browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

“The Great Reset”: a linha do tempo da Agenda dos Oligarcas

Posted by on 17/05/2021

Digamos que estamos em 2014 e você é um oligarca psicopata multibilionário e já teve essa ideia de uma Grande Reinicialização tecnocrática da economia mundial há algum tempo, mas só funciona se o planeta inteiro for abalado por uma “grande crise”, como uma pandemia. Como você faz para vender sua ideia ? – “A pandemia representa uma rara mas estreita janela de oportunidade para refletir, reimaginar e redefinir nosso mundo para criar um futuro mais saudável, mais justo e mais próspero” – Klaus Schwab, WEF

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Como a grande ideologia e agenda da “Grande Reinicialização”  armou sua tenda no campo do ‘novo normal’

Fonte:  Global Research

Se você é o fundador do Fórum Econômico Mundial (WEF), Klaus Schwab, tenta vender sua visão de uma utopia global por meio de uma Grande Reinicialização da ordem mundial em três etapas simples:

  1. Anuncie sua intenção de renovar todos os aspectos da sociedade com governança global e continue repetindo essa mensagem,
  2. Quando sua mensagem não estiver chegando, simule cenários de pandemia falsos que mostram por que o mundo precisa de uma grande reinicialização,
  3. Se os falsos cenários de pandemia não forem persuasivos o suficiente, espere alguns meses até que uma verdadeira crise global [fabricada pela pandemia fake] ocorra e repita a etapa um

Schwab e a elite de Davos levaram cerca de seis anos para ver sua grande ideologia de redefinição crescer de uma minúscula semente suíça em 2014 para uma superflor europeia polinizando todo o globo em 2020.

A chamada “Grande Reinicialização”  promete construir “um mundo mais seguro, mais igual e mais estável” se todos no planeta concordarem em “agir conjuntamente e rapidamente para renovar todos os aspectos de nossas sociedades e economias, da educação aos contratos social e condições de trabalho”.

Mas não teria sido possível contemplar a materialização de um plano tão abrangente para uma nova ordem mundial sem uma crise global, seja ela fabricada ou por acaso infeliz, que chocou a sociedade em seu âmago.

“No final, o resultado foi trágico: a pandemia mais catastrófica da história, com centenas de milhões de mortes, colapso econômico e convulsão social” – Simulação de pandemia Clade X (maio de 2018)

Então, em maio de 2018, o WEF fez uma parceria com a Johns Hopkins University para simular uma pandemia fictícia – apelidada de “ Clade X ” – para ver o quão preparado o mundo estará caso venha a enfrentar tal crise.

Pouco mais de um ano depois, o WEF mais uma vez se uniu à Johns Hopkins, junto com a Fundação Bill & Melinda Gates, para encenar outro exercício pandêmico chamado Evento 201 em outubro de 2019. Ambas as simulações concluíram que o mundo não estava preparado para uma pandemia global.

E poucos meses após a conclusão do Evento 201, que simulava especificamente um surto de coronavírus, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou oficialmente que o coronavírus havia atingido o status de pandemia em 11 de março de 2020 .

“A próxima pandemia severa não só causará grande doença e perda de vidas, mas também pode desencadear grandes consequências econômicas e sociais em cascata que podem contribuir enormemente para o impacto e sofrimento globais” – Simulação de pandemia do evento 201 (em outubro de 2019, [quando o “vírus já havia sido liberado na China])

Se permitirmos os oligarcas multibilionários tomarão o controle de nossa existência

Desde então, quase todos os cenários cobertos nas simulações do Clade X e do Evento 201 entraram em jogo, incluindo:

  • Governos implementando bloqueios em todo o mundo
  • O colapso de muitas indústrias
  • Colapso de pequenos e médios negócios, como bares, restaurantes, salões de beleza, etc.
  • Crescente desconfiança entre governos e cidadãos
  • Desenvolvimento e uso de “vacinas” experimentais [Big Pharma] para toda a população, com graves efeitos colaterais
  • Uma maior adoção de tecnologias de vigilância biométrica
  • Censura da mídia social [Big Tech] em nome do combate à desinformação
  • O desejo de inundar os canais de comunicação com fontes “autorizadas”
  • Uma falta global de equipamentos de proteção individual
  • O colapso das cadeias de abastecimento internacionais
  • Desemprego em massa
  • Tumultos nas ruas
  • E muito mais!

Depois que os cenários de pesadelo se materializaram totalmente em meados de 2020, o fundador do WEF declarou “agora é o momento para uma “Grande Reinicialização” em junho deste ano [2021].

Foi uma “excelente previsão”, planejamento e modelagem por parte do WEF e seus parceiros que o Clade X e o Evento 201 se tornaram tão proféticos, ou houve algo mais… tipo a criação de uma pandemia fake ?

Linha do tempo

Abaixo está uma linha do tempo condensada de eventos que rastreia a agenda da Grande Redefinição que passou de apenas uma “esperança” em 2014 a uma ideologia globalista promovida pela realeza , pela mídia e por chefes de estado em todo o mundo em 2020.

2014-2017: Klaus Schwab pede por um “Great Reset” e o seu WEF repete mensagem

Antes da reunião do WEF de 2014 em Davos, Suíça, Schwab anunciou que esperava que o WEF apertasse o botão de reset na economia global.

O WEF continuaria repetindo essa mensagem por anos.

Entre 2014 e 2017 , o WEF pediu para reformular, reiniciar e redefinir a ordem global a cada ano, cada um com o objetivo de resolver várias “crises”.

  • 2016: WEF realiza painel denominado “ Como reinicializar a economia global ”.
  • 2017: O WEF publica um artigo dizendo “ Nosso mundo precisa de uma redefinição em como operamos ”.

Então, em 2018 , as elites de oligarcas psicopatas frequentadores de Davos voltaram suas cabeças para simular cenários de pandemia falsos para ver o quão preparado o mundo estaria em face de uma crise diferente.

2018-2019: WEF, Johns Hopkins & Gates Foundation simulam pandemias falsas

Em 15 de maio de 2018 , o Johns Hopkins Center for Health Security sediou o exercício de pandemia “Clade X” em parceria com o WEF.

O exercício do Clade X incluiu imagens de vídeo simuladas de atores dando reportagens escritas sobre um cenário de pandemia falso (vídeo abaixo).

O evento do Clade X também incluiu painéis de discussão com formuladores de políticas reais que avaliaram que os governos e a indústria não estavam adequadamente preparados para a pandemia global fictícia.

“No final, o resultado foi trágico: a pandemia catastrófica mais na história, com centenas de milhões de mortes, colapso econômico e convulsão social”de acordo com um relatório do FEM em Clade X .

“Existem grandes vulnerabilidades globais não atendidas e desafios do sistema internacional apresentados por pandemias que exigirão novas formas robustas de cooperação público-privada para resolver” – Simulação de pandemia do Evento 201 (outubro de 2019)

Então, em 18 de outubro de 2019 , em parceria com a Johns Hopkins University e a Fundação Bill e Melinda Gates, o WEF realizou o Evento 201.

Durante o cenário, toda a economia global foi abalada, houve tumultos nas ruas e medidas de vigilância de alta tecnologia foram necessárias para “impedir a propagação”.

Duas pandemias falsas foram simuladas nos dois anos que antecederam a chegada da “verdadeira” crise do coronavírus.

“Os governos precisarão fazer parceria com empresas de mídia [Big Tech] social e tradicionais [pre$$titute$] para pesquisar e desenvolver abordagens ágeis para combater “a desinformação”  –  Simulação de pandemia do evento 201 (outubro de 2019)

O Centro Johns Hopkins para Segurança de Saúde  emitiu uma declaração pública em 24 de janeiro de 2020, abordando explicitamente que o Evento 201 não foi feito para “prever o futuro”.

“Para ser claro, o Center for Health Security e os seus parceiros não fizeram uma previsão durante o nosso exercício de mesa. Para o cenário, modelamos uma pandemia fictícia de coronavírus, mas declaramos explicitamente que não era uma previsão. Em vez disso, o exercício serviu para destacar os desafios de preparação e resposta que provavelmente surgiriam em uma pandemia muito grave”. 

Intencional ou não, o Evento 201 “destacou” os desafios “fictícios” de uma pandemia, junto com recomendações que vão de mãos dadas com a grande agenda de redefinição que montou acampamento no nefasto “novo normal”.

“A próxima pandemia severa não só causará grande doença e perda de vidas, mas também pode desencadear grandes consequências econômicas e sociais em cascata que podem contribuir enormemente para o impacto e sofrimento globais” – Simulação de pandemia do evento 201 (outubro de 2019)

Juntos, o Centro Johns Hopkins para Segurança Sanitária, o Fórum Econômico Mundial e a Fundação Bill & Melinda Gates enviaram sete recomendações para governos, organizações internacionais e empresas globais seguirem no caso de uma pandemia.

As recomendações do Evento 201 apelam a uma maior colaboração entre os setores público e privado, ao mesmo tempo que enfatizam a importância de estabelecer parcerias com instituições globais não eleitas, como a OMS, o Banco Mundial, o Fundo Monetário Internacional e a Organização de Transporte Aéreo Internacional [IATA], para realizar uma resposta centralizada.

Uma das recomendações pede que os governos façam parcerias com empresas de mídia social e organizações de notícias para censurar o conteúdo e controlar o fluxo de informações.

“As empresas de mídia devem se comprometer a garantir que as mensagens oficiais sejam priorizadas e que as mensagens falsas sejam suprimidas, incluindo embora [sic] o uso de tecnologia” – Simulação de pandemia do evento 201 (outubro de 2019)

De acordo com o relatório, “os governos precisarão fazer parceria com empresas tradicionais e de mídia social para pesquisar e desenvolver abordagens ágeis para combater a desinformação”.

“As agências nacionais de saúde pública devem trabalhar em estreita colaboração com a OMS para criar a capacidade de desenvolver e divulgar rapidamente mensagens de saúde consistentes”.

“Por sua vez, as empresas de mídia devem se comprometer a garantir que as mensagens oficiais sejam priorizadas e que as mensagens falsas sejam suprimidas, incluindo embora [sic] o uso de tecnologia.”

Soa familiar o bastante para voce ?

Ao longo de 2020, Twitter, Facebook, YouTube, et caterva têm sistematicamente censurado, suprimido, cancelado e sinalizado qualquer informação relacionada ao coronavírus que vai contra as recomendações da OMS e da agenda oficial dos governos por uma questão de política, assim como o Evento 201 havia recomendado.

As grandes empresas de tecnologia também implementaram as mesmas táticas de supressão de conteúdo durante a eleição presidencial de 2020 nos Estados Unidos – lançando declarações “disputadas” sobre conteúdo que questiona a integridade eleitoral.

2020: WEF declara ‘Agora é a hora para uma Grande Reinicialização’

Depois de pedir uma grande reinicialização em 2014, a multidão de psicopatas de Davos repetiu a mesma ideologia por mais alguns anos antes de girar para a simulação de cenários de pandemia falsos.

Poucos meses depois que o WEF estabeleceu que ninguém estava preparado para lidar com uma pandemia de coronavírus, a OMS declarou que havia uma pandemia de coronavírus.

De repente! a grande narrativa de redefinição que o WEF vinha nutrindo por seis anos, encontrou um lugar para armar sua tenda no campo “novo normal”.

“A pandemia representa uma rara mas estreita janela de oportunidade para refletir, reimaginar e redefinir nosso mundo para criar um futuro mais saudável, justo e próspero”, declarou Schwab em 3 de junho de 2020.

E é onde estamos hoje.

  • As elites de Davos disseram que queriam uma reinicialização global da economia há muitos anos,
  • Eles encenaram o que aconteceria se uma pandemia ocorresse,
  • E agora eles estão dizendo que a grande agenda de redefinição é a solução para a pandemia e deve ser implementada rapidamente.

A Grande reinicialização [The Great Reset] é um meio para atingir um fim.

O próximo item da agenda é uma reforma completa da sociedade sob um regime tecnocrático de burocratas, oligarcas, psicopatas, Big Tech, Big Pharma, não eleitos que querem ditar como o mundo é governado de cima para baixo, aproveitando tecnologias invasivas para rastrear e vigiar cada movimento seu enquanto censura e silencia quem ousa não cumprir com a sua agenda totalitária de governo.


Nota para os leitores: por favor, clique nos botões de compartilhamento acima ou abaixo. Siga-nos no Instagram, @crg_globalresearch. Encaminhe este artigo para suas listas de e-mail. Postagem cruzada em seu blog, fóruns na Internet. etc.

Tim Hinchliffe é o editor de The Sociable. Suas paixões incluem escrever sobre como a tecnologia impacta a sociedade e os paralelos entre Inteligência Artificial e Mitologia.  Anteriormente, ele foi repórter do Ghanaian Chronicle na África Ocidental e editor do Colombia Reports na América do Sul. tim@sociable.co (A imagem em destaque é do The Sociable)


Nosso trabalho no Blog é anônimo e não visa lucro, no entanto temos despesas fixas para mantê-lo funcionando e assim continuar a disseminar informação alternativa de fontes confiáveis. Desde modo solicitamos a colaboração mais efetiva de nossos leitores que possam contribuir com doação de qualquer valor ao mesmo tempo que agradecemos a todos que já contribuíram, pois sua ajuda manteve o blog ativo. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal AGENCIA: 1803 – CONTA: 00001756-6 – TIPO: 013 [poupança] e pelo PIX 211.365.990-53 (Caixa).


“O futuro será encontrar uma forma de reduzir a população … Claro, não seremos capazes de executar pessoas ou construir acampamentos [campos de concentração]. Livramo-nos deles fazendo-os acreditar que é para o seu próprio bem … Vamos encontrar ou causar alguma coisa, uma pandemia que atingirá certas pessoas, uma crise econômica real ou não, um vírus que afeta os idosos, tanto faz, os fracos e os medrosos sucumbirão a ela.O estúpido vai acreditar nisso e pedir para ser tratado.  Teremos cuidado de ter planejado o tratamento, um tratamento que será a solução.A seleção dos idiotas [para abate], portanto, será feita por si mesmos: eles irão para o matadouro sozinhos”.  – Excerto de livro de 1981 de Jacques Attalli [Membro do Grupo Bilderberger, num exemplo de mentalidade dos psicopatas da Elite]


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

One Response to “The Great Reset”: a linha do tempo da Agenda dos Oligarcas

  1. Thomas Tschoepke

    A pergunta é ‘por que’ os sociopatas estão fazendo isso tudo…
    Minha teoria:
    Eles tentaram abandonar a Terra mas foram impedidos e assim realizaram que estão presos aqui com bilhões de “insetos” (nós…). Então eles precisam tomar o controle de tudo porque se os insetos ficaram com muita fome…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.