Washington (Deep State) entra em Guerra contra o Twitter e a Liberdade de Expressão

Abaixo está minha coluna desta semana sobre a campanha para coagir Elon Musk a restaurar o sistema de censura no Twitter. A campanha contra o Twitter agora envolve todas as forças aliadas do movimento antiliberdade de expressão: [DES]governo, grandes corporações, políticos democratas, as pre$$tituta$ da mídia e, é claro, as celebridades. No entanto, é uma aliança que provou ser esmagadora no passado, mas essa força imparável encontrou um pesado muro em Musk. 

Washington (Deep State) entra em Guerra contra o Twitter e a Liberdade de Expressão

Fontes: Jonathan Turley

É uma guerra total na propaganda e controle mental das massas, mas Musk ainda não utilizou totalmente sua maior arma: a liberdade de expressão e os arquivos do Twitter sobre censura.

Aqui está a coluna:

Washington esta semana está em plena guerra. Não, não é sobre a invasão russa da Ucrânia ou mísseis norte-coreanos ou mesmo o expansionismo chinês . É sobre o Twitter e a ameaça de Elon Musk de restaurar as proteções à liberdade de expressão nas mídias sociais.

A ex-secretária de Estado [a satanista] Hillary Clinton  emergiu como o general belicista reunindo outros para a campanha de pressão “censurar ou morrer” contra o Twitter.

O problema é que os cidadãos estão migrando para o Twitter e se inscrevendo em números recordes.  Eles querem mais, não menos, liberdade de expressão. As mais de dois milhões de novas inscrições por dia representam um aumento de 66% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados divulgados por Musk.

Uma repórter pre$$tituta esta semana ficou tão alarmada que perguntou à  secretária de imprensa da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, sobre a preocupação de que milhões ainda estejam se inscrevendo no Twitter e exigiu saber quem está “de olho nisso” para uma possível ação federal.

Incapaz de convencer os usuários a abraçar a censura, Clinton et caterva estão pressionando corporações e governos estrangeiros a impedir Musk de restaurar a liberdade de expressão no Twitter. Como os usuários estão adotando o novo Twitter em massa, a campanha tem como foco impedir que eles se cadastrem removendo o aplicativo das lojas da Apple e do Google. Enquanto isso, a  Apple está se juntando ao boicote , retendo a receita de publicidade do Twitter para coagir Musk a reverter sua promessa de liberdade de expressão.

Musk, no entanto, está sentado na arma definitiva para acabar com esta guerra: a própria liberdade de expressão. No entanto, exigirá mais do que recriminações retóricas, como Musk perguntando por que os executivos da Apple “odeiam a liberdade de expressão na América?”

O fato é que essas figuras da mídia e da política estão ficando cada vez mais alarmadas à medida que Musk ameaça divulgar arquivos sobre a censura anterior de histórias como o laptop de Hunter Biden.

Musk tem motivos para se perguntar por que  o CEO da Apple, Tim Cook , se juntaria a essa campanha anti-liberdade de expressão. A razão é tão óbvia quanto covarde. Esses boicotes não são sobre corporações ou acionistas. Se alguma coisa, eles são mais propensos a diminuir os lucros. É sobre os próprios executivos. Muitos são aliados de figuras como Clinton. Outros estão cedendo a essas exigências para evitar serem atacados ou rotulados pela esquerda.

Cook está apostando que, enquanto o público quer mais liberdade de expressão, o suficiente também vai querer os relógios da Apple. Além disso, a Apple adquiriu o poder de mercado de um verdadeiro monopólio. Ela não tem um concorrente sério e, como mostrado em ataques a sites como o Parler, pode literalmente estrangular a vida de produtos concorrentes ou desfavorecidos.

A Apple praticamente parou de anunciar no Twitter. Eles odeiam a liberdade de expressão na América?

A verdadeira questão é por que o establishment político, empresarial e as pre$$tituta$ da mídia estão intensificando esta campanha. A resposta é PODER e CONTROLE. Com o presidente marionete senil [‘Dementia’ Joe] Biden e os senadores democratas apoiando as investigações, a mensagem não poderia ser mais clara: prossiga por sua própria conta e risco. Essa mensagem foi trazida para casa por Sam Stein, do Politico, quando alertou Musk de que é “[sempre] arriscado atacar membros do congresso e o establishment que os controla. Especialmente arriscado com os democratas garantidos no poder do Senado”.

Durante anos, os políticos democratas e seus aliados exerceram um enorme controle sobre o discurso político por meio de aliados na mídia pre$$tituta$ e nas redes sociais.

O problema é que a censura só funciona se for completa. Se houver fontes alternativas de informação, a liberdade de expressão é como a água. . . encontra uma saída para os que tem sede. É por isso que os membros democratas pressionaram as operadoras de TV a cabo a abandonar a Fox News, a rede de notícias a cabo mais popular da televisão. (Para constar, apareço como analista jurídico da Fox News). Ter uma câmara de eco em todos os outros canais de notícias significa pouco se visões ou histórias alternativas estiverem a apenas um clique de distância.

O mesmo vale para a mídia impressa. Com o Wall Street Journal, o New York Post e alguns outros jornais, o esforço para matar histórias como o  laptop de Hunter Biden não poderia ser totalmente bem-sucedido. A verdade encontrou uma saída e agora os mesmos veículos que divulgaram a falsa alegação de “desinformação russa” estão admitindo que o laptop é autêntico.

A ameaça é ainda maior nas redes sociais, área de maior sucesso para quem busca controlar o discurso político. Se Musk cumprir sua promessa, o público terá uma  alternativa de liberdade de expressão  e que já está falando alto ao se inscrever na empresa em números recordes. Apesar de uma campanha publicitária assustadora no Facebook para convencer o público a abraçar a censura, ela não funcionou.

O público não está comprando mais as mentiras. Eles estão comprando Twitter grátis.

Portanto, a única maneira de recuperar o controle é impedir que as pessoas obtenham o aplicativo ou ameacem forçar o Twitter à insolvência. O problema é Musk, um bilionário excêntrico que não é fácil de intimidar.

Musk agora se opõe a uma enorme aliança de governos, corporações, pre$$tituta$, celebridades e políticos, todos corruptos. Ele tem apenas o público interessado pela verdade e a liberdade de expressão ao seu lado.

Ele precisa usar os dois.

Musk não pode permanecer na defesa e apenas receber golpes políticos e econômicos. A campanha está crescendo porque o risco está crescendo para esses vários interesses escusos.

A maneira de acabar com isso é simples: liberar tudo relacionado à massiva operação de censura da empresa. Este é um esforço para forçar Musk não apenas a retomar a censura, mas também a proteger os censores. Então, abra os arquivos. 

Permita que o público veja não apenas comunicações sobre censura ( incluindo assuntos além de Hunter Biden ), mas como o Twitter pode ter usado verificação, limitação, algoritmos ou outros métodos para controlar a narrativa e impor uma agenda. A empresa não precisa liberar códigos ou informações potencialmente prejudiciais para revelar as comunicações, deliberações e escolhas de direcionamento do canal de apoio.

Ao adotar a transparência total, Musk pode forçar a Apple e outras empresas a enfrentar a dura realidade da censura. A aliança anti-liberdade de expressão declarou guerra total ao Twitter. É hora de o Twitter entrar nessa luta e perceber que a liberdade de expressão não é apenas seu princípio orientador, mas sua maior arma.

Quando Musk ameaçou restaurar as proteções à liberdade de expressão, Hillary Clinton e outros foram a público para “Chorar, gritar ‘devastação!’ e liberar os cães de guerra.”

Que assim seja.

A compra de Musk do Twitter forçou as pessoas a escolherem lados nessa luta pela liberdade de expressão e a verdade. No entanto, Musk pode deixar os cachorros em casa e apenas revelar a verdade.


O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é fim-dominio-eua-otan-nabucodonosor-fim-roma.jpg

“Quando é chegada a tarde, dizeis: Haverá bom tempo, porque o céu está rubro. E, pela manhã: Hoje haverá tempestade, porque o céu está de um vermelho sombrio. Hipócritas, sabeis discernir a face do céu, e não reconheceis os sinais dos tempos? Uma geração má e adúltera pede um sinal, e nenhum sinal lhe será dado . . .” – Mateus 16:2-4


Artigos Relacionados:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.325 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth