browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

A Linha do Tempo Anunnaki na história da Terra

Posted by on 20/07/2021

Com base em inúmeras descobertas arqueológicas, artefatos, registros e monumentos encontrados e decifrados no passado por arqueólogos, acredita-se que os Anunnaki (em sumério: “aqueles que desceram dos céus), uma civilização extremamente avançada do planeta Nibiru, que a cada 3.600 anos visita nosso sistema solar, desceram na Terra, pousando no Golfo Pérsico cerca de 432.000 anos atrás [exatamente no início do Kali Yuga] e começaram a interferir no nosso planeta.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

A Linha do Tempo Anunnaki na história da Terra

Fonte:  Ancient Code 

Nas últimas duas décadas, inúmeras descobertas controversas foram feitas, as quais desafiam os principais pesquisadores, o establishment acadêmico, eruditos, historiadores e sua míope visão sobre a história, o surgimento e a evolução dos atuais seres humanos.

Toda vez que escrevemos sobre os antigos Anunnaki; nos deparamos com muito desconforto de vários lados dos leitores. Enquanto há aqueles que acreditam firmemente na existência dos Anunnaki, e sua chegada à Terra pode explicar muitos relatos que os estudiosos tradicionais não podem, há aqueles que acreditam que os antigos Anunnaki nunca existiram e que civilizações extremamente avançadas nunca existiram na Terra.

No entanto, nos últimos anos, muitos pesquisadores estão mudando sua metodologia e começando a finalmente pensar com a mente mais aberta.

A teoria dos antigos astronautas alienígenas pressupõe que milhares de anos atrás, mesmo antes da história registrada, nosso planeta foi visitado por astronautas de outro mundo, seres inteligentes com tecnologia além da nossa hoje. Muitos arqueólogos em todo o mundo consideram o Iraque moderno como o “berço da civilização”. Entre 3500 e 1900 aC, os rios Tigre e Eufrates foram o lar do povo sumério que prosperou nesta região.

Hoje, quando lemos ou buscamos informações sobre os  Sumérios e os Anunnaki  ou sobre as pessoas que habitavam aquela parte do mundo, encontramos o polêmico autor judeu russo  Zecharia Sitchin. Em 1976, o autor Sitchin publicou suas traduções pessoais dos textos sumérios em uma série de livros chamada “As Crônicas da Terra”.

De acordo com Sitchin, os tabletes de argila descrevem uma raça alienígena conhecida como  Anunnaki , que veio à Terra para extrair ouro. Sitchin  praticamente sugere que extraterrestres visitaram a Terra no passado porque a civilização de seu planeta natal [Nibiru] precisava aspergir pó de ouro na sua atmosfera para sobreviverem à passagem pelo nosso sistema solar.

Com base em inúmeras descobertas arqueológicas, artefatos, registros, documentos e monumentos encontrados no passado por arqueólogos e lingüistas, Sitchin indica que os Anunnaki (em sumério: “aqueles que desceram dos céus”), uma civilização extremamente avançada do planeta Nibiru em sua passagem pelo nosso sistema solar, os Anunnaki desceram na Terra, pousando no Golfo Pérsico cerca de 432.000 anos atrás. Esta civilização avançada colonizou nosso planeta e seu único propósito era extrair grandes quantidades de ouro.

Aproximadamente cerca de 250.000 anos atrás, de acordo com Sitchin, os antigos Anunnaki fundiram seus genes [DNA] Alien com os do Homo Erectus e criaram uma espécie híbrida conhecida como Homo Sapiens, obtendo, como resultado, uma espécie geneticamente bicameral.  No entanto, os humanos eram uma espécie híbrida e não podiam procriar pois eram estéreis. Como a demanda por humanos como escravos/trabalhadores dos ‘deuses’ Anunnaki tornou-se maior, os antigos Anunnaki mais uma vez manipularam geneticamente a humanidade antiga para que pudessem se reproduzir por conta própria.


[“E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra”. – Gênesis 1:26]


Baseado no Código Cósmico: O Sexto Livro das Crônicas da Terra, de Zecharia Sitchin, esta é a linha do tempo histórica de nossa humanidade em nosso planeta:

Eventos antes do dilúvio

450.000 anos atrás: em Nibiru, um planeta distante de nosso sistema solar, que também orbita o sol/estrema Sírius [Alfa da Constelação de Canis Major] a vida enfrenta uma lenta extinção enquanto a atmosfera do planeta sofre erosão. Deposto por Anu, o governante Alalu foge em uma nave espacial e encontra refúgio na Terra. Ele descobre que a Terra possui ouro em abundância que pode ser usado para proteger a atmosfera de Nibiru.

445.000 aC: Liderados por Enki, um filho de Anu, os Anunnaki em terra na Terra, estabelecem um posto avançado chamado de Eridu – Estação Terrestre I – para extrair ouro das águas do Golfo Pérsico.

430.000 aC: O clima da Terra se torna mais ameno. Mais Anunnaki chegam à Terra, entre eles a meia-irmã de Enki, Ninhursag, Oficial Médica Chefe dos Anunnaki.

416.000 aC: Enquanto a produção de ouro diminui, Anu chega à Terra com Enlil, o herdeiro do comando do planeta Nibiru. Decide-se obter o ouro vital minerando-o nas terras situadas no sul da África. Tirando a sorte, Enlil ganha o comando da Missão Terrestre; Enki é relegado para a África. Ao partir da Terra, Anu é desafiado pelo neto de Alalu.

400.000 aC: Sete assentamentos funcionais são implantados entre os rios Tigre e Eufrates, no sul da Mesopotâmia que incluem um espaçoporto (Sippar), Centro de Controle de Missão (Nippur), um centro metalúrgico (Shuruppak). Os minérios chegam em navios da África; o metal refinado é enviado para os orbitais tripulados por Igigi e, em seguida, transferido para espaçonaves que chegam periodicamente de Nibiru.

380.000 aC: Obtendo o apoio dos Igigi, o neto de Alalu tenta obter o domínio da Terra. Os Enlilitas vencem a guerra dos deuses antigos.

300.000 aC: Os Anunnaki trabalhadores nas minas de ouro da África do Sul se amotinam por causa das péssimas condições de trabalho. Enki e Ninhursag resolvem criar trabalhadores escravos primitivos por meio da manipulação genética da mulher Macaca; eles assumem as tarefas manuais dos Anunnaki. Enlil invade as minas no sul da África, traz os Trabalhadores Primitivos para o Edin na Mesopotâmia [o Jardim do Éden bíblico]. Dada a capacidade de procriar, o Homo Sapiens começa a se multiplicar.

200.000 aC: A vida na Terra regride durante um novo período glacial.

100.000 aC: clima aquece novamente. Os Anunnaki (os Anakim, Nefilim bíblicos), para o crescente aborrecimento de Enlil, “casam-se” com as filhas do Homem.


“E aconteceu que, como os homens começaram a multiplicar-se sobre a face da Terra, e lhes nasceram filhas, Viram os filhos de deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram”. –  Gênesis 6:1,2


75.000 aC: A “maldição da Terra” – uma nova Idade do Gelo começa. Tipos regressivos do homem vagam pela Terra. O homem Cro-Magnon sobreviveu.

49.000 aC: Enki e Ninhursag elevam humanos de ascendência Anunnaki para governar em Shuruppak. Enlil fica enfurecido. Ele planeja a morte da humanidade.

13.000 aC: Percebendo que a passagem de Nibiru nas proximidades da Terra desencadeará um imenso maremoto, Enlil faz os Anunnaki jurarem manter a calamidade iminente em segredo da humanidade para que a mesma pereça.

Eventos após o dilúvio de Noé

11.000 aC: Enki quebra o juramento e instrui Ziusudra / Noé a construir um imenso navio submersível. O Dilúvio varre a Terra; os Anunnaki testemunham a destruição desde a sua espaçonave em órbita na Terra, para onde fugiram para escapar da fúria das águas. Enlil concorda em conceder aos remanescentes implementos e sementes de hortaliças e cereais para a humanidade sobrevivente; a agricultura começa nas terras altas. Enki domestica os animais.

10.500 aC: Os descendentes de Noé receberam três regiões. Ninurta, o filho principal de Enlil, represa as montanhas e drena os rios para tornar a Mesopotâmia habitável; Enki recupera o vale do Nilo. A península do Sinai foi mantida pelos Anunnaki como um espaço porto pós-diluvio; um centro de controle é estabelecido no Monte Moriah (a futura Jerusalém).

9.780 aC: Ra / Marduk, o filho primogênito de Enki, divide o domínio sobre o Egito entre Osíris e Seth.

9.330 aC: Seth apreende e desmembra Osíris, assume o governo exclusivo do vale do Nilo.

8.970 aC: Hórus vinga seu pai, Osíris, lançando a Primeira Guerra da Pirâmide. Seth foge para a Ásia, conquista a península do Sinai e Canaã.

8.670 aC: Em oposição ao controle resultante de todas as instalações espaciais pelos descendentes de Enki, os enlilitas lançam a Segunda Guerra da Pirâmide. O vitorioso Ninurta esvazia a Grande Pirâmide de seu equipamento.

Ninhursag, a meia-irmã de Enki e Enlil, convoca uma conferência de paz. A divisão da Terra é reafirmada. O governo do Egito foi transferido da dinastia Rá / Marduk para a de Thoth. Heliópolis foi construída como uma cidade-farol substituta.

8.500 aC: Os Anunnaki estabelecem postos avançados no portal das instalações espaciais; Jericho é um deles.

7.400 aC: Enquanto a era de paz continua, os Anunnaki concedem novos avanços à humanidade;  o período Neolítico começa. Semideuses governam o Egito, a civilização do Rio Indus, a Mesopotâmia e demais regiões da Terra.

3.800 aC: A civilização urbana começa na Suméria quando os Anunnaki restabelecem as Cidades Antigas, começando com Eridu e Nippur. Anu vem à Terra para uma visita espetacular. Uma nova cidade, Uruk (Erech), é construída em sua homenagem; ele faz de seu templo a morada de sua amada neta Inanna / Ishtar.

O Zigurate na antiga cidade de Ur, a Uruk dos Anunnaki, onde “deus” fez um pacto com Abraão

Reinado na Terra

3.760 aC: [penúltima passagem de Nibiru pelo nosso sistema solar, surgimento do embrião das doze tribos dos povos hebreus]: A realeza é instituída como forma de governo na Terra. Kish é a primeira capital sob a égide de Ninurta. O calendário começou em Nippur. A civilização floresce na Suméria (a Primeira Região).

3.450 aC: Primazia na Suméria transferida para Nanar / Sin. Marduk proclama Babilônia “Portal dos Deuses”. O incidente da “Torre de Babel”. Os Anunnaki confundem as línguas da Humanidade.

Frustrado com seu golpe, Marduk / Ra retorna ao Egito, depõe Thoth, captura seu irmão mais novo, Dumuzi, que havia se casado com Inanna. Dumuzi é morto acidentalmente; Marduk preso vivo na Grande Pirâmide. Libertado por um poço de emergência, ele vai para o exílio.

3, 350 – 3.100 aC: anos de caos terminam com a instalação do primeiro faraó egípcio em Memphis. A civilização chega à segunda região no vale do Rio Nilo. Surge a escrita, código de leis, etc.

2.900 aC: Reinado na Suméria transferido para Erech. Inanna recebeu o domínio sobre a Terceira Região; começa a Civilização do Vale do rio Indus [hoje situado no Paquistão].

2.650 aC: A capital real da Suméria muda. A realeza se deteriora. Enlil perde a paciência com as multidões humanas indisciplinadas.

2.371 aC: Inanna se apaixona por Sharru-Kin (Sargão). Ele estabelece uma nova capital. Agade (Akkad). Começo do futuro império Acádico.

2.316 aC: Com o objetivo de governar as quatro regiões, Sargão remove solo sagrado da Babilônia.  O conflito Marduk-Inanna irrompe novamente. Termina quando Nergal, irmão de Marduk, viaja da África do Sul para a Babilônia e convence Marduk a deixar a Mesopotâmia.

2.291 aC: Naram-Sin ascende ao trono de Akkad. Dirigido pela guerreira Inanna, ele penetra na península do Sinai, invade o Egito.

2.255 aC: Inanna usurpa o poder na Mesopotâmia; Naram-Sin desafia Nippur. Os Grandes Anunnaki destruíram Agade. Inanna foge. Suméria e Akkad ocupadas por tropas estrangeiras leais a Enlil e Ninurta.

2.220 aC: civilização suméria atinge novas alturas sob governantes iluminados de Lagash. Thoth ajuda seu rei Gudea a construir um templo-zigurate para Ninurta.

2.193 aC: Terah, pai de Abraão, nascido em Nippur em uma família real sacerdotal.

2.180 aC: Egito dividido; os seguidores de Ra / Marduk mantêm o sul; Os faraós que se opunham a ele ganhariam o trono do baixo Egito, no norte.

2.130 aC: À medida que Enlil e Ninurta estão cada vez mais distantes, a autoridade central também se deteriora na Mesopotâmia. As tentativas de Inanna de recuperar a realeza para Erech não duram.


Ano de 2.024 a.C.: “Então o “Senhor” fez chover enxofre e fogo, do Senhor desde os céus, sobre Sodoma e Gomorra; E destruiu aquelas cidades e toda aquela campina, e todos os moradores daquelas cidades, e o que nascia da terra. E a mulher de Ló olhou para trás e ficou convertida numa estátua de sal. E Abraão levantou-se aquela mesma manhã, de madrugada, e foi para aquele lugar onde estivera diante da face do Senhor; E olhou para Sodoma e Gomorra e para toda a terra da campina; e viu, que a fumaça da terra subia, como a de uma fornalha”. – Gênesis 19:24-28 [… e a primeira comunidade Transgênero / LGBTQ+ foi varrida da face da Terra pelos deuses Anunnaki …]


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br.

2 Responses to A Linha do Tempo Anunnaki na história da Terra

  1. Dante

    O Zacharia Sithin não tinha sido desmentido algum tempo atrás? Se não me engano parece que muita coisa ele inventou e acrescentou nessas ditas traduções,pelo que parecia era para deixar Enki em uma luz favorável enquanto colocar Enlil como vilão. Dentre outras coisas que não me lembro que disseram que ele inventou.

    • Thoth3126

      Caro Dante, leia TODA a obra do Sitchin e tire AS SUAS PRÓPRIAS CONCLUSÕES. Deste modo voce evitará enganos, SE LEMBRARÁ de algo e nada parecerá isto ou aquilo ou que foi inventado. Muita Luz e Paz.

Deixe um comentário para Dante Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.