Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Arcebispo Viganò: Padres e Bispos que Promoveram Injeções ‘Letais’ mRNA da Covid vão responder ao Criador

Há três anos fui um dos primeiros – e certamente o primeiro Bispo da igreja católica – a denunciar a pandemia e a fraude na vacinação com injeções genéticas experimentais. Expressadas com argumentos que hoje emergem como verdadeiros e bem fundamentados estão as questões críticas e a imoralidade de um tratamento genético experimental, que fetos abortados foram e são usados ​​para produzir. Também escrevi duas cartas abertas à Congregação para a Doutrina da Fé, que até hoje permanecem sem resposta.

Arcebispo Viganò: Padres e Bispos que Promoveram Injeções ‘Letais’ mRNA da Covid vão responder ao Criador

Fonte: Lifesitenews.com

Nota do editor: O que se segue é um comentário sobre a hierarquia católica e as vacinas COVID-19 postados pela primeira vez pelo Arcebispo Carlo Maria Viganò no X. 

Houve pessoas nos círculos conservadores que chegaram ao ponto de me atacar pessoalmente e recorreram às declarações não comprovadas e claramente falsas de uma médica que trabalhava com o seu marido para a Big Pharma.

Expressei a minha consternação pelo silêncio dos bispos, padres e párocos, de muitos trabalhadores religiosos envolvidos nos hospitais, e pelo zelo servil com que a Hierarquia Católica se conformou com os regulamentos de saúde loucos, tirânicos e criminosos e com a promoção das injeções por parte do papa Bergoglio. 

Fui insultado publicamente na televisão e nos meios de comunicação, enquanto os meus irmãos bispos permaneciam em silêncio. Perante um crime contra a humanidade que continua a ocorrer diante dos nossos olhos há três anos, com a aprovação e o encorajamento do papa Francisco, teria pensado que muitos Pastores teriam encontrado a coragem de levantar a voz e juntar-se à minha denúncia do plano de despovoamento mundial implementado pelos oligarcas [psicopatas do] WEF-Fórum Econômico Mundial, pela Fundação Bill & Melinda Gates, pela Fundação Rockefeller, pela OMS e pela ONU, enquanto os fundos desses criminosos também foram doados ao Vaticano, transformando Bergoglio em um vendedor de [falsas] vacinas e um apoiador da “fraude das mudanças climáticas”, que agora se tornou um “magistério” com o Laudate Deum e com a “Igreja amazônica e sinodal”.

Ninguém é profeta em sua própria pátria. Mas se hoje alguns padres se rendem às provas e pedem aos jornalistas católicos que digam a verdade sobre os efeitos adversos, pergunto-me com que serenidade têm silenciado até agora a sua consciência, e se o seu silêncio e o silêncio temeroso – como o dos médicos, da polícia, das forças armadas, magistrados, professores e governadores – não se transformou hoje num tímido protesto só porque vêem o confronto aproximar-se e temem mais pela sua própria reputação do que pela saúde dos bilhões de pessoas submetidas à inoculação de um produto que era conhecido desde o começo a ser perigoso e até letal.

O seu silêncio sobre a fraude pandêmica é idêntico ao sobre a apostasia da Hierarquia Católica. E a responsabilidade moral que pesa sobre eles permanecerá como uma mancha indelével pela qual terão de responder perante o Criador, perante os homens e perante a História.


“E ouvireis de GUERRAS e de rumores de GUERRAS; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores.  –  Apocalipse 13:16


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *