Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

A presidência de (‘Dementia’ Joe) Biden é insustentável

Imaginem se Gavin Newsom fosse atualmente vice-presidente em meio ao colapso final do consórcio mafioso da famiglia Biden. Alguém duvida que Biden seria então forçado a renunciar pelos políticos democratas (por razões além de sua demência crescente) ou sofreria impeachment e talvez abdicasse no estilo Nixon? A presença da mediocridade de Kamala Harris e a impossibilidade, dada sua raça e gênero, de removê-la, por enquanto é tudo o que mantém um Biden em declínio cognitivo ainda no cargo na Casa Branca. 

A presidência de (‘Dementia’ Joe) Biden é insustentável

Fonte: American Greatness – By Victor Davis Hanson

Portanto, a esquerda ‘acordada’, liberal, democrata, LGBTQ+, transgênero, et caterva, teme o que ela poderia fazer como a presidente pelo Partido Democrata; os conservadores estão apavorados com o que ela poderia fazer ao país, uma hiena sorridente em substituição a um velho demente, corrupto e pedófilo.

A perplexidade de Joe Biden devido à sua demência isenta seus constrangimentos de responsabilidade da mesma forma que os vícios de Hunter Biden desculpam sua criminalidade em série no passado. Mas os passes concedidos a pai e filho seriam agora insustentáveis ​​com um vice-presidente viável à espera no lugar da gargalhante hiena Kamala Harris.

De fato, o “problema” de Harris explica parte da atual estratégia democrata de manter Biden a todo custo.

Vazamentos nos bastidores e crescentes rumores internos sobre a demência de Biden confirmam o retrato de um presidente frequentemente confuso, trôpego que o público agora conhece muito bem.

O furor sem objetivo dos democratas da Câmara “como você ousa considerar um inquérito de impeachment”, juntamente com seus esforços indiferentes, junto com as pre$$tituta$ da mídia, para refutar as acusações reais de corrupção da família Biden, sugerem que ele não concorrerá à reeleição – mas também não sofrerá impeachment, muito menos será condenado ou removido pela 25ª Emenda.

Portanto, o dilema de Harris como presidente explica muito: encontrar uma maneira de mantê-la fora do poder atual até que Biden de alguma forma termine seu primeiro mandato e, assim, permitir que os candidatos democratas às primárias de 2024 abortem organicamente suas aspirações presidenciais.

No entanto, existem alguns problemas com essa estratégia. Primeiro, Joe Biden pode terminar seu primeiro mandato?

Isso exigiria que sua equipe reduzisse sua jornada de trabalho já truncada pelos próximos 18 meses para cerca de 2 a 3 horas de trabalho por dia, no MÁXIMO. Ele teria que ser mantido longe de fotos com crianças pequenas (especialmente do sexo feminino), para que não devorasse a bochecha de outra vítima para uma audiência mundial.

Ele não consegue mais ler um teleprompter sem enrolar as palavras, perder o lugar ou sair de improviso para tópicos como “Vladimir” Zelenskyy, a guerra do “Iraque” na Ucrânia ou o alívio da cura do câncer.

Ele não pode dar coletivas de imprensa de meia hora devido à sua incoerência e suas prevaricações furiosas. Ele ainda insiste, incrédulo, que nunca discutiu os negócios da família Biden com Hunter, embora possamos ver em breve transcrições, gravações e depoimentos de que ele estava intimamente envolvido e lucrou com isso. 

O Estranho Caso de Hunter na Casa Branca

Seu filho Hunter é mais do que tóxico e foi capaz de deixar para trás evidências incriminatórias infantis ou se envolver em comportamentos surreais em qualquer lugar e a qualquer hora. Por que um ex-viciado em crack seria levado à Casa Branca, após o que um saco de cocaína foi encontrado pela primeira vez na história presidencial abandonado na Ala Oeste da WH?

(Resposta parcial: por que e como um viciado deixaria um cachimbo incriminador em um carro alugado, simplesmente abandonaria um laptop em uma oficina com evidências de seu próprio comportamento criminoso ou permitiria que sua arma registrada ilegalmente aparecesse em uma lixeira perto de uma escola ?)

Um observador externo e desinteressado que leu o conteúdo do laptop e os protestos de um cervo ferido de Hunter sobre seu papel não apreciado em enriquecer seu pai, tio e família inteira ou digeriu sua recente carreira desequilibrada como um quid-pro-quo, vendendo lixo caro em troca de favores presidenciais, concluiria que os Bidens estão apreensivos com o imprevisível Hunter. Mantenha seus amigos por perto, mas seu filho explosivo ainda mais perto.

Claro, eles temem a imprudência, os vícios e a ganância de Hunter – mas talvez mais ainda sua capacidade de derrubar todo o clã Biden caso eles se distanciem muito dele ou vazem que os esquemas corruptos da família nasceram apenas do caçador [hunter] caçador.

Além do declínio cognitivo de ‘Dementia’ Joe e da volatilidade, irresponsabilidade, imaturidade e sabe-se lá mais o que, de Hunter, ninguém mais acredita nas mentiras patenteadas de Joe Biden de que ele nunca discutiu com Hunter sua lucrativa carreira de vendedor de favores. A inverdade já se transformou em que ele nunca fez negócios com Hunter – e logo talvez ele nunca tenha lucrado com os negócios que fez e discutiu com Hunter e seus associados.

Não importa, até o final do ano haverá testemunhas e dados concretos mostrando que o próprio Joe discutiu esquemas de pagamento por jogo com entidades estrangeiras, do tipo que ele se gabou há muito tempo com impunidade anterior antes de um evento do Conselho de Relações Exteriores.

Este não é um escândalo de Whitewater, Trooper-gate ou Stormy Daniels, mas um suborno do tipo explicitamente descrito pela Constituição para destituição do cargo: “O Presidente, o Vice-Presidente e todos os funcionários civis dos Estados Unidos serão destituídos do cargo em Impeachment e condenação por traição, suborno ou outros crimes e contravenções graves”.

Vender influência para empresas relacionadas a governos estrangeiros é, obviamente, não apenas suborno, mas talvez também traição. E envolve outros “altos crimes e contravenções”, entre eles fraude fiscal sobre rendimentos estrangeiros não declarados.

Além disso, é discutível que o consórcio de extorsão de Biden tenha alterado a própria natureza da política externa dos EUA. Nunca saberemos o efeito total da falsa narrativa russa de desinformação, laptop, seguindo a farsa do falso conluio russo, no pensamento do Kremlin. Também não podemos explicar por que Joe Biden uma vez pediu a Putin que parasse de hackear alvos humanitários dos EUA, ou sugeriu que uma pequena invasão da Ucrânia não provocaria uma resposta dos EUA, ou se ofereceu para transportar Zelenskyy de Kiev nos primeiros dias da guerra.

Também não podemos explicar por que a China nunca foi responsabilizada por Biden depois que novas informações envolveram o papel do laboratório de Wuhan no nascimento e desenvolvimento do vírus Covid ou no envio de um balão espião pelos EUA com impunidade. Enquanto isso, a conversa maluca do governo de fazer parceria com uma China supostamente não belicosa parece desequilibrada.

Finalmente, dado o primeiro impeachment de Trump, o que a esquerda vai dizer agora aos republicanos da Câmara: “Neste país, você não pode acusar um presidente apenas por ameaçar cancelar a ajuda externa, a menos que a Ucrânia demitisse um promotor investigando a influência ilegal de sua família de alto escalão. ?”

Igualdade perante a lei?

Os democratas em seu desarranjo de Trump baixaram tanto a barra para impeachment e processos especiais, que o impeachment ou remoção de Biden sob os novos padrões da própria esquerda parece quase ridículo.

Se Trump ganhou histeria sobre a remoção da 25ª emenda (a ponto de aceitar a Avaliação Cognitiva de Montreal) por uma marcha hesitante em uma ocasião em que descia uma rampa, como um Biden demente, senil e em queda crônica poderia não ser também examinado?

Além disso, Trump sofreu impeachment por 1) pedir a um líder estrangeiro que examinasse a corrupção da família Biden com a Ucrânia enquanto ele suspendia a ajuda estrangeira aprovada para a Ucrânia; 2) e, na época, era possível que Joe Biden  pudesse  ser o provável futuro oponente de Trump em 2020.

Mas, em contraste, observe que Biden 1) emitiu um ultimato de que um promotor da Ucrânia seria demitido sumariamente ou a ajuda dos EUA seria  encerradaE ele foi demitido !; e 2) Biden era apenas um  possível  rival presidencial nas eleições gerais quando Trump ligou para Zelensky; Trump é atualmente o favorito contra uma suposta candidatura de Biden em 2024.

Biden também fez muito mais do que pedir à Ucrânia para garantir que um oponente político não fosse culpado de corrupção, mas sim instaurou um promotor especial do DoJ contra Trump por retirar papéis confidenciais da maneira que o próprio Joe Biden fez anos antes, sem a prerrogativa de senador ou vice-presidente de desclassificar tais papéis.

Paradoxos de Harris

O desprezo aberto por Kamala Harris não é apenas um fenômeno republicano. Sua popularidade sombria reflete que tal decepção nela é bipartidária, ela é uma unanimidade quanto a sua idiotice. E agora as prováveis ​​maquinações mencionadas para mantê-la fora da presidência estão desfazendo todos os favores raciais e de gênero que explicam sua nomeação inexplicável para VP em primeiro lugar. Em algum momento, a base da política de identidade democrata pressionará a hierarquia do partido para recuar e apoiar Harris ou enfrentar acusações de racismo.

De uma forma estranha, a tolerância da esquerda com o próprio comprometimento cognitivo de Biden também fortalece o caso de Harris, especialmente entre sua base de ‘diversidade’. Kamala profere frases incompreensíveis sem nunca parar de rir às gargalhadas, como uma hiena alcoolizada; Joe não consegue terminar as suas frases. As declamações públicas de Kamala são coisa de jardim de infância; as de Joe são mais do nível da creche ou de um hospício. Em “teoria”, Kamala pode ser treinada e melhorar; os declínios de Joe ocorrem em uma taxa geométrica que é irreversível.

Portanto, se alguém com tantos problemas cognitivos é atualmente presidente com o consentimento total do Partido Democrata, por que razões ele volta seu animus para um vice-presidente que ainda é relativamente jovem e forte, apesar de ser estupida e burra?

Que estranho que a esquerda saiba que tanto o atual presidente quanto o vice-presidente não deveriam estar em nenhum dos cargos depois de 2024; e, no entanto, seu próprio favorecimento anterior e politicagem tornaram ambos quase impossíveis de serem removidos. 

E como é estranho que as medidas extralegais que a esquerda tomou para emascular a presidência de Trump sejam agora os baixos padrões pelos quais um Biden demente e totalmente corrupto pode ser investigado, indiciado, cassado ou forçado a renunciar.


“A sabedoria (Sophia) clama lá fora; pelas ruas levanta a sua voz. Nas esquinas movimentadas ela brada; nas entradas das portas e nas cidades profere as suas palavras:  “Até quando vocês, inexperientes, irão contentar-se com a sua inexperiência? Vocês, zombadores, até quando terão prazer na zombaria? E vocês, tolos, até quando desprezarão o conhecimento? Atentai para a minha repreensão; pois eis que vos derramarei abundantemente do meu espírito e vos farei saber as minhas palavras [o conhecimento]“. – Provérbios 1:20-23


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *