browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Boeing 737 Max, um escândalo que expõe gigante do Complexo Industrial Militar

Posted by on 23/02/2020

Na semana passada, um  memorando interno da Boeing  detalhou como os inspetores encontraram destroços dentro dos tanques de combustível de várias aeronaves 737 MAX que estão paradas aguardando para serem entregues às companhias aéreas. Os relatórios atualizados agora mostram que o problema é muito mais [GRAVE] disseminado do que se pensava anteriormente.  Uma fonte disse à Reuters que pelo menos 50% dos jatos MAX inspecionados mas não entregues possuem detritos [panos, coberturas de botas, ferramentas e outros detritos] dentro dos seus tanques de combustível, encontrados nos seus tanques de combustível.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Um gigante do Complexo Industrial Militar cada vez mais exposto: Metade dos jatos inspecionados  das aeronaves Boeing 737 MAX [NOVOS] não entregues tem ‘detritos’ encontrados DENTRO dos seus tanques de combustível

Fonte:  https://www.reuters.com/ –   https://www.zerohedge.com/

A Reuters observa que 35 aviões MAX tinham detritos de objetos estranhos (FOD) nos tanques de combustível. Um porta-voz da Boeing confirmou isso na sexta-feira:

“Estamos tomando medidas para garantir a eliminação do FOD de toda e qualquer aeronave. Isso é inaceitável e não será tolerado em nenhuma aeronave da Boeing quando entregue ao cliente”, afirmou a Boeing em comunicado por e-mail.

Uma fonte disse à Reuters que pelo menos 50% dos jatos MAX inspecionados mas não entregues possuem detritos [panos, coberturas de botas, ferramentas e outros detritos] dentro dos seus tanques de combustível, encontrados nos seus tanques de combustível.

Localização dos imensos tanques de combustíveis nos aviões

Funcionários do setor disseram ao The Wall Street Journal  que a escala do problema é generalizada. Eles disseram que a Boeing havia inspecionado 50 dos 400 aviões 737 Max aguardando a entrega às companhias aéreas desde que o embargo ocorreu, indicando que alguns jatos tinham panos, coberturas de botas, ferramentas e outros detritos nos tanques de combustível. 

problema do FOD  no 737 MAX foi relatado na terça-feira no  site de aviação de Scott Hamilton, em Leeham.net :

“Há um problema sistêmico no controle de qualidade da Boeing que ainda não foi resolvido”, disse Hamilton em entrevista. “Isso não está relacionado às falhas do MAX ou exclusivamente a um problema do MAX. A Boeing tem esses problemas de segurança em outros programas do avião”.

Combine a questão do FOD com uma série de contratempos que se estendem por quase um ano desde o início da aterragem em massa das aeronaves Boeing 737 Max, e começou apenas um desastre após o outro para a Boeing. 

Na sexta-feira, uma  nova reviravolta na saga da Boeing se desenvolveu quando o NYT relatou que os promotores federais estavam examinando se a empresa aeroespacial intencionalmente enganou a FAA enquanto buscava aprovação para o retorno do 737 Max.

Os promotores questionaram vários funcionários da Boeing diante de um grande júri federal se um dos principais pilotos da Boeing, Mark Forkner, mentiu para a FAA sobre as capacidades do então novo software de avião MCAS, o causador de dois graves acidentes com quase 400 mortes que inviabilizou a aeronave.

As companhias aéreas estão  cientes dos novos “contratempos”  e pressionaram o retorno do MAX às datas de serviço até o final do verão e até o outono. 

A Southwest disse que está estendendo seus cancelamentos de voos do MAX até 20 de agosto, a maior companhia aérea dos EUA (por milhas disponíveis) United Airlines, também disse que está retirando o MAX dos seus horários até 4 de setembro. Novos contratempos podem empurrar ainda mais aos 737 Max permanecerem em terra. Os  impactos na economia dos EUA  são tremendos. 

Com as companhias aéreas atrasando suas datas de ‘retorno ao serviço’ da condenada aeronave com base na total falta de clareza da Boeing no caminho a seguir para o 737 MAX, o fabricante de aviões problemático (e o avião problemático) agora enfrenta mais problemas.

De acordo com um memorando interno, visto pela Reuters , a Boeing encontrou detritos que poderiam representar riscos potenciais à segurança nos tanques de combustível de várias aeronaves 737 MAX que estão armazenadas e aguardando entrega nas companhias aéreas.

Para esclarecer o que significa ‘detritos’, a Reuters  detalha que:

“um termo industrial para panos, ferramentas, aparas de metal e outros materiais deixados pelos trabalhadores durante o processo de produção”.

E observa que esse problema de “detritos” tem sido um problema de controle de qualidade para várias aeronaves da Boeing, como seus aviões tanque KC-46.

Detritos de objetos estranhos (FOD) “são absolutamente inaceitáveis.”, disse  Mark Jenks, vice-presidente da Boeing e gerente geral do programa 737, em mensagem a funcionários vistos pela Reuters . “Com sua ajuda e foco, eliminaremos o FOD do nosso sistema de produção”

Um porta-voz da Boeing confirmou a autenticidade do memorando; e a Boeing agora precisa inspecionar mais de 400 jatos 737 Max armazenados, mas Bernard Choi disse que “ainda está indeciso se vamos inspecionar o resto” da frota MAX – outras 385 aeronaves que foram entregues aos clientes, mas que foram aterradas por quase um ano e estão estacionados enferrujando em aeroportos de todo o mundo.

“Obviamente, faremos o que é certo por segurança”, acrescentou Choi.

O porta-voz da Boeing, Chaz Bickers, teve o cuidado de afirmar que a empresa não vê os detritos contribuindo para atrasos no retorno do jato ao serviço. (As inspeções levarão de dois a três dias por aeronave. O combustível deve ser drenado das asas antes que um mecânico possa entrar e fazer uma verificação completa no interior dos tanques das aeronaves. )

Administração Federal de Aviação – FAA informou que estava ciente de que a Boeing “está realizando uma inspeção” voluntária “de detritos nas aeronaves não entregues” como parte dos esforços contínuos da empresa para “garantir a qualidade” da fabricação “.

No entanto, isso pode atrasar a decisão das companhias aéreas de aceitar a entrega dos jatos (já que não é exatamente reconfortante para os tripulantes e passageiros o compromisso da empresa em fabricar qualidade e segurança em seus aviões!)


Leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e a citação das fontes.

phi-golden-ratiowww.thoth3126.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.