As Surpreendentes Afirmações do Dr. Richard Day em 1969 – Parte 1 – ‘Planos Muito Maiores que o Comunismo’

“Planos muito maiores do que a tomada do comunismo foram postos em prática” e principalmente por pessoas que não ocupavam cargos públicos, mas pessoas de destaque e conhecidas do público através das suas ocupações ou posições privadas, que têm o poder de conceber e implementar tais planos”, revelou eminente professor Dr. Richard Day, mas esta não foi uma revelação recente, foi feita em 1969 ! De acordo com o Dr. Day, o plano era “…entrar no século XXI com um passo acelerado. Tudo está no lugar e ninguém pode nos impedir agora…”

As Surpreendentes Afirmações do Dr. Richard Day em 1969 – Parte 1 – ‘Planos muito maiores que o comunismo’

Fonte: The Exposé News

A esta altura, todos nós sabemos, ou deveríamos saber, que estamos vivendo uma era planejada e sendo implementada há muitos anos, e a fake pandemia não foi apenas “uma janela de oportunidade” para uma “Grande Reinicialização” que o khazar Klaus Schwab gostaria, acreditarmos.

Não, a “Grande Reinicialização” exigia uma situação de crise em que as massas de zumbis salivantes aderissem pronta e bovinamente às ordens determinadas, por mais desumanas, irracionais, tirânicas ou francamente ridículas que fossem.

O medo, pânico e a confusão que uma suposta “pandemia de vírus mortal” provocaria a oportunidade, tornando-a o cenário perfeito para manipular os indivíduos mais ignorantes, indefesos e maleáveis, uma combinação que não só permitiria um golpe de estado global com planos de controle totalitário, mas também faria com que alguns indivíduos acolhessem positivamente isto. Se ao menos eles tivessem sido informados dos planos que “pessoas de destaque” tinham para nós!

No entanto, esses planos são públicos há anos. Por exemplo, em  8 de junho de 2015,  Henri Thibodeau  escreveu um artigo em seu blog sobre as previsões do Dr. Richard Day e como o mundo seria hoje de acordo com a agenda dos oligarcas/globalistas.

“ Em 20 de março de 1969, o falecido Dr. Lawrence Dun egan (1923-2004) assistiu a uma palestra surpreendente em uma reunião da  Sociedade Pediátrica de Pittsburgh .  O palestrante foi o Dr. Richard Day (1905-1989), que na época era professor de pediatria na Mount Sinai Medical School, em Nova York. Day já havia atuado como Diretor Médico da Planned Parenthood Federation of America.”

“O Dr. Dunegan foi aluno do Dr. Day na Universidade de Pittsburgh e, portanto, o conhecia bem. Mais tarde, ele afirmou que o Dr. Day pediu aos participantes da palestra que não fizessem anotações ou registrassem o que ele estava prestes a lhes contar durante a palestra. Algo que o Dr. Dunegan disse achar incomum um professor insinuar ao seu público. A razão, sugeriu o Dr. Day, foi que haveria repercussões negativas – possivelmente até de perigo pessoal – contra ele se se tornasse amplamente conhecido que ele havia falado sobre a [oculta das massas] informação que estava prestes a transmitir ao grupo.

Abaixo estão os tópicos incluídos nas informações do Dr. Dunegan, que são assuntos possivelmente incomuns em 1969?

O artigo completo de  8 de junho de 2015 de Henri Thibodeau é republicado a seguir.

Em 1969, o Dr. Richard Day fez algumas previsões surpreendentes sobre onde o mundo estaria hoje, começo do século XXI.

Richard Day lecionou no Mount Sinai de 1968 até se aposentar em 1971. Anteriormente, ele havia sido diretor médico nacional da Planned Parenthood (1965-1968); professor e presidente do departamento de pediatria da Universidade de Pittsburgh (1956 a 1965); professor e presidente do departamento de pediatria da Downstate Medical School no Brooklyn (1953 a 1956) e professor associado da College of Physicians and Surgeons, Columbia University (1935 a 1953). – Obituário do New York Times, 16 de junho de 1989

Houve um encontro de pediatras e estudantes de pediatria que aconteceu no dia 20 de março de 1969  na Pittsburgh Pediatric Society, que ficava na Ridge Avenue, em Pittsburgh. Um dos palestrantes foi o Dr. Richard Day, eminente professor e médico, e Diretor Médico da organização Planned Parenthood .

A ‘Planned Parenthood’ foi criada em 1921 (então sob o nome de ‘American Birth Control League’, (onde o pai de Bill (Hell’s) Gates foi diretor) nos Estados Unidos por Margaret Sanger, uma defensora do controle da natalidade e membro da American Eugenics Society, que fazia lobby pelos direitos das mulheres ter acesso a métodos de controle de natalidade e educação.

A organização cresceu e estabeleceu clínicas em todos os EUA (e expandiu-se para o mercado mundial), e é agora a principal prestadora de cuidados de saúde sexual e reprodutiva dos EUA – e é o principal fornecedor de serviços de aborto. A ‘Planned Parenthood’ tem sido alvo de intensas críticas desde a sua criação, desde organizações e ativistas antiaborto, até aqueles que criticaram a forma como a organização é financiada, tanto pelo governo, pela Fundação Rockefeller (uma família conhecida por fazer parte da elite globalista, e tem financiado a ‘Planned Parenthood’ desde a sua criação em 1921), e doadores privados.

Num jantar após a reunião de 20 de março de 1969, o Dr. Day pediu aos participantes (um grupo próximo de colegas) que não fizessem anotações ou registrassem o que ele estava prestes a lhes contar.  Algo que o Dr. Dunegan disse achar incomum para um professor sugerir ao seu público.

A razão pela qual o Dr. Day fez o pedido foi que haveria repercussões negativas – possivelmente perigo pessoal – contra ele se se tornasse amplamente conhecido que ele tinha falado sobre o que estava prestes a transmitir ao grupo. O Dr. Day disse ao grupo que o que ele estava prestes a dizer tornaria mais fácil para eles se adaptarem se soubessem de antemão o que esperar no futuro, uma declaração algo ambígua que se tornou mais clara à medida que o Dr. Day falava.

O Dr. Dunegan teve a impressão de que o Dr. Day estava falando como um “insider”, e não como uma pessoa que apresentava uma teoria ou falava em termos retrospectivos. O conhecimento do Dr. Day foi concreto quando ele falou sobre o futuro e as estratégias de pessoas e organizações que tinham um plano definido para o mundo e estavam em posição de garantir que esse plano fosse executado.

Planos já definidos.

Ao apresentar que havia aqueles que silenciosamente implantavam uma agenda oculta para controlar o mundo, o Dr. Day também informou ao seu público que havia um cronograma e que muito do que eles queriam seria alcançado através de planos que já estavam em ação ainda em 1969. O Dr. Dunegan recorda o Dr. Day dizendo: “Planejamos entrar no século XXI com um começo acelerado. Estará tudo no lugar e ninguém pode nos parar agora…”, e que se sentia relativamente à vontade para falar sobre isso com aqueles que considerava amigos. O Dr. Day referiu-se aos planos daqueles que estão no poder como sendo “muito maiores que o comunismo”, que naquela época estava em destaque no auge da guerra fria.

Ao falar sobre as pessoas que tinham o poder de conceber e implementar tais planos, o Dr. Day afirmou que elas principalmente não ocupavam cargos públicos, mas eram pessoas de destaque que seriam conhecidas do público através das suas ocupações ou cargos privados. 

Isto está de acordo com o que sabemos sobre a elite globalista hoje, consistindo principalmente de famílias bilionárias envolvidas na operação de instituições financeiras de grande escala (os Rockefellers, Rothschilds, Soros, Schwab, Gates et caterva), a realeza europeia (Rainha Beatrix dos Países Baixos, Rei Charles III e outros idiotas da “realeza” europeia) e outros indivíduos extremamente ricos que compõem cerca de 300 membros de uma organização desconhecida.

Duas outras declarações que o Dr. Day fez durante a sua introdução foram:

“As pessoas terão de se habituar à ideia de mudança, serão habituadas a mudar, que estarão à espera de mudanças contínuas. Nada será permanente” e “As pessoas confiam demais [em políticos, religiosos, influencers, esportistas, artistas, et caterva]. As pessoas não fazem as perguntas certas.”

Se olharmos para a forma como a sociedade se desenvolveu ao longo dos últimos quarenta anos, as atitudes mudaram significativamente, especialmente entre as gerações que nasceram a partir da década de 1970 e cresceram numa atmosfera de mudança exponencial com o advento do mundo digital. O desenvolvimento da ciência e da tecnologia em todos os campos ocorreu a um ritmo mais rápido do que em qualquer outro momento da história humana.

As pessoas podem viajar para qualquer parte do mundo e muitas optam por passar algum tempo no estrangeiro ou trabalhar em diferentes partes do seu próprio país – algo que para as gerações mais velhas teria parecido exótico ou inatingível, preferindo que certas coisas permanecessem como eram, como pontos de referência nas suas vidas e parte da base sólida sobre a qual a sua sociedade se manteve.

A nossa análise baseia-se na entrevista gravada com o Dr. Dunegan em 1988, quando ele recordou as suas memórias do encontro de 1969 com o Dr. Day. Na análise dos acontecimentos desde a reunião de 1969, utilizamos principalmente o ano de 1988 como ponto de partida porque o Dr. Dunegan não poderia ter conhecimento de acontecimentos futuros, embora exista a possibilidade de que as memórias da reunião de 1969 possam ter-se misturado com outras percepções. entre 1969 e 1988. Mesmo assim, também estão incluídos quaisquer acontecimentos significativos ocorridos entre 1969 e 1988.

Nova Ordem dos Bárbaros.

Abaixo está a gravação do Dr. Lawrence Dunegan relembrando a reunião de 20 de março de 1969. O vídeo é apenas do áudio e é de baixa qualidade e tem cerca de uma hora de duração. Dr. Richard Day.

Abaixo está a transcrição que republicei depois de encontrá-la no Sage Hanna Substack. Sage Hanna forneceu as legendas para quebrar a parede de texto e também adicionou os vídeos.

FITA I: EXISTE UM PODER, UMA FORÇA OU UM GRUPO DE HOMENS ORGANIZANDO E
REDIRECIONANDO AS MUDANÇAS GLOBAIS DE ACORDO COM SUAS AGENDAS?

Palavras do Dr. Lawrence Dunegan, 1988:

Muito já foi escrito e muito já foi dito por algumas pessoas que analisaram todas as mudanças que ocorreram na sociedade americana e global nos últimos 20 anos ou mais, e que olharam retrospectivamente para a história anterior dos Estados Unidos e, de fato, do mundo, e chego à conclusão de que REALMENTE existe uma conspiração oculta, com elementos ocultos, que produz, influencia, e na verdade controla grandes eventos históricos, não apenas nos Estados Unidos, mas em todo o mundo.

Esta interpretação conspiratória da história baseia-se em pessoas que fazem observações de fora, recolhem provas e chegam à conclusão de que, de fora, vêem uma conspiração. As suas evidências e conclusões baseiam-se em evidências recolhidas periódica e retrospectivamente.

Quero agora descrever o que ouvi de um orador em 1969, que dentro de algumas semanas fará 20 anos. O orador não falou em termos de retrospectiva, mas sim  de previsão de mudanças que ocorreriam no futuro. O orador não estava olhando de fora para dentro, pensando que via conspiração, mas sim de dentro [com conhecimento em primeira mão], admitindo que, de fato, havia um poder organizado, uma força, um grupo de homens, que exercia influência suficiente para determinar grandes eventos envolvendo os países ao redor do mundo. E ele previu, ou melhor, expôs, mudanças que estavam planejadas para o resto deste século [XX].

Enquanto ouvem, se conseguirem recordar a situação, pelo menos nos Estados Unidos em 1969 e nos anos seguintes, e depois recordarem os tipos de mudanças que ocorreram desde então e agora, quase 20 anos depois, creio que irão ficar impressionados com o grau em que as coisas que foram planejadas para serem realizadas e que já foram implantadas. Algumas das coisas que foram discutidas não se destinavam a ser realizadas ainda em 1988, [Nota: o ano desta gravação],  mas pretendem ser realizadas antes do final deste século XX. Existe um cronograma; e foi durante esta sessão que alguns dos elementos deste cronograma foram revelados.

Qualquer um que se lembre dos primeiros dias da Presidência Kennedy … da campanha de Kennedy … quando ele falou de … progresso na década dos anos 60”: isso era uma espécie de clichê naquela época – “a década dos 60. ” Bem, em 1969 nosso palestrante falava sobre a década de 70, a década de 80 e a década de 90.

Então isso… eu acho que a terminologia que estamos olhando… olhando para as coisas e expressando as coisas, provavelmente vem toda da mesma fonte. Antes disso não me lembro de ninguém ter dito “a década dos anos 40 e a década dos anos 50. Portanto, penso que este plano global e calendário tomaram uma forma importante, com mais previsibilidade para aqueles que os controlam, em algum momento no final dos anos 50. Isso é especulação da minha parte. Em qualquer caso, o orador disse que o seu objetivo era falar-nos sobre as mudanças que seriam introduzidas nos próximos 30 anos ou mais… para que um sistema mundial inteiramente novo estivesse em funcionamento antes da virada do século [já há um atraso considerável]. Como ele disse:  Planejamos entrar no século XXI com força total”.

“TUDO ESTÁ NO LUGAR E NINGUÉM PODE NOS PARAR AGORA…”

Ele disse, enquanto ouvíamos o que ele estava prestes a apresentar, ele disse: “Alguns de vocês pensarão que estou falando sobre o comunismo.  Bem, o que estou falando é muito maior que o comunismo!”  Nessa altura ele indicou que há muito mais cooperação entre o Oriente e o Ocidente do que a maioria das pessoas imagina ou percebe. Nas suas observações introdutórias, ele comentou que estava livre para falar neste momento. Ele não teria sido capaz de dizer o que estava prestes a dizer, mesmo alguns anos antes. Mas ele estava livre para falar neste momento porque agora, e estou citando aqui,  “tudo está no lugar e ninguém pode nos impedir agora”.  Esse é o fim dessa citação.

Ele continuou dizendo que a maioria das pessoas não entende como os governos dos países funcionam e mesmo as pessoas que ocupam altos cargos nos governos, incluindo o nosso, não entendem realmente como e onde as decisões são tomadas. Ele continuou dizendo que… ele continuou dizendo que as pessoas que realmente influenciam as decisões são nomes que, em sua maioria, seriam familiares para a maioria de nós, mas ele não usaria nomes de indivíduos ou nomes de qualquer organização específica. Mas, que, se o fizesse, a maioria das pessoas que ele citaria seriam nomes reconhecidos pela maior parte do seu público. Ele prosseguiu, dizendo que não eram principalmente pessoas com/em cargos públicos, mas pessoas de destaque que eram conhecidas principalmente em suas ocupações ou cargos privados.

O orador era um doutor em medicina, ex-professor de uma grande universidade, e se dirigia a um grupo de doutores em medicina, cerca de 80 participantes no total. Seus nome não seriam amplamente reconhecidos por ninguém que pudesse ouvir isso e, portanto, não faz sentido fornecer seus nomes. O único objetivo de registrar isto é que possa dar uma perspectiva àqueles que o ouvem relativamente às mudanças que já foram realizadas nos últimos 20 anos ou mais, e uma pequena antevisão do que pelo menos algumas pessoas estão planejando para o futuro, no restante deste século… para que nós, ou eles, entrássemos no século XXI com um começo brilhante. Alguns de nós podem não entrar nesse século.

Seu propósito ao contar ao nosso grupo sobre essas mudanças que estavam para ocorrer era facilitar a nossa adaptação a essas mudanças sem surpresas. Na verdade, como ele disse com bastante precisão,   “seriam mudanças muito surpreendentes e, de certa forma, difíceis de serem aceitas pelas pessoas”,  e ele esperava que nós, como uma espécie de amigos seus, faríamos a adaptação mais facilmente se conseguíssemos saber um pouco de antemão o que esperar.

“As pessoas terão que se acostumar com a mudança…”

Em algum ponto dos comentários introdutórios, ele insistiu que ninguém tivesse um gravador e que ninguém fizesse anotações, o que para um professor era algo extraordinário de se esperar de uma audiência. Algo em seus comentários sugeria que poderia haver repercussões negativas contra ele se ele… se se tornasse amplamente conhecido o que ele estava prestes a dizer ao… nosso grupo… se se tornasse amplamente conhecido que de fato ele havia “derramado” tudo, então falando o que sabia.

Quando ouvi isso pela primeira vez, pensei que talvez fosse uma espécie de viagem do ego, alguém aumentando sua própria importância. Mas à medida que as revelações se desenrolavam, comecei a entender por que ele poderia ter tido alguma preocupação em não divulgar amplamente o que foi dito, embora isso… embora este fosse um fórum bastante público onde ele estava falando, (onde os) comentários foram feitos. .

Mas, mesmo assim, ele pediu que não fossem feitas anotações… que nenhuma gravação fosse usada: sugerindo que poderia haver algum perigo pessoal para ele mesmo se essas revelações fossem amplamente divulgadas. Mais uma vez, à medida que os comentários começaram a se desenrolar e vi as coisas um tanto escandalosas que foram ditas .. naquela época elas certamente pareciam escandalosas ..

Fiz questão de tentar lembrar o máximo que pude do que ele disse e, durante as semanas, meses e anos subsequentes, conectar minhas lembranças a eventos simples acontecendo ao meu redor… ambos para ajudar minha memória para o futuro, caso eu quisesse fazer o que estou fazendo agora – contanto tudo e gravando essa história. E também, para tentar manter uma perspectiva sobre o que estaria se desenvolvendo, se de fato seguisse o padrão previsto – o que aconteceu como ele previu!

Neste ponto, para não esquecer de incluí-lo mais tarde, incluirei apenas algumas afirmações que foram feitas de vez em quando ao longo da apresentação. .. apenas tendo uma influência geral sobre toda a apresentação. Uma das afirmações tinha a ver com mudança. As pessoas se acostumam… a afirmação era:  “As pessoas terão que se acostumar com a ideia de mudança, tão acostumadas com a mudança que estarão esperando a mudança. Nada será permanente.”

Isto muitas vezes surgiu no contexto de uma sociedade de… onde as pessoas pareciam não ter raízes ou amarras, mas estariam passivamente dispostas a aceitar a mudança simplesmente porque era tudo o que conheciam. Isso contrastava com gerações de pessoas até então, onde certas coisas você esperava que fossem e permanecessem como pontos de referência para sua vida. Portanto, a mudança deveria ser provocada, a mudança deveria ser antecipada e esperada, e aceita, sem perguntas e questionamentos.

Outro comentário que foi feito .. de vez em quando durante a apresentação .. foi.  “As pessoas confiam demais, não fazem as perguntas certas.”  Às vezes, confiar demais era sinônimo de ser burro demais. Mas às vezes, quando… quando ele dizia isso e dizia:  “As pessoas não fazem as perguntas certas”, era quase com um sentimento de arrependimento… como se ele estivesse desconfortável com aquilo em que fazia parte e desejasse que as pessoas questionassem, desafiassem o status quo e talvez não fossem tão “crédulas”.

OS OBJETIVOS REAIS E DECLARADOS

Outro comentário que foi repetido de vez em quando, .. isto particularmente em relação à mudança de leis e costumes, .. e mudanças específicas, .. ele disse:  “Tudo tem dois propósitos. Um é o propósito ostensivo que o tornará aceitável para as pessoas e o segundo é o propósito real [mas oculto] que promoveria os objetivos de estabelecer o novo sistema e tê-lo.”

Frequentemente ele dizia: “Não há outro jeito, simplesmente não há outro jeito!” Isto pareceu ser uma espécie de pedido de desculpas, especialmente quando… na conclusão da descrição de algumas mudanças particularmente ofensivas. Por exemplo, a promoção da dependência de DROGAS, da qual falaremos em breve.

CONTROLE DA POPULAÇÃO

Ele foi muito ativo nos grupos de controle populacional, no movimento de controle populacional, e o controle populacional foi realmente o ponto de entrada para os detalhes após a introdução.  Ele disse que a população está crescendo muito rápido. O número de pessoas que vivem em qualquer momento no planeta deve ser limitado ou ficaremos sem espaço para viver. Superaremos o nosso abastecimento alimentar e superpovoaremos o mundo com os nossos resíduos.

PERMISSÃO PARA TER BEBÊS

As pessoas não poderão ter filhos só porque querem ou porque são descuidadas e irresponsáveis com a sua sexualidade. A maioria das famílias seria limitada a duas pessoas. Algumas pessoas seriam permitidas apenas uma, e a pessoa ou pessoas mais destacadas poderiam ser selecionadas e ter três. Mas a maioria das pessoas teria permissão para ter apenas dois bebês. Isso porque a taxa zero de crescimento populacional] é de 2,1 filhos por família completa. Portanto, algo como cada décima família poderia ter o privilégio do terceiro bebê.

Para mim, até este ponto, a palavra “controle populacional conotava principalmente a limitação do número de bebés a nascer.  Mas esta observação sobre o que seria “permitido” às pessoas e o que se seguiu, deixou bem claro que quando se ouve “controle populacional” isso significa mais do que apenas controlar a natalidade. Significa o controle de todos os esforços de toda uma… de toda a população mundial; um significado muito mais amplo para esse termo do que eu jamais atribuí antes de ouvir isso.  Ao ouvir e refletir sobre algumas das coisas que ouve, você começará a reconhecer como um aspecto se encaixa com outros aspectos em termos de controle dos esforços humanos.

REDIRECIONANDO A FINALIDADE DO SEXO – SEXO SEM REPRODUÇÃO E REPRODUÇÃO SEM SEXO (ARTIFICIAL)

Bem, a partir do controle populacional, o próximo passo natural foi sobre as relações sexuais. Ele disse que as relações sexuais devem ser separadas da reprodução da espécie humana. O sexo é muito prazeroso e os impulsos são muito fortes para esperar que as pessoas desistam dele. Os produtos químicos nos alimentos e no abastecimento de água para reduzir o desejo sexual não são práticos. A estratégia então não seria diminuir a atividade sexual, mas sim aumentar a atividade sexual, mas de tal forma que as pessoas não tivessem filhos.

CONTRACEPÇÃO UNIVERSALMENTE DISPONÍVEL PARA TODOS

E a primeira consideração aqui foi a contracepção. A contracepção seria fortemente encorajada e estaria tão intimamente ligada ao sexo nas mentes das pessoas, que elas automaticamente pensariam em contracepção quando estivessem pensando ou se preparando para o sexo. E a contracepção seria disponibilizada universalmente. Ninguém que desejasse contracepção seria… descobriria que não estava disponível. Os anticoncepcionais seriam exibidos com muito mais destaque nas drogarias, junto com os cigarros e os chicletes. Ao ar livre, em vez de escondidos debaixo do balcão, onde as pessoas teriam que pedir e talvez ficarem envergonhadas. Esse tipo de abertura foi uma forma de sugerir que os anticoncepcionais… que os anticoncepcionais fazem parte da vida tanto quanto qualquer outro item vendido na loja. E contraceptivos seriam anunciados. E seriam distribuídos contraceptivos nas escolas em associação com a educação sexual!

A EDUCAÇÃO SEXUAL COMO FERRAMENTA DO GOVERNO MUNDIAL

A educação sexual visava despertar o interesse das crianças pelo sexo desde cedo, fazendo a ligação entre o sexo e a necessidade de contracepção desde cedo, antes mesmo de se tornarem ativas. Neste ponto eu estava me lembrando de alguns dos meus professores, especialmente no ensino médio, e achei totalmente inacreditável pensar neles concordando, e muito menos participando, na distribuição de anticoncepcionais aos alunos.

Mas isso apenas refletiu minha falta de compreensão de como essas pessoas operam em suas agendas de controle. Isso foi antes do início dos programas clínicos escolares. Muitas, muitas cidades nos Estados Unidos já criaram clínicas escolares que são principalmente clínicas de contracepção, controle de natalidade e controle populacional. A ideia então é que a ligação entre sexo e contracepção introduzida e reforçada na escola seria transferida para o casamento. Na verdade, se os jovens, quando amadurecessem, decidissem casar-se, a importância do próprio casamento perderia importância. Ele indicou algum reconhecimento de que a maioria das pessoas provavelmente gostaria de se casar. .. mas que isso certamente não seria mais considerado necessário para a atividade sexual.

ABORTO FINANCIADO POR IMPOSTOS COMO CONTROLE POPULACIONAL

Não é nenhuma surpresa, então, que o próximo item seja o aborto. E isso, agora em 1969, quatro anos antes de Roe vs. Wade na Suprema Corte dos EUA. Ele disse: “O aborto não será mais um crime”. O aborto será aceito como normal e será pago através de impostos para as pessoas que não possam pagar pelos seus próprios abortos. Os contraceptivos seriam disponibilizados através do dinheiro dos impostos para que ninguém ficasse sem contraceptivos. Se os programas sexuais nas escolas levassem a mais gravidez em meninas ainda crianças, isso não era realmente visto como problema. Os pais que pensam que se opõem ao aborto por motivos morais ou religiosos mudarão de ideia quando a sua própria filha estiver grávida [sem saber quem é o pai]. Portanto, isto ajudará a superar a oposição ao aborto. Em pouco tempo, apenas alguns obstinados ainda se recusarão a ver o aborto como aceitável, e isso não terá mais importância.

A HOMOSSEXUALIDADE… VALE TUDO – A HOMOSSEXUALIDADE TAMBÉM DEVE SER INCENTIVADA.

“As pessoas terão permissão para serem homossexuais”, foi assim que foi afirmado. Eles não terão que esconder isso. E os idosos serão encorajados a continuar a ter uma vida sexual ativa até idades muito avançadas, enquanto puderem. Todos terão permissão para fazer sexo, para desfrutar como quiserem. Qualquer coisa serve. Foi assim que foi colocado.

E lembro-me de ter pensado: “quão arrogante é este indivíduo, ou quem quer que ele represente, sentir que pode dar ou negar permissão às pessoas para fazerem coisas!” Mas essa foi a terminologia usada.

A este respeito, as roupas foram mencionadas. Os estilos de roupa seriam mais estimulantes e provocantes sexualmente. Lembre-se que 1969 foi a época da minissaia, quando essas minissaias eram muito, muito altas e muito reveladoras. Ele disse: “Não é apenas a quantidade de pele que é expressada… exposta que torna a roupa sexualmente sedutora, mas outras coisas mais sutis são muitas vezes sugestivas”, o tecido, o posicionamento dos acessórios na roupa. “Se uma mulher tem um corpo atraente, por que não deveria mostrá-lo?” foi uma das declarações.

Não havia detalhes sobre o que significava “roupas provocantes”, mas desde aquela época, se você observasse a mudança nos estilos de roupas, os jeans são cortados de uma forma que ficam mais justos na virilha. Eles formam rugas. As rugas são essencialmente flechas. Linhas que direcionam a visão para determinadas áreas anatômicas.

E isso foi na época da atividade “queime o sutiã”. Ele indicou que muitas mulheres não deveriam ficar sem sutiã. Elas precisam de um sutiã para serem atraentes, então, em vez de proibir os sutiãs e queimá-los, os sutiãs voltariam. Mas seriam mais finos e macios, permitindo movimentos mais naturais. Não foi dito especificamente, mas certamente um sutiã muito fino revela muito mais o mamilo e o que mais está por baixo, do que os sutiãs mais pesados ​​que estavam na moda até então.

TECNOLOGIA

Anteriormente ele disse… sexo e reprodução seriam separados. Você faria sexo sem reprodução e então a tecnologia seria reprodução sem sexo. Isso seria feito em laboratório. Ele indicou que já havia muita pesquisa em andamento sobre como fazer bebês em laboratório. Houve alguma elaboração sobre isso, mas não me lembro dos detalhes. Quanto dessa tecnologia chegou ao meu conhecimento desde aquela época, não me lembro. Não me lembro de uma forma que possa distinguir o que foi dito do que posteriormente aprendi como informação médica geral.

Empresa israelense desenvolve ‘Tecnologia de Útero Artificial’ para cultivar sinteticamente embriões humanos para ‘Extração de Órgãos. FONTE

AS FAMÍLIAS DIMINUIRÃO EM IMPORTÂNCIA

As famílias seriam limitadas em tamanho. Já aludimos a não serem permitidos mais de dois filhos. O divórcio seria mais fácil e mais prevalente. A maioria das pessoas que se casam se casará mais de uma vez. Mais pessoas não se casarão. Pessoas solteiras ficavam em hotéis e até moravam juntas. Isso seria muito comum – ninguém sequer faria perguntas sobre isso. Seria amplamente aceito como não sendo diferente de pessoas casadas estarem juntas.

Mais mulheres trabalharão fora de casa. Mais homens serão transferidos para outras cidades e, nos seus empregos, mais homens viajarão. Portanto, seria mais difícil para as famílias permanecerem juntas. Isto tenderia a tornar a relação conjugal menos estável e, portanto, tenderia a tornar as pessoas menos dispostas a ter filhos. E as famílias extensas seriam menores e mais remotas.

Viajar seria mais fácil e menos dispendioso durante algum tempo, para que as pessoas que tivessem de viajar sentissem que podiam regressar às suas famílias, e não que fossem abruptamente afastadas das suas famílias. Mas um dos efeitos líquidos de leis de divórcio mais fáceis, combinadas com a promoção de viagens e a transferência de famílias de uma cidade para outra, foi criar instabilidade nas famílias. Se ambos, marido e esposa, estiverem trabalhando e um dos parceiros for transferido, o outro poderá não ser facilmente transferido. Logo, ou desiste do emprego e fica para trás enquanto o outro sai, ou então desiste do emprego e corre o risco de não encontrar emprego no novo local. Uma abordagem bastante diabólica para tudo isso!

EUTANÁSIA E A “PÍLULA DA MORTE”

Todo mundo tem o direito de viver apenas até certo ponto. Os velhos não são mais úteis. Eles se tornam um fardo. Você deve estar pronto para aceitar a morte. A maioria das pessoas está?. Um limite de idade arbitrário poderia ser estabelecido. Afinal, você tem direito a apenas alguns jantares de filé, tantos orgasmos e tantos bons prazeres na vida.  E depois que você estiver farto deles e não estiver mais produtivo, trabalhando e contribuindo, você deverá estar pronto para se afastar para a próxima geração.

Algumas coisas que ajudariam as pessoas a perceberem que já viveram o suficiente, ele mencionou várias delas – não me lembro de todas – aqui estão algumas – uso de tinta de impressão muito clara em formulários que as pessoas… são necessárias para preencher, para que os idosos não conseguissem ler a tinta clara com tanta facilidade e precisassem pedir ajuda aos mais jovens. Padrões de tráfego automóvel – haveria mais faixas de tráfego de alta velocidade.

Um grande item … foi elaborado com certa profundidade: o custo dos cuidados médicos seria extremamente alto. Os cuidados médicos estariam intimamente ligados ao trabalho da pessoa, mas também teriam um custo muito, muito elevado, de modo que simplesmente ficariam indisponíveis para as pessoas após um determinado período.

E, a menos que tivessem uma família extraordinariamente rica e solidária, teriam de viver sem cuidados. E a ideia era que se todos dissessem: “Basta! Que fardo é para os jovens tentar manter os idosos”, então os jovens aceitariam ajudar a mãe e o pai ao longo do caminho para o túmulo, desde que isso fosse feito de forma humana e digna.  E então o exemplo foi – poderia haver uma bela festa de despedida, uma verdadeira celebração. Mamãe e papai fizeram um bom trabalho. E então, depois que a festa acaba, eles tomam a “pílula da morte” [em nossos dias a vacina Covid e o próprio vírus fizeram o “serviço” na população mais idosa].

CRIANDO O CONTROLE DA MEDICINA

O próximo tópico foi a Medicina. Haveria mudanças profundas na prática da medicina. No geral, a medicina seria controlada de forma muito mais rigorosa.  A observação foi feita: “O Congresso não vai concordar com o seguro nacional de saúde. Isso (em 1969)”, disse ele, “é agora abundantemente evidente. Mas não é necessário. Temos outras maneiras de controlar os cuidados de saúde.”

Estas aconteceriam de forma mais gradual, mas toda a prestação de cuidados de saúde ficaria sob controle rigoroso. A assistência médica estaria intimamente ligada ao trabalho.  Se você não trabalhar ou não puder trabalhar, não terá acesso a cuidados médicos.  Os dias em que os hospitais ofereciam cuidados gratuitos iriam gradualmente diminuir, até chegarem a ser praticamente inexistentes. Os custos seriam forçados a subir para que as pessoas não pudessem ficar sem seguro. Se as pessoas pagarem.. você paga por isso, então você tem direito a isso.

Só mais tarde comecei a perceber até que ponto você não pagaria por isso. Seus cuidados médicos seriam pagos por terceiros. E, portanto, você aceitaria com gratidão, de joelhos, o que lhe foi oferecido como um privilégio. Seu papel de ser responsável por seus próprios cuidados seria diminuído.

Como um aparte aqui, isso não é uma coisa que foi desenvolvida naquela época.. Eu não entendi na época como um aparte, o jeito que isso funciona, todo mundo fica dependente de seguro. E se você não tem seguro você paga diretamente; o custo do seu cuidado de saúde é enorme. A seguradora, porém, ao pagar pelo seu atendimento, não paga o mesmo valor. Se você for cobrado, digamos, US$ 600 pelo uso de uma sala de cirurgia, a seguradora não pagará US$ 600 se for ela à pagar. Eles pagam $ 300 ou $ 400. E esse diferencial no faturamento tem o efeito desejado: permite que a seguradora pague por aquilo que você nunca poderia pagar. Eles ganham um desconto que não está disponível para você. Quando você vê sua fatura, fica grato pela companhia de seguros poder fazer isso. E desta forma você fica dependente e praticamente obrigado a ter seguro e um emprego. Todo o faturamento dos planos de saúde é fraudulento.

De qualquer forma, continuando agora,  o acesso aos hospitais seria rigorosamente controlado. Será necessária identificação para entrar no prédio. A segurança dentro e ao redor dos hospitais seria estabelecida e aumentada gradativamente para que ninguém sem identificação pudesse entrar ou circular dentro do prédio.

O roubo de equipamento hospitalar, coisas como máquinas de escrever e microscópios e assim por diante, seria “permitido” e exagerado; os relatos sobre isso seriam exagerados, de modo que esta seria a desculpa necessária para estabelecer a necessidade de segurança rigorosa, até que as pessoas se acostumassem com essa regra, como sempre nos acostumamos.

E qualquer pessoa que se deslocasse pelo hospital seria obrigada a usar um crachá de identificação com fotografia e… dizer por que estava lá… funcionário ou técnico de laboratório ou visitante ou o que quer que seja. Isso deve ser introduzido gradativamente, acostumando todos à ideia de se identificarem – até que seja simplesmente aceito. Esta necessidade de circulação com Identificação para tudo começaria em pequenas formas: hospitais, algumas empresas, mas expandir-se-ia gradualmente para incluir toda a população  em todos os lugares, o meio para criar um banco de dados total de todos!

Observou-se que os hospitais podem ser usados ​​para confinar pessoas.. para tratamento de criminosos. Isso não significou, necessariamente, tratamento médico. Naquela época .. naquela época eu não conhecia a palavra “Psicoprisão” – fica na União Soviética, mas, sem tentar lembrar todos os detalhes, basicamente, ele estava descrevendo o uso de hospitais tanto para tratar os doentes, e para o confinamento de criminosos por outras razões que não o bem-estar médico do criminoso. A definição de criminoso não foi dada.

A ELIMINAÇÃO DOS MÉDICOS PRIVADOS

A imagem do médico mudaria. O .. ele não seria mais visto como um profissional individual no atendimento a pacientes individuais. Mas o médico seria gradualmente reconhecido como um técnico altamente qualificado – e o seu trabalho mudaria.

A tarefa é incluir coisas como execuções por injeção letal. A imagem do médico como pessoa poderosa e independente teria que ser mudada. E ele continuou: “Os médicos estão ganhando muito dinheiro. Eles deveriam anunciar como qualquer outro produto.” Os advogados também estariam anunciando.

Lembre-se de que se tratava de um público de médicos; sendo abordado por um médico. E foi interessante que ele fizesse algumas declarações um tanto insultuosas ao seu público, sem medo de nos antagonizar.

O praticante solo se tornaria uma coisa do passado. Alguns obstinados poderiam tentar resistir, mas a maioria dos médicos seria empregada por uma instituição de um tipo ou de outro.  A prática de grupo seria encorajada, as empresas seriam encorajadas, e então, uma vez que a imagem corporativa dos cuidados médicos… à medida que isto se tornasse gradualmente mais aceitável, os médicos tornar-se-iam cada vez mais empregados em vez de prestadores de serviços independentes. E junto com isso, é claro, não declarado, mas necessário, está o empregado servindo ao seu empregador [e à SUA AGENDA], e não mais ao seu paciente.

Então isso é… já vimos muito disso nos últimos 20 anos. E aparentemente há mais no horizonte. O termo HMO [health maintenance organization] não era usado naquela época, mas quando você olha para os HMOs você vê que esta é a forma como os cuidados médicos estão sendo assumidos, uma vez que a abordagem do Seguro Nacional de Saúde não foi aprovada no Congresso.

Alguns médicos obstinados podem tentar fazer isso, permanecendo na prática solo, permanecendo independentes, o que, entre parênteses, sou eu. Mas eles sofreriam uma grande perda de renda. Eles seriam capazes de sobreviver, talvez, mas nunca viveriam confortavelmente como fariam aqueles que estivessem dispostos a se tornar funcionários do sistema.  Em última análise, não haveria espaço algum para o praticante individual depois que o sistema estivesse consolidado.

NOVAS DOENÇAS DIFÍCEIS DE DIAGNÓSTICO E INTRATÁVEIS

O próximo título para falar é Saúde e Doenças.  Ele disse que apareceriam novas doenças que nunca haviam sido vistas antes. Seria muito difícil de diagnosticar e serão intratáveis – pelo menos por muito tempo. Nenhuma elaboração foi feita sobre isso, mas lembro que, não muito depois de ouvir essa apresentação, quando tinha um diagnóstico intrigante a fazer, eu me perguntava: “era disso que ele estava falando? É este o caso do que ele estava falando? Alguns anos mais tarde, à medida que a AIDS se desenvolvia, penso que a essa doença era pelo menos um exemplo daquilo de que ele estava falando. Agora penso que a AIDS provavelmente foi uma doença fabricada em laboratório [exato].

SUPRESSÃO DA CURA DO CÂNCER COMO MEIO DE CONTROLE POPULACIONAL

O Câncer. Ele disse. “Já podemos curar quase todos os tipos de câncer agora. As informações estão arquivadas no Instituto Rockefeller, caso seja decidido que devam ser divulgadas. Mas consideremos: se as pessoas parassem de morrer de câncer, quão rapidamente ficaríamos superpovoados. Você pode muito bem morrer de câncer ou de qualquer outra coisa.”

Os esforços no tratamento do câncer seriam mais voltados para o conforto do que para a cura. Houve alguma declaração de que, em última análise, as curas do cancer que estavam escondidas no Instituto Rockefeller viriam à luz porque investigadores independentes poderiam revelá-las, apesar dos esforços para as suprimir. Mas, pelo menos por enquanto, deixar as pessoas morrerem de câncer era uma boa coisa a fazer porque iria abrandar o problema da superpopulação.

INDUZINDO ATAQUES CARDÍACOS COMO FORMA DE ASSASSINATO

Outra coisa muito interessante foram sobre os ataques cardíacos. Ele disse:  “Agora existe uma maneira de simular um ataque cardíaco real. Pode ser usado como meio de assassinato.”  Somente um patologista muito habilidoso, que soubesse exatamente o que procurar em uma autópsia, poderia distinguir isso da coisa real. Achei que foi uma coisa muito surpreendente e chocante ouvir desse homem em particular dizer isso naquele momento específico.

Isso, e o negócio da cura do câncer, realmente ainda ficaram bem marcados na minha memória, porque foram muito chocantes e, naquela época, me pareceram fora do personagem.

Ele então passou a falar sobre nutrição e exercícios na mesma estrutura. As pessoas não precisariam… as pessoas teriam que comer direito e se exercitar direito para viver tanto quanto antes. A maioria não o fará. No que diz respeito à nutrição, não houve nenhuma declaração específica que me lembre sobre nutrientes específicos que seriam inadequados ou em excesso. Em retrospecto, tendo a pensar que ele quis dizer que dietas ricas em sal e dietas ricas em gordura predisporiam à hipertensão e à doença cardíaca arteriosclerótica prematura. E que se as pessoas que são muito burras ou com muita preguiça de se exercitarem como deveriam, então sua dieta… suas gorduras circulantes aumentam e predispõem a doenças.

E ele disse algo sobre informações sobre dieta – sobre dieta adequada – que estariam amplamente disponíveis, mas a maioria das pessoas, especialmente as estúpidas, que não tinham o direito de continuar vivendo de qualquer maneira, ignorariam o conselho e simplesmente continuariam comendo o que fosse conveniente e saboroso, bom. Houve algumas outras coisas desagradáveis ​​ditas sobre comida. Eu simplesmente não consigo lembrar o que eram. Mas eu me lembro de… ter pensado em querer plantar uma horta no quintal para contornar o que quer que fossem esses alimentos contaminados. Lamento não me lembrar dos detalhes… do resto… sobre nutrição e nutrição perigosa.

No que diz respeito ao exercício. Ele prosseguiu dizendo que mais pessoas estariam se exercitando mais, principalmente correndo, porque todos podem correr. Você não precisa de nenhum equipamento ou local especial. Você pode correr onde quer que esteja. Como ele disse. “as pessoas estarão correndo por todos os lados.” E nesse sentido, ele destacou como a oferta produz demanda. E isso se referia a roupas e equipamentos esportivos. Como isto seria mais amplamente disponível e glamorizado, especialmente no que diz respeito aos calçados de corrida, isso estimularia as pessoas a desenvolverem interesse em correr e… como parte de todo um tipo de campanha de propaganda pública. As pessoas seriam então encorajadas a comprar equipamento desportivo atraente e a praticar exercício.

Mais uma vez… bem, em relação à nutrição, ele também mencionou que os restaurantes públicos aumentariam rapidamente. Isso… isso tinha ligação com a família também. À medida que mais e mais pessoas comem fora, comer em casa se tornaria menos importante. As pessoas seriam menos dependentes das cozinhas em casa. E isso também está relacionado à ampla disponibilidade de alimentos de conveniência – coisas como você pode colocar no micro-ondas. Refeições inteiras estariam disponíveis.

E claro. já vimos isso… e alguns pratos muito bons. Mas estava previsto que essa abordagem totalmente diferente para comer fora e para… refeições previamente preparadas e consumidas em casa aconteceria naquela época – alimentos de conveniência. Os alimentos de conveniência fariam parte dos perigos. Qualquer pessoa que fosse preguiçosa o suficiente para querer os alimentos de conveniência, em vez de preparar os seus próprios, também deveria ter energia suficiente para se exercitar. Porque se ele tivesse preguiça de fazer exercícios e preguiça de preparar sua própria comida, então não merecia viver muito.

Tudo isso foi apresentado como uma espécie de julgamento moral sobre as pessoas e o que deveriam fazer com suas vidas. Pessoas que são inteligentes, que aprenderiam sobre nutrição e que são disciplinadas o suficiente para comer corretamente e fazer exercícios corretamente são pessoas melhores – e do tipo que você deseja que vivam mais.

A EDUCAÇÃO COMO FERRAMENTA PARA ACELERAR O INÍCIO DA PUBERDADE E DA EVOLUÇÃO

Em algum momento por aqui também houve algo sobre a aceleração do início da puberdade. E isto foi dito em relação à saúde, e mais tarde em relação à educação, e em relação à aceleração do processo de mudança evolutiva. Houve uma declaração de que “achamos que podemos impulsionar a evolução mais rapidamente e na direção que queremos que ela vá”.  Lembro-me disso apenas como uma declaração geral. Não me lembro se foram dados detalhes além disso.

MISTURAR TODAS AS RELIGIÕES… AS VELHAS RELIGIÕES VÃO DESAPARECER

Outra área de discussão foi a Religião. Este é um ateu declarado falando. E ele disse: “A religião não é necessariamente ruim. Muitas pessoas parecem precisar de religião, com seus mistérios e rituais – então elas terão religião. Mas as principais religiões de hoje têm de ser mudadas porque não são compatíveis com as mudanças que virão. As velhas religiões terão que desaparecer. Principalmente o Cristianismo. Uma vez derrubada a Igreja Católica Romana [que NUNCA foi cristã], o resto do Cristianismo seguir-lhe-á facilmente. Então uma nova religião poderá ser aceita para uso em todo o mundo. Incorporará algo de todos os credos antigos para tornar mais fácil para as pessoas aceitá-la e sentirem-se em casa nela. A maioria das pessoas não estará muito preocupada com religião. Eles perceberão que não precisam disso.

MUDANDO A BÍBLIA ATRAVÉS DE REVISÕES DE PALAVRAS-CHAVE

Para fazer isso, a Bíblia será mudada. Ele será reescrita para se adequar à nova religião. Gradualmente, as palavras-chave serão substituídas por novas palavras com vários matizes de significado. Então, o significado atribuído à nova palavra pode ser próximo ao da palavra antiga – e com o passar do tempo, outros matizes de significado dessa palavra podem ser enfatizados. e então gradualmente essa palavra será substituída por outra palavra.” Não sei se estou deixando isso claro.  Mas a ideia é que tudo nas Escrituras não precisa ser reescrito, apenas palavras-chave substituídas por outras palavras. E a variabilidade de significado associada a qualquer palavra pode ser usada como uma ferramenta para mudar todo o significado das Escrituras e, portanto, torná-la aceitável para esta nova religião. A maioria das pessoas não saberá a diferença; e esta foi mais uma das vezes em que ele disse: “os poucos que percebem a diferença não serão suficientes para ter importância”.

“AS RELIGIÕES NOS AJUDARÃO!”

Seguiu-se então uma das declarações mais surpreendentes de toda a apresentação: Ele disse: “Alguns de vós provavelmente pensam que as Igrejas não aceitarão isto”, e prosseguiu dizendo: “as igrejas vão ajudar-nos!” Não houve nenhuma explicação sobre isso, não ficou claro exatamente o que ele tinha em mente quando disse: “as igrejas nos ajudarão!” Em retrospecto, acho que alguns de nós agora podemos entender o que ele quis dizer naquela época. Lembro-me então apenas de ter pensado: “não, elas não vão!” e lembrando as palavras de nosso Senhor quando ele disse a Pedro: “Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do Inferno não prevalecerão contra ela”. Então… sim, algumas pessoas nas igrejas podem ajudar. E nos 20 anos seguintes vimos como algumas pessoas nas igrejas ajudaram, e muito. Mas também sabemos que as Palavras do nosso Senhor permanecerão e as portas do Inferno não prevalecerão.

REESTRUTURANDO A EDUCAÇÃO COMO FERRAMENTA DE DOUTRINAÇÃO

Outra área de discussão foi a Educação. E uma das coisas; em relação à educação que lembra conectar com o que ele falou sobre religião foi além de mudar a Bíblia ele disse que os clássicos da Literatura também seriam mudados. Parece que me lembro que os escritos de Mark Twain foram dados como exemplo. Mas ele disse que o leitor casual que lê uma versão revisada de um clássico nunca suspeitaria que houve alguma mudança. E alguém teria que analisar palavra por palavra para reconhecer que qualquer mudança foi feita nesses clássicos, as mudanças seriam muito sutis. Mas as mudanças seriam de molde a promover a imposição e a aceitabilidade do novo sistema.

CRIANÇAS MAIS TEMPO NAS ESCOLAS, MAS “PARA NÃO APRENDERAM NADA”.

No que diz respeito à educação, indicou que as crianças passariam mais tempo nas escolas, mas em muitas escolas não aprenderiam nada.  Eles aprenderão algumas coisas, mas não tanto quanto antes.

Escolas melhores em áreas melhores com pessoas melhores – os seus filhos aprenderão mais. Nas melhores escolas a aprendizagem seria acelerada. E este é outro momento em que ele disse: “Achamos que podemos impulsionar a evolução”. Ao incentivar as crianças a aprenderem mais, ele parecia estar sugerindo que seus cérebros evoluiriam, que seus filhos evoluiriam… uma espécie de impulso à evolução… onde as crianças aprenderiam e seriam mais inteligentes em uma idade mais jovem. Como se esse empurrão alterasse sua fisiologia.

No geral, a escolaridade seria prolongada. Isso significava prolongar o ano letivo. Não tenho certeza do que ele disse sobre um longo dia escolar, lembro que ele disse que as aulas estavam planejadas para durar todo o verão, que as férias escolares de verão se tornariam uma coisa do passado. Não só para escolas, mas por outros motivos. As pessoas começariam a pensar em férias durante todo o ano, não apenas no verão. Para a maioria das pessoas, levaria mais tempo para concluir a educação. Para obter o que originalmente era um programa de bacharelado, agora seriam necessários diplomas avançados e mais escolaridade. Para que muito tempo escolar fosse apenas tempo perdido. Boas escolas se tornariam mais competitivas. Quando ele disse isso, inferi que incluía todas as escolas – desde o ensino fundamental até a faculdade – mas não me lembro se ele disse isso.

Os alunos teriam que decidir desde cedo o que gostariam de estudar e entrar no caminho mais cedo, caso se qualificassem. Seria mais difícil mudar para outro campo de estudo depois de começar. Os estudos seriam concentrados com muito maior profundidade, mas estreitados. Você não teria acesso a materiais de outras áreas, fora de sua área de estudo, sem aprovação. Parece ser mais .. onde ele falou sobre acesso limitado a outras áreas .. Parece que me lembro disso como sendo mais no nível universitário, ensino médio e nível universitário, talvez. As pessoas seriam muito especializadas em sua própria área de especialização. Mas eles não serão capazes de obter uma educação ampla e não serão capazes de compreender o que está acontecendo em geral.

CONTROLANDO QUEM TEM ACESSO ÀS INFORMAÇÕES

Ele já falava de computadores na educação e, nessa altura, disse que qualquer pessoa que quisesse ter acesso a computadores ou a livros que não estivessem diretamente relacionados com a sua área de estudo teria de ter uma boa razão para o fazer. Caso contrário, o acesso seria negado.

ESCOLAS COMO CENTRO DA COMUNIDADE

Outro ângulo era que as escolas se tornariam mais importantes na vida geral das pessoas. As crianças, além de seus estudos, teriam que participar das atividades escolares, a menos que quisessem se sentir completamente fora delas. Mas atividades espontâneas entre crianças… o que me veio à mente quando ouvi isso foi: times de futebol americano e de beisebol na areia que formamos quando crianças. Eu disse que as crianças que quisessem qualquer atividade fora da escola seriam quase forçadas a fazê-las na escola. Haveria poucas oportunidades lá fora.

Agora vêm as pressões do programa acadêmico acelerado, as demandas aceleradas. onde as crianças sentiriam que tinham que fazer parte de alguma coisa – um ou outro clube atlético ou alguma atividade escolar – essas pressões, ele reconheceu, fariam com que alguns alunos se esgotassem. Ele disse. “os mais inteligentes aprenderão a lidar com as pressões e a sobreviver. Haverá alguma ajuda disponível para os alunos lidarem com o estresse, mas os inaptos não conseguirão fazê-lo. Eles então passarão para outras coisas.

Neste contexto, e mais tarde em relação ao abuso de drogas e de álcool, ele indicou que os serviços psiquiátricos de ajuda seriam aumentados dramaticamente. Em toda a pressão pela realização, reconheceu-se que muitas pessoas precisariam de ajuda, e as pessoas que valiam a pena manter por perto seriam capazes de aceitar e se beneficiar dessa ajuda, e ainda assim serem super realizadores.   Aqueles que não conseguissem cairiam no esquecimento e, portanto, seriam uma espécie de dispensáveis ​​– “dispensáveis”, acho que é a palavra que quero.

A educação seria para toda a vida. Os adultos iriam para a escola. Sempre haverá novas informações que os adultos devem ter para acompanhar. Quando você não consegue mais acompanhar, você está velho demais. Essa foi outra forma de informar aos idosos que havia chegado a hora de seguir em frente e tomar a pílula da morte. Se você ficou cansado demais para continuar com seus estudos, ou ficou velho demais para aprender novas informações, então isso foi um sinal – você começa a se preparar para se afastar.

“Alguns livros simplesmente desapareceriam das bibliotecas…”

Além de revisar os clássicos, aos quais aludi há pouco… como a revisão da Bíblia, ele disse, “alguns livros simplesmente desapareceriam das bibliotecas”. Isso ocorreu no sentido de que alguns livros contêm informações ou ideias que não deveriam ser mantidas por perto. E, portanto, esses livros desapareceriam. Não me lembro exatamente se ele disse como isso seria feito. Mas parece que me lembro de ter levado embora a ideia de que isso incluiria roubos. Que certas pessoas seriam designadas para ir a certas bibliotecas e pegar certos livros e simplesmente se livrar deles. Não necessariamente por uma questão de política – simplesmente roube e elimine-os. Mais adiante, nem todos poderão possuir livros. E haverá alguns livros que ninguém poderá possuir.

MUDANDO AS LEIS

Outra área de discussão foram as leis que seriam alteradas. Naquela época, muitos estados tinham leis dos democratas sobre as vendas dominicais e certas atividades dominicais. Ele disse que as leis azuis [leis dominicais] seriam todas revogadas. As leis do jogo seriam repetidas ou flexibilizadas, para que o jogo aumentasse. Ele indicou então que os governos entrariam no jogo. Muitas loterias estaduais surgiram em todo o país desde então. E, na altura, já nos diziam que seria esse o caso. “Por que todo esse dinheiro do jogo deveria ser mantido em mãos privadas quando o Estado se beneficiaria com isso?” foi o racional por trás disso. Mas as pessoas deveriam poder jogar se quiserem. Portanto, tornar-se-ia uma atividade civil, em vez de uma atividade privada ou ilegal.

As leis de falência seriam alteradas. Não me lembro dos detalhes, mas apenas que seriam. E eu sei que depois dessa época elas foram modificadas. As leis antitruste seriam alteradas ou interpretadas de forma diferente, ou ambas. Em conexão com as mudanças nas leis antitruste, houve algumas declarações que, em certo sentido. a concorrência aumentaria.  Mas isto representaria um aumento da concorrência em circunstâncias que de outra forma seriam controladas. Portanto, não é uma competição livre. Lembro-me de ter tido a impressão de que era como uma competição, mas entre os membros de um clube. Não haveria ninguém fora do clube que pudesse competir.  Mais ou menos como times competindo em uma liga esportiva profissional. Se você é a NFL ou a Liga Americana ou Nacional de Beisebol – você compete dentro da liga, mas a liga está de acordo sobre quais são as regras da competição – não é realmente livre concorrência.

O INCENTIVO AO ABUSO DE DROGAS PARA CRIAR UMA ATMOSFERA DE SELVA

O uso de drogas aumentaria EXPONENCIALMENTE. O consumo de álcool também aumentaria. Os esforços de aplicação da lei contra as drogas seriam aumentados. Ao ouvir isso pela primeira vez, parecia uma contradição. Porquê aumentar o abuso de drogas e simultaneamente aumentar a aplicação da lei contra o abuso de drogas?  Mas a ideia é que, em parte, a maior disponibilidade de drogas proporcionaria uma espécie de lei da selva, em que os fracos e os inaptos seriam selecionados para eliminação.

Houve uma declaração feita na época:  “Antes de a Terra ser superpovoada, havia uma lei na selva onde apenas os mais aptos sobreviviam. Você tinha que ser capaz de se proteger contra os elementos, os animais selvagens e as doenças. E se você estivesse em forma, você sobreviveria. Mas agora tornámo-nos tão civilizados – estamos demasiado civilizados – e os inaptos só conseguem sobreviver à custa daqueles que estão mais aptos.”  E as drogas abusivas então restaurariam, em certo sentido, a lei da selva e a seleção dos mais aptos para a sobrevivência. As notícias sobre o abuso de drogas e os esforços de aplicação da lei tenderiam a manter as drogas na consciência pública. E também tenderia a reduzir esta injustificada complacência americana de que o mundo é um lugar seguro e agradável.

ABUSO DE ÁLCOOL

A mesma coisa aconteceria com o álcool. O abuso de álcool seria promovido e rebaixado ao mesmo tempo. Os vulneráveis ​​e os fracos responderiam às promoções e, portanto, usariam e abusariam mais do álcool. Dirigir embriagado se tornaria um problema maior; e seriam estabelecidas regras mais rigorosas sobre a condução sob influência de álcool, para que cada vez mais pessoas perdessem o privilégio de conduzir.

RESTRIÇÕES DE VIAGEM

Isso também teve conexão com algo que abordaremos mais tarde sobre as restrições gerais às viagens.  Nem todos deveriam ser livres para viajar como fazem agora nos Estados Unidos.  As pessoas não precisam viajar dessa maneira. É um privilégio! Foi meio arrogante a forma como isso foi colocado.

Mais uma vez, seriam disponibilizados muito mais serviços psicológicos para ajudar aqueles que se viciaram em drogas e álcool. A ideia é que, para promover isto – o abuso de drogas e álcool para eliminar alguns dos inaptos – as pessoas que, de outra forma, são muito boas também estariam sujeitas a serem fisgadas. E se eles realmente valessem a pena, teriam bom senso suficiente para procurar aconselhamento psicológico e se beneficiar dele.  Então isso foi apresentado como uma espécie de valor redentor por parte dos planejadores. Era como se ele estivesse dizendo: “você acha que somos ruins em promover essas coisas malignas – mas veja como somos legais – também estamos fornecendo uma saída!”

A NECESSIDADE DE MAIS CADEIAS E DE SE USAR HOSPITAIS COMO CADEIAS

Seriam necessárias mais prisões. Os hospitais poderiam servir como prisões. Algumas novas construções de hospitais seriam projetadas de modo a torná-los adaptáveis ​​ao uso semelhante ao de uma prisão.

Fim da fita I


“Parece duvidoso se, de fato, a política de “Botas no rosto” pode continuar indefinidamente.  Minha própria convicção é que a oligarquia governante encontrará maneiras menos árduas e perdulárias de governar e de satisfazer sua ânsia de poder, e essas formas serão semelhantes às que descrevi em Admirável Mundo Novo [uma verdadeira profecia publicada em 1932].  Na próxima geração, acredito que os governantes do mundo descobrirão que o condicionamento INFANTIL e a narco-hipnose são mais eficientes, como instrumentos de governo, do que prisões e campos de concentração, e que o desejo de poder pode ser completamente satisfeito sugerindo às pessoas que amem sua servidão ao invés de açoita-los e chuta-los até obter sua obediência. ” – Carta de Aldous Huxley  EM 1949 para George Orwell autor do livro “1984”


“Precisamos do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na CEF, Agência: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.328 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth