estão familiarizados com a Torah – a parte central dos livros sagrados judaicos – esses sentimentos podem ser bastante revolucionários. O Neturei Karta acredita que está seguindo seu livro sagrado, a Torah, e que deixar a Palestina foi um ato de Deus. Eles também acham que sua religião os ordena a protestar publicamente contra o que consideram transgressão [o movimento sionista] em nome do Judaísmo. Em particular, eles querem que as pessoas entendam que há uma diferença fundamental entre um israelense e um judeu.

O rabino Weiss continuou:

“O objetivo [dos sionistas] era ter seu estado material, e o que quer que estivesse em seu caminho não os incomodava. A Torah diz que você não deve roubar ‘então cada conceito do sionismo está violando a Torah. Eles sabiam que nossa religião não exige que peguemos em armas e tomemos a terra [alheia]. Pelo contrário, somos proibidos [de fazê-lo]

Israel foi formalmente criado pela ONU em 14 de maio de 1948 e no ano seguinte foi admitido nas Nações Unidas. Há uma narrativa amplamente aceita de como as forças israelenses tomaram as terras e propriedades dos palestinos, que eram em sua maioria muçulmanos. Tudo isso foi feito sob a premissa de criar “um lar nacional para o povo judeu” e o governo britânico colocou isso em movimento durante a Primeira Guerra Mundial com a Declaração de Balfour.

Israel é agora um país moderno com um exército formidável e uma indústria de tecnologia de sucesso. No entanto, a forma como o Estado tratou o povo palestino, que foi anexado a Gaza e à Cisjordânia com direitos limitados, o deixou aberto a críticas. Rabino Weiss disse: 

“Eles roubaram de nós a Estrela de David e afirmam ao mundo que estão fazendo a vontade de Deus, ou seja, para intimidar, para que qualquer pessoa que se atreva a falar contra eles seja [declarado como] um anti-semita. É ridículo e uma tragédia, pois eles não representam nossa Torah

O Neturei Karta afirma representar as comunidades judaicas e diz que Israel criou uma falsa legitimidade. Embora Israel tenha um rabino-chefe e um rabinato, a fé judaica também tem essa estrutura de forma independente. É por meio dessa doutrina religiosa que Israel justifica sua contínua tomada de terras palestinas, nas quais os colonos israelenses vivem – e esse processo é um dos principais pontos de conflito entre os dois estados. Foi uma tentativa de remover os palestinos do Sheikh Jarrah, em Jerusalém, que desencadeou a recente e atual onda de conflito e carnificina.

O Rabino Weiss acrescentou: “Os sionistas tentam constantemente incorporar a Torah em seu monstro sionista chamado Estado de Israel. Eles têm um Rabino Chefe, um Rabinato; é tudo fachada, eles carimbam tudo o que Israel faz e criam uma aura de santidade.

“Há, infelizmente, muitos estudantes universitários, a maioria de famílias não religiosas ou nominalmente religiosos, que caem na armadilha da propaganda sionista e falam com emoção, dizendo ‘por 2.000 anos estamos no exílio, sofremos e Deus está nos devolvendo a terra ‘. Mas isso está ignorando o que esta escrito na Torah.

“As pessoas pensam que para serem heróis do Judaísmo, elas têm que voltar para Israel e ir para os assentamentos. Não estamos tolerando a violência, mas eles a estão incitando expulsando o povo árabe, como estão fazendo agora em Sheikh Jarrah. Uma ação gera uma reação; o que você espera? É por isso que há derramamento de sangue”.  

Mas nem todos concordam e há quem critique a “disposição do Neturei Karta de se encontrar com o mais vil dos extremistas”. Os membros do grupo admitem ter conhecido os líderes do Hamas e do Hezbollah, ambos considerados por muitos países como organizações terroristas. Eles também falaram com o ex-presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad, o falecido líder da OLP Yasser Arafat e o governante de fato de Gaza, Ismail Haniyeh. E eles até compartilharam uma plataforma  com o ex-Grande Mago da Ku Klux Klan David Duke.

Rabino Weiss disse: “A liderança do Hamas diz que não tem nada contra os judeus e quer viver juntos. Tanto o Hamas quanto o Hezbollah querem um desmantelamento pacífico do estado; nós também queremos isso. Entendemos que a questão central não é o Hamas, o problema é que em 1948 eles ratificaram um monstro chamado Estado sionista de Israel que veio e ocupou [as terras de] outro povo. Tudo o que está acontecendo é apenas uma reação a essa terrível injustiça.

“Antes de eu começar as entrevistas, eles me perguntam se você condena o Hamas? E se não os condenamos, psicologicamente eles dizem ‘ele não os está condenando, então não vale a pena ouvi-lo porque ele é um terrorista’. ”

“O terrorismo é a criação do estado e a existência permanente desse estado, para que todos os dias nasça uma criança na Palestina e ela sofra. Eles vêem seus familiares morrerem e têm um ódio arraigado pelo povo judeu, se não for esclarecido para eles. Está sendo feito em nosso nome, com nossos símbolos; a hipocrisia [sionista] está além das palavras”. 

Outra acusação feita ao Neturei Karta é que eles negam o Holocausto . O rabino Weiss refuta isso. Ele enfatizou:

“Meus avós foram mortos em Auschwitz, assim como a maioria da minha família [em] ambos os lados. Meu pai escapou quando os nazistas chegaram à Hungria e quase todas as nossas comunidades anti-sionistas são imigrantes, remanescentes de famílias que escaparam de Hitler. Portanto, não negamos o Holocausto porque está em nosso sangue

De acordo com o rabino Weiss, parte da complexidade da situação é que muitos judeus em Israel não sentem lealdade ao Estado, mas são incapazes de falar.

Mesquita Al-Aqsa [O Domo da Rocha], localizada na Cidade Velha de Jerusalém, é o terceiro local mais sagrado de Jerusalém no Islã. A mesquita foi construída no topo do Monte do Templo, conhecido como Complexo Al Aqsa ou Haram esh-Sharif no Islã. Os muçulmanos acreditam que Muhammad foi transportado da Grande Mesquita de Meca para al-Aqsa durante oViagem noturna . A tradição islâmica afirma que Maomé conduziu orações em direção a este local até o 17º mês após sua migração de Meca para Medina , quando Alá o orientou a se voltar para a Caaba em Meca . É um ponto focal de discórdia entre judeus e muçulmanos.
Ele confirmou que, se fosse visitar Israel, esperaria ser preso e colocado na prisão. “Muitos de nós não visitamos Israel por princípio … [e] cada menino e menina de nossa comunidade se torna um criminoso quando completam 17 anos, pois se recusam a ir para lá para prestar serviço nacional nas FDI [Forças de Defesa de Israel].

“Eles estão sempre nos acusando de sermos maus simplesmente porque estamos praticando o Judaísmo; eles só podem difamar os judeus que se levantam e dizem, ‘Eu tenho vivido com meus vizinhos palestinos em paz por anos’, temos uma religião distintamente diferente, mas vivemos juntos em paz. Eles vieram com seu conceito egoísta e politicamente falho, sem perguntar aos moradores locais [da Palestina]

A missão do Neterei Karta não é apenas destacar a diferença entre sionismo e judaísmo; a organização quer ver o fim pacífico do atual estado de Israel. Compreensivelmente, muitos vêem a remoção de um estado e sua população de 9,4 milhões como um conceito bizarro. O Rabino Weiss explicou:

“A cada 10 anos ou mais, o estado de Israel tem uma guerra, eles nunca têm paz verdadeira. Acreditamos que é o que Deus nos disse. Acreditamos que Israel acabará porque é uma rebelião direta contra Deus, estamos proibidos de ter um estado judeu.  Temos que falar abertamente e tentar implorar aos líderes mundiais que parem de apoiar esta ocupação e tentem trazer alívio para o povo palestino, mas no final das contas, é o Todo-Poderoso que porá um fim à Israel. Você pode pensar que Israel está gravado em pedra, mas não precisa continuar. Foi apenas 73 anos atrás e o mundo estava indo bem sem eles aparecerem. Poderíamos viver sem eles

O Rabino acredita que Israel deveria ser renomeado e um Estado Palestino criado em seu lugar. Ele então sente que poderia ser um lar para judeus e muçulmanos, como o foi por centenas de anos antes. Ele refletiu:

“A África do Sul [na época do apartheid] parecia sem esperança, mas assim que houve pressão para acabar com o apartheid, todo o conceito mudou. Todo o conceito de Palestina poderia ser mudado de um assim chamado Estado Judeu para um Estado Livre da Palestina. O que seria tão ruim? É [Israel] apenas uma aberração dos últimos 70 anos que não vivemos em paz. Vivemos juntos como irmãos e irmãs na Palestina e prosperamos”.

Alguns críticos se recusam a oferecer uma plataforma à Neutrei Karta devido às acusações em torno de sua conduta e relacionamentos. Mas o grupo está inflexível de que continuará a fazer seu trabalho, pois, para eles, é um mandato dado por Deus. O rabino Weiss admitiu:

Estamos um pouco cansados; vimos tantas atrocidades … em Gaza e na Cisjordânia. Sempre há pessoas que ficam agradavelmente surpresas e algumas que ficam chocadas. Claro, aqueles que são sionistas estão horrorizados; eles dizem que somos anti-semitas e de que o que estamos fazendo causará derramamento de sangue entre os judeus. Eles atacam Gaza com drones, pessoas são assassinadas todos os dias – e cada pessoa tem uma família. Cada membro é afetado e todos aqueles nos campos de refugiados que vivem na miséria, você acha que eles crescem amando os judeus?

“Dizemos a eles que sofremos com você e que o povo judeu não aceita o que os sionistas estão fazendo na Palestina. Isso desafia totalmente a lógica em todos os níveis, mas o mundo compra a propaganda sionista e sua máquina de relações públicas. Queremos parar o derramamento de sangue e construir pontes

As declarações, pontos de vista e opiniões expressas nesta coluna são exclusivamente do autor e não representam necessariamente as da RT.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *