Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Candidato presidencial dos EUA culpa CIA pelo assassinato de JFK

Robert F Kennedy Jr. disse que a culpa da agência estava “além de qualquer dúvida razoável”. A CIA esta por trás do assassinato do presidente dos Estados Unidos John F. Kennedy Jr. em 1963 e provavelmente envolvida no assassinato do procurador-geral dos Estados Unidos, Robert F. Kennedy [pai de RFK], em 1968, alegou o candidato presidencial democrata Robert F. Kennedy Jr. ao jornalista John Catsimatidis no domingo.

Candidato democrata à presidência dos EUA culpa CIA pelo assassinato de JFK

Fonte: Rússia today

“Há evidências contundentes de que a CIA esteve envolvida no assassinato [de JFK]”, declarou Kennedy, descrevendo-o como “além de qualquer dúvida razoável neste momento”.

“As evidências são esmagadoras de que a CIA estava envolvida no assassinato e no encobrimento” do crime, continuou o candidato, descrevendo os esforços para desacreditar essa teoria como um “encobrimento de 60 anos”. 

Kennedy citou o livro JFK and the Why He Died and Why It Matters de James Douglas como a melhor compilação de evidências sobre o assunto, embora dezenas, senão centenas, de trabalhos tenham sido escritos sobre o assassinato e o suposto papel da CIA.

A explicação oficial do governo dos EUA, publicada como relatório da “Comissão Warren” no ano seguinte ao assassinato, sustenta que o veterano da Marinha dos EUA, Lee Harvey Oswald, agiu sozinho ao atirar no presidente enquanto sua carreata passava por Dallas em 22 de novembro de 1963.

Oswald foi notoriamente assassinado antes de poder ser julgado, embora tenha conseguido dizer aos jornalistas que era “apenas um bode expiatório” logo após sua prisão. O suposto atirador solitário foi morto a tiros pelo dono da boate Jack Ruby (nome verdadeiro Jacob Rubinstein, um mafioso judeu khazar) enquanto era transportado da sede da polícia de Dallas para a prisão do condado.

Falando a Catsimatidis, Kennedy acrescentou que havia evidências “muito convincentes, mas circunstanciais” de que a CIA também estava envolvida no assassinato de seu pai em 1968, o procurador-geral e candidato presidencial Robert [Bob] F. Kennedy

Ele descreveu a história oficial do assassinato, que foi atribuída ao tratador de cavalos palestino Sirhan Sirhan, como fisicamente impossível, argumentando que Thane Eugene Cesar, um guarda de segurança do hotel que trabalhava ao mesmo tempo para a indústria do Complexo Militar Industrial Lockheed, havia realmente disparado os tiros que mataram Bob Kennedy.

Quatro anos após o assassinato de JFK, quase metade do público americano não acreditava que Oswald tivesse agido sozinho. A CIA estava tão preocupada com esse fato que emitiu uma diretiva em 1967 sobre como desacreditar os chamados “teóricos da conspiração” questionando as conclusões da Comissão Warren. O uso moderno do termo “teórico da conspiração” como pejorativo geralmente remonta a este memorando de 1967.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


“O indivíduo é deficiente mentalmente [os zumbis], por ficar cara a cara, com uma conspiração tão monstruosa, que nem acredita que ela exista. A mente americana [humana] simplesmente não se deu conta do mal que foi introduzido em seu meio. . . Ela rejeita até mesmo a suposição de que as [algumas] criaturas humanas possam adotar uma filosofia, que deve, em última instância, destruir tudo o que é bom, verdadeiro e decente”.  – Diretor do FBI J. Edgar Hoover, em 1956


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *