Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Reunião da OTAN em Ramstein. Zelensky conta com ‘Decisões e Armas Poderosas’ dos aliados

O presidente ucraniano espera “decisões poderosas” por parte dos aliados ocidentais dos países da OTAN, que se reúnem esta sexta-feira na Base dos EUA em Ramstein, na Alemanha, lembrando a necessidade de fortalecer a defesa para combater a “invasão russa”. Ministros da Defesa e representantes de dez países da OTAN exigiram o envio urgente de mais armamento pesado a Kiev, incluindo os tanques pesados. 

Reunião da OTAN em Ramstein. Zelensky conta com ‘Decisões e Armas Poderosas’ dos aliados

Fonte: rtp.pt/noticias – por Inês Moreira Santos – RTP

O presidente ucraniano espera “decisões poderosas” por parte dos aliados ocidentais dos países da OTAN, que se reúnem esta sexta-feira na Base dos EUA em Ramstein, na Alemanha, lembrando a necessidade de fortalecer a defesa para combater a “invasão russa”.

O [palhaço e marionete judeu khazar] presidente Volodymyr Zelensky exortou o hesitante Governo alemão, antes das negociações entre os Estados Unidos e alguns países europeus para decidir o apoio à Ucrânia, a fornecer tanques a Kiev.

Nas últimas semanas, Zelensky tem insistido que a Ucrânia precisa de armamento mais pesado e mais moderno, esperando do Ocidente o fornecimento, em particular, de tanques e sistemas de defesa aérea. Na véspera do encontro dos aliados ocidentais, ele voltou a repetir o pedido.

“Estamos preparando-nos para a reunião de Ramstein de amanhã [sexta-feira] – esperamos decisões poderosas. Esperamos um poderoso pacote de apoio militar dos Estados Unidos”, sublinhou Zelensky, no habitual discurso noturno dirigido à nação.

O presidente ucraniano afirmou ainda estar a aguardar por “uma decisão de uma capital europeia, que ativará as cadeias de cooperação preparadas em relação aos tanques”.

A assistência militar a Kiev é abordada na reunião do “Grupo de Contato de Defesa da Ucrânia”, que decorre esta sexta-feira na base militar norte-americana de Ramstein, sudoeste da Alemanha. O secretário de Estado norte-americano, Lloyd Austin, está na linha da frente da coordenação da ajuda internacional, tendo os EUA já prometido enviar 53 veículos blindados e 350 de transporte para território ucraniano.

Um dos temas mais controversos deste encontro entre aliados consiste, aliás, no fornecimento à Ucrânia de modernos tanques de combate ocidentais, como o Leopard 2 de fabricação alemã.

A Alemanha está sob pressão para permitir a entrega às forças ucranianas destes tanques, de fabrico alemão e que estão operacionais em países-parceiros da OTAN. A Polônia, por seu lado, já anunciou que está pronta a reexportar os Leopard 2, mas que precisa de “uma “autorização alemã”.

“Muitos países estão preparados para nos entregar tanques, estão motivados e apoiam-nos, mas estão à espera dos documentos relevantes dos países que têm o direito de autorizar (…) Estamos todos à espera do consentimento do país [fabricante] que detém os direitos sobre as respetivas licenças”
, afirmou o chefe de Estado ucraniano [a linha real aqui é que nenhum pais europeu quer ser o PRIMEIRO a entregar armas pesa das à Ucrânia, pelo medo de retaliação da Rússia].

A Alemanha, recorde-se, recusou até ao momento a autorizar a entrega à Ucrânia dos carros de combate Leopard de outros países da OTAN e afirmou que essa decisão apenas pode ser adotada “em coordenação” com os aliados, depois de já ter fornecido blindados do tipo Gepard (viatura alemãs de combate antiaéreo de alta tecnologia) e de se ter comprometido a enviar Marder (veículos de combate de infantaria da Alemanha, usados na Guerra Fria), enquanto na segunda-feira começou a levar baterias do sistema Patriot para a Polônia.

“Se têm [tanques] Leopard, forneçam-nos”, disse Zelensky à TV pública alemã, citado pela BBC. “Esses [equipamentos] não vão passar pela Rússia. Estamos a defender-nos. Podem continuar a falar sobre isso durante seis meses, mas todos os dias morrem pessoas no meu país”, alertou ainda.

Ministros da Defesa e representantes de dez países da OTAN exigiram o envio urgente de mais armamento pesado a Kiev, incluindo os tanques. O Reino Unido, por exemplo, já prometeu 14 tanques pesados Challenger 2 e 600 mísseis Brimstone.

É de salientar que a questão dos tanques Leopard 2 pesa sobre o novo ministro alemão da Defesa, Boris Pistorius, que tomou posse esta semana e reuniu-se na quinta-feira, pela primeira vez, com o seu homólogo norte-americano. Após o encontro, Boris Pistorius insistiu que não haveria “decisões unilaterais” do lado alemão.

A par do secretário da Defesa norte-americano, Lloyd Austin, do chefe do Estado-Maior dos EUA, o ‘acordado’ general Mark Milley, e do secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, o encontro contará com a presença do ministro da Defesa ucraniano, Oleksiy Reznikov, que irá apresentar as necessidades das forças armadas ucranianas e discutir o envio de mais armamento com os aliados capazes de assegurar o fornecimento. Também a ministra da Defesa Nacional, Helena Carreiras, participa na reunião.

Ajuda militar dos EUA

O Departamento de Defesa norte-americano informou, esta sexta-feira, que vai enviar para Kiev 59 carros de combate Bradley, 590 mísseis antitanque TOW e 295 mil munições de 25 milímetros. Washington vai ainda abastecer a Ucrânia com oito sistemas de defesa antiaérea Avenger, 350 veículos Humvee, 20 mil peças de artilharia de 155 milímetros e 90 blindados Stryker, sendo que 20 estão munidos de equipamento de desminagem.

O pacote de ajuda militar norte-americana também inclui mísseis HARM, ar-terra, que se utilizam para destruir sistemas de defesa antiaérea, dois mil foguetes de artilharia anti-blindado e três milhões de munições para armas ligeiras.

Os Estados Unidos já forneceram tanques de guerra Bradley para Ucrânia e continuarão a enviar equipamento militar para as forças de Kiev. Os Bradley são tanques de batalha com blindagem mais leve e um canhão menor, normalmente de 25 mm em comparação com os Abrams, de 120 mm, que os EUA consideram inapropriados para o conflito na Ucrânia.

O presidente ucraniano já agradeceu ao homólogo norte-americano, Joe Biden, o novo pacote de ajuda de 2,500 milhões de dólares frisando que se trata de um “apoio importante” para combater as forças russas.

“Obrigado Presidente dos Estados Unidos por proporcionar à Ucrânia outro potente pacote de apoio à defesa, no valor de 2,5 bilhões de dólares”
, escreveu Zelensky numa mensagem que divulgou através do Twitter.

Os blindados Stryker, Bradley e sistemas de defesa antiaérea Avenger “são uma ajuda importante na nossa luta contra o agressor”, acrescentou.

Obrigado @POTUS por fornecer outro poderoso pacote de suporte de defesa no valor de $ 2,5 bilhões. Stryker IFVs, Bradley APCs adicionais, sistemas de defesa aérea Avenger são uma ajuda importante em nossa luta contra o agressor. Obrigado pessoal pelo apoio inabalável da liderança!

A imprensa norte-americana já tinha avançado na quarta-feira que os Estados Unidos iam anunciar esta sexta-feira um novo grande pacote de assistência militar à Ucrânia, que incluirá artilharia, munições e veículos blindados Stryker.

Na quinta-feira, Zelensky já tinha adiantado que havia vários países europeus, incluindo Portugal, disponíveis para fornecer tanques de guerra ocidentais. O chefe de Estado ucraniano destacou ainda que têm sido tomadas “várias decisões poderosas” por parceiros para ajudar a defesa ucraniana.

Zelensky agradeceu, então, à Estônia pelo “maior pacote de ajuda militar” deste país até agora, para “obuses e munições”, e à Suécia pelo novo pacote militar para NLAW, Archers e IFVs. À Dinamarca pela decisão sobre os sistemas de artilharia móveis `Caesar`, que “fortalecerá significativamente” o Exército ucraniano, e à Lituânia pelo novo pacote militar para sistemas antiaéreos, munições e helicópteros.

A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro de 2022 pela Rússia na Ucrânia causou até agora a fuga de mais de 14 milhões de pessoas – 6,5 milhões de deslocados internos e quase oito milhões para países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).


Rússia: discussão de novos suprimentos a Kiev, incluindo em Ramstein, é provocação e sobe as tensões

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia expressou preocupação com as declarações de países ocidentais, que prometeram mais apoio militar e uma “escalada da guerra”.

As declarações de políticos ocidentais sobre o fornecimento de novas armas à Ucrânia são provocadoras e aumentam as tensões no conflito, disse Maria Zakharova, representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia.

“Hoje, 20 de janeiro, decorre na base militar dos EUA em Ramstein, na Alemanha, a oitava reunião do chamado grupo de contato sobre assistência de defesa à Ucrânia. Entre os principais tópicos estão as entregas de sistemas de defesa antiaérea e tanques para as Forças Armadas da Ucrânia”, explicou ela.

“Na véspera, Washington anunciou um novo pacote de armas no valor de US$ 2,5 bilhões [R$ 13,7 bilhões] para as Forças Armadas da Ucrânia. Anteriormente Antony Blinken, secretário de Estado dos EUA, falou a favor de fornecer à Ucrânia ‘tudo o que ela precisa para ter sucesso no campo de batalha’. A administração presidencial dos EUA foi ainda mais longe. Lá, de acordo com o [jornal The] New York Times, eles estão considerando a opção de fornecer a Kiev armas adicionais para um ataque à Crimeia”, apontou.

Zakharova também chamou a atenção para uma recente declaração de Ursula von der Leyen, chefe da Comissão Europeia, que pediu aos parceiros que dessem a Kiev quaisquer armas que fossem capazes de usar.”

Consideramos tudo isso como o Ocidente instigando uma provocação gritante, e uma escalada da guerra no conflito, o que inevitavelmente levará a mais vítimas e a uma perigosa escalada”, disse a representante oficial da chancelaria da Rússia.

A funcionária governamental também acusou os países ocidentais de não prestar atenção aos crimes cometidos pelas tropas ucranianas contra a população civil. “O ‘Ocidente coletivo’, enquanto expressa hipocritamente preocupação com as baixas em territórios sob o controle do regime de Kiev, continua demonstrando que não está preocupado com o destino das vítimas dos bombardeios das Forças Armadas da Ucrânia. Ainda não ouvimos nenhuma condenação de ataques regulares dos militares ucranianos contra áreas residenciais, escolas, hospitais, jardins de infância e outras instalações sociais, e o uso de minas antipessoais proibidas contra civis”, declarou Zakharova.

Ela acrescentou que o Ocidente “não se importa com o destino dos civis que foram submetidos a abusos, torturas, assassinatos extrajudiciais e assassinatos pelo regime de Kiev devido a suspeitas de deslealdade” e que “Kiev e seus mestres americanos e europeus não poupam nem a população da Ucrânia nem os militares ucranianos a quem estão dispostos a sacrificar para sua própria ganância e desejo avassalador de prejudicar a Rússia”.

Quanto a Kiev, garantiu a representante oficial, ela torna impossível a realização de negociações de paz. “Chamamos a atenção para uma série de declarações recentes de funcionários ucranianos sobre o tema das negociações com a Rússia. O porta-voz presidencial ucraniano [Sergei] Nikiforov observou que Kiev poderia ‘considerar muito seriamente as negociações com a Rússia se elas forem baseadas nos princípios universais do direito internacional’. Entre eles, ele mencionou quase todos os pontos da notória ‘fórmula de paz’ de [Vladimir] Zelensky, que contém exigências para responsabilizar e punir a Rússia.”

Ela observou que Aleksei Reznikov, ministro da Defesa ucraniano, foi “ainda mais longe em seus sonhos” ao “declarar arrogantemente que ele se ‘sentaria de bom grado à mesa de negociações em que serão discutidos os termos da capitulação da Rússia‘”.


E os dez chifres que viste são dez reis, que ainda não receberam o reino, mas receberão poder como reis por uma hora, juntamente com a BESTA. Estes têm um mesmo intento, e entregarão o seu poder e autoridade à besta. Estes combaterão contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; Vencerão os que estão com Ele, Chamados, e Eleitos, e Fiéis. E disse-me: As águas que viste, onde se assenta a prostituta [ROMA], são povos, e multidões, e nações, e línguas“. – Apocalipse 17:12-15

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é nabucodonoor-estatua-daniel.png

A estátua do sonho de Nabucodonosor, um símbolo daquilo que a humanidade construiria na Terra. Os dias de insanidade da atualidade estão contados, muito em breve, a “Grande Prostituta“, a cidade de Roma será varrida da face da Terra, dando início a derrota completa dos servidores das trevas e o fim de seus planos nefastos para o controle do planeta. Em 2023 o Brasil terá um papel decisivo na guerra entre a Luz e as trevas.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1

Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

0 resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *