browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Supervulcão de Yellowstone está perto de entrar em erupção? 

Posted by on 11/01/2019

O supervulcão de Yellowstone estaria perto de entrar em erupção? Cientistas detectaram mais de 200 terremotos em apenas 10 dias depois de advertir que o magma abaixo da superfície está mostrando sinais de tensão. O último enxame começou em 8 de fevereiro em uma região a cerca de oito milhas a nordeste de West Yellowstone, Montana – e, aumentou drasticamente nos dias que se seguiram.

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@protonmail.ch

  • O último enxame começou em 8 de fevereiro, a cerca de 8 mieste do oeste de Yellowstone, Montana, nos EUA;
  • A partir de 18 de fevereiro, os cientistas dizem que detectaram mais de 200 terremotos;
  • Ainda assim, os especialistas dizem que a atividade é “relativamente fraca”, e o nível de alerta permanece normal.

Um novo enxame de terremotos surgiu no supervulcão de Yellowstone, com mais de 200 pequenos tremores detectados apenas nos últimos 10 dias.

De acordo com especialistas do US Geological Survey, o último enxame começou em 8 de fevereiro em uma região a cerca de oito milhas a nordeste de West Yellowstone, Montana – e, aumentou drasticamente nos dias que se seguiram.

À esquerda, é mostrado um mapa de terremotos de Yellowstone de 1973 a 2017, com círculos vermelhos que ilustram todos os terremotos. Azul mostra terremotos que faziam parte dos enxames. O enxame atual é mostrado à direita (círculos vermelhos), em comparação com a localização do enxame do último verão (cinza).

Mas, por enquanto, os cientistas dizem que não há motivo para se preocupar. Enquanto os terremotos provavelmente são causados ​​por uma combinação de processos sob a superfície, a atividade atual é “relativamente fraca”, e o nível de alerta no maior supervulcão do planeta permanece em “normal”.

De acordo com o serviço geológico dos EUA, o USGS, o novo enxame de terremotos está ocorrendo aproximadamente no mesmo local que o enxame Maple Creek no verão passado, que produziu cerca de 2.400 terremotos em um período de quatro meses.

As estações de sismografia da Universidade de Utah pegaram os primeiros terremotos há pouco mais de uma semana, contando mais de 200 em 18 de fevereiro. Mas, os especialistas dizem que provavelmente há muitos mais que não foram detectados.

O enxame presente começou em 8 de fevereiro, com alguns eventos ocorrendo diariamente”, de acordo com o USGS.

Yellowstone é o lar de várias falhas geológicas, e tem uma longa história de atividade sísmica. À medida que os processos naturais ocorrem sob a superfície e os “efeitos de estresse” dos eventos passados ​​continuam a manter a sua atuação, a área continua a ser um “viveiro de sismicidade e atividade de enxame” de terremotos, de acordo com o USGS.

“Em 15 de fevereiro, as taxas de sismicidade e as magnitudes aumentaram acentuadamente. A partir da noite de 18 de fevereiro, o maior terremoto no enxame foi de M 2.9º na escala de Richter, e nenhum dos eventos foi sentido. Todos estão ocorrendo a cerca de 8 km (5 milhas) abaixo da superfície”.   

Yellowstone é o lar de várias falhas geológicas, e tem uma longa história de atividade sísmica. À medida que os processos naturais ocorrem sob a superfície e os “efeitos de estresse” dos eventos passados ​​continuam a manter a sua atividade, a área continua a ser um “viveiro de sismicidade e atividade de enxame de sismos”, de acordo com o USGS.

“Os enxames refletem mudanças no estresse ao longo de pequenas falhas sob a superfície e geralmente são causados ​​por dois processos: forças tectônicas em larga escala e mudanças de pressão debaixo da superfície devido à acumulação e / ou retirada de fluidos (magma, água e / ou gás) “, explica USGS.

Este gráfico do USGS mostra como uma “super erupção” da lava derretida sob o Parque Nacional de Yellowstone espalharia as cinzas pelos Estados Unidos

“A área do enxame atual está sujeita a ambos os processos”. A atividade atual, no entanto, provavelmente não é motivo de preocupação. Como explicam os especialistas, os enxames de terremoto são um fenômeno comum em Yellowstone e representam mais de 50% da atividade sísmica no parque.


 “Haverá muitas mudanças dramáticas no clima do planeta, muitas mudanças nas condições meteorológicas  na medida em que o TEMPO DA GRANDE COLHEITA se aproxima RAPIDAMENTE ao longo dos próximos anos. Você vai ver a velocidade do vento em tempestades ultrapassando 300 milhas (480 quilômetros) por hora, às vezes.

Deverão acontecer fortes tsunamis e devastação generalizada NAS REGIÕES COSTEIRAS, e emissão de energia solar (CME-Ejeção de Massa Coronal do Sol)  que fará  importante fusão e derretimento das calotas de gelo nos polos, e subseqüente aumento drástico no nível do mar, deixando muitas áreas metropolitanas submersas em todo o planeta“. Saiba mais AQUI 


Muito mais informações, LEITURA ADICIONAL:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

phi-golden-ratiowww.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.