Ruanda fecha fronteira após mortes por surto de Ebola atingirem cidade fronteiriça

Ruanda fechou a maior parte de sua fronteira com a República Democrática do Congo na quinta-feira (01/08) depois que várias pessoas morreram infectadas pelo vírus Ebola em meio ao segundo pior surto da história. Até agora, a doença já matou mais de 1.800 pessoas e deixou mais de 2.600 pessoas doentes. O mortal vírus Ebola: A primeira vez que o vírus Ebola surgiu foi em 1976, em surtos simultâneos em Nzara, no Sudão, e em Yambuku, na República Democrática do Congo, em uma região situada próximo do Rio Ebola, que dá o nome à doença. Há cinco espécies do vírus Ebola: Bundibugyo, Costa do Marfim, Reston, Sudão e Zaire, nomes dados a partir dos locais de seus locais de origem. Quatro dessas cinco cepas causaram a doença em humanos. Mesmo que o vírus Reston possa infectar humanos, nenhuma enfermidade ou morte foi relatada.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Ruanda fecha fronteira com a RDC após mortes por infecção pelo vírus Ebola atingirem cidade fronteiriça

Fonte:  https://www.zerohedge.com/

Ruanda fechou a maior parte de sua fronteira com a República Democrática do Congo na quinta-feira (01/08) depois que várias pessoas morreram infectadas pelo vírus Ebola em meio ao segundo pior surto da história. Até agora, a doença já matou mais de 1.800 pessoas e deixou mais de 2.600 pessoas doentes. 

Garoto que está com a temperatura controlada na cidade de Goma, um centro de trânsito na fronteira do Congo com Ruanda, que teve dois casos de morte por infecção do vírus Ebola confirmados até agora. CreditCreditPamela Tulizo / Agência France-Presse – Getty Images

A última vítima morreu poucos dias depois de seu caso ter sido confirmado por profissionais da área médica da cidade de Goma, da República Democrática do Congo que abriga mais de dois milhões de pessoas e de um aeroporto internacional, segundo autoridades do Congo. 

O Ministério da Saúde congolês disse que a filha de 1 ano de idade de um homem que morreu da doença na cidade fronteiriça de Goma foi por infecção pelo vírus Ebola. Um homem foi o segundo caso confirmado de Ebola em Goma, e ele morreu na quarta-feira depois de passar vários dias em casa com sua família enquanto apresentava os sintomas da doença. – NYT

Além das duas mortes, o caso da menina de 1 ano marca a primeira transmissão conhecida da doença na cidade. O primeiro caso confirmado em Goma foi um pregador de 46 anos que conseguiu passar infectado pelo vírus por  três postos  de controle a caminho de Butembo, segundo a  Fox News .

Nesta foto de domingo, 14 de julho de 2019, funcionários da Cruz Vermelha carregam os restos mortais de Muhindo Kakinire, de 16 meses, do necrotério para um caminhão, enquanto trabalhadores da área de saúde desinfetam a área em Beni, no Congo. A Organização Mundial de Saúde declarou o surto de Ebola como uma emergência internacional. (AP Photo / Jerome Delay) via Fox News

A Organização Mundial de Saúde, entretanto, recomendou restrições contra viagens – no entanto, considerando que o risco de propagação regional é agora “muito alto”. 

“Os desafios para parar a transmissão ainda são consideráveis. Mas nenhum é insuperável”, diz um comunicado da OMS na quarta – feira . ” E nada pode ser desculpa para não se fazer o trabalho. “

A passagem da fronteira foi fechada depois que mais casos foram relatados em Goma, leste da República Democrática do Congo (Reuters)

Segundo o governo congolês, houve uma “decisão unilateral das autoridades ruandesas” para fechar a fronteira em Goma, segundo a BBC . “As autoridades congolesas deploraram essa decisão, que vai contra o conselho da OMS”, continua o comunicado. 

Na semana passada, a Arábia Saudita parou de emitir vistos de entrada no pais para pessoas oriundas da RDC, citando o surto de Ebola, pouco antes da peregrinação anual da República Islâmica a cidade sagrada do islamismo, Meca, neste mês. 

A infecção pelo vírus Ebola, é uma doença que atinge seres humanos e outros mamíferos e que é provocada pelo ebolavírus. Os sintomas têm início duas a três semanas após contrair o vírus, manifestando-se inicialmente por febre, garganta inflamada, dores musculares e dores de cabeça. Estes sintomas são seguidos por vômitos, forte diarreia e exantema, a par de insuficiência hepática e renal. Nesta fase, a pessoa infectada pode começar a ter hemorragias, tanto internas como externas. Em caso de morte, esta geralmente ocorre entre 6 a 16 dias após o início dos sintomas e na maior parte dos casos deve-se à diminuição da pressão arterial resultante da perda de sangue.

Segundo o prefeito Gilbert Habayarimana, do distrito de Rubavu, na vizinha Ruanda Ocidental, a fronteira de Goma foi fechada “para evitar travessias desnecessárias”, acrescentando Estamos monitorando de perto a situação em Goma, a fronteira pode ser reaberta a qualquer momento, quando a situação melhorar”

As autoridades de saúde durante meses temiam que um caso de Ebola fosse confirmado na cidade. Poucos dias após o primeiro caso de Goma ter sido confirmado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o surto de Ebola em uma rara decretação de emergência global – o mais alto nível de alarme emitido pelo orgão. A organização usou esse nível de alarme internacional apenas quatro vezes em sua história, incluindo a epidemia de Ebola que tirou a vida de mais de 11 mil pessoas na África Ocidental entre 2014 e 2016.

Enquanto o alerta provocou uma onda de milhões de dólares em novas doações efetuadas por doadores internacionais, os profissionais de saúde dizem que uma nova abordagem é desesperadamente necessária para combater os mal-entendidos na comunidade que levam as pessoas com o ebola a não procurar ajuda médica. – Fox News

Vídeo: Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, falou no dia 15 de julho do primeiro caso do vírus Ebola na cidade de Goma, no Congo. (Reuters):

Os ruandeses que regularmente atravessam a fronteira em Goma também expressaram suas preocupações. “O fechamento da fronteira é terrível para mim. Meus sete filhos e eu temos algo para comer quando vou para Goma trabalhar . Sim, a doença provocada pela infecção do vírus Ebola é uma coisa terrível, mas viver é o que mais importa”, disse o construtor Ernest Mvuyekure, que trabalha na área da cidade vizinha. 

“Eu tenho mais medo da fome do que do vírus Ebola, eles não devem fechar a fronteira. Eu preferiria morrer de doença do que de fome“, ele acrescentou.



Image result for puppet gifA Matrix (o SISTEMA de CONTROLE MENTAL):   “A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando salvar. “Mas até que nós consigamos salvá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso os transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle Mental. E muitos deles estão tão habituados, tão desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você  para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …”


Leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

 

0 resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.326 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth