browser icon
You are using an insecure version of your web browser. Please update your browser!
Using an outdated browser makes your computer unsafe. For a safer, faster, more enjoyable user experience, please update your browser today or try a newer browser.

A Ameaça Alienígena – Parte 5 (sinistro)

Posted by on 11/11/2016

etseufosA Ameaça Alienígena, um relatório Secreto dos Objetivos e os planos dos Alienígenas. Livro de David M. Jacobs.

Os abduzidos pintaram um quadro bastante claro de como os alienígenas se comportam. Eles se apresentam aos abduzidos de uma forma muito profissional – uma sociedade cooperativa operando como uma fábrica eficiente.

Mas os alienígenas também têm sido muito reticentes com relação à sua “vida pessoal” e à sociedade em que vivem. Entretanto, através dos anos eles têm deixado “vazar” algumas informações e gradativamente começou a se delinear um retrato de sua vida e de sua sociedade.

Edição e imagens: Thoth3126@protonmail.ch

A Ameaça Alienígena – Relatório Secreto, Objetivo e os planos dos Alienígenas. Livro de David M. Jacobs.

Capítulo V – O que eles são?

De onde eles vêm?

Os alienígenas vêm do espaço sideral, de outra dimensão, ou de um universo paralelo? No começo os pesquisadores acreditavam que o espaço sideral era a explicação mais lógica: os alienígenas voaram para aqui vindo de Marte, Vênus ou algum outro local no nosso sistema solar. Mas, à medida que os cientistas aprendiam mais sobre o nosso sistema solar, parecia certo que a Terra era aqui o único planeta com vida inteligente. Assim sendo, os pesquisadores concluíram que os alienígenas deveriam vir de outros sistemas solares.

Mas mesmo o mais perto deles (n.T. Sistema solar triplo de Alpha Centauro*, distante cerca de 4,2 anos luz) está a anos luz de distância e voar até aqui seria uma tarefa inglória, mesmo à velocidade da luz. O problema de como os óvnis podem chegar à Terra tem sido uma “barreira” intelectual para muitos pesquisadores, e os cientistas desenvolveram várias teorias através dos anos para superar esses obstáculos. O astrônomo e pesquisador de óvnis J. Allen Hynek postulou que os óvnis vêm de algum outro lugar através de um “plano astral”. De alguma forma, “eles desejam” estar aqui como se viajassem através de padrões de pensamento.

{(*) Alpha Centauri (α Centauri, α Cen), também e conhecida como Rigel CentaurusRigil KentaurusRigil Kent, ou Toliman, é a estrela mais brilhante da constelação de Centauro, sendo a terceira mais brilhante do céu, vista a olho nu.

Assinalada na foto pela seta branca, o sistema solar triplo de Alpha Centauro. Ao seu lado, mais à direita, a Constelação do Cruzeiro do Sul.

Esta estrela é, na verdade, um sistema triplo, no qual Alpha Centauri A e Alpha Centauri B giram em torno de um centro comum, gastando quase 80 anos para completar uma órbita, já Alpha Centauri C, também chamada de Proxima Centauri, demora mais de um milhão de anos para completar uma órbita em torno das componentes principais e é a estrela mais próxima do Sol, a 4,2 anos-luz; enquanto que o sistema Alpha Centauri AB está um pouco mais distante, a 4,4 anos-luz.}

O pesquisador de óvnis Jacques Vallee e outros têm sugerido que os óvnis vêm de uma realidade alternativa que a humanidade de alguma forma chama de consciência; essa realidade alternativa que se presume existir ao lado da nossa. Outros pesquisadores têm formulado a hipótese de que os alienígenas “saltam” para fora de universo paralelo, que pode ser feito de antimatéria ou outra substância. O dilema intelectual – como conciliar viagens espaciais com o  conhecimento científico corrente – tem sido o assunto-chave que impediu a comunidade de astrônomos de explorar seriamente o fenômeno óvni.

Entretanto, este dilema intelectual é um problema espúrio. Em vez de perguntar de onde são os alienígenas e como chegaram aqui, é mais apropriado perguntar:

  • As pessoas estão realmente vendo os objetos anômalos artificialmente construídos e inteligentemente controlados que estão relatando?
  • As pessoas estão tendo realmente as experiências e a abdução que descrevem?

questão não é como os alienígenas chegaram aqui, mas se eles estão aqui e POR QUE?. Este “como” é finalmente apenas um detalhe técnico. É claro que os abduzidos perguntaram aos alienígenas de onde eles vêm. E as respostas indicam que eles são verdadeiramente de outros planetas, de algum lugar do universo conhecido. Como existem bilhões de estrelas e portanto bilhões de planetas possíveis, (somente em nossa Galáxia, que é apenas uma entre infinitas possibilidades) essa explicação parece razoável e o testemunho dos abduzidos parece corroborá-la. 

Quando os abduzidos perguntam aos alienígenas sobre a sua “casa’, eles às vezes apontam para o céu; eles não falam sobre universos paralelos, viagens no tempo, dimensões ou outras “locações” exóticas. Em um dado momento, Michele Peters, uma mulher com dois filhos que mora em New Jersey, teve uma conversa com um alienígena híbrido adulto:

  • Eu perguntei de onde eles vinham e ele me disse que vinha do norte. Eu me sentei e olhei para ele… Ele apontou para as estrelas, e disse: “… é mais ou menos lá em cima, mas você não pode ver. Com um telescópio dá para ver estrelas ao redor; três pequenas estrelas e um planeta; então, há um grupo e é isso. É parecido com uma hélice.” Primeiro há três estrelas pequenas, depois o planeta, depois um grupo. E depois o planeta deles. É realmente muito longe!

Kathleen Morrison viu-se com um híbrido adulto olhando para o espaço de uma janela. O híbrido explicou-lhe que a viagem através das estrelas era realizada em etapas. 

  • Ele está apontando para uma constelação de outras coisas e de estrelas. Não somente a constelação como nós as conhecemos, mas para pontos lá bem mais longe. Parece que há uma ligação entre os sistemas estelares que estão tão longe no espaço entre si. Eu não sei. Tudo o que penso disso é que se você estiver atravessando um rio existem pedras e você pula de uma pedra para a próxima e dali para a próxima pedra, e esta é a melhor analogia que eu posso imaginar. Mas foi assim que ele apontou para fora, como se fossem pedras onde ele pisaria.

Outros abduzidos têm descrito terem estado no espaço e olhado para a Terra embaixo. O seu óvni entrou em outro universo. Muitos abduzidos relatam ter estado num lugar com a aparência de um deserto. Apesar de o sentido desse cenário não ser claro, a indicação é de que tal terreno pode ser o ambiente da pátria dos alienígenas (n.T. O planeta SERPO, de seres Greys). Suzan Steiner se lembra de um incidente quando estava num desses ambientes, caminhando sobre a areia.

  • O céu é como se fosse avermelhado. Existe alguma coisa que parecem nuvens, mas é um tipo de nuvem suspensa no ar, muito baixa, não são como cúmulos vindos das nuvens. São nuvens que parecem feitas de penas. E são como se tivessem várias cores, como se fossem multicoloridas, elas estão penduradas no ar quase como se fossem nuvens de algodão-doce ou cabelo de anjo. Parece cabelo de anjo pendurado no ar. De certo modo. parece que estão por toda parte. Parece que lá há três sóis no céu. Um deles tem uma coisa pequena que parece… não sei como se chama, mas parece que está rodando em torno de um dos sóis. Os outros dois não têm isso. Os outros dois são simples. Nós começamos andando neste lugar e então…
  • Você estava andando sobre a areia?
  • Certo. Mas é como areia dura. Não é como areia da praia, é mais dura do que isso. Mas definitivamente trata-se de areia, mas não como a areia da praia. Então, nós estamos andando e ele segura a minha mão, ele toma a minha mão e parece que estamos subindo uma escada de degraus, mas não há degraus. Nós simplesmente estamos flutuando e flutuamos na direção deste edifício, com aquelas portas enormes de vidro. 

Ela flutuou até o edifício onde dois seres altos, vestidos com robes, a encontraram. Ela continuou e passou pelos procedimentos normais dos alienígenas. Não sabemos ainda de onde os alienígenas vêm e como eles chegam aqui; mas um quadro está surgindo, sempre dos relatos de abduzidos, do que é a vida dos alienígenas nas naves espaciais que parecem tê-los transportado.

O Organograma

Os alienígenas parecem ter uma cadeia de comando bastante delineada, com funções claramente definidas a bordo de sua nave. No meu livro A vida secreta, ressaltei que os alienígenas cinzentos mais baixos agem como assistentes dos cinzentos mais altos. Os alienígenas mais baixos trazem as abduzidas para o óvni, tiram suas roupas, acompanham-nas aos quartos de “exames”, e até realizam certos procedimentos não especializados. Os alienígenas mais baixos raramente têm conversas mais longas, e o que eles comunicam é limitado geralmente a paliativos e palavas de calma às abduzidas assustadas.

Os pesquisadores agora sabem que o alienígena a quem as abduzidas às vezes chamam de “doutor” ou “especialista” freqüentemente aparece na abdução depois que os alienígenas mais baixos já realizaram o exame médico da abduzida. Por ser mais alto, ele conduz os procedimentos mais complicados. Ele faz a coleta de esperma e retira os óvulos. Implanta embriões nas abduzidas e alguns meses mais tarde extrai os fetos. Conduz procedimentos de varredura mental nos quais pode extrair memória ou informação do abduzido e pode também induzir excitação sexual e orgasmo. Ele desempenha os procedimentos de visualização, durante os quais pode fazer com que o abduzido reviva eventos de sua vida, ou pode criar novos “eventos” para que o abduzido os experimente.

Os alienígenas mais altos aparentemente têm mais personalidade que os mais baixos. Eles podem estabelecer um diálogo com o abduzido, mas permanecem reticentes sobre os objetivos da abdução e os procedimentos específicos. Há indícios de maior diferenciação de tarefas – de acordo com o sexo. Não vi nenhum relato de seres menores fêmeas; todas as fêmeas parecem ser da variedade mais alta. As alienígenas do sexo feminino desempenham as tarefas especializadas, incluindo procedimentos e exames ginecológicos, urológicos e visualização; ocasionalmente, realizam varredura mental e procedimentos de olhar nos olhos fixamente.

maior distinção é que os alienígenas fêmeas cuidam dos descendentes híbridos. Eles trazem os bebês para o importante relacionamento que devem ter com as abduzidas. E também supervisionam e dirigem as atividades dos híbridos crianças e adolescentes. Essa diferenciação de tarefas pode ser entendida como o resultado da percepção cultural das abduzidas, mas a descrição dos alienígenas fêmeas milita contra isso. As fêmeas não têm nenhum atributo físico do seu sexo, como seria de esperar na concepção cultural do ser humano que relata tais descrições. Elas não têm seios ou qualquer das características sexuais secundárias que sejam observadas pelas abduzidas.

Em vez disso, as abduzidas dizem que as alienígenas fêmeas parecem ser “mais bondosas”, “mais gentis”, “mais graciosas” ou “femininas” de uma forma pouco definida. Apesar da inconsistência de sua descrição, as abduzidas têm absoluta certeza de que esses alienígenas são fêmeas. Em minha pesquisa inicial, enfoquei os seres cinzentos porque essa é a forma predominante de vida que os abduzidos vêem. Entretanto, agora é importante notar que os abduzidos também relatam outros subgrupos. Às vezes eles relatam seres pequenos com uma cor diferente de pele – bronzeada ou branca são as mais freqüentes.

Eles também descrevem características faciais variáveis, tanto nos seres altos quanto nos seres mais baixos. De longe a diferenciação mais proeminente é na aparência geral. Existem os cinzentos comuns, mas também há os “nórdicos”, com forma de répteis, com forma de “insetos”, ou seres altos vestindo robes ou aventais, sempre seres altos. Como a maioria dos alienígenas são pequenos e cinzentos, durante anos eu pensei que os nórdicos eram exemplos de fabulação ou o desejo de transformar os alienígenas feios em humanos bonitos, louros e de olhos azuis. Depois de ouvir muitos relatos sobre esses alienígenas com aparência mais humana, concluí que as provas sugerem claramente que os nórdicos são mais provavelmente híbridos adultos, ou produto de cruzamento de humanos com alienígenas.

Os híbridos são crucialmente importantes e descreverei os seus papéis mais tarde. Os relatos de formas de “répteis” ou “insetos” podem ser simplesmente uma questão de escolha de palavras, e alguns abduzidos aplicam esses termos descritivos aos alienígenas a quem outros abduzidos podem descrever como cinzentos “comuns”. Assumindo, entretanto, que os seres em forma de répteis e insetos são realmente tipos diferentes, é de notar que os abduzidos quase sempre os vêem como alienígenas cinzentos, nunca sozinhos, e que as tarefas que desempenham são sempre tarefas que estão dentro da matriz normal dos alienígenas. Eles geralmente realizam as funções mais especializadas do alienígena mais alto. As abduzidas freqüentemente expressam repulsa ou medo desses alienígenas, às vezes caracterizando-os como “mesquinhos” ou “maus”, embora elas não apresentem os motivos dessas opiniões.

Embora não tenhamos ainda delineados os papéis dos seres “com forma de répteis”, aqueles com forma de “insetos” são os que apresentam mais importância. As abduzidas têm relatado a presença de um alienígena que parece ter uma “posição” mais alta e têm o status de supervisor dos alienígenas mais altos. Ele é muito alto e geralmente usa uma capa ou um robe longo com um colarinho alto. Geralmente é descrito com aparência de inseto, e parece mais ou menos como um louva-a-deus em atitude de oração ou uma formiga gigante. Ele examina somente de vez em quando os abduzidos e mais freqüentemente realiza processos de varredura mental. Quando se comunica telepaticamente com os seres humanos, sua conversa é freqüentemente mais substantiva, e ele às vezes é mais aberto na informação que fornece.

Mas geralmente fica no fundo, observa os procedimentos de abdução e pode dar ordens aos seres mais altos. A existência de seres com tarefas específicas sugere uma “sociedade” hierárquica e a probabilidade de um “corpo governamental”, com uma cadeia de comando de cima para baixo vindo dos seres com aparência de inseto para os alienígenas cinzentos mais baixos. Outros alienígenas parecem agir de uma forma mais subserviente em relação aos alienígenas com aparência de insetos. Se este é o caso, podemos formular a hipótese de que eles possuem a maior autoridade para todo o programa de cruzamento, e, portanto, pode ser o grupo que o iniciou.

Os abduzidos freqüentemente comentam que os alienígenas mostram uma mentalidade de “colméia”. Os alienígenas mais baixos, especialmente, são parecidos, vestem-se da mesma forma e agem juntos, e a bordo do óvni nada fazem que possa sugerir características de personalidade individual. Toda a atividade individual é dirigida ao objetivo da abdução e realizada de um modo clínico e desapaixonado. Os alienígenas cinzentos mais altos parecem ter mais individualidade, e os alienígenas com aparência de insetos e vestidos de robes parecem ter mais ainda. Embora os alienígenas possam ter desentendimentos e atritos entre si, geralmente apresentam um comportamento unido e positivo em relação aos seres humanos abduzidos. Eles constantemente dizem para os abduzidos o quanto é importante o programa e como estão agradecidos pela “ajuda” dos abduzidos.

Habilidades de comunicações

Os alienígenas se comunicam telepaticamente com os seres humanos e entre si. Quando os abduzidos descrevem o processo de comunicação, dizem que recebem uma impressão nas suas mentes e que automaticamente a convertem em suas próprias palavras para compreensão. A maior parte do tempo os abduzidos parecem compreender muito bem a mensagem dos alienígenas. Entretanto, há sutileza e uma grande variedade de expressões que os humanos podem usar – cinismo, ironia, sarcasmo, drama. Isso parece ser limitado para os alienígenas, assim como a variedade de expressões comunicativas, que pode ser transmitida com movimentos faciais sutis, isso é quase inexistente.

Muito freqüentemente os abduzidos podem “bisbilhotar” as conversas entre os alienígenas, que geralmente se relacionam com os procedimentos na abdução. A “escuta” das conversas entre os alienígenas parece que depende da proximidade. Os abduzidos relatam que não “escutam” cacofonia de sons dentro da espaçonave; somente “escutam” quando estão na distância correta. Os alienígenas, entretanto, parecem “ouvir” e compreender tanto a comunicação quanto o pensamento dos humanos. Relatos de abduzidos sugerem fortemente que os alienígenas parecem saber o que os humanos estão pensando. Por exemplo, vamos tomar a situação de uma mulher abduzida a quem foi dado um bebê híbrido para segurar. Ela resiste a essa ordem e comunica aos alienígenas que jogará a criança no chão, mas a abduzida relata que os alienígenas “sabem” que ela não fará isso.

Postura emocional

A maioria das abduzidas descreve que os alienígenas têm uma postura emocional reduzida e “controlada”. Eles geralmente são calmos e reservados. Quando aparentam alguma emoção, agem satisfeitos, contentes e gratificados, mas não alegres; eles podem agir como se estivessem irritados, incomodados e perturbados, mas não zangados. Extremos de emoção não parecem fazer parte da sua formação mental.

Essa variedade restrita da idade emocional pode ajudar a explicar por que os alienígenas forçam as abduzidas a interagir fisicamente com as crianças e com os bebês híbridos. As abduzidas relatam que este relacionamento faz com que bebês normalmente passivos se tornem mais ativos, como se as abduzidas de alguma forma tivessem “dando carga” aos bebês ou lhes transmitindo mais energia. É claro que, pelos relatos de abdução, os alienígenas não podem prover  as necessidades dos bebês HÍBRIDOS. Eles próprios já declararam isso. O caso de Reshma Kamal é um bom exemplo. Durante uma abdução, uma alienígena fêmea pediu a Reshma que segurasse um bebê, mas ela resistiu e questionou a necessidade do procedimento: 

  • Ela vai me mostrar como é. Está pegando a criança. Está tentando segurá-la abraçando, mas é como se ela não soubesse. Agora me pede que faça isso e eu digo que não. Ela coloca o bebê de volta. Eu estou perguntando o que é que eles fazem com esses bebês, de onde eles vêm. Ela está dizendo que eu não preciso me preocupar com isso, que os bebês precisam ser afagados, do contrário eles não vão crescer direito. Ou o que quer que seja. Eu estou dizendo a ela que ela não tem de se preocupar que eles não cresçam direito, porque eles já não são direitos. Ela não parece gostar do modo como eu sinto a situação. Ela está explicando alguma coisa para mim.
  • O que ela está dizendo?
  • Ela pensa que pode me fazer compreender alguma coisa, e eu me comportarei melhor… eu sei que ela está tentando me fazer cooperar. Eu estou pensando que, quanto mais a chatear, mais informação ela me dará. Agora ela está me dizendo que eles precisam desses bebês. O que nós precisamos ensinar-lhes é emoção, sentimento, o que os alienígenas não podem lhes ensinar. Ela está me explicando que eles podem alimentar e vestir os bebês, podem fazê-los crescer fisicamente, mas não podem dar a esses bebês desenvolvimento emocional, que eles precisam de mim para ajudá-los a fazer isso. Eu não entendo isto… ela está dizendo que há uma grande necessidade desses bebês. Ela está dizendo alguma coisa sobre esses bebês não serem exatamente como eles ou não serem exatamente como nós. Mas que eles precisam desenvolver e ter emoções… ela parece um pouco frustrada comigo porque não estou cooperando. Eu só estou em pé ali com os braços cruzados e digo a ela que   não vou fazer nada.

Tentando fazer Reshma cooperar, o alienígena fêmea a leva para um incubatorium. Um quarto com centenas de receptáculos (incubadoras artificiais) e fetos em diferentes estágios de desenvolvimento

  • Ela está esperando para ver minha reação. Eu estou perguntando a ela por que eles estão fazendo isso, e como os bebês sobrevivem assim, e digo como eu gostaria que nós tivéssemos alguma coisa assim e aí não precisaríamos passar pelas dores do parto. Ela está dizendo para mim que, se nós fizermos isso, esses bebês não vão ter emoções, do mesmo modo que os bebês da raça dela, e é por isso que eles precisam da nossa ajuda. Esses bebês podem crescer  fisicamente … mas emocionalmente estão mortos… Eles precisam de nós aqui da Terra para isto – acalentar os bebês e ajudá-los no seu desenvolvimento emocional. E eu estou perguntando a ela por que eles precisam fazer tudo isso. 
  • Boa pergunta. Qual é a resposta que ela dá então?
  • Ela não está dizendo nada. É como se ela não acreditasse que eu ainda quero saber mais… ela está dizendo que esses bebês não podem funcionar exatamente como eles fazem na sociedade planetária deles, nem podem funcionar se estiverem em uma sociedade planetária exatamente como a nossa … então, ela está dizendo que nós temos de trabalhar juntos para que esses bebês não sejam desperdiçados. Eles não podem trabalhar sozinhos nesses bebês porque, da maneira como eles funcionam, o bebê não pode ter emoções. E eles também não podem deixar os bebês conosco porque os bebês não são como nós. Eles precisam entretanto de alguma coisa da raça deles e alguma coisa da nossa raça… ela parece realmente muito frustada comigo. Ela não está dizendo nada. Somente está dizendo que nós precisamos fazer isso…
  • Ela diz que no devido tempo eu vou saber. Eu suspeito dela e pergunto: “Então você quer os meus filhos?” E ela diz que não da maneira que eu penso, para adotá-los ou coisa que o valha. Não há uso para eles. É tudo o que ela diz. Eu estou zangada e estou dizendo a ela que, se eles guardam os bebês pendurados na parede (em incubadoras artificiais) daquele jeito, é claro que eles não terão nenhuma emoção. Ela está dizendo que, se eles guardassem esses bebês em nosso ventre por nove meses, então haveria confusão demais. Assim, é melhor tirar os bebês quando estão muito pequenos e a gente não saber, e trazer a gente de volta para ajudá-los. Eles têm de tirá-los da caixa e eu não sei o que eles estão fazendo. Estou olhando para todas essas caixas na parede. Ela está perguntando se eu posso ajudá-la. Eu digo que não.

Mais tarde, embora Reshma não quisesse fazê-lo, ela condescendeu e segurou um bebê. É raro que uma abduzida possa resistir ao que lhe está sendo pedido.

Biologia básica alienígena

Toda a vida na Terra exige alimentos que se tornam combustível para existir. As plantas obtêm combustível do sol e do solo, os animais da planta e de material animal. Poderíamos presumir que os alienígenas funcionassem de forma similar. Os relatos dos abduzidos, entretanto, sugerem que eles (os extraterrestres Greys) não têm dentes, esôfago, aparelho digestivo, abdome ou orifício (ânus) para eliminação de excrementos.

Nenhum abduzido jamais relatou que os alienígenas estivessem comendo ou fossem vistos num local que para os seres humanos seria definido como refeitório (n.T. No interior das suas espaçonaves não exitem refeitórios e local de armazenamento de alimentos, conforme foi constatado nas espaçonaves acidentadas e recuperadas, como no Caso Roswell). Quando a abduzida Lynne Miller perguntou diretamente aos alienígenas se eles comiam, após uma pausa um deles respondeu:

“Não precisamos consumir nenhuma das matérias que vocês comem.”

Até agora, como os alienígenas obtêm nutrição é um mistério. Minha pesquisa anterior mostrou que a biologia dos alienígenas é diferente da humana, mas sem nenhum sinal óbvio de ingestão de comida, e se poderia facilmente imaginar que estes seres seriam como robôs, fabricados por uma matriz com poder de força interno. Uma das experiências de Allison Reed deu-me a chave do quebra-cabeça. Durante uma abdução de quatro dias e meio, um híbrido levou Allison para encontrar o acompanhante que estava com ela desde o começo da abdução. O híbrido erroneamente levou Allison a um quarto que aparentemente era “fora dos limites”.

Era um grande quarto circular e tinha um teto abobadado. Allison viu aproximadamente quarenta tanques com líquidos e um arranjo circular ao redor da sala. Ela ouviu um som de vibração e viu uma luz amarela que vinha do centro do quarto no teto. Então o que acontece depois? Você entrou ali. Você observa esta cena: 

  • A luz do centro desaparece. Eu estou em pé ali por um momento. Num dado momento, a luz do centro de certo modo se recolhe. E entra no teto… agora esses tanques, eles estão embutidos de certo modo como se estivessem “na frente”, e então a água, eu digo a água, o líquido, escorre. Só escorre. Eu não sei para onde escorre. Sei que escorre. Pode ser absorvido – eu não sei. 
  • Você sente um som de gargarejo ou alguma coisa? 
  • Eu sinto uma espécie de sussurro. Eles estão sentados num ângulo específico e, cada vez que um se move para frente, há um sussurro, assim, então vai para frente e o líquido é dissipado. Foi embora. Como se fosse uma mangueira que vem de cima.
  • É o que acontece quando a luz desaparece? 
  • Certo. Primeiro a luz desaparece, a parte amarela e redonda no centro, mas é como se fosse intermitente… eles não se sentam juntos e é como se um estivesse em cima do outro… é mais, assim, irregular, um aparece ali do lado. Alguns ficam mais tempo e vão embora. 
  • E, então, o que acontece?
  • Bem, alguns deles começam a sair. Eles saem.
  • Como eles saem?
  • Eles se levantam, andam e vão embora.
  • Eles atravessam a parede? Abrem a porta?
  • Hum, hum (não).
  • Em outras palavras, passam através do vidro?
  • Certo. Do mesmo modo que fazem na minha casa.
  • E eles estão surpresos porque a viram ou apenas vão fazer suas tarefas? O que fazem quando saem?
  • Eles simplesmente passam junto de mim. Andam e vão embora. Eu estou esperando aqui. Isso não é estúpido? Eu estou esperando ali por esse cara cinzento. Eu sou tão estúpida! O que faço agora? Estou me lembrando disso e gostaria de bater na minha cabeça. Eu sou tão idiota! Em qualquer outro momento eu estaria chateada e querendo fugir, mas agora estou em pé esperando por ele!

Quando o acompanhante de Allison chegou perto dela, ele ficou chocado ao vê-la. Para ele o choque foi mais forte porque ela estava vestindo roupas híbridas. Ele rapidamente disse a Allison que eles teriam de voltar para o quarto dos chuveiros e devolver as roupas. 

  • Depois que consegui entender que aquilo poderia ter causado problemas para mim mesma, eu disse a ele: “O que vocês estão fazendo? O que vocês estão fazendo ali?” Eu penso naquilo, você sabe… Ele fala como se dissesse: “Comendo e dormindo”, como uma coisa muito simples. Parece simples demais para estar certo, mas é isso que eu entendo.

Se isto é verdade, o que sugere é que os alienígenas obtêm o seu alimento por meio de absorção da pele (uma espécie de osmose) em vez de ingestão. A teoria de absorção é apoiada por relatos de fetos flutuando em tanques no incubatorium. Muitos fetos não têm cordão umbilical, sugerindo que eles não recebem nutrição de uma placenta. Um alienígena disse à Diane Henderson, do sul de Illinois, que os fetos estavam no líquido para “alimentação”, e que aquilo (o líquido) era “nutritivo”.

Eles deram a Pam Martin a mesma explicação. Um alienígena levou-a ao incubatorium e explicou a função do ambiente líquido no qual os fetos estavam flutuando. Ele disse a ela que os fetos “recebiam tudo” do líquido. Susan Stainer foi a uma creche onde um alienígena lhe apresentou um bebê. Primeiro os alienígenas a dirigiram para ter contato de pele com o bebê, esfregando a sua cabeça e o abdome. Depois eles queriam que ela alimentasse o bebê, mas ela se recusou. Como eles não podiam forçá-la a alimentar o bebê, trouxeram uma tigela com o líquido marrom e uma espécie de “pincel”, e disseram a ela que pintasse o bebê com o líquido marrom.

Ela perguntou qual era o sentido daquilo. Eles disseram que era para “nutrição”. Assim, qualquer que seja o processo biológico específico ainda desconhecido, agora sabemos que os alienígenas obtêm nutrientes de forma diferente da dos humanos, que a sua pele tem uma função única e que eles convertem “comida” em energia de modo muito diferente. Mas esses são vislumbres acerca da vida e da biologia dos alienígenas, e a razão pela qual não sabemos mais é que os alienígenas não querem que saibamos MAIS.

Eles implementaram uma política de segredo que efetivamente nos impede de compreender tanto a eles quanto as suas intenções REAIS. O segredo é a pedra-de-toque que serve de fundamento ao fenômeno de abdução. O sucesso dos planos dos alienígenas depende disso.

Continua

Capítulos anteriores

  1. http://thoth3126.com.br/a-ameaca-alienigena/
  2. http://thoth3126.com.br/a-ameaca-alienigena-parte-2/
  3. http://thoth3126.com.br/a-ameaca-alienigena-parte-3/
  4. http://thoth3126.com.br/a-ameaca-alienigena-parte-4-sinistro/

Para saber mais:

  1. http://thoth3126.com.br/reptilianos-do-interior-da-terra-os-arquivos-lacerta-parte-i/
  2. http://thoth3126.com.br/nobreza-negra-da-europa-principe-charles-e-descendente-de-dracula/
  3. http://thoth3126.com.br/projeto-serpo-programa-de-intercambio-com-zeta-reticuli-2/
  4. http://thoth3126.com.br/category/reptilianos/
  5. http://thoth3126.com.br/zeta-reticuli-1e-2-o-mapa-estelar-do-sistema-solar-duplo/
  6. http://thoth3126.com.br/dulce-book-conexao-draconiana-reptiliana-capitulo-13/
  7. http://thoth3126.com.br/o-governo-oculto-secreto-nos-eua-ii/
  8. http://thoth3126.com.br/eisenhower-presidente-dos-eua-teve-reunioes-secretas-com-seres-extraterrestres/
  9. http://thoth3126.com.br/tecnologia-de-orion-e-outros-projetos-secretos/
  10. http://thoth3126.com.br/illuminati-revelacoes-de-um-membro-no-topo-da-elite-2a-explosivo/

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

10 Responses to A Ameaça Alienígena – Parte 5 (sinistro)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *