browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

A História do acordo Nazista com aliens reptilianos Dracos (2)

Posted by on 15/03/2017

hitler-nazismo-reptilianos-dracosA SURPREENDENTE HISTÓRIA CONTINUA 

Entrevista para Rense Radio com William Tompkins com o Major George Filer & Frank Chille. Vamos começar com isso e como eles estão disponíveis, vamos buscá-los. A última vez que tivemos Bill conosco tínhamos entrado em algumas áreas extraordinárias, e o que vamos fazer hoje à noite é continuar a alargar os horizontes, e quero dizer para o espaço, literalmente. (2-final)

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

A História surpreendente do acordo Nazista com aliens reptilianos. Entrevista do Engº Aeroespacial William (Bill) Tompkins a Jeff Rense, com participação de Bill (Major) George Filer e Frank Chille

Fonte: https://spherebeingalliance.com

Jeff Rense: Está bem. E estamos de volta. Coisas surpreendentes como prometido. Estamos conversando com o Engº Aeroespacial Willian (Bill) Tompkins e eu não sei o que dizer a você, mas esta espaçonave de origem nazista alemã é extraordinária. E não é a única. Alguma outra coisa que voce queira nos dizer sobre este disco voador alemão com armas instaladas nele?

UFO-NAZISTA-WWII

Um UFO-OVNI nazista. O Haunebu III, com cerca de 75 metros de diâmetro, um só exemplar construído, voou pelo menos 19 vezes.

PARTE 1: https://thoth3126.com.br/a-historia-do-acordo-nazista-com-aliens-reptilianos/

William Tompkins: Sim, que havia sete classes de (discos com) formatos semelhantes. Alguns da seção superior eram menores e o projeto básico foi usado para quase tudo. E então eles tiveram vários tipos de discos voadores totalmente diferentes – mesmo com formatos diferentes que os nazistas alemães estavam trabalhando – não eram apenas circulares. Na verdade, eu acho que nós poderíamos ir para uma das outras ilustrações que …

Rense: Sim, deixe-me dizer algo primeiro aqui. Se você estiver online, faça uma pesquisa no Google, digite ‘Solar’ ‘Warden’ (SOLAR WARDEN-GUARDIÃO SOLAR), Solar Warden, e então vá para ‘Imagens’. Eu quero que você olhe para a linha superior. O que você . . . Você não é capaz de puxá – lo agora, Bill,. . .

Tompkins: Está tudo bem.

Rense: Na linha superior há seis imagens. As duas do meio são a mesma foto. Uma esta com pouca luz em contraste. A outro é muito agradável no contraste. O que a imagem mostra é o que parece ser um imenso casco de navio em construção em uma doca seca, possivelmente em Newport News, o maior estaleiro do mundo. É ao ar livre. Existem passagens aéreas, construções de aço pesado acima para levantar coisas. Há um guindaste para a esquerda. Mas debaixo daquele entre estes guindastes, que devem ser uma centena, 300 pés (90 metros), para fora da terra – estas passagens aéreas, que vão por toda a extensão e através de lado a lado desta baía dessa nave, esta doca seca, é uma embarcação enorme neste estaleiro naval em meio aos estágios mais iniciais da construção.

SolarWardenProject-tompkins-jeff

O Programa Solar Warden mantém uma frota de várias naves espaciais. É constituída por oito enormes naves-mãe em forma de charuto e cerca de quatro dúzias de “navios exploradores” menores. Centenas de “Marines Espaciais” estão em serviço a bordo destas espaçonaves e cada nave-mãe tem uma tripulação adicional de aproximadamente 300 cientistas e técnicos a bordo. A Frota Espacial é operada pelo NNSOC (United States Naval Network and Space Operations Command). Em construção na doca seca do Newport News Shipbuilding, Huntington Ingalls Industries.

Não é um navio (não tem sequer uma QUILHA). É uma imensa espaçonave.

Tompkins: Sim, senhor.

Rense: É enorme. Se para aqueles de vocês que não podem ver, se parece um pouco como um longo pão francês, mas gigante, um pouco mais liso. É tudo de aço. É metal. Está iluminado. Há luzes nele, luzes nele. Locais estranhos para as luzes. E você pode ver a construção. Você pode ver pessoas – minúsculas pequenas pessoas no fundo embaixo dele. Se esta é uma imagem legítima, é preciso apenas uma. E se essa imagem é legítima, isso responde a todas as perguntas que você poderia fazer, basicamente, sobre o que Bill está nos contando. É verdade? Se esta imagem é real, é tudo verdade. Parece exatamente como uma grande nave espacial. Mais uma vez, estou na busca do Google, por ‘Solar Warden / Imagens’, linha superior, duas imagens do meio. Dê uma olhada. Elas são incríveis.

Tompkins: Por favor, puxe-a para cima.

Rense: Eu as tenho. Eu não posso mostra-las. Estou colocando as imagens na página de fotos que temos para sua visita hoje à noite. E isso estará na página de fotos.

Tompkins: Sim, eu vi a foto e é de um objeto real.

Rense: Meu Deus, se isso é real. É uma coisa enorme. É tão grande quanto um porta-aviões.

Tompkins: Sim, é.

Rense: Bem, e depois há. . .

William_TompkinsTompkins: Não há nenhuma cabine de pilotagem.

Rense: Não, claro que não. É redondo. E depois há outra foto dela em uma instalação subterrânea de uma coisa muito estranha. Você mencionou isso há pouco. Isto apresenta ângulos muito estranhos. É bizarro. Năo sei o que dizer. (Programa) Solar Warden. Mas estes. . . Esta foto. . . Se ela é real, alguém pegou, saiu de lá, e é surpreendente em sua implicação. Parece ser durante o crepúsculo. Há alguma luz solar refletindo do lado direito do objeto. Você vai ver. “Solar Warden”. Pesquisa no Google. Imagens. Fila superior, centro. Duas fotos desta coisa. Não é nenhum navio naval para navegação dos oceanos da Terra. De jeito nenhum. Tudo bem, vá em frente. Sinto muito por sair disto, mas isso é impressionante. Vá em frente, Bill, por favor.

Tompkins: Está bem. É uma excelente foto como todas as que estão lá dentro. OK. Poderíamos talvez tirar a foto que tem o porta-aviões

Rense: Nós estamos. . . O que você quer dizer? Espera, espera. Temos cinco fotos na nossa página de fotos. E não tenho certeza se temos o que você está mencionando agora. Deixe-me ver. Um dois três . . . OK,

Tompkins: Está na cor.

Rense: É cinza e preto? Não, isso é. . . Estes são cruzadores com torres de armamento sobre eles é o que parece.

Tompkins: Está bem. Tudo bem, vamos falar sobre isso. Vamos falar sobre isso. Todo mundo, puxe isso.

Rense: Oh, você está falando sobre o U.S.S.S. Hillenkoetter?

Tompkins: Sim, mas podemos fazer isso mais tarde.

Rense: Tudo bem.

Tompkins: Vamos falar sobre esses dois.

Rense: Sim, há dois deles – fotos número 1, 2, 3, 4, 5 em nossa pequena tela, porque eu coloquei outra imagem com cruzes de ferro alemã sobre elas abaixo do primeiro que estávamos falando que tem um topo arredondado, não do tipo torreta – outra imagem simplesmente deslumbrante. Eles são reais? Eu não sei, mas eles são muito provocativos. OK. Vamos para o número 1, 2, 3, 4, 5. . . Há dois itens que parecem espaçonaves de batalha no espaço é o que elas se parecem.

Tompkins: Está bem. Essas são essencialmente espaçonaves da classe cruzadores transportadores. Eles também têm hangares para naves menores de caça. E versões desses dois são o que você chamaria de um porta-aviões de assalto de desembarque que a Marinha usa agora. E então estes são usados como transportadores de assalto com fuzileiros navais a bordo e eles têm hangares grandes dentro e embaixo. Mas eles também operam como veículos de ataque de modo que se você olhar para ele como se fosse uma missão da Marinha na Terra, eles teriam capacidades de ataque, e eles teriam um grande hangar. E então eles teriam pequenos barcos que levariam os tanques para desembarque no terreno.

Rense: Estes são LSTs [Landing Ship Tank ou tank landing ship]?

Tompkins: Não, eles não são desembarcadores de tanques. Estes veículos são o que você chamaria de um porta-aviões da marinha que temos que são chamados Landing Assault Carriers. E nós temos muitos deles. Eles têm cerca de 800 pés (cerca de 250 metros) de comprimento e operam como veículos de ataque marítimo. Então eles têm hangares (para aviões) na parte de trás.

Rense: Eles operam no oceano e eles operam no espaço. É isso que você está dizendo?

Tompkins: Bem, estou dizendo que o que você está olhando é a versão espacial (espaçonave) dos transportadores de assalto da Marinha dos EUA que temos aqui.

Rense: Ok. Essa é a versão espacial. Eu entendi, tudo bem.

Tompkins: Esta é uma versão espacial. Agora, você percebe que é meio simplificado. E, claro, todo mundo diz, nós não precisamos racionalizar na galáxia. Não precisamos disso.

Rense: Apenas se você  estiver na água.

Tompkins: Bem, sim, mas você também não está na água. Mas se o veículo vai ter que entrar em uma atmosfera de algum planeta, salvo um mal-entendido, eles têm que ter uma forma aerodinâmica.

Rense: Eu compreendo. Qualquer atmosfera de um planeta exigiria uma capacidade aerodinâmica, e é isso que você está mostrando. Sim está bem.

Tompkins: Isso é o que você está mostrando aqui. E assim, muitas pessoas dizem, em algumas das outras configurações que eu fiz de diferentes designs, eles são simplificados. E então este é um veículo espacial que funcionaria com os fuzileiros navais lá fora (da Terra) e muitas das missões que nós projetamos para a Marinha, para (projetos) a Marinha Espacial, nesse think tank secreto, estavam aterrando veículos espaciais de assalto em terreno em planetas que eram parte da guerra entre as diferentes raças de aliens existentes no sistema solar.

Rense: Uh sim.

Tompkins: Então é isso que você tem aqui. Duas versões deles. Não são cópias. Eles são diferentes. E eles tinham sistemas de armas semelhantes.

Rense: Certo. Uau. Isso me lembra os modelos que você poderia ter construído quando jovem. Quer dizer, perfeito.

Tompkins: Sim. Eu teria adorado. . . E eu tenho modelos futuristas nessa coleção que é uma loucura. Isso é realmente. . . são 303 diferentes modelos de navio começando a 204 anos atrás por todo a evolução da Marinha, por todo o caminho até irem para o espaço. Uau!

Ok, poderíamos ir para a grande espaçonave em formato tubular extraterrestre.

