Boeing, acidente de novo!

Momento de terror: passageiros do Boeing 737 lutam para escapar do jato em chamas depois que ele derrapou na pista no Senegal, no mais recente desastre para a fabricante de aviões, um dia depois do FedEx 767 pousar sem trem de pouso. A equipe de relações públicas da Boeing deve estar muito frustrada ou possivelmente até sobrecarregada, já que mais um avião da Boeing sofreu um acidente nas últimas 24 horas. 

O Daily Mail  relata que um Boeing 737, operado pela transportadora senegalesa Transair, caiu após uma tentativa fracassada de decolagem, fazendo o avião derrapar para fora da pista do Aeroporto Internacional Blaise Diagne, no Senegal. 

Fonte:  Daily MailZero Hedge

Esse voo decolou do aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, na manhã de ontem e se dirigia a Istambul quando o piloto percebeu que o trem de pouso estava com defeito. Imagens perturbadoras mostraram o momento em que o avião tentou um pouso de emergência, pousando na pista e raspando o nariz no concreto.

Faíscas voaram da fuselagem esfacelada do avião enquanto ele avançava pela pista com fumaça subindo por trás.  Felizmente, os bombeiros e as equipes de resgate já aguardavam no local, tendo o ministério dos transportes da Turquia enviado equipes de emergência assim que soube que o trem de aterragem da aeronave não estava funcionando. 

Os socorristas se reuniram para cercar o avião quando ele parou e imediatamente o cobriram com espuma de combate a incêndio para evitar que qualquer incêndio potencial pudesse ocorrer.  Ninguém ficou ferido no incidente de hoje e a tripulação evacuou a aeronave com segurança, disse Abdulkadir Uraloglu, ministro dos Transportes e Infraestrutura da Turquia. A pista onde o avião pousou foi fechada enquanto a aeronave era removida, disse ele.

Uma aeronave Transair Boeing 737-38J (6V-AJE) sofreu danos substanciais depois de fazer uma excursão na pista do Aeroporto Internacional Blaise Diagne (AIBD) na quinta-feira, 9 de maio de 2024, por volta da 1h.

Equipes do ”IGA Istanbul Airport Rescue e ARFF continuam seus esforços para mover a aeronave para uma área segura e abrir a pista ao tráfego aéreo. O tráfego aéreo e as operações continuam sem problemas em todas as outras pistas, incluindo as pistas sobressalentes”, dizia um comunicado.  

A Boeing já está sob o microscópio em meio à crescente controvérsia sobre problemas de segurança generalizado em suas aeronaves, suspeitas de problemas de controle de qualidade DEI e “acordada” e mortes de denunciantes de falhas em sua linha de produção.

A Administração Federal de Aviação dos EUA disse na segunda-feira que abriu uma investigação sobre a empresa depois que trabalhadores de uma fábrica na Carolina do Sul falsificaram registros de inspeção em certos aviões 787

Em um e-mail aos funcionários da Boeing na Carolina do Sul em 29 de abril, Scott Stocker, que lidera o programa 787, disse que um trabalhador observou uma “irregularidade” em um teste obrigatório da união asa-corpo e relatou o fato ao seu gerente.

“Depois de receber o relatório, analisamos rapidamente o assunto e descobrimos que várias pessoas estavam violando as políticas da Empresa ao não realizarem um teste exigido, mas registrando o trabalho como tendo sido concluído”, escreveu Stocker.

Nenhum avião foi retirado de serviço, mas ter que realizar o teste fora de serviço nos aviões atrasará a entrega dos jatos que ainda estão sendo construídos na fábrica de montagem final em North Charleston, Carolina do Sul. A Boeing também deve criar um plano para lidar com os aviões que já estão voando, disse a FAA.

“A FAA está investigando se a Boeing completou as inspeções e se os funcionários da empresa podem ter falsificado registros de aeronaves”, dizia um comunicado.

Um dia antes, um avião de carga, um Boeing 767 operado pela FedEx  fez um pouso forçado em um aeroporto  na Turquia após uma falha no trem de pouso do nariz. 

Esses dois acidentes, ocorridos em cerca de um dia, aumentaram os problemas crescentes da Boeing. A empresa está atualmente sob intenso escrutínio do governo federal dos EUA sobre o controle de qualidade de suas aeronaves.  

Em Abril, um denunciante da Boeing, Sam Salehpour, também testemunhou numa audiência no Congresso dos EUA que a empresa tinha tomado atalhos de fabrico para produzir os 787 o mais rapidamente possível. A empresa já estava sob intensa pressão desde que uma tampa de porta de um Boeing 737 Max explodiu durante um voo da Alaska Airlines em janeiro, deixando um buraco no avião. 

O acidente interrompeu o progresso que a Boeing parecia estar fazendo enquanto se recuperava de duas quedas mortais de jatos 737 Max em 2018 e 2019. Os acidentes na Indonésia e na Etiópia, que mataram 346 pessoas, também estão de volta aos holofotes. 

As famílias de algumas das vítimas pressionaram o Departamento de Justiça a reavivar uma acusação de fraude criminal contra a empresa, determinando que os lapsos contínuos da Boeing violavam os termos de um acordo de acusação diferida de 2021.

Enquanto isso, dois denunciantes envolvidos em uma disputa com a Boeing morreram com apenas alguns meses de diferença no início deste ano, apenas aumentando as especulações sobre os negócios da empresa aeroespacial.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.326 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth