browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Almirante da Marinha dos EUA descobriu Programa de Engª Reversa de UFOs

Posted by on 19/06/2019

Na transcrição / resumo de uma conversa em 2002 entre o vice-almirante Thomas Wilson e o cientista Dr. Eric Davis, foi revelado que um veículo extraterrestre acidentado estava sendo submetido a engenharia reversa por uma grande empresa aeroespacial do Complexo Militar Industrial. Wilson descobriu o programa classificado de engenharia reversa de UFOs por meio de um documento do National Reconnaissance Office (NRO) compartilhado em uma reunião confidencial de 10 de abril de 1997 com o Dr. Steven Greer, o (astronauta do projeto Apollo) Dr. Edgar Mitchell e o Comandante da Marinha dos EUA, Willard Miller.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Almirante da Marinha dos EUA descreve programa de engenharia reversa de espaçonave extraterrestre

Fonte: https://www.exopolitics.org/

Continuação da Parte 1 ] A transcrição recém-divulgada descreve o que o almirante Tom Wilson [TW] disse ao Dr. Davis [EWD] sobre os esforços de Wilson até junho de 1997 para descobrir a verdade sobre o programa  confidencial de recuperação de UFOs e o esforço associado de engenharia reversa efetuado por uma empresa privada uma das “grandes” do Complexo Militar Industrial, revelado a ele na reunião de abril.

EWD: Ok, então, o que aconteceu em abril-junho de 1997?

TW: Depois de se despedir de Miller (uma semana depois, ele pensa) – eu fiz ligações, bati em algumas portas, falei com as pessoas – segui pesquisando por 45 dias (por aí)

  • Sugestão veio de Ward (Gen. M. Ward) para percorrer os arquivos de grupos de registros (como um sistema de índice) no OUSDAT (Escritório do Subsecretário de Defesa para Aquisição e Tecnologia);
  • Entrei com Bill Perry em maio de 97 – falei sobre isso em voz baixa – ele sugeriu a mesma coisa;
  • Eles me contaram sobre um grupo de gravações de projetos especiais que não pertencia ao SAP habitual – um subconjunto especial dos programas não reconhecidos / esculpidos / dispensados ​​- que não pertenciam às divisões SAP tradicionais organizadas em 94 pelo próprio Perry – separados do resto, mas enterrados/cobertos  por SAPs convencionais. ( Transcrição / Resumo, pp. 6-7 )

Tom Wilson estava se referindo aqui a diferentes categorias de Programas de Acesso Especial (SAPs), onde os mais importantes  não reconhecidos / esculpidos / dispensados – estavam escondidos atrás dos SAPs convencionais.

O método de esconder os programas secretos mais altamente classificados por trás dos menos classificados foi verificado em um dos documentos da NSA vazados por Edward Snowdenchamado Sentry Eagle. Representava graficamente como as Informações Excepcionalmente Compartimentadas (ECI – uma classificação da Comunidade de Inteligência semelhante a um SAP não reconhecido usado pelo Pentágono) estariam escondidas por trás de um Programa Não-ECI (status de classificação semelhante a um SAP convencional)



A agência NSA vazou slide mostrando o programa SENTRY EAGLE, onde diferentes programas do DHS, DoD e NSA clasificados estão escondidos dentro de programas nacionais menos classificados. (NSA)

NSA vazou slide mostrando o programa SENTRY EAGLE, onde diferentes programas das agência DHS, NSA e DoD clasificados estão escondidos dentro de programas nacionais menos classificados. (NSA)

O almirante Tom Wilson passou a descrever a empresa aeroespacial do Complexo Militar Industrial que dirigia o esforço de engenharia reversa altamente classificada, sem nomeá-lo:

EWD: Quem era o contratante do projeto ou a agência do USG que administra o programa?

TW: Um empreiteiro de tecnologia aeroespacial – um dos principais nos EUA

EWD: quem?

TW: Segredo central – não posso dizer

EWD: empreiteiro de defesa?

TW: Sim, o “melhor” deles.

A referência ao “melhor deles” aponta firmemente para a divisão Skunkworks da gigante do Complexo Militar Industrial Lockheed Martin, que tem um longo histórico de sucesso trabalhando em programas aeroespaciais de ponta. Por exemplo, o ex-diretor da Skunkworks, Ben Rich, gostava de encerrar suas palestras declarando : “Agora temos a tecnologia para levar os ETs para casa”.  

Slide que Ben Rich usa para encerrar suas palestras com comentários sobre como levar os ETs acidentados de volta para sua casa

Wilson explicou então o que aconteceu quando ele descobriu qual empresa estava executando o programa confidencial de UFOs acidentados e entrou em contato para obter acesso ao mesmo:

EWD: O que aconteceu quando você encontrou representantes da empresa {a gigante do Complexo Militar Industrial Lockheed Martin} contratada?

TW: Eu fiz várias ligações (no final de maio de 1997), primeiro para Paul, Mike e Perry para confirmar que eu tinha identificado a empresa contratada e o gerente do programa para conversar.

EWD: Eles confirmaram?

TW: sim.

EWD: Então?

TW: (Fim de maio de 1997) Fiz três chamadas para o gerente do programa – uma destas chamadas em conferência com o diretor de segurança e o advogado da corporação. Houve confusão da parte deles sobre o motivo pelo qual eu estava procurando por eles e o que eu queria deles e/ou o que eu queria saber. Tom ficou muito irritado com todos eles. [ Transcrição / Resumo, pp. 8-9]



Tom Wilson, em seguida, explica como lhe foi negado o acesso ao programa classificado de engenharia reversa de UFOs pelas três autoridades corporativas da gigante do Complexo Militar Industrial Lockheed Martin (um gerente de programas, o diretor de segurança e um advogado da empresa aeroespacial contratada):

TW: Eu disse ao trio que queria um briefing formal, tour, etc. – estava explorando minha autoridade reguladora como Diretor Adjunto do DIA / Chefe Adjunto do Estado Maior J-2 – Disse a eles que eu não ser informado era algo da supervisão que eles precisavam corrigir – eu exigi isso !

TW: Eles precisavam discutir isso (o seu pedido), e então desligou. Recebi um telefonema dois dias depois e disseram que não queriam falar ao telefone e marcaram uma reunião cara a cara em suas instalações.

EWD: Você foi?

TW: Sim, dez dias depois (meados de junho ou mais). Voei para encontrá-los.

  • Reuniram-se em sua sala de conferências em seu cofre seguro;
  • Três deles aparecem.

EWD: Foram os três caras com quem você teve telecon (teleconferência)?

TW: Sim, os mesmos três!

  • O Diretor de segurança (um aposentado pela NSA, especialista em Contra Inteligencia);
  • O Diretor do Programa;
  • Um advogado da corporação;
  • Chamavam-se a si mesmos de “o comitê de vigilantes” ou porteiros [ Transcrição / Resumo, p. 10 ]

Wilson descreve como o “comitê de vigilantes-porteiros” lhe informou sobre um incidente anterior com UFO anos atrás, quando o atual sistema de segurança foi estabelecido após um acordo com o Comitê de Supervisão de Programas de Acesso Especial (SAPOC) do Pentágono, que foi revisado em 1994, muito provavelmente por causa do incidente com UFO de que Tom Wilson fora informado. O acordo deu ao empreiteiro corporativo, executor da engenharia reversa, determinadas categorias de SAPs a autoridade para restringir o acesso a programas relacionados a UFOs dos funcionários do Pentágono, independentemente de sua posição e cargo:

– [TW] Disse que após esse episódio um acordo formal foi feito com as pessoas do Pentágono (SAPOC) para evitar isso no futuro – ele não queria uma repetição

– Critérios especiais foram estabelecidos no acordo

  • Uma circunstância especial que deve atender a rigorosos critérios de acesso definidos pelo comitê contratante
  • Nenhum funcionário do USG (funcionários do governo -formal- dos EUA) deve obter acesso a menos que cumpra os critérios – para ser administrado pelo comitê do contratado (diretor do programa, advogado, diretor de segurança), independente dos níveis de segurança (Clearance)  e da posição que o pessoal do USG possui;
  • Literalmente o caminho deles ou a estrada. [ Transcrição / Resumo p. 11 ]

Video em que Ben Rich, da Skunkworks, disse que já temos {os EUA} tecnologia para levar os ETs para casa:

O “comitê de observação” disse ao almirante Wilson que, apesar de ele ser o diretor adjunto do DIA e vice-diretor de inteligência do Estado-Maior Conjunto do USG, que ele não estava na “lista de acesso” – aqueles com “necessidade de saber” e assim ter acesso de quem poderia ser informado sobre o programa UFO:

TW: Eles disseram que meus níveis de segurança eram todos confirmados e válidos, mas eu não estava na lista de acesso àquele programa.

  • Meus níveis de segurança não foram suficientes
  • Eu não atendia aos critérios especiais, então preciso saber que a autorização de acesso não seria concedida…

TW: Argumentei mais – mas eles não aceitariam meus argumentos de que eles estariam sob minha supervisão estatutária e autoridade regulatória como Diretor Adjunta do DIA – sob a tutela do meu direito de ter necessidade de saber (supervisão, auditoria, questões de justificação, etc., etc. )

  • A autoridade regulatória e estatutária (de membros do USG) como Diretor Adjunto da DIA não tinha relevância ou pertinência à natureza de seu programa!
  • Então eles tiraram sua lista de acesso de pessoas autorizadas ao programa para me convencer do contrário – eram várias páginas – datadas de 1990, atualizado em 1993. [ Transcrição / Resumo, pp. 11-12]


A transcrição continua para cobrir a conversa de Wilson e Davis sobre os nomes constantes na lista dos autorizados, e que para os membros do Pentágono e na Casa Branca era permitido o acesso ao programa :

EWD: Quem estava nessa lista? Reconheceu os nomes?

TW: Esse é o segredo do núcleo.

Disposto apenas a dizer que a maioria dos funcionários autorizados ao acesso do programa – nomes e títulos (cargos) – eram todos civis – não reconheci nenhum militar – poderia estar lá.

EWD: Algum nome de político?

TW: Não

  • Nenhum nome da Casa Branca, nenhum presidente!
  • Nenhum membro do Congresso
  • Nenhum funcionário do Congresso

EDW: Algum nome da administração de Clinton ou Bush?

TW: Não! Mas um punhado de nomes eram indivíduos do Pentágono que reconheci – poucos da OUSDAT, um de outro departamento, outro do NSC que é funcionário do Pentágono SES. [ Transcrição / Resumo, p. 12]

Surpreendentemente, o almirante Tom Wilson descobriu que nenhum membro do Legislativo (o Congresso) ou Executivo (Casa Branca) ou outros ramos do governo estavam informados sobre o programa de engenharia reversa de UFOs desenvolvido por uma grande empresa aeroespacial do Complexo Militar Industrial. Apenas alguns oficiais do Pentágono tinham acesso ao programa. Isso corrobora o que Greer e outros vêm reivindicando há décadas sobre a natureza inconstitucional do sistema de sigilo desenvolvido para a questão dos UFOs e Extraterrestres.

Em seguida, a transcrição elabora como Wilson tentou obter acesso, identificando o tipo de programa que estava em andamento tentando vinculá-lo ao seu campo de responsabilidade oficial como Diretor Adjunto da DIA:

– [TW] Program Manager foi o que eles disseram que estavam trabalhando;

  • Não é nenhum programa (desenvolvimento) de armas
  • Não é nenhum programa de inteligência
  • Não é nenhum programa especial ou programa de logística
  • Não se enquadra nessas categorias [ Transcript / Summary, p. 12]

Finalmente, Wilson foi informado de que o programa UFO era um programa de engenharia reversa de um veículo extraterrestre recuperado de um acidente, exatamente o que Greer, Mitchell e Miller haviam lhe dito na reunião de 10 de abril de 1997. É importante ressaltar que o almirante Tom Wilson expressou sua surpresa ao pensar que o termo UFO era apenas uma cobertura para a tecnologia aeroespacial alienígena adquirida que seria construída pela URSS ou pela China:

  • Eu perguntei o que eles estavam fazendo então;
  • Ouvi um gemido alto do gerente do programa;
  • O diretor de segurança e o advogado dizem que não havia problema em dizê-lo.

EWD: Dizerem o que?

TW: Que HAVIA UM PROGRAMA DE ENGENHARIA REVERSA da tecnologia de espaçonaves extraterrestres recuperadas;

  • “Algo” recuperado anos atrás no passado
  • Hardware tecnológico foi recuperado
  • Então eu pensei que eles falavam sobre hardware soviético / chinês recuperado, etc., e engenharia reversa – como um míssil ou plataforma ou aeronave da Intel – realmente eu fui à reunião esperando encontrar uma coleção estrangeira sensível e uma operação de engenharia reversa – pensava que “UFOs” eram termos usados ​​como cobertura para tudo isso;
  • Então eu disse isso e eles disseram que não era bem assim;
  • Eles tinham (o gerente de programa falando) uma ESPAÇONAVE – uma espaçonave intacta recuperada que eles acreditavam que poderia voar …
  • O gerente do programa disse que eles não sabiam de onde ela veio [eles tinham algumas idéias sobre isso] – era a tecnologia que não era desta Terra – não era nada feito pelo homem – não por mãos humanas [ Transcrição / Resumo, pp. 12-13 ]

Tom Wilson, em seguida, descreveu que foi informado de que a corporação havia encontrado grandes dificuldades em seus esforços de engenharia reversa da tecnologia do UFO:

  • [TW] Ele disse que eles estavam tentando entender, explorar e desenvolver a tecnologia alien: seu programa estava acontecendo há muitos e muitos anos, com um progresso muito lento;
  • Agonizantemente lento, com pouco ou nenhum sucesso – havia uma dolorosa falta de colaboração para obter ajuda de especialistas e instalações externas para ajudar no esforço – devia permanecer isolada e usar instalações próprias e pessoal autorizado – ambiente difícil para o trabalho – entre 400 e 800 (lista de bigot ) trabalhadores variando em número de financiamento ou mudanças de pessoal. [ Transcrição / Resumo, pp. 12-13]

Quando Wilson ameaçou ir para o Comitê de Supervisão do Programa de Acesso Especial (SAPOC) foi instruído a ir adiante pelo “comitê de observação” corporativo e acabou tendo negado seu acesso pelo Grupo de Análise Sênior que comanda o comitê do SAPOC do Pentágono para supervisionar os Programas de Acesso Especial:

TW: Antes da última semana de junho (’97)

  • Eles me disseram (TW) que eles estavam sustentando o empreiteiro, que eu deveria imediatamente largar o assunto e deixá-lo ir – esquecê-lo, pois eu não tinha controle sobre o projeto deles, não se enquadrava na minha supervisão, etc.
  • Eu fiquei muito bravo – comecei a gritar quando deveria ter mantido minha boca fechada …
  • … Presidente do Senior Review Group disse que se eu não seguisse a sua sugestão de que eu não veria a promoção do Director DIA, obtivesse uma reforma antecipada, perdesse 1 ou 2 estrelas ao longo do caminho
  • Realmente incrivelmente irritado – chateado com isso – lívido !!!
  • Por que uma grande coisa sobre isso, considerando a posição de confiança que tenho no Pentágono – eu tenho autoridade regulatória / estatutária relevante sobre o programa deles – essa é a minha posição !!! [ Transcrição / Resumo, p. 14 ] 

A recusa em conceder seu acesso foi o momento crítico em que Wilson percebeu que a corporação estava sendo apoiada por um poderoso grupo {MAJESTIC-12} ligado ao Pentágono para esconder a engenharia reversa da tecnologia de uma espaçonave extraterrestre, como um SAP não reconhecido / renunciado, escondido dentro do labirinto convencional. SAPs realizados pelo Pentágono e seus empreiteiros corporativos.



MAJESTIC12-MJ12-OS-DOZE-PRIMEIROS-MEMBROS

A recusa foi, em última análise, a razão pela qual Wilson acreditava que uma cabala encobria o assunto UFOs-Extraterrestres / MAJESTIC-12 estava encarregada de projetos relacionados a UFOs, e mesmo altos funcionários do DIA e do Estado-Maior Conjunto estavam fora do circuito de acesso. Foi isso que ele disse ao Comandante Miller em junho de 1997, que por sua vez retransmitiu as conclusões de Wilson para Steven Greer e Edgar Mitchell, que revelaram mais detalhes nas duas décadas seguintes.

[Continua na Parte 3 – Clique aqui para a Parte 1 ]

© Michael E. Salla, Ph.D.


A Matrix (o SISTEMA de CONTROLE MENTAL):   “A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando salvar. 

“Mas até que nós consigamos salvá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso os transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle Mental. E muitos deles estão tão habituados, tão desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você  para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …”


Saiba MUITO mais, informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.