Rense: Sim, claro, o U.S.S.S. Hillenkoetter.

solar_warden_hillenkoetter-usss

Ilustração com base em testemunho ocular © Copyright 2015 TheObjectReport.com | Alta Resolução Imagem. O Almirante Roscoe Hillenkoetter foi o primeiro diretor da CIA, e foi também um membro de uma organização de pesquisa UFO, o Comitê Nacional de Investigações de Fenômenos Aéreos (NICAP). Em 1960, o New York Times relatou que Hillenkoetter tinha enviado uma carta ao Congresso que incluía a seguinte declaração: “Nos bastidores, oficiais de alta patente da Força Aérea estão sobriamente preocupados com fenômeno UFOs Mas através de segredo oficial e do ridículo, muitos cidadãos são levados a acreditar que os desconhecidos objetos voadores não fazem sentido“. Embora Hillenkoetter lutasse pelo fim do sigilo UFO, ele finalmente parou de comentar sobre o assunto. Alegados documentos secretos que vazaram para ufólogos listam Hillenkoetter como um membro do grupo Majestic 12, uma organização composta de altos oficiais militares das forças armadas e civis criado pelo presidente Truman para gerenciar inicialmente a questão UFO e nossas relações com extraterrestre. O Majestic-12 (MJ-12) foi o embrião do que mais tarde se tornou o GOVERNO (DE FATO) OCULTO DOS EUA.

Tompkins: Sim. O Hillenkoetter.

Rense: Hillenkoetter. Tudo bem, agora, isso parece uma tradicional espaçonave em forma de charuto com quatro. . . Um, dois, três, quatro, cinco domos nas extremidades. Quatro são arredondados, parte superior, inferior, lateral, lateral e, finalmente, a extremidade é arredondada também por um domo. Isso é o que nós chamamos, eu acho, um charuto, por falta de um termo melhor. O que é que nós estamos olhando?

Tompkins: Ok, é um transportador de espaçonaves menores (caças, como um clássico porta aviões), e quando Frank e eu estávamos falando sobre isso mais cedo hoje, ele vendo em seu computador percebeu a abertura (janelas) no lado dele – o buraco retangular perto da sua metade.

Rense: Uh certo.

Tompkins: E na verdade quando você presta atenção, enquanto você olha, você pode ver que é a entrada para um hangar e você pode ver quatro espaçonaves lá dentro.

Rense: Eu mal posso vê-las. Sim.

Tompkins: E então essa é uma ilustração interessante. E, novamente, você pode contar. . . Eu acho que há nove seções que você pode realmente ver. Eles fizeram uma ótima ilustração disso. E você pode ver as várias seções.

Rense: Com licença, Bill. Essas seções são unidas como os alemães faziam para construir seus submarinos na guerra?

Tompkins: Sim, é assim que montamos submarinos. E é o modo pela qual construímos navios.

Rense: Ok.

Tompkins: Mas você tem que perceber que você tem um veículo de quase 1.000 metros de comprimento para brincar aqui e assim as seções tubulares. . . Isto é muito interessante que eles usaram esse modo, porque é a estrutura menos cara que você pode construir. Se você olhar para o antigo quadrimotor de transportes da Lockheed que tínhamos nos dias anteriores aqui neste país, a fuselagem foi simplificada. Eram quatro motores e três lemes e era aerodinâmico. E então você olha para o Boeing. . .

Rense: O sistema de como o (avião) Super Constellation, da Lockheed foi feito?

Tompkins: Sim. Super Constellation da Lockheed Martin. OK. Então, se você olhar para o DC-4 que a Douglas Aircraft construiu, é um tubo grande. Você sabe? Nós não precisamos que a coisa seja simplificada, mas eles realmente não verificaram isso na Lockheed. E na Douglas Aircraft era a coisa mais barata a se fazer. Então essa filosofia foi levada para o desenho do projeto que você está olhando. Ele não precisa ser racionalizado, porque só está operando no espaço interestelar na galáxia. Então não há. . . Isso nunca vai aterrissar na Terra.

Rense: Eu entendo. Eles mandariam as espaçonaves menores para aterrar em qualquer planeta.

Tompkins: Sim. Portanto, é diferente do que as fotografias dos outros dois que acabamos de olhar.

Rense: De onde veio essa foto, Bill? Você sabe?

Tompkins: Eu não sei de onde ela surgiu, mas esta é uma das dezenas desta espaçonaves s que são às vezes completamente diferentes no formato.

Rense: Uh sim.

Tompkins: Está bem? Qual deles. . . É uma espaçonave transportadora, do tipo que copia a missão de um porta-aviões da Marinha dos EUA e é bom que esta sendo mostrado o novo porta aviões Gerald R. Ford embaixo, na parte inferior da imagem, porque você pode comparar o tamanho entre ambos.

Rense: Uau! Bem, isso me lembra. . . Sim, eu vejo a comparação de tamanho. Isso me lembra as imagens que um sujeito na Inglaterra estava fazendo. Vocę se lembra desse cara, George? Eu costumava pesquisar suas coisas o tempo todo – seus vídeos. Ele tinha um telescópio e o conectou a uma câmera de vídeo. Frank, vocę provavelmente os viu. Lotes e lotes de imagens do que parecia ser uma enorme espaçonave em órbita ao redor da Terra. Longo como um charuto. Elas não eram tão elegantes quanto o Hillenkoetter, mas eram grandes. Elas eram diferentes. Eram, obviamente, construções de algum tipo que estavam flutuando lá em cima. Você se lembra disso, George? Aquele cara . . . Eu esqueci o nome do cara. Eu costumava rodar suas filmagens o tempo todo.

Major George Filer: Sim, eu vi alguns deles.

Rense: Sim, eles são muito interessantes.

Frank Chille: Jeff, a ilustração é baseada nas fotos que o hacker escocês Gary McKinnon foi capaz de ver quando ele invadiu o banco de dados da Marinha dos EUA.

Rense: Este Hillenkoetter?

Chille: Sim, o Hillenkoetter. E também é baseado no comentário de Corey Goode, tendo visto esta espaçonave também.

Rense: Ok. Este é um desenho do conceito do que é uma espaçonave transportadora supostamente voando lá fora no espaço. Por isso é perto do real. Não é uma fotografia. Não é tirada de desenhos de projetos.

Chille: Não.

Rense: É tirado de testemunhas oculares e que McKinnon aparentemente baixou, do que você disse. Eu não sabia que ele fez isso.

Chille: Sim. McKinnon disse que essa espaçonave custou US$ 25 bilhões para construir. Eu penso que tem uma tripulação em torno de 400, quase 500, homens. E o peso dela é algo como 100.000 toneladas (n.T. com propulsão antigravidade).

Rense: Gary lhe disse isso?

Chille: Bem, isso é o que está lá – a informação que está lá.

Rense: Sim, eu não posso vê-lo. É muito pequeno.

Chille: Ele tirou isso da base de dados. Você teria que acessa-la.

solar-warden-secret-space-program

Rense: Sim. Agora, McKinnon. . . Eu sempre senti, e eu tenho certeza que vocês concordam, que McKinnon viu muito mais do que ele revelou e por isso eles passaram 10 anos tentando extraditá-lo para levá-lo para eliminá-lo. Ele sabia demais. Ele viu muito quando entrou nos computadores do Pentágono e da NASA.

Chille: Ele identificou dois dos grupos “Solar Warden”. O primeiro foi da espaçonave Hillenkoetter, que foi nomeada com o nome do primeiro diretor da CIA, e o segundo, que é branco, são os transportadores LeMay. É parte do LeMay, um grupo de batalha de nome Curtis LeMay (Curtis Emerson LeMay foi um general da Força Aérea dos Estados Unidos, também envolvido com a ÁREA-51).

Rense: Uh huh. OK. Muito bom. Tudo bem, vamos voltar para Bill Tompkins. Então estamos olhando para o Hillenkoetter, e estamos olhando para o porta-aviões USS Gerald Ford embaixo dele. Tamanho enorme tem esta coisa. Pertence à frota espacial  “Solar Warden”. Ok, vá em frente, Bill, por favor.

Tompkins: Está bem. O que eu estava realmente interessado nas fotografias é como foi feita a montagem do mesmo. Mas essas luzes coloridas, redondas, na frente, que esta à direita, e então na minha foto esta cortada na parte de trás. Mas essas não são como a metade de um círculo. Ela são quase um círculo completo. Todos os cinco no arco, na frente, e todos os cinco na outra extremidade . . .

Rense: Bem, eles parecem bolas de golfe.

Tompkins: Sim. Parecem bolas quase cheias. Elas estão centradas e equilibradas em uma área muito pequena desde o interior da espaçonave.

Rense: Tudo bem.

Tompkins: Agora, estas meias esferas são armas. E a modo mais fácil de dizer é que são para proteção do veículo e que é ofensivo e defensivo. Não há outros canhões. Não há torres.

Rense: Estas são, obviamente, armas de energia de algum tipo que explodem. 

Tompkins: Sim. E assim você tem isso, mas você não tem torres como vimos nas outras fotografias.

Rense: Sim. Sim.

Tompkins: Na verdade, você não pode dizer se é. . . Onde está a frente e onde está a parte de trás. E na fotografia, você pode ver diferentes seções e há reentrâncias ao longo do tubo.

Rense: Sim.

Tompkins: E há um tipo de gás, ou algo parecido, que está saindo da barra central do veículo. E você pode vê-lo saindo pela parte superior e para fora da parte inferior na fotografia. Isso faz parte de outra retenção do sistema de armas. Não é um veículo inofensivo. Isto é como um comando de radar que realmente opera a distâncias extremas para fora do veículo. É extremamente interessante que eles mostraram esse detalhe na fotografia e eles mostraram uma espécie de radiação azul, um azul claro, se destacando. Você pode vê-lo melhor na parte inferior. E este campo se projeta para fora milhares de milhas. Opera com informação e, em seguida, remete para as armas que estão nas extremidades.

Rense: Huh.

Tompkins: É uma loucura. E na bola, se você olhar para a frente, você pode realmente ver a estrutura descer e não esta totalmente  voltada para a direita. Há um recuo, porque a bola é menor do que a estrutura da fuselagem na frente. Então isso gira. Um tipo completamente diferente de armas de que você está falando. Esta é uma ilustração muito boa para demonstrar  as espaçonaves do programa Solar Warden.

Rense: Uau. Tudo certo. Temos mais uma para ver. Mais uma foto.

Tompkins: Sim.

Rense: Esse é o objeto longo, semelhante a um estilete, com quilha no topo. Tem três retângulos brancos pintados na superfície plana superior do mesmo.

Tompkins: Sim, todos viram isso? Diz, “Marinha dos EUA”(US NAVY).

Rense: Sim. É cinzento. Temos de fazer uma pausa por um minuto, Bill. Aguente. Bem vindo de volta. Tenho mais algumas fotos para adicionar a este grupo. Aqueles de vocês on-line, você pode recarregar e dar uma olhada nessas também. Uau! Aguentem. Voltamos logo.

caça-espacial-tompkins-solar-warden

 

(23: 08 ~ 24: 04 – BREAK)

Rense: Ok, vamos voltar ao nosso convidado especial Sr. William Tompkins, a Frank Chille e George Filer. Ok, agora, a foto que eu apontei para o Google, do que parece ser um enorme navio em construção em um dique seco, também está listado em uma página chamada “Imaginary Vessels”. Agora, é dito ser uma CGI (Common Gateway Interface-Imagem Gerada por Computação). Agora, isso não significa necessariamente muito de qualquer coisa. Poderia ser que esta seja uma fotografia real, e qual é a melhor maneira de desacreditar uma verdadeira fotografia? Chamá-la de “arte conceitual” e escondê-la em algum lugar na Internet, onde as pessoas podem encontrá-la. Eles vão dizer: ” Ah, aqui está. Não era uma fotografia real, em primeiro lugar.

Eu não tenho uma resposta para você. Vou mandar isso para Frank e George e eles podem dar uma olhada nisso e eles vão te dizer, Bill, também. Mas o ponto é o que você descreveu anteriormente sobre como enormes embarcações espaciais foram construídas aqui na Terra em instalações de construção naval, como em Newport News Shipbuilding e instalações subterrâneas em grandes cavernas, que seria algo muito parecido com isto. É assim que seria. Então eu acho que é uma coisa para se pensar. Se acontece isso ser ou não uma imagem CGI ou talvez uma imagem real, eu não sei. Mas eu tenho que registrar isso porque é assim que fazemos as coisas aqui. Então esta é uma foto fascinante. E isso é o que seria se fosse feito em um estaleiro naval onde eles constroem porta-aviões ou em instalações subterrâneas com o material e as estruturas tomadas lá e erguidas para construir esse tipo de embarcação espacial.

Ok, isso esta certo. Frank?

Chille: Sim, e quero dizer que essa sua capacidade de observação é tão extraordinária como sempre, Jeff.

Rense: Que poderes?

Chille: Ha, ha. Sua capacidade de perceber as coisas nessa ilustração. Quando eu estava conversando com ele hoje, ele estava vendo coisas em que eu tive que expandir a imagem para ver o que ele estava falando.

Rense: Eu sei.

Chille: Voce foi capaz de vê-los.

Rense: Ah, sim. Sim sim.

Chille: Voce é muito, muito afiado mentalmente.

Rense: Na verdade. Tudo certo. Vamos voltar para Bill Tompkins. Bill, novamente, para nossos ouvintes lá fora, eu odeio perguntar às pessoas de sua idade. Quantos anos de idade você tem mesmo?

Tompkins: Bem, eu vou completar 94 no dia 30 do mês de maio.

Rense: Isso significa que ainda estarei no ar quando eu tiver 93. Isso é bom. Isso é bom. Tudo certo. Parabéns por sua contribuição incrível, incrível e uma vida maravilhosa que você teve. Tudo certo. Vamos continuar com nossa conversa. Então podemos voltar para aquela espaçonave que temos em fotos sobre a qual você estava começando a falar. Ela tem os três retângulos brancos no topo do que parece ser algum tipo de estabilizador, uma quilha. Eu não sei o que é.

Tompkins: Está bem. O que é apenas a frente é uma espécie ligeiramente apontada, mas isso é um tipo de radar Grumman  como  usado nos navios da Marinha dos EUA.

USS-Gerald R. Ford-porta-aviões-construção-newportsb

O convés de vôo do porta-aviões em construção, de propulsão nuclear Gerald R. Ford está completo após a adição da seção de proa superior do navio em Newport News Shipbuilding, Huntington Ingalls Industries. Notar a presença da QUILHA, diferentemente do objeto sendo construído mostrado em foto anterior, a segunda no começo do post.

Rense: Eu entendi.

Tompkins: Tem uma antena que gira. Mas há também as placas para uma finalidade diferente que são as placas brancas do retângulo na parte superior. Isso não é montado em um estabilizador vertical. Isso é apenas uma estrutura que está segurando-o. Portanto, não há adderons (?) Ou leme, quilha ou algo assim envolvidos. É apenas uma estrutura que sustenta aquilo lá em cima.

Rense: Ah, então isso. . . O que você está dizendo é que o triângulo longo com a bandeira dos EUA nele está segurando aquela asa plana de AWACS (radar) ou o conjunto de radar em cima dele.

Tompkins: Sim, é o suporte para isso.

Rense: Eu olho para trás. . . Eu posso ver atrás dele com minha lupa. OK.

Tompkins: Está bem. Eu olho para ele também, aqui. De qualquer forma, é interessante que você possa ver que, sim, este é um veículo espacial da Marinha dos EUA, porque você pode ver onde a ponta das asas tem uma fenda lá onde eles apareceram dentro do hangar do Hillenkoeter – se você olhar mais de perto, no lado esquerdo.

As quatro grandes reentrâncias na frente até lá e, em seguida, os oito menores são para dois tipos diferentes de armas laser. Então eles realmente. . . Não é nada, mas um feixe de luz que está saindo, mas há uma certa quantidade de temperatura que se envolve com isso, e por isso eles têm que ter uma grande abertura. É apenas dois sistemas de armas diferentes e não há nenhuma torre neste que iria virar para enfrentar o alvo. Você tem que girar o veículo para enfrentar o alvo.

É realmente. . . Seria um veículo de ataque de Two mission-in-one, que lhe dá todo o radar para toda a região, que você tem no topo. Mas então você tem as armas para usar como um veículo de ataque. Agora, eu notei também que eles tinham o. . . No topo da frente, eles têm seus sensores (células fotovoltaicas) lá exatamente como você tem no topo do telhado de sua casa para captar energia solar. Então eles estão captando energia do sol parcialmente.

Rense: Então esta é uma nave espacial.

Tompkins: Sim.

Rense: Agora, eu tenho uma pergunta. Por que eles forçariam esta espaçonave a ter que enfrentar, em um ângulo reto de 90 °, o que quer que surja do ataque inimigo?

Tompkins: Está bem. Não seria. . . Na verdade, eles iriam enfrentar um alvo. Isso estaria operando nas atmosferas planetárias. . .

Rense: Oh, tudo bem. Oh, esta é uma espaçonave atmosférica. OK.

Tompkins: Sim, mas seria. . . Decolando de sua Nave Mãe, que não tem problemas da atmosfera, ela simplesmente voa para baixo, faz o ataque e volta para a Nave Mãe. Mas há uma coisa interessante que eu acho que eu não entendo. Se você olhar para a borda principal em torno – é preta, e para baixo o lado principal da estrutura do casco, é preta. Agora, o que isso costumava ser é. . . Seria usado para tirar o gelo do veículo na atmosfera. E isso é meio interessante porque usamos isso em um monte de aeronaves diferentes por um longo tempo. E esse tipo de coisa caiu. Não a usamos mais. Então aparentemente isso tem algum outro propósito. Não é para tirar o gelo.

Rense: É isso. . . É isto . . . O que estamos olhando aqui, uma fotografia ou um modelo?

Tompkins: Isso é um modelo.

Rense: Sim.

Tompkins: Tenho certeza. Sim. Isso é um modelo.

Rense: Só para que as pessoas entendam. Eu não . . . Sim, tudo bem. Então isso seria algo que iria voar em nossa atmosfera com um sistema de armas de perímetro defensivo.

Tompkins: Sim, mas também poderia operar no espaço.

Rense: Tudo bem. Bem, eles precisam ter uma ponte (de comando) em algum lugar para ser capaz de olhar para fora, eu acho, mas talvez não.

Tompkins: Ha, ha.

Chille: Jeff, também não tem. . .

Tompkins: Não, eles não precisam de janelas.

Rense: O que é isso Frank?

Chille: Ele saiu de um site que mostrou outras naves e veículos do programa Solar Warden.

Rense: Sim.

Chille: Então saiu do mesmo site.

Rense: Eu sei. Tudo certo. OK. Muito bom. Tudo certo. Em diante, Bill. Isso é incrível. Nós olhamos para todas as fotos. Adicionei um par ao agrupamento online. Você leu um monte do Frank? Se você carregar essa página novamente, verá as outras fotos que adicionei. Uma é outra variante da nave aérea alemã – na verdade, uma imagem colorida, que é muito boa para algo que deveria ter 70 anos. Então, eu não sei. Todos eles têm os mesmos três globos perimétricos, vamos chamá-los, no fundo do ofício, como o disco voador de Adamsky. São redondos, lisos na parte superior, na parte inferior. E há um centro que é muito maior na metade do globo.

vril-sociedade-nazismo

E o fundo deste quadro, curiosamente, é algo que parece que pode ser. . . Pode ser um DC-3, embora a cauda seja cortada. Não é . . . É algo semelhante a um McDonnell DC-3 – no fundo, que. . . Eles estavam disponíveis nos anos 40. Eles foram o primeiro avião no final dos anos 30 na verdade. Interessante.

Chille: Jeff, eu posso fazer um comentário. Bill falou comigo hoje sobre a aeronave alemã de 250 pés de diâmetro. Ele disse que os operários tinham trazido de volta fotografias de uma espaçonave desse tamanho antes de ‘1939, e seus primeiros sistemas de propulsão eram eletromagnéticos e então eles estavam usando propulsão antigravidade. E ele disse que eles estavam usando esse tipo de embarcação para ir a Marte e também para visitar algumas das luas de Júpiter. Quero dizer, Bill talvez queira discutir isso com mais detalhes.

Rense: Tudo bem. Está tudo bem comigo. Vamos. . . Vá em frente, Bill, conte-nos sobre as primeiras viagens para fora do planeta. E depois diga-nos o que há em Marte na sua opinião.

Tompkins: Está bem. Na verdade, Marte tem uma base instalada já por um longo tempo, e por muitas outras coisas diferentes do que apenas seria uma pesquisa normal para os geofísicos.

Rense: Sim.

Tompkins: As instalações são na maior parte no subterrâneo, mas o planeta tem ruínas de edifícios antigos, como na lua.

Edifício-Marte-apagado-deimagem-Curiosity

Uma imagem em preto e branco tomada em 16 de setembro de 2013 parece mostrar um edifício enorme, em parte visível atrás de uma formação de rocha, em MARTE. Uma segunda imagem colorida datada de 11 de fevereiro de 2017, do mesmo local mostra a mesma formação de rocha, mas surpreendentemente o edifício “desapareceu” da imagem.

Rense: As ruínas estão em todo o sistema solar.

Tompkins: No lado oculto da Lua.

Rense: Em todo o lugar.

Tompkins: Certo. Por todo o lugar. Eles continuam encobrindo isso nas fotografias que lançam ao público e qualquer pessoa com um bom telescópio pode olhar para elas. Sabe, os astrônomos também sabem o que está acontecendo.

Rense: Bem, se você olhar para meu link ‘Sightings’, na minha página inicial no Rense.com, clique nisso. Há um monte de links para imagens de Marte Curiosity e Rovers anteriores foram colocadas e. . . Quanto mais você olhar para essas imagens, mais você vê. É realmente muito surpreendente. Tudo bem, Bill, vá em frente. Desculpa.

Tompkins: Há grandes instalações de construções em Marte que vêm de diferentes empresas aeroespaciais do Complexo Militar Industrial dos EUA, bem como instalações em alguns dos planetas de outras estrelas, por exemplo, a North American Aviation. Esse é um bom exemplo.

No meu livro, eu entro em um diagrama de blocos – o tipo de como documentar o desenvolvimento de um sistema de armas para a Força Aérea e a Marinha. Acontece que você – você vê no livro – mas é interessante que essa abordagem, depois que eu deixei a Douglas Aircraft, que fui demitido, o Dr. Debus me levou para a North American Aviation com uma posição corporativa em engenharia aeroespacial. E então peguei meu diagrama de blocos e um monte de outras coisas da Douglas, e eu levei para a North American Aviation.

selected-extraterrestrials-secret-think-tanks-secretaries

Livro de Willian Tompkins

E uma das coisas que eu tomei foi esse diagrama de blocos. Tão recentemente eu tenho uma coleção de um dos diagramas de bloco norte-americanos que Frank me enviou. E muitos de vocês já viram isso. É manuseado horizontalmente e verticalmente. E o que realmente é – é um diagrama de blocos de uma empresa comercial que costumava construir aviões e construiu um veículo espacial no qual costumávamos lançar os nossos satélites. Então eles estão no negócio, mas parte da administração (o governo oculto) norte-americana queria fazer mineração em Marte. E, claro, mineração em planetas de outros sistemas solares ou nas suas luas.

E assim eles montaram um excelente programa que está na ilustração de todos os diagramas de blocos que é tudo o que você tem que fazer para construir algo grande em fases, em blocos. Você não pode ir para a próxima fase ‘até que você tenha executado a fase anterior. E assim eles fizeram isso para um negócio em Marte para minerar materiais em Marte e depois fazer comércio do minério. A venda para “outras pessoas” na nossa própria galáxia. E assim, virou um negócio comercial, que muitas das empresas aeroespaciais entraram no SSP-Secret Space Program.

Assim, as instalações de Marte não são apenas instalações militares lá, também é comercial para a mineração de diferentes materiais. Às vezes não. . . Nós olhamos tudo como sendo uma missão militar, mas se você voltar para o meu livro, na parte inicial, falamos no think tank secreto da Douglas Aircraft de projetar programas para operar comercialmente na galáxia com outras ‘sistemas’ de estrelas e diferentes raças de extraterrestres. E isso era parte da nossa busca.

Nós não estávamos apenas chegando com um sistema de armas – como fazê-lo e sair e lutar contra o inimigo. E eu acho que essas operações comerciais – algumas delas são muito boas. E, como sabemos, alguns dos gerentes daquelas instalações em Marte fizeram a coisa errada e fizeram as pessoas trabalharem lá como escravos. Eles trabalham como escravos, infelizmente, e isso foi feito por toda a galáxia também, por empresas norte americanas. E eles não deveriam ter feito isso. E isso é parte do que estamos tentando corrigir. E é uma das coisas sobre o projeto Disclosure (Divulgação) que estamos tentando corrigir. Mas há todos os tipos de instalações em Marte. E assim como na nossa Lua, os aliens, os extraterrestres têm todos os tipos de instalações e existem extraterrestres diferentes usando esse planeta para suas próprias agendas.

Eu não quero entrar nisso, mas estou apenas dizendo que quando abordamos este assunto, temos que também abordar as operações comerciais, e algumas pessoas fizeram muito mal. Mas normalmente, se pudermos limpar essas operações e a escravidão, que também está na galáxia por outros extraterrestres, isso seria muito bom. Algumas pessoas dizem: “Gee, Os norte-americanos não deveriam ter feito isso”. Bem, nós éramos as pessoas que estavam lá. As operações reais dele estavam distantes do planeta e eles estavam tentando torná-las menos caras e eles fizeram isso. Continue.

Rense: É muito interessante. Tudo certo. Faltam cerca de cinco minutos. Vamos trazer George aqui primeiro. George, quais são seus comentários.

Filer: Bem, tudo isso são muitas coisas incríveis. Tenho visto operações de mineração na Lua e Marte em várias fotografias. Eu sempre pensei que eram de alienígenas, mas eu acho que poderiam ter sido nossas. Essa imagem do que parece uma nave espacial é muito reveladora.

Rense: A que eu te enviei?

Filer: Correto.

Rense: Sim. Na doca seca ou o que parece, mas verificar o link lá, porque ele volta para uma alegada fonte. Agora, isso poderia ser uma maneira fácil de desacreditar essa fotografia também, chamando-a de conceitual. Eu não sei.

Filer: Parece terrivelmente real para mim. Vamos colocar dessa maneira.

Rense: Impressionante. Sim. Sim, deslumbrante. concordo.

Filer: Um monte de trabalho entrou no conceito de arte.

Rense: Enorme quantidade de trabalho. Enorme.

Filer: Bem, eu tive várias indicações ao longo dos anos, você sabe, estudando este campo, que algo aconteceu logo depois que os alemães perderam a Segunda Guerra Mundial que trouxemos de volta alguma situação de tipo Disco Voadores-nazistas. Pelo menos me disseram isso. Vamos colocar dessa maneira. Nós trouxemos aos EUA alguns OVNIs alemães. Então isso se encaixa no que Bill está dizendo, e é absolutamente fascinante o que ele tem a dizer que temos essas nossas espaçonaves. Não tenho certeza por que não queremos admitir a eles. ___ que custam milhões de dólares e até bilhões de dólares que eram exatamente como velhos carros Ford que tinham 50 anos de idade que são naves e assim por diante que são obviamente muito melhores do que qualquer coisa que sabemos que temos. Nós desenvolvemos lasers, que ele fala a respeito. E nós desenvolvemos. . . Bem, eu acho que nós temos nossos próprios UFOs. Há certamente provas disso. É provável que fomos ajudados pelos povos (Aliens Tall Whites) nórdicos. Então há um monte de situações em que você pode dar um respaldo ao que Bill diz.

solar-warden-nave-mae

Rense: Está bem, Frank?

Chille: Ah, rapaz, Jeff, há muito mais que Bill quer compartilhar. Eu não sei se ele pode entrar na história sobre o amigo dele que estava no programa Solar Warden e estava em uma das espaçonaves que foi rejuvenescida e Bill  de vez em quando o encontra.

Rense: Ok, conte-nos sobre esse cara Bill, se você quiser.

Tompkins: Quem é esse, Frank?

Chille: O companheiro que você sabe que era parte do Solar Warden que você conheceu por um longo período de tempo e eles também o rejuvenesceram.

Tompkins: Ok, eu acho que eu não me lembro desse, mas. . .

Rense: Quantas pessoas você sabe que estão no Solar Warden agora? Qualquer número?

Tompkins: O pessoal nele. . . Você sabe que temos três caras que estão lançando uma grande quantidade de informações e meu esforço para isso é anterior sobre todo o programa Solar Warden, porque eu fiz o projeto desses veículos e, em seguida, eu estava envolvido em diferentes empresas subcontratadas que estavam apoiando a Lockheed Martin e a Northrop Grumman Corporation. Então eu conheço muitas dessas pessoas e eu até conheço pessoas da Grumman aqui em San Diego, quem. . . Que não é o seu trabalho, mas eles estão engolidos com ele. Então, essas pessoas estão muito bem informadas sobre o que está ocorrendo com as missões. E, na verdade, os veículos estão muito velhos agora. Então, eles fizeram todos os tipos de atualizações, equipamentos novos a bordo, outros descolados, construção e tudo nas instalações dos aliens nórdicos.

Rense: Aqui na Terra ou fora do planeta?

Tompkins: Instalações alienígenas fora do planeta. Então, agora, há um outro programa maciço para substituir todos as oito espaçonaves desses grupos de batalha espacial.

Rense: Uau!

Tompkins: E isso está acontecendo aqui, mas também é pela construção da Marinha dos EUA fora do planeta.

Rense: Muito interessante. Bill, esse é o nosso programa hoje à noite. Estamos sem tempo. Obrigado por compartilhar tudo isso. Vamos fazê-lo novamente se você quiser. Apenas um recall extraordinário. Dados muito provocativos para as pessoas a considerarem e pensar a respeito e nós realmente apreciamos. Obrigado, Bill.

Tompkins: Obrigado pelo programa e todo o apoio que você tem dado a todos os outros sobre isso. É muito importante.

Rense: Tudo bem. Você é muito bem-vindo. Obrigado. E Frank Chille, obrigado, senhor. Falaremos em breve.

contagem-regressiva-azulChille: Obrigado.

Rense: E o Major George, obrigado como sempre por estar aqui. É um mundo incrível lá fora.

Filer: Há muita coisa acontecendo lá fora. Mais e mais informações estão vindo à público.

Rense: Sim. De fato. OK. Obrigado, George. E obrigado a todos vocês. Outro programa nos registros. E nós vamos voltar amanhã à noite e fazê-lo novamente. Espero tê-lo a bordo. Cuidado.

FIM


Mais informações:

  1. http://thoth3126.com.br/operacao-highjump-nazistas-na-antartica/
  2. http://thoth3126.com.br/nazistas-na-antartica-operacao-highjump-final-2/
  3. http://thoth3126.com.br/nazismo-operacao-paperclip/
  4. http://thoth3126.com.br/o-3o-reich-nazista-fatos-desconhecidos/
  5. http://thoth3126.com.br/eventos-incriveis-acontecendo-na-antartica/
  6. http://thoth3126.com.br/nazistas-na-antarticaum-video-russo-a-respeito/
  7. http://thoth3126.com.br/discos-voadores-dos-nazistas-alemaes/
  8. http://thoth3126.com.br/serpo-zeta-reticuli-o-programa-de-intercambio-post-6/
  9. http://thoth3126.com.br/antartica-aberturas-e-base-nazista-neuschwabenland/
  10. http://thoth3126.com.br/nazismo-os-arquivos-secretos-da-waffen-ss/
  11. http://thoth3126.com.br/illuminati-1-revelacoes-de-um-membro-no-topo-da-elite/
  12. http://thoth3126.com.br/eua-sabiam-sobre-acordo-nazista-com-extraterrestres-de-draco/
  13. http://thoth3126.com.br/o-nazismo-e-o-programa-espacial-secreto-dos-eua/
  14. http://thoth3126.com.br/programa-espacial-secreto-um-assombro/
  15. http://thoth3126.com.br/programa-espacial-secreto-dos-eua-e-mais-complexo/
  16. http://thoth3126.com.br/insider-denuncia-frota-secreta-de-naves-espaciais-dos-eua/
  17. https://thoth3126.com.br/comando-espacial-da-frota-secreta-de-espaconaves-anti-gravidade-dos-eua/
  18. https://thoth3126.com.br/comando-de-operacao-lunar-l-o-c-por-corey-goode/
  19. https://thoth3126.com.br/programa-espacial-secreto-a-vida-numa-nave-de-pesquisa-corey-goode/
  20. https://thoth3126.com.br/as-mudancas-planetarias-serao-profundas-e-inevitaveis-parte-1/
  21. https://thoth3126.com.br/uma-mensagem-alien-para-a-humanidade-corey-goode/
  22. https://thoth3126.com.br/a-ameaca-da-ia-inteligencia-artificial/
  23. https://thoth3126.com.br/ex-soldado-milab-divulga-viagem-no-tempo-manipulacoes-de-linha-temporal/
  24. https://thoth3126.com.br/aliens-brancos-e-altos-tall-whites/
  25. https://thoth3126.com.br/base-subterranea-1-extraterrestre-humana-na-antartica-revelada/
  26. https://thoth3126.com.br/antarctica-iminente-o-anuncio-da-descoberta-de-ruinas-de-uma-antiga-civilizacao/
  27. https://thoth3126.com.br/aliens-tall-white-controlam-os-eua-e-ajudaram-hitler/
  28. https://thoth3126.com.br/as-motivacoes-dos-ets-tall-whites-brancos-altos-e-seu-significado/

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *