browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Crianças aprendem a se comunicar com ETs na China

Posted by on 18/07/2016

Crianças Aprendendo a se comunicar com Extra Terrestres na fronteira disputada entre a ÍNDIA e a CHINA, em Aksai Chin.

Esta região do Himalaia, que corresponde a cerca de 20% de toda a Caxemira, não pertence nem a Índia e nem ao seu inimigo Paquistão, mas a uma outra superpotência nuclear daquela área – a CHINAAksai Chin é um território reivindicado pela Índia, como parte da Caxemira,  e também pela CHINA.

Em 1959, a China anexou a região da Caxemira de Aksai Chin, e fez um acordo com o Paquistão sobre a recém obtida área de fronteira, uma decisão que encontrou furiosa reação por parte da ÍNDIA e que levou à guerra sino-indiana de 1962. 

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@protonmail.ch

Crianças na região de fronteira do Himalaya, entre a ÍNDIA e a CHINA, em AKSAI CHIN  usam uma estranha linguagem de sinais que os adultos não conseguem entender e nem aprender.

Fonte: www.indiadaily.com/editorial/01-29d-05.asp

Na região profunda do Himalaia, as pessoas estão relatando comportamentos estranhos em crianças. Elas estão usando uma língua de sinais que são desconhecidos para as suas famílias e para qualquer adulto nas vizinhanças. Muitas dessas crianças tiraram fotos de objetos voadores triangulares que voam no céu. Muitos deles não sabem o que viram e nem como aprenderam essas línguagem de sinais.

Crianças de Aksai Chin assistem a uma aula na escola local

Algumas pessoas na região de Aksai Chin  acreditam que estas crianças se comunicam regularmente com os extra-terrestres que  se apresentariam e são visíveis para essas crianças e que se comunicam por uma espécie de telepatia espiritual. As crianças aprendem a língua de sinais para se comunicarem com esses seres de outra galáxia ou do Universo e entre si.

De acordo com os materiais de pesquisa sobre UFOs, em algumas crianças mexicanas também se manifesta um comportamento semelhante, quando muitos avistamentos de UFOs são relatados na área das crianças por um longo tempo.


AKSAI CHIN – UMA PARTE DA CAXEMIRA DISPUTADA PELA CHINA e ÍNDIA

Esta região do Himalaia, que corresponde a cerca de 20% de toda a Caxemira, não pertence nem a Índia e nem ao seu inimigo Paquistão, mas a uma outra superpotência nuclear daquela área – a CHINAAksai Chin é um território reivindicado pela Índiacomo parte da Caxemira,  e pela CHINA.

Atualmente encontra-se sob administração efetiva da China. Está situada no nordeste do disputado território da Caxemira e foi objeto da guerra de fronteira entre China e Índia em 1962, no Himalaya, na região de Aksai Chin. A região disputada era estratégica para a China e tem uma estrada importante que liga o Tibete (também invadido e controlado pela China desde 1950) à provincia chinesa de Xinjiang.

Aksai-Chin, parte (under chinese control) da Caxemira sob controle chinês

Em 1959, a China anexou a região da Caxemira de Aksai Chin, e fez um acordo com o Paquistão sobre a recém obtida área de fronteira, uma decisão que encontrou furiosa reação por parte da ÍNDIA e que levou à guerra sino-indiana de 1962. Em 1965 e 1971-1972, eclodiram novos conflitos na região da Caxemira que resultaram em algum ganho territorial para os indianos em decorrência da assinatura de um cessar-fogo.


Os extraterrestres se comunicam com as crianças em primeiro lugar porque elas são sempre mais fáceis e receptivas de se fazer amizade, devido a ausência de preconceito das mesmas. Eles ensinam as crianças a língua de sinais para que elas possam compreendê-los.

De acordo com alguns professores das escolas nessa área, as crianças são extremamente ágeis e apresentam talentos extras nestes dias, quando ocorrem contatos. Suas habilidades e inteligência para resolver problemas têm aumentado e estão muito mais disciplinados. Elas sempre usam a linguagem dos sinais estranhos somente entre si. No entanto, eles não conseguem ensinar esta linguagem  de sinais para os adultos!

Os moradores das áreas dos avistamentos e dos fenômenos com as crianças acreditam que os OVNIs  visitam a região há milhares de anos (no que estão absolutamente corretos). Eles pararam por um tempo e agora recomeçaram a aparecer novamente!  

As autoridades indianas e chinesas dos locais de observação são (aparentemente) indiferentes aos fatos e consideram que cada coisa é perfeitamente normal – as crianças costumam utilizar um comportamento estranho quando usam a linguagem dos sinais entre si! Publicado em Janeiro 2014.

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

13 Responses to Crianças aprendem a se comunicar com ETs na China

  1. Tania

    As crianças são puras. Muito interessante!

  2. Silmar

    ISTO SOMENTE ACONTECE PORQUE ELES NAO CONHECEM FUTEBOL, VIDEO GAME, PS4, COMPUTADOR, LAN HOUSE, …deixem-nos ocuparem o pensamento com algo sensacionalista…

  3. João Almeida

    Em analogia a sociedade global é de constatar que, a sociedade subdesenvolvida é comumente para a sua melhor sobrevivência submeter-se a serviços mais rudimentares e físicos, retratando-se a uma situação de servos. A exemplo destes fatos uma realidade vivenciados pelos brasileiros os quais migram para países como EUA, Japão e outros, exceções quando personalidades ou profissionais altamente de profunda autoridade em algum assunto de conhecimento útil ao pais o qual o designa sua contratação.
    Outro realidade deste contexto, foi a realidade durante o período Brasil primitivo povoado por civilizações de sociedades indígenas, momento em que os portugueses invadiram o Brasil, com o seu poder de conquista o qual derramou muito sangue nesta terra e os sobreviventes primitivos fazendo-os de escravos.
    Quanto aos Alliens ou se bem dizer extraterrestres evoluídos com alta tecnologia e armamentos bélicos, que interesse tem sobre nós vulneráveis e inferiores a seu mundo, simplesmente troca de conhecimentos e parceria de mutua sociedade, seria tremenda hipocrisia se assim acreditarmos. Pois eles tem muito a nos oferecer e contra partida nós apenas servi-los.

  4. Leitor

    Uma matéria boa, mas me diz uma coisa… como pode essa matéria ser postada agora (Posted by Thoth3126 on 24/01/2015) e haver comentários antigos (January 4 2014
    Tania) ? É matéria ‘requentada’ ou que sofreu atualização ou acréscimo de dados? Gostaria que houvesse diferenciação nisso, ajudaria bastante na compreensão do blog se fosse possível distinguir o que é novo do que é acrescido, cortado, editado, etc. Obrigado pelo site, que é muito bom mesmo.

    • Vinícius

      Eu penso exatamente o mesmo, o blog é ótimo mas essa “requenta” de matérias confunde e muito o leitor. Já mandei mensagens ao autor do blog mas não tive respostas.

  5. s

    Exatamente, assim como fizeram portugueses e espanhóis no período das grandes colonizações: ensinaram uma nova língua. Não sei se isso é tão excelente, a ver pelos indígenas e pelo que ocorreu com eles quando e após ‘colonizados’.

    • Fausto AMARAL DE BARROS

      Tocou em um ponto importante, Cifrão — legal!
      É ficarmos de olho para identificar os espelhos e balangandãs…

  6. Vanda M. M. Matiazi

    Os extraterrestres sempre tiveram contato com a humanidade pois são nossos irmãos maiores em sabedoria e tecnologia ; mas a NASA como é dos americanos escondeu isto por milênios e agora não tem mais como esconder; a humanidade está despertando de um jeito ou de outro a verdade virá à tona ! Que todos nós possamos ter mesmo este contato com os ETs e entrarmos para a Confederaco Intergaláctica assim como o resto do Universo !!! Gratidão ! Amor e luz

    • Ivo Steinhoff

      Vanda, puxa, eu nem sabia que a NASA existia há milênios (1 milênio= mil anos) para ficar escondendo isso todo esse tempo. Para mim foi ensinado que ela foi fundada em 29/07/1958 (há 57 anos). Aliás, hoje ela faz aniversário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *