A I.A. está começando a Assustar, e isso é bom

A Raça Humana está despertando para a possibilidade de estar invocando a sua própria extinção. A palavra “raça” [Race], de acordo com o meu dicionário, significa “as principais divisões da espécie humana baseadas em características particulares”. Mas há outro significado para a palavra “raça” [Race], é claro, e é definido como “competição numa corrida para determinar o mais rápido em um percurso definido”. Este último significado parece ter substituído o primeiro.

A I.A. está começando a Assustar, e isso é bom

Fonte: Julianrose.info

Especialmente onde uma visão limitada do futuro se tornou fortemente ligada a um mundo de inteligência artificial em que tudo é concebido de acordo com as exigências personalizadas dos nerds da informática dominados pelo lado esquerdo do cérebro [e em sua maioria ativistas LGBTQ+ e judeus khazares].

Para esses indivíduos psicopatas, há uma corrida para desenvolver uma entidade humana artificial essencialmente indistinguível de um robô. Um Transumano. Entre aqueles que estão na vanguarda da busca dessa visão tecno-humana estão o professor judeu khazar, ateu e ativista LGBTQ+, Yuval Noah Harari, conselheiro-chefe do judeu khazar e CEO do WEF, Klaus Schwab e Sam Altman, fundador do Open AI/Chat GPT, também ativista LGBTQ+ e judeu khazar.

A visão de Harari é em grande parte “filosófica”, traçando a evolução do boom da inteligência artificial e extrapolando daí o resultado de uma tomada ciborgue de quase todas as atividades humanas planetárias orientadas para o trabalho. Ele geralmente vê isso de “forma positiva”, acreditando que uma “nova espécie” surgirá com a capacidade de acessar volumes de informações sobre-humanos e, dessa forma, adquirir “conhecimento”.

Numa entrevista recente, ele afirmou que “a IA tornará possível melhorar e atualizar os humanos”. O que significa – como veremos mais tarde – atualizá-los para serem seres desumanos/não humanos.

“Os humanos agora são ANIMAIS hackeaveis, Toda a ideia de os humanos terem “Alma” ou “Espírito”, e ninguém sabe o que esta acontecendo dentro deles, e que os humanos tem Livre Arbítrio, ACABOU”. Decretou o ativista LGBTQ+, um transumanista casado com outro homem, um judeu khazar ateu . . .do alto de sua arrogância.

Altman aborda isso a partir da perspectiva pós-vale do silício (chamado de “vale cerebral”). A Wikipedia afirma, como parte de uma revista mais longa “Altman foi cofundador da Tools For Humanity em 2019, uma empresa que constrói e distribui sistemas projetados para escanear os olhos das pessoas para fornecer autenticação e verificar provas de personalidade para combater fraudes. As pessoas que concordam em ter seus olhos escaneados são compensadas com uma criptomoeda chamada Worldcoin. Tools for Humanity descreve sua criptomoeda como semelhante à renda básica universal.”

Tenho certeza de que li isso em “Admirável Mundo Novo” revisitado, de Huxley…e “1984” de George Orwell

Sua empresa já está avançando com o desenvolvimento de vários auxílios de alta tecnologia para programas de vigilância governamental, projetos de extensão de idade e texto instantâneo para formulações de imagens. Altman apresentou a proposta de que apenas um homem será capaz em breve de gerir um negócio com um volume de negócios de bilhões de dólares – sem necessidade de outra pessoas.

Ele está na mesma página que Harari ao afirmar que Essas empresas exigem uma nova espécie de elite para administrá-las”. As avaliações do mercado de ações do Open AI/Chat GPT revelam uma taxa de crescimento astronômica, perto de ultrapassar o patrimônio líquido do Google e da Microsoft combinados.

Só isso é suficiente para arrepiar os cabelos da nuca.

Não é meu propósito entrar nas ambições pessoais de Altman ou Harari, quero simplesmente mostrar onde estão suas mentes e agendas e explorar a psicologia por trás do aumento do fascínio pela IA, bem como procurar sinais de uma reação contrária ao seu domínio acelerado.

Não há dúvida de que o homem sempre teve um instinto para a inventividade material e um fascínio pelo avanço dos desenvolvimentos tecnológicos – juntamente com um desejo de fazer as coisas andarem cada vez mais rápido e mais produtivas.

Mas isto levou-nos agora a um ponto onde, se o que significa ser humano deve ser respeitado, não se deve ousar ir mais longe. Em vez disso, deve-se estar alerta para reconhecer a necessidade de selecionar uma marcha à ré.

Flertar com a concepção de uma nova espécie cujas principais características sejam a antítese daquelas consideradas mais benéficas para a nossa evolução superior, costumava ser chamado de “brincar de Deus”. Mas esta expressão já não parece apropriada, porque o que está realmente acontecendo é que pessoas como Harari e Altman estão “brincando de e para o Diabo”.

Samuel Altman

Estão articulando e promovendo a substituição das qualidades humanas espontâneas de amor, emoção, compaixão, dor, sentimento e prazer – por estados mentais robóticos de alta tecnologia que não tem lugar para estes instintos e sentimentos profundamente humanos – e depois chamam a isto de “progresso”.

Essas características ciborgues são modeladas no preceito de que as emoções humanas são de alguma forma primitivas, bloqueando nossa capacidade de projetar uma existência de certeza linear, completamente controlável e sem atrito.

Sem altos, sem baixos, sem paixão, sem sentimentos – exceto o que Huxley descreve em “Admirável Mundo Novo” como um estado adquirido após lhe ter sido prescrita a pílula química de docilidade “Soma”.

Assim, os proponentes de Uma Nova Ordem Mundial/Grande Reinicialização podem apontar para o fato de que, ao manipular o ADN humano, instalar chips de computador nanotecnológicos internos e utilizar frequências de radiação EMF direcionadas para controlar as faculdades cognitivas da humanidade – elimina-se o perigo de qualquer forma desestabilizadora ou rebelde, influência sempre se tornando uma ameaça ao bom funcionamento de um status quo esterilizado e higienizado (Matrix).

Isto torna a ideia de um homem ciborgue pela I.A. completamente previsível, chipado e digitalizado, o ajuste perfeito para tecnocratas psicopatas que administram o departamento de planejamento central da Grande Reinicialização/Governo Mundial desses servidores das trevas.

Também explica porque é que Klaus Schwab pode, com tanta certeza, anunciar que, seguindo os ditames da Quarta Revolução Industrial, “não possuirás nada e serás feliz”. Sim, porque o ‘efeito Soma’ da manipulação do DNA e do cérebro significa que nenhum poder individual de resistência permanecerá!

E está tudo conectado quando se juntam os pontos. E é quando essa união é finalmente realizada que o fator assustador surge subitamente – e desde que esteja funcionando como deveria – um impulso biológico para rejeitar tal cenário, assume o controle.

Considere o seguinte: a grande fraude do Aquecimento Global/Mudanças Climáticas tem sido mantida a todo vapor há mais de duas décadas, a fim de garantir que as pessoas não vejam outra solução para a vida na Terra – a não ser a “Emissão Zero CO²”. Assim, a vida quotidiana deve conformar-se a uma série de imposições ditatoriais destinadas a garantir um futuro com zero emissões de carbono “como a única forma de salvar o mundo”.

Títulos tranquilizadores como “Agenda 2030 de Sustentabilidade” e “New Green Deal” foram inventados para dar a impressão de que se trata de uma operação benigna de “ecologização” para o benefício garantido das gerações presentes e futuras.

Mas “bancar o diabo” significa inverter realidades, um truque diabólico em que os responsáveis ​​pela Grande Reinicialização estão bem familiarizados. Como a estratégia nazista de transformar um símbolo de paz indiano, a suástica, num símbolo de repressão e guerra.

A ‘reversão’ de tudo que é bom, belo e verdadeiro é a principal característica desestabilizadora das entidades demoníacas. Então, será que o “New Green Deal” pode realmente ser uma iniciativa ecológica benigna para aumentar a biodiversidade do planeta e melhorar a qualidade dos alimentos?

Somente se você acreditar que o seguinte é uma descrição disso: cobrir a paisagem rural com gigantescas turbinas eólicas e hectares de painéis fotovoltaicos; a erradicação dos agricultores e a sua substituição por robôs; alimentos naturais cultivados em fazendas substituídos por similares sintéticos de laboratório OGM; vacas substituídas por máquinas que produzem leite sintético OGM, carnes medicinais criadas em placas de Petri e proteínas obtidas de insetos.

Então você vê por que a cabala do estado profundo tem que manter uma barragem de domínio de todo o espectro de mentiras de segundas intenções sobre por que atingir o “Emissão Zero CO²” é a questão mais importante do milênio.

A transição para um Transumanismo obviamente requer um processo supervasto de doutrinação de bandeira falsa para lhe dar alguma chance de sucesso. Uma doutrinação apoiada pela ameaça de multas; vigilância permanente de IA vinculada a uma moeda digital; prisão em “cidades inteligentes de 15 minutios [para cidadãos zumbis]” alimentadas por 5G, contaminação por injeções de mRNA, novos vírus e pandemias e ataques de longo alcance à capacidade do cérebro humano de permanecer capaz de pensar com clareza.

O judeu khazar e CEO do WEF, Klaus Schwab

Tudo isto e muito mais, para reprimir a ameaça de qualquer possível rebelião ou dissensão relativamente às regras postas em prática para forçar a humanidade a render-se à sua erradicação cuidadosamente planeada da “Emissão Zero CO²”. Mais uma vez, uma agenda que substitui o ser humano por uma espécie de réplica programada por computador com I.A., sem capacidade de expressar resistência e bovinamente obediente.

Tudo isto constitui a agenda do Estado Profundo e a Grande Reinicialização. E o seu raciocínio para a necessidade de tais ações é que não há outra forma de pôr fim à existência do benigno “gás da vida” chamado CO². De jeito nenhum, a não ser transformar a raça humana em um exército bem treinado de zumbis mortos-vivos.

Uma agenda tão insana deveria causar arrepios na espinha? Bem, se isso não acontecer, então o status assumido como ser humano certamente estará em dúvida.

Se a tendência for simplesmente descartar estes avisos como algum tipo de fantasia exótica, considere a seguinte notícia presciente: uma empresa chamada Aria Advanced Research Invention Agency foi recentemente criada no Reino Unido sob o lema “Shaping the Global Future” e com o objetivo número um declarado de “reduzir a ameaça do aquecimento global causada pelas emissões de metano das vacas”. A seguir «o desenvolvimento de plantas programáveis ​​geneticamente modificadas». Também como forma de reduzir o aquecimento global, claro.

Preciso fornecer mais provas de que a falsa agenda fascista verde concebida para “travar as alterações climáticas” foi escolhida para ser o espantalho essencial para obter a aceitação pública da necessidade de alterar o DNA da natureza, redesenhar a espécie humana e despovoar o planeta?

Fomos presenteados com a condição emocional do medo, guiada pelos nervos, como um sistema de alerta precoce para enfrentar uma situação que é potencialmente perigosa. Parando no meio do caminho e dando uma segunda olhada antes de prosseguir.

Elon Musk e alguns outros de posição semelhante receberam momentaneamente esta mensagem há alguns meses. Musk, ele próprio um dos principais expoentes da IA, queria uma força-tarefa para examinar para onde está indo a inteligência artificial e se já está fora de controle.

Os alarmes tocam há duas ou três décadas, mas o surgimento de sentimentos assustadores cruciais é bastante recente para a maioria. Representam um salão de última oportunidade – uma linha de vida emocional – e devem ser analisados ​​e postos em prática individual e coletivamente.

Eu priorizaria as crianças como as que mais necessitam urgentemente de proteção contra a IA. A distorção e o envenenamento das suas belas mentes inocentes com a violência dos jogos de guerra de realidade virtual alimentados por EMF digitais, a publicidade tóxica, o transgenerismo, o movimento LGBTQ+ e a sexualidade distorcida pertencem firmemente à categoria de crimes contra a humanidade.

E então a adoção impensada – poder-se-ia mesmo dizer “descuidada” – de armas de conveniência digitalizadas produzidas em massa (isto é, o smartphone/celular) por aqueles que se supõe serem seres humanos inteligentes, capazes de discernimento e pensamento racional, exige o estabelecimento de uma nova categoria de doença social e mental.

Mas mais importante do que isso é a necessidade de esses viciados e dependentes da tecnologia terem medo suficiente do que estão fazendo a si mesmos, aos outros e ao ambiente natural, para finalmente abandonarem o vício.

Não é meu desejo dedicar a maior parte dos meus escritos à tentativa de assustar as pessoas. Não é como se não houvesse um balde cheio da versão distorcida pré-planejada acontecendo sob os auspícios da cabala do governo paralelo.

Prefiro encorajar as extraordinárias qualidades criativas que se encontram logo abaixo da superfície de muitos milhões de homens, mulheres e crianças calorosos, humanitários e pró-vida, espalhados por todo o mundo. No entanto, devo articular a natureza da doença detectada pelo meu sistema pessoal de alerta precoce. Aquela que clama por ações para a preservação da vida.

É porque reconheço a existência de uma energia vibracional inconsciente coletiva que nos conecta a todos, que acredito que os leitores mais conscientes compartilharão minhas apreensões, previsões e crenças mais profundas. Afinal, eles são comuns a todos nós.

É por esta razão que podemos e iremos superar até as piores ameaças ao nosso futuro comum. Redescobrir e rejuvenescer a nossa humanidade, o nosso amor pela vida e o nosso amor uns pelos outros. E, ao fazê-lo, desligar os construtores de realidades virtuais monstruosas, sem alma, desprovidas de todas as qualidades que tornam a vida tão profundamente significativa – tão incalculavelmente preciosa.


Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.328 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth