Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Raio cósmico ‘Sem Precedentes’ enviado de um misterioso ‘Corredor Invisível’ do espaço chegou a Utah, nos EUA

Os astrônomos detectaram um dos raios cósmicos mais poderosos já observados – e foi emitido para a Terra a partir de uma parte misteriosa do espaço profundo. O fenômeno cósmico carregava a energia de 240 quintilhões de elétron-volts. Para efeito de comparação, um raio típico tem cerca de 300 milhões de volts. O misterioso raio cósmico – denominado Amaterasu, em homenagem à deusa do sol na mitologia japonesa – foi detectado por um sistema de telescópio em Utah, nos EUA.

Raio cósmico ‘Sem Precedentes’ cuja fonte é um misterioso ‘Corredor Invisível’ do espaço chegou a Utah, nos EUA

Fonte: ScienceExtra

O raio cósmico – denominado Amaterasu, em homenagem à deusa do sol na mitologia japonesa – foi detectado por um sistema de telescópio em Utah, nos EUA, em maio de 2021 por cientistas que o descreveram como “sem precedentes” nos tempos modernos. O estudo foi publicado ontem na revista “Science”.

Além de ser um dos raios cósmicos mais poderosos já observados, Amaterasu pode ter se originado de um corredor invisível, ou um “vazio… no universo”.

Os raios cósmicos são aglomerados de minúsculas partículas de alta energia que se movem pelo espaço quase à velocidade da luz. Eles são frequentemente detectados por instrumentos na Terra e geralmente são o resultado de erupções solares ou explosões no sol ou de estrelas mais distantes.

Mas os cientistas dizem que Amaterasu só poderia ter surgido do mais poderoso dos eventos celestes – muito maior do que uma explosão estelar. Toshihiro Fujii, da Osaka Metropolitan University, no Japão, observou o fenômeno capturado pelo experimento Telescope Array em Utah:

“Quando descobri pela primeira vez este raio cósmico de energia ultra-alta, pensei que devia ter havido um erro, pois mostrava um nível de energia sem precedentes nas últimas três décadas. ‘Nenhum objeto astronômico promissor que corresponda à direção de onde o raio cósmico chegou foi identificado, sugerindo possibilidades de fenômenos astronômicos desconhecidos e novas origens físicas além do modelo padrão”.

John Matthews, professor pesquisador do departamento de física e astronomia da Universidade de Utah, nos EUA, também comentou: “Coisas que as pessoas consideram energéticas, como as supernovas, estão longe de ter energia suficiente para isso. Você precisa de enormes quantidades de energia, campos magnéticos realmente elevados para confinar a partícula enquanto ela é acelerada.’

Com 240 quintilhões de elétron-volts (EeV), a partícula Amaterasu tem uma energia que perde apenas para a partícula Oh-My-God, outro raio cósmico de ultra-alta energia que foi detectado em 1991, possuindo 320 EeV de energia.

Quando raios cósmicos de energia ultra-alta atingem a atmosfera da Terra, eles iniciam uma cascata de partículas secundárias e radiação eletromagnética no que é conhecido como uma extensa chuva de ar.

Algumas partículas carregadas no chuveiro de ar viajam mais rápido que a velocidade da luz, produzindo um tipo de radiação eletromagnética que pode ser detectada por instrumentos especializados. Um desses instrumentos é o observatório Telescope Array em Utah, EUA, que registrou a partícula Amaterasu.

Este evento misterioso pareceu emergir de uma área vazia do espaço que faz fronteira com a Via Láctea. Os especialistas sugerem que isto pode indicar uma deflexão magnética muito maior do que o previsto, uma fonte não identificada ou uma compreensão incompleta da física de partículas de alta energia.

“Esse é o mistério disso – o que diabos está acontecendo?”, resumiu Matthews. Eles esperam que a partícula Amaterasu abra caminho para futuras investigações que possam ajudar a esclarecer os raios cósmicos de ultra-alta energia e de onde eles vêm.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *