browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Capitalismo, “governo mundial” e o coronavírus: Quando a mentira se torna verdade

Posted by on 07/06/2020

“Nos conselhos de governo, devemos nos proteger contra a aquisição de influência injustificada, procurada ou não, pelo [conglomerado de empresas do] complexo industrial militar. O potencial para o aumento desastroso do poder extraviado existe e persistirá”. Presidente Dwight D. Eisenhower , 17 de janeiro de 1961) – O mundo está sendo enganado com relação às causas e conseqüências da crise da pandemia pelo coronavírus. A crise do COVID-19 é marcada por uma “emergência” global de saúde pública sob os auspícios da OMS, que está sendo usada como pretexto e justificativa para desencadear um processo mundial de reestruturação econômica, social e política. 

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Capitalismo global, “governo mundial” e a pandemia do coronavírus: Quando a mentira se torna verdade, não há como retroceder

Fonte:  https://www.globalresearch.ca/global-capitalism-world-government-and-the-corona-crisis/5712312

Por Michel Chossudovsky

A engenharia social está sendo aplicada extensivamente. Os governos são pressionados a estender o bloqueio, apesar de suas devastadoras conseqüências econômicas e sociais nos países em quarentena total. O que está acontecendo é sem precedentes na história mundial. 

Cientistas proeminentes apoiam o bloqueio sem piscar suas pálpebras, como uma “solução” para uma emergência de saúde global. Amplamente documentado, as estimativas da doença COVID-19, incluindo a mortalidade, são grosseiramente manipuladas.  Por sua vez, as pessoas das massas estão obedecendo bovinamente a seus governos. Por quê? Porque eles estão com medo?  

Causas versus soluções?

O fechamento das economias nacionais aplicadas em países de todo o mundo resultará inevitavelmente em pobreza, falência em massa de pequenas e médias empresas, aumento da automatização, desemprego generalizado, fome e aumento da mortalidade. É um ato deliberado de guerra econômica, política e social. 

Estágio Um: A Guerra Comercial contra a China

Em 30 de janeiro de 2020, o Diretor Geral da OMS determinou que o surto de coronavírus constituia uma Emergência de Saúde Pública de Interesse Internacional (PHEIC). A decisão foi tomada com base em 150 casos confirmados fora da China. Primeiros casos de transmissão pessoa a pessoa: 6 casos nos EUA, 3 casos no Canadá e 2 no Reino Unido.

O Diretor Geral da OMS teve o apoio da Fundação Bill e Melinda Gates, dos conglomerados farmacêuticos da Big Pharma e do Fórum Econômico Mundial (WEF). A decisão da OMS de declarar uma Emergência Global foi tomada à margem do Fórum Econômico Mundial (WEF) em Davos, na Suíça (21 a 24 de janeiro).

Um dia depois (31 de janeiro) após o lançamento da Emergência Global da OMS, o governo Trump anunciou que negaria a entrada a estrangeiros “que viajaram pela China nos últimos 14 dias” Isso imediatamente desencadeou uma crise no transporte aéreo internacional, no comércio China-EUA e na indústria global do turismo. A Itália seguiu o exemplo, cancelando todos os voos para a China em 31 de janeiro.

A primeira etapa foi acompanhada pela interrupção das relações comerciais com a China, bem como pelo fechamento parcial do setor de manufatura de exportação. Uma campanha foi lançada imediatamente contra a China e também contra pessoas da etnia chinesa. O Economist informou que:

“O coronavírus espalha o racismo contra e entre os chineses étnicos”. “A comunidade chinesa da Grã-Bretanha enfrenta racismo por causa de um surto de coronavírus”

De acordo com o jornal SCMP :

“As comunidades chinesas no exterior estão cada vez mais enfrentando abuso e discriminação racistas em meio ao surto de coronavírus. Alguns chineses étnicos que vivem no Reino Unido dizem ter experimentado uma crescente hostilidade por causa do vírus mortal que se originou na China”.

E esse fenômeno está acontecendo em todo o país.

Segunda Etapa: O Impacto Financeiro Liderado pelo Medo e pela Manipulação do Mercado de Ações

Uma crise financeira global se desenrolou ao longo do mês de fevereiro, culminando em um colapso dramático dos valores do mercado de ações, bem como um grande declínio no valor do preço do petróleo bruto, pela primeira vez na história da indústria do petróleo.

Este colapso foi manipulado. Era o objeto de informações privilegiadas e conhecimento prévio. A campanha do medo teve um papel fundamental na implementação do colapso do mercado de ações. Em fevereiro, cerca de US$ 6 trilhões foram eliminados do valor das bolsas de valores em todo o mundo. Ocorreram perdas maciças de poupança pessoal (por exemplo, da média de americanos) para não mencionar falhas corporativas e falências generalizadas de empresas. Foi uma pechincha comprar empresas em dificuldades para especuladores institucionais, incluindo fundos de hedge corporativos. O colapso financeiro levou a transferências consideráveis ​​de riqueza monetária nos bolsos de um punhado de instituições financeiras.

Terceira etapa: bloqueio, confinamento e fechamento da economia global

O colapso financeiro em fevereiro foi imediatamente seguido pelo bloqueio no início de março. O bloqueio e o confinamento apoiados pela engenharia social foram fundamentais para a reestruturação almejada da economia global. Aplicado quase simultaneamente em um grande número de países ocidentais, o bloqueio provocou o fechamento da economia nacional, juntamente com a desestabilização das atividades de comércio, transporte e investimento.

A pandemia constitui um ato de guerra econômica, política e social contra a humanidade que resultou em pobreza global e desemprego em massa. Os mestres dos e os políticos marionetes estão mentindo. Nem o bloqueio nem o fechamento das economias nacionais constituem uma solução para a [pseudo] crise da saúde pública.

Quem controla os políticos [marionetes] ?

Por que os políticos estão mentindo?

Eles são os instrumentos para a implantação da agenda globalista do establishment financeiro, incluindo os “filantropos ultra-ricos” como Bill Gates e George Soros. Sua tarefa é realizar o projeto de reestruturação econômica, política e social global que consiste em congelar a atividade econômica no mundo inteiro.

No caso dos democratas nos EUA, eles estão preocupados em se opor à reabertura da economia americana como parte da campanha presidencial de 2020. Essa oposição à reabertura das economias nacional e global é apoiada pelo “Big Money”. É oportunismo e/ou estupidez [ou ambos]. Em todas as principais regiões do mundo, os políticos marionetes foram instruídos por poderosos interesses imperialistas, oligárquicos e financeiros a manter o bloqueio e impedir a reabertura da economia nacional.

A campanha do medo que leva às massas ao pânico crescente prevalece. O “distanciamento social” é imposto. A economia está fechada. Medidas totalitárias estão sendo impostas. De acordo com o Dr. Pascal Sacré:

… Em alguns países, os pacientes podem deixar o hospital concordando em usar uma pulseira eletrônica. Esta é apenas uma amostra de todas as medidas totalitárias planejadas ou mesmo já decididas por nossos governos em favor da crise do coronavírus. Isso vai muito mais longe, é ilimitado e afeta boa parte do mundo, se não o mundo inteiro.

Os “instintos de pastoreio” da manada dos políticos marionetes das elites

Governos corruptos agem como “cães pastores” com “instintos de pastoreio” perseguindo suas ovelhas [a massa bovina e ignorante tomada pelo medo e em pânico].

O “rebanho” está com muito medo de ir atrás do “governo”?

A analogia pode ser simplista, mas, no entanto, considerada relevante pelos psicólogos.

“Algumas raças de cães [políticos marionetes corruptos] têm instintos de pastoreio que podem ser trazidos com o treinamento e o incentivo certos [subornos]. … ensine obediência básica a seu cão [procurador político] e veja se ele mostra tendências de pastoreio. … Sempre procure um treinador que use métodos de treinamento baseados em recompensa [subornos, ganhos pessoais, apoio político, adesão a altos cargos] ”( Como ensinar seu cão a pastorear )

Mas há outra dimensão. Os políticos de alto cargo responsáveis ​​por “convencer seu rebanho” realmente acreditam nas mentiras que lhes são impostas por uma autoridade superior.

A mentira se torna verdade. Os políticos apoiam o consenso de manada em pânico, reforçam a “engenharia social”, acreditam em suas próprias mentiras.

Não é uma epidemia, é uma “OPERAÇÃO AO VIVO”

secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo   (num deslize da língua) admite tacitamente em uma declaração pública durante uma entrevista um tanto contraditória que o COVID-19 é um “exercício ao vivo”, é uma “operação”:

“Não se trata de retaliação. Este assunto está avançando – estamos em um exercício ao vivo aqui para acertar.”

Ao que presidente Trump, em pé ao seu lado,  respondeu “você deveria ter nos contado sobre isso”.

Essas palavras vão para a história, assista ao “deslize” ao vivo:

Geopolítica

Não tenhamos ilusões, esta é uma operação cuidadosamente planejada. Não há nada espontâneo ou acidental. A recessão econômica é projetada nos níveis nacional e global. Por sua vez, essa crise também é integrada ao planejamento militar e de inteligência EUA-OTAN. Pretende não apenas enfraquecer a China, Rússia e Irã, mas também desestabilizar o tecido econômico da União Européia (UE).

“Governança Global”

Um “novo estágio” na evolução do capitalismo global está se desenrolando. Um sistema de “Governança Global” controlado por poderosos interesses financeiros, incluindo fundações corporativas, os conglomerados do Complexo Industrial Militar e think tanks de Washington, supervisionma a tomada de decisões nos níveis nacional e global. Os governos nacionais tornam-se subordinados à “Governança Global”. O conceito de governo mundial foi levantado pelo falecido David Rockefeller no [Grupo] Bilderberger Meeting, na cidade de Baden, na Alemanha, em junho de 1991:

 “Somos gratos ao Washington Post, ao The New York Times, à Time Magazine e outras grandes publicações cujos diretores participaram de nossas reuniões e respeitaram suas promessas de discrição por quase 40 anos. … Teria sido impossível desenvolvermos nosso plano para o mundo se tivéssemos sido submetidos à luz da publicidade durante esses anos. Mas o mundo agora está mais sofisticado e preparado para marchar em direção a um GOVERNO MUNDIAL. A soberania supranacional de uma elite intelectual e de banqueiros do mundo é certamente preferível à autodeterminação nacional praticada nos séculos passados”. (citado por Aspen Times , 15 de agosto de 2011, ênfase adicionada)

Em suas memórias, David Rockefeller afirma:
“Alguns até acreditam que fazemos parte de uma cabala secreta trabalhando contra os melhores interesses dos Estados Unidos, caracterizando minha família e eu como ‘internacionalistas’ e conspirando com outras pessoas ao redor do mundo para construir uma estrutura política e econômica global mais integrada, uma mundo se você quiser. Se essa é a acusação, sou culpado e tenho orgulho disso. ( Ibidem )

O cenário de Governança Global impõe uma agenda totalitária de engenharia social e conformidade e unidade econômica.  Constitui uma extensão da estrutura política neoliberal imposta aos países em desenvolvimento e desenvolvidos. Consiste em eliminar a “autodeterminação nacional” [nacionalismo] e construir um nexo mundial de regimes de procuração pró-EUA controlados por uma “soberania supranacional” (um governo mundial) composta pelas principais instituições financeiras, bilionários e suas fundações “filantrópicas” [George Soros, Bill Gates< Rockefellers, et caterva].

Os “Cenários para o futuro da área de tecnologia e desenvolvimento internacional” da Fundação Rockefeller de 2010,  produzidos em conjunto com a Rede Global de Monitoramento de Negócios (GBN), já haviam descrito os recursos da Governança Global e as ações a serem tomadas em relação a uma Pandemia Mundial. A Fundação Rockefeller propõe o uso do planejamento de cenários como “um meio para realizar a criação de uma governança global”.

O Relatório prevê (p 18) uma simulação de um cenário de etapa de bloqueio, incluindo uma cepa global de um vírus influenza virulenta:

“LOCKOUT [QUARENTENA]: Um mundo de controle governamental de cima para baixo e liderança mais autoritária, com inovação limitada e crescente reação dos cidadãos Em 2012, a pandemia que o mundo estava antecipando há anos finalmente chegou. Diferentemente do H1N1 de 2009, essa nova cepa da gripe – originária de gansos selvagens – era extremamente virulenta e mortal. Até os países mais preparados para a pandemia foram rapidamente esmagados quando o vírus se espalhou pelo mundo, infectando quase 20% da população global e matando. 8 milhões em apenas sete meses ”

Vale a pena notar que esta simulação foi prevista no ano seguinte à pandemia da gripe suína H1N1 de 2009 , que se revelou um empreendimento totalmente corrupto sob os auspícios da OMS em ligação com as GRANDES EMPRESAS FARMACÊUTICAS  Big Pharma, que desenvolveu um programa de vacinas multibilionário.

“Um Governo Mundial”

As instruções são transmitidas aos governos nacionais em todo o mundo. A campanha de disseminação e controle pelo medo exacerbado das massas desempenha um papel crucial na construção de aceitação e submissão social da mesma massa a essa “soberania supranacional de uma elite intelectual, de banqueiros, do Complexo Industrial Militar, Big Pharma e Big Tech”.

A governança global estabelece um consenso que é imposto aos governos nacionais “soberanos” em todo o mundo, descrito por David Rockefeller como “autodeterminação nacional praticada nos séculos passados“. Essencialmente, esta é uma forma estendida de “mudança de regime”.

Milhares de políticos e funcionários públicos devem ser convencidos e / ou subornados para que esta operação seja bem-sucedida. É uma forma sutil de torcer o braço político”  (respeitando o “distanciamento social” claro).

A decisão de impor uma quarentena global e por a economia mundial sob lockdown com o objetivo de “salvar vidas” não só foi aceita como um meio de combater o vírus, mas também foi sustentada pela desinformação da mídia mainstream MSM Pre$$titutee pela campanha da exacerbação do medo e pelo pânico generalizado da população.

As pessoas não questionam o consenso imposto, um consenso que beira o absurdo.

Capitalismo global e “o cenário econômico”

A crise assim provocada redefine a estrutura do cenário econômico global. Desestabiliza pequenas e médias empresas e gera milhões de desempregados em todo o mundo, precipita setores inteiros da economia global no caos, incluindo as viagens aéreas, o turismo, comércio varejista, a indústria, etc., à falência generalizada. O bloqueio cria fome nos países em desenvolvimento. Tem implicações geopolíticas.

O Pentágono e a inteligência dos EUA estão envolvidos nesses planos. A crise da pandemia do coronavírus afeta a condução de guerras lideradas pelos EUA-OTAN no Oriente Médio, incluindo Síria, Iraque e Afeganistão e Iêmen. Também é usado para atingir países específicos, incluindo Irã e Venezuela. Essa crise global resultado da engenharia social não tem precedentes na história mundial. É um ato dissimulado de guerra sem disparar um tiro.

O bloqueio, quarentena, lockdown desencadeiam um processo de retirada dos recursos humanos e materiais do processo produtivo. A economia real é paralisada. A redução da atividade econômica compromete a “reprodução da vida real“. Isso não se refere apenas à produção real das “necessidades da vida” (alimentação, saúde, educação, moradia), mas também à “reprodução” de relações sociais, instituições políticas, cultura e identidade nacional. 

No momento em que escrevo, o bloqueio generalizado não está apenas provocando uma crise econômica, mas também está minando e destruindo o próprio tecido da sociedade civil em vários países, sem mencionar a natureza do governo e das instituições do estado (prejudicadas pela crescente dívida, já astronômica e impagável), que eventualmente será privatizado sob a supervisão dos credores da elite do cartel financeiro internacional.

Existem conflitos no sistema capitalista que raramente são abordados pela grande mídia MSM Pre$$titute.  Bilionários, instituições bancárias e financeiras poderosas (que são credores de governos e corporações) estão travando uma guerra não declarada contra a economia real do planeta. Enquanto o establishment financeiro e bancário do Big Money são “credores”, as entidades corporativas da economia real e o cidadão comum que estão sendo desestabilizados e levados à falência são seus eternos “devedores”.

Falências

Esse processo diabólico não se limita a exterminar pequenas e médias empresas. O establishment financeiro e bancário do Big Money também é credor de grandes corporações (incluindo companhias aéreas, redes de hotéis, laboratórios de alta tecnologia, varejistas, empresas de importação e exportação, petróleo, etc.) que agora estão à beira da falência.

O establishment financeiro e bancário do Big Money global não é monolítico. É marcado por divisões e rivalidades. A facção dominante do Big Money procura desestabilizar seus concorrentes por dentro. Os resultados seriam uma série de falências de instituições bancárias regionais e nacionais, bem como um processo de consolidação e mais CONCENTRAÇÃO financeira global.

Nos EUA, numerosas empresas varejistas, companhias aéreas, redes de restaurantes e hotéis entraram com pedido de falência no capítulo 11 em fevereiro. Mas isso é apenas o começo. A grande quantidade de falências ocorrerá após o fim do bloqueio generalizado (“The New Normal”). E, no momento da redação deste artigo, o establishment financeiro e bancário do Big Money está pressionando incansavelmente os governos nacionais (corruptos) a adiarem o levantamento dos bloqueios. E os governos estão nos dizendo que isso é para “proteger as pessoas contra o vírus”.

A província de Alberta, no Canadá, que depende em grande parte das receitas do petróleo, já está falida.

“Os países que representam mais de 50% do PIB global do mundo estão fechados para negócios. Os economistas que procuram comparações históricas mencionam a queda das ações de 1929, a crise econômica de 1974 ou a recessão de 2008. Mas eles admitem que tudo isso fica aquém do preço que essa pandemia vai provocar. ” ( Wired News UK, 29 de abril de 2020

Na Grã-Bretanha, relatórios recentes afirmam (é muito britânico ”) “não sabemos quantos foram à falência”.

O que esses relatórios não mencionam são as causas não ditas: uma campanha de medo em nome dos credores, instruções de governos corruptos para fechar suas economias, supostamente para “salvar vidas”, o que é uma grande mentira. Vidas não estão sendo salvas, e eles, os políticos marionetes da elite sabem disso.

A crise do coronavírus “paralisou os negócios nos EUA” e por todo o planeta. As economias nacionais estão desestabilizadas. O objetivo do establishment financeiro e bancário do Big Money é enfraquecer seus concorrentes, “pegar as peças” e, eventualmente, comprar muito barato ou eliminar empresas falidas. E há muitos por onde escolher.

Capitalismo Financeiro Global

Os interesses da Big Money (interesses financeiros globais) se sobrepõem aos da Big Pharma, Big Oil, Complexo Industrial Militar, etc. Principais instituições bancárias nos EUA, incluindo JP Morgan Chase, Bank of América, Citigroup, Wells Fargo, State Street Co. e Goldman Sachs, estão investindo na economia de guerra, incluindo o desenvolvimento de armas nucleares sob o programa de armas nucleares de $ 1,2 trilhão de dólares de Trump (estabelecido pela primeira vez sob Obama). 

O objetivo final do “Big Money” é transformar os estados-nação (com suas próprias instituições e uma economia nacional) em “territórios econômicos abertos”. Esse foi o destino do Iraque e do Afeganistão. Mas agora você pode fazer isso sem enviar tropas, simplesmente ordenando que governos substitutos subservientes integrados por políticos marionetes corruptos fechem sua economia por pseudos motivos humanitários, a chamada “Responsabilidade de Proteger” (R2P) sem a necessidade de intervenção militar e sem disparar um só tiro.

Impossível estimar ou avaliar. Mais da metade da economia global está interrompida ou completamente parada.

Sejamos claros. Esta é uma agenda imperial. O que as elites globais querem? Privatizar o Estado? Possuir e privatizar todo o planeta?

A tendência é para a centralização e concentração do poder econômico, político e militar. Governos nacionais fortemente endividados são instrumentos  marionetes que devem muito dinheiro. Eles são proxies [procuradores]. As principais nomeações políticas são controladas por grupos de lobby que representam os interesses financeiros predadores de Wall Street, O Complexo Industrial Militar, Big Pharma, Big Oil, a Mídia Corporativa Pre$$titute e os Gigantes das Comunicações Digitais [Big Tech], etc.

Muito dinheiro é usado na Europa e na América (através dos grupos do lobby de Washington) que procura controlar os governos nacionais e as riquezas do países.

Em que direção estamos indo? Qual é o futuro da humanidade? A atual crise da pandemia pelo coronavírus é um sofisticado projeto imperial, que consiste na dominação mundial por um punhado de conglomerados multibilionários. É a terceira guerra mundial? O capitalismo global está destruindo o capitalismo nacional. 

A intenção tácita do capitalismo global é a destruição da existência dos estados-nação e de suas instituições, levando à pobreza global em uma escala sem precedentes.

A citação a seguir de Lenin, datada de dezembro de 1915, no auge da Primeira Guerra Mundial, apontava antecipadamente algumas das contradições que estamos enfrentando atualmente. Por outro lado, devemos entender que não há soluções fáceis e que esta crise visa reforçar o imperialismo e a garra do capitalismo global:

“Não há dúvida de que o desenvolvimento está indo na direção de uma única governança mundial que engolirá todas as empresas e todos os estados, sem exceção. Mas o desenvolvimento nessa direção está ocorrendo sob tal estresse, com tanto andamento, com tais contradições, conflitos e convulsões, não apenas econômicos, mas políticos nacionais, etc. etc. – que antes que uma única governança mundial seja alcançada, antes que os respectivos interesses financeiros as capitais nacionais formarão uma “União Mundial” de ultra imperialismo, o imperialismo explodirá e o capitalismo se transformará em seu oposto.

VI Lenin , Introdução ao Imperialismo e Economia Mundial por N, Bukharin, Martin Lawrence, Londres, impresso nos EUA, Russian Edition, novembro de 1917)

Como reverter a maré atual. A primeira prioridade é revogar as mentiras.

A esse respeito, é lamentável que muitas pessoas que são “progressistas” (incluindo intelectuais de destaque da esquerda) – apesar das mentiras – apoiam os bloqueios e o fechamento da economia como uma solução para a emergência de saúde pública. Essa é a posição do Partido Democrata nos EUA, que vai contra o senso comum.

A verdade é uma arma poderosa para revogar as mentiras da mídia corporativa e dos governos controlados pela elite.

Quando a mentira se torna verdade, não há como retroceder

Sem a campanha do medo e a propaganda do pânico pela mídia Pre$$titute, as ações de nossos governos não teriam uma base real para se sustentar. O “Distanciamento Social” não impede que as elites financeiras forneçam instruções aos seus marionetes políticos corruptos.

Por outro lado, o “distanciamento social” combinado com o confinamento está sendo usado como um meio de subordinação social. Impede que as pessoas se encontrem e protestem contra a chamada implantação de uma Nova Ordem Mundial. Organização, Verdade e Solidariedade são essenciais para reverter a maré. O primeiro passo de um movimento mundial é a “contra-propaganda” e a disseminação de um alerta para a agenda REAL nos sendo imposta.


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores.  Mateus 24:6-8

“E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis“.  –  Apocalipse 13:11-18


Leitura adicional:

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.