browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

A misteriosa base que a CHINA está construindo na Patagônia argentina.

Posted by on 05/08/2017

dragão-triad-chinaA misteriosa base que a China está construindo na Patagônia argentina.

Depois de um polêmico acordo com o país sul-americano, o gigante asiático está construindo sua terceira e “mais moderna estação interplanetária e a primeira fora de seu próprio território” em Paraje de Quintuco, na província de Neuquén, no coração da região.

A base é parte do Programa Nacional da China de Exploração da Lua e Marte. A chamada “Estação Espacial Distante” deve começar a operar no final de 2016, de acordo com o cronograma oficial.

Mas a instalação da base, que inclui uma poderosa antena parabólica de 35 metros para pesquisas do “espaço profundo”, está cercada de polêmica, mistério e suspeitas.

base_espacial_china_patagonia_argentina

Alguns analistas garantem que a base ‘depende do Exército Popular Chinês’ e que o uso militar da informação obtida pela base ‘é incontrolável’

O principal questionamento está relacionado a seu possível uso militar e à existência de cláusulas secretas no contrato bilateral que permitiu sua construção. As autoridades espaciais argentinas desmentiram à BBC Mundo que tais cláusulas existam. No entanto, o novo presidente do país, Mauricio Macri, havia prometido revelá-las.

Como é possível que não haja cláusulas secretas se o presidente prometeu revelá-las? “Não sei quem informou ao presidente que existem anexos secretos, porque eles não existem. Isto é uma grande falácia”, afirmou Félix Menicocci, secretário-geral da Comissão Nacional Aeroespacial (Conae) da Argentina, à BBC Mundo, o serviço em espanhol da BBC.

Mas a existência dos anexos secretos é considerada fato não apenas pelo presidente Macri como também por analistas e jornalistas que investigaram o assunto, além de dirigentes locais.

Segundo o jornalista do La Nación Martin Dinatale, o inquietante, nesse caso, é que “a base depende do Exército Popular chinês, diferentemente de uma estação espacial parecida construída por intermédio de acordos com a União Europeia na província de Mendoza, mais ao norte, cuja contraparte é uma entidade civil”.

china-base-patagonia

A base chinesa tem uma poderosa antena de 35 metros para pesquisa em ‘espaço profundo’. Especialistas afirmam que a antena pode ter uso duplo

O analista político Rosendo Fraga, diretor da consultoria Nueva Mayoría, afirma que “para a China, o satélite é do Exército, não importa o uso que se dá a ele. E o uso militar desta informação, se existe, é incontrolável”.

‘Fins pacíficos’

No entanto, a mera possibilidade de um uso militar já é rejeitada pelo funcionário da Conae. Félix Menicocci mostrou à BBC Mundo uma Carta de Compromisso de 20 de fevereiro de 2014, pela qual a empresa estatal chinesa Lançamento de Segurança e Controle de Satélites (CLTC) afirma que os objetivos da estação espacial são “totalmente civis e ela não será operada por pessoal militar”.

A polêmica é que estes “fins pacíficos” não estão especificados no acordo original das duas entidades espaciais, firmado no ano de 2012. Neste acordo também se nega o uso militar das instalações, além de incluir um artigo de confidencialidade de equipes, atividades e programas.

“Por que Quintuco, no coração da Patagônia e não a Groenlândia? Há alguma razão para essa localização? Infelizmente a base continua cheia de perguntas”, disse Horacio Quiroga, prefeito de Neuquén, uma das vozes críticas desde o início do projeto.

dragao-china

“Foi escolhido este lugar desértico de Neuquén porque era necessário um local plano em um território parecido a uma bacia, com relevo montanhoso ao redor, que sirva para bloquear qualquer interferência”, disse Menicocci, justificando a localização da estação espacial em uma área de 200 hectares e com uma zona de exclusão de frequências de rádio de cerca de cem quilômetros, segundo estabelecem os acordos.

“Precisa ser um lugar com comunicações com rotas e fibra ótica, mas também isolado”, acrescentou.

50 anos

Outro ponto polêmico é que os convênios bilaterais estabelecem um comodato ou cessão dos terrenos e isenções impositivas durante 50 anos para as “instalações de rastreamento terrestre, comando e aquisição de dados”, cujo custo inicial é de cerca de US$ 50 milhões (R$ 180 milhões).

Quiroga afirma que, a partir destes pontos do acordo, pode-se concluir que os chineses estarão ali por “pelo menos 50 anos”. “Dentro da base, no meu entendimento, não é a lei argentina que governa. De fato, é um lugar que é praticamente território chinês”, disse.

Lua

O objetivo dos chineses é chegar à Lua.  A BBC Mundo perguntou ao funcionário aeroespacial argentino a razão de a China querer ir à Lua quando a maioria dos outros países parece fazer planos para Marte.

china-base_patagonia

Muitos questionam a razão de a China ter escolhido a Patagônia argentina para instalar sua base

Menicocci explicou que os chineses foram os últimos a entrar na corrida espacial. Por isso, antes de tudo, precisam provar sua tecnologia e, em uma primeira fase, chegar à Lua.

Afirmam que estão interessados em obter na Lua o hélio 3, um combustível que serviria para continuar seus projetos para chegar até Marte. Mas não com viagens tripuladas, apenas missões robóticas, acrescentou Menicocci.

E, no que diz respeito à grande antena, Menicocci afirma que seu uso não é militar. “Não serve para o uso militar, para seguir um míssil ou outro tipo de artefato militar. Além disso, temos equipamento para detectar transmissões não autorizadas”, afirmou.

Neste ponto o jornalista Dinatale lembra que os “especialistas advertem que a antena pode ter um uso duplo, que visa a Lua ou o espaço, mas também interceptar satélites e eventualmente enviar informação vinculada com dados sensíveis de outros países”. E este fato gerou preocupações de adidos militares que levaram seus temores à chancelaria argentina.

Tensões

A questão da misteriosa base espacial chinesa na Patagônia é apenas um dos temas delicados que causam impacto na relação bilateral Argentina-China e tem o epicentro na Patagônia.

china-dragão

A esta pauta diplomática acaba se de juntar a questão do afundamento de um pesqueiro de bandeira chinesa, algo que levou Pequim a expressar “preocupação” mediante uma queixa formal. “O comunicado implica uma escalada na tensão bilateral”, afirmou o analista Rosendo Fraga. 

A BBC Mundo entrou em contato com a chancelaria argentina que, por sua vez, está tentando abaixar o tom do assunto e, no momento, não têm uma resposta pública. Fraga disse que a cautela do governo se enquadra na redefinição de sua relação com a China.

“A Argentina não decidiu que continua (com as obras) das represas com investimento milionário chinês em Santa Cruz ─ um acordo fechado pelo governo anterior ─ e, por sua vez, a China não renovou a conversão de divisas acordada para reforçar as reservas do Banco Central, como havia pedido a Argentina.”

A promessa era que a base transformaria a Argentina em “parte do reduzido clube de países exploradores do Universo”, mas o país terá apenas 10% do tempo de uso da antena. E uma eventual revogação do contrato requer um aviso prévio de cinco anos.

Nos planos da China o tempo urge. No fim do ano, a China poderia lançar sua segunda missão à Lua, justamente quando a base argentina estiver totalmente operacional.


contagem-regressiva-azul“O medo é a emoção predominante das massas que ainda estão presas no turbilhão da negatividade da estrutura de crença da (in)consciência de massa. Medo do futuro, medo da escassez, do governo, das empresas, de outras crenças religiosas, das raças e culturas diferentes, e até mesmo medo da ira divina. Há aversão e medo daqueles que olham, pensam e agem de modo diferente (os que OUVEM e SEGUEM a sua voz interior), e acima de tudo, existe medo de MUDAR e da própria MUDANÇA.” –  Arcanjo Miguel

“Conhece-te a ti mesmo e conheceras todo o universo e os deuses, porque se o que tu procuras não encontrares primeiro dentro de ti mesmo, tu não encontrarás em lugar nenhum”.  –  Frase escrita no pórtico do Templo do Oráculo de Delphos, na antiga Grécia.


Muito mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

One Response to A misteriosa base que a CHINA está construindo na Patagônia argentina.

  1. Luiz Alexandre

    Os Estados Unidos montando base na Colômbia, A Russia planejando base na Venezuela , os Chineses com essa história de ir a Lua se infiltrando na Argentina.
    E o Brasil dormindo em em berço esplêndido em cima da Amazônia, dos aquíferos, do pre-sal, do nióbio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *