browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Ao desafiar a Hegemonia dos EUA e o dólar, países membros do BRICS representam a melhor esperança para uma ordem mundial mais justa

Posted by on 25/06/2022

A 14ª Cúpula do BRICS em Pequim acaba de se encerrar em meio a um cenário geopolítico internacional turbulento, que destaca a importância da organização em geral. Dados os desafios combinados da pandemia de Covid-19 em andamento, conflito global, um colapso econômico iminente e mudanças climáticas – o atual sistema internacional está falhando e uma nova alternativa multipolar deve tomar seu lugar. 

Com potencial para a criação de uma nova moeda de reserva mundial e investimento sem restrições políticas, o grupo de países do BRICS pode apresentar uma alternativa para um mundo sufocado pelo domínio dos psicopatas do “Hospício Ocidental”.

Fonte: Rússia Today

Vale destacar o contexto do formato BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). Iniciada em 2009 em meio a uma crise financeira mundial, com a quebra do mercado imobiliário nos EUA, o principal objetivo da primeira cúpula do BRICS (ou BRIC, como era então) daquele ano em Yekaterinburg [Rússia] era melhorar a situação econômica global e reformar as instituições financeiras. 

Embora esses países não sejam unidos por nenhuma ideologia em particular, cada um viu a necessidade de democratizar o sistema econômico global que havia sido derrubado praticamente sozinho pelos Estados Unidos de uma maneira extraordinariamente irresponsável – até ilegal pela lei dos EUA , em alguns casos -. . O presidente do Banco Central da China pediu sem rodeios  o abandono do dólar como moeda de reserva global em 2009 por causa da falta de fé na liderança monetária dos EUA. 

Isso foi há 13 anos, mas a necessidade de uma nova moeda de reserva internacional não poderia ser mais relevante nos dias de hoje. De fato, o presidente russo, Vladimir Putin, anunciou em 22 de junho, pouco antes da última cúpula do BRICS, que o grupo estava de fato desenvolvendo sua própria moeda de reserva com base em uma cesta de suas moedas nacionais. Com isso, Putin disse que o grupo espera desenvolver alternativas ao esquema de pagamento internacional existente [o cassino dos psicopatas de Wall Street e a City de Londres]. 

Embora isso possa ser visto como provocativo no Ocidente, na verdade é para a melhoria da humanidade e não visa estritamente um país ou uma coalizão de países. Note-se que a Índia recuou contra qualquer retórica “anti-EUA” na declaração conjunta do grupo, sendo um país considerado parte do Sul Global, por exemplo, um país em desenvolvimento, e também tem fortes relações com o Ocidente.

No entanto, ao mesmo tempo, está claro que todos os estados do BRICS, incluindo a Índia, se beneficiariam de um sistema econômico e financeiro global democratizado. É por isso que Nova Délhi não aderiu às sanções lideradas pelo Ocidente contra a Rússia devido ao conflito em curso na Ucrânia, porque isso não atende aos interesses econômicos da Índia – e também estabeleceria um mau precedente em que os países poderiam ser essencialmente excluídos da comunidade internacional por divergências políticas.

De fato, o BRICS e seus membros percorreram um longo caminho para buscar uma cooperação para o desenvolvimento sem compromisso. A China sozinha já havia substituído o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial como o maior credor líquido do mundo no início da década passada, expandindo os investimentos em ativos tangíveis em todo o Sul Global (e além) por meio da Iniciativa do Cinturão e Rota da Seda [BRI]. Mas em um desafio direto a essas duas instituições lideradas pelos EUA mencionadas anteriormente, que se transformaram em armas de coerção econômica e política, o BRICS estabeleceu  o Novo Banco de Desenvolvimento em 2014. 

Outra área em que o BRICS não está ativo atualmente, mas poderia estar, é a segurança. A estabilidade financeira e econômica é uma parte inextricável da segurança dos países; sem um sistema econômico e financeiro estável não pode haver paz sustentável. Da mesma forma, sem uma estrutura de segurança estável, não pode haver impulso para o desenvolvimento humano que o BRICS e seus parceiros desejam. Infelizmente, a conexão entre essas duas facetas não foi estabelecida no sistema internacional liberal vigente, mas o BRICS poderia ajudar a uni-las, o que seria um desenvolvimento extraordinariamente benéfico.

Enquanto isso, com a conclusão da reunião de cúpula dos países do BRICS, os países do G-7 e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), dois formatos internacionais liderados pelos EUA, se reunirão em breve. De notar que a OTAN irá redigir o seu primeiro “conceito estratégico” – o documento que define os objetivos e princípios da organização – desde 2010.

Prevê-se que expanda o alcance do bloco de domínio militar para muito além da Europa e provavelmente para a Ásia-Pacífico, representando um sério desafio para a vizinhança da China. Isso provavelmente explica por que o presidente chinês Xi Jinping denunciou “pequenos círculos” construídos em torno da hegemonia em seu discurso do BRICS. 

No mínimo, os países do BRICS e sua população tem um papel sério em equilibrar a influência maligna dos EUA, da OTAN e do sistema mundial dominante liderado pelos psicopatas do hospício do Ocidente.  Finanças e economia não são uma pequena parte disso, e o esforço do BRICS para estabelecer alternativas ao sistema de Bretton Woods baseado em dólar, fornecendo crédito ao Sul Global sem condições políticas e estabelecendo uma nova moeda de reserva, é um impulso extraordinário em direção a uma futuro multipolar.


O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é thoth-3126-1.png

“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.