Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

BRICS Ultrapassa G-7 em Poder Econômico

A rápida ascensão do PPC dos países do BRICS está transformando a economia global, com a participação do grupo no PIB mundial em termos de paridade de poder de compra (PPC) a aumentar muito além da atual participação das principais economias avançadas do Grupo dos Sete (G-7), informou a Bloomberg nesta semana.

A participação do grupo de países do BRICS no PIB global em termos de PPC [Paridade pelo Poder de Compra] deverá mais do que duplicar a do G-7 até 2040, de acordo com um relatório da agência Bloomberg.

Fonte: Rússia Today

Atualmente, o BRICS compreende Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, mas o grupo será acompanhado em janeiro por Argentina, Egito, Etiópia, Irã, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos.

O clube de países industrializados e desenvolvidos do G-7 consiste nos EUA, Canadá, Reino Unido, França, Itália, Alemanha e Japão.

O relatório indicou que os BRICS expandidos já são maiores que o G-7. Em 2022, o bloco representava 36% da economia global, contra 30% do grupo da economia avançada do grupo G-7.

“As nossas previsões sugerem que uma força de trabalho em expansão e um amplo espaço para a atualização tecnológica aumentarão a quota dos BRICS+ para 45% até 2040, em comparação com 21% para as economias dos países do G-7. Com efeito, os BRICS+ e o G-7 terão trocado de lugar em tamanho relativo entre 2001 e 2040”, escreveu a Bloomberg.

A agência também destacou que o grupo econômico expandido dos BRICS conterá alguns dos maiores exportadores de petróleo do mundo, nomeadamente a Arábia Saudita, a Rússia, os Emirados Árabes Unidos e Irã, bem como alguns dos seus maiores importadores – os gigantes populacionais China e a Índia.

“Se [os BRICS] conseguirem transferir algumas liquidações de transações petrolíferas para outras moedas, abandonando o dólar, isso poderá ter um efeito indireto na participação do dólar no comércio internacional e nas reservas cambiais globais”, acrescentou o relatório, observando que os países membros do BRICS têm trabalhado ativamente para abandonar o dólar nas suas transações comerciais entre si.

Ao mesmo tempo que destaca as vantagens dos BRICS sobre o G-7, tais como a sua enormes dimensão, diversidade e ambição, o relatório também aponta alguns dos desafios que o grupo enfrenta, incluindo o abrandamento econômico da China, a incapacidade de abandonar o petrodólar num futuro próximo, bem como a uma “relutância” em promover uma única alternativa.

“Os BRICS mudarão o mundo, mas talvez mais devido à sua crescente participação no PIB e aos sistemas políticos e econômicos divergentes, do que através da realização dos grandes planos dos decisores políticos”, concluiu Bloomberg.


“Precisamos do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”.


“O indivíduo é [TÃO] deficiente mentalmente [os zumbis], por ficar cara a cara, com uma conspiração tão monstruosa, que nem acredita que ela exista. A mente americana [humana] simplesmente não se deu conta do mal que foi introduzido em seu meio. . . Ela rejeita até mesmo a suposição de que as [algumas] criaturas humanas possam adotar uma filosofia, que deve, em última instância, destruir tudo o que é bom, verdadeiro e decente”.  – Diretor do FBI J. Edgar Hoover, em 1956


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *