browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Cavaleiros Templários: ainda amados e admirados mesmo 900 anos depois de seu auge

Posted by on 02/08/2020

No dia de Natal de 1119, o rei de Jerusalém, Baldwin II convenceu um grupo de nobres cavaleiros franceses liderados por Hugh de Payns a salvar suas almas, protegendo os peregrinos que viajavam pela Terra Santa, recentemente conquistada dos infiéis muçulmanos. E assim a Ordem dos Cavaleiros Templários foi formada . Essa ordem militar  de cavaleiros revolucionária vivia como monges e fazia votos de pobreza e castidade, mas estes eram monges com uma diferença – eles usavam armas e eram cavaleiros, a força militar mais temida e letal à época, para proteger os civis usando as estradas perigosas do recém-conquistado Reino de Jerusalém. 

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Cavaleiros Templários: ainda amados e admirados mesmo 900 anos depois de seu auge

Fonte: Theconversation.com

A partir desses primórdios humildes, a Ordem dos Cavaleiros Templários passaria a se tornar a principal força militar cristã das Cruzadas e foi decisiva em inúmeras batalhas pela coragem, determinação, organização e bravura de seus cavaleiros que jamais recuavam ou de entregavam quando em batalha.. Nos 900 anos seguintes, esses monges guerreiros foram lentamente sendo associados ao mítico “Santo Graal”, ao estudo do esotérico e ao ocultismo. Mas alguma dessas associações é verdadeira ou são apenas mitos infundados?

As Cruzadas terminaram em 1291, depois que a capital cristã em Acre, na Palestina caiu para as forças muçulmanas de Saladino e os Templários se consideraram redundantes. Apesar de suas riquezas e propriedades europeias, sua razão de existir [para os ignorantes e para consumo externo] fora a “guerra em defesa” da Terra Santa.

Mas o rei francês Filipe IV estava quebrado e em dívida com a Ordem dos Cavaleiros Templários e, com a perda da Terra Santa, capitalizou sua vulnerabilidade e prendeu os Templários na França na sexta-feira, 13 de outubro de 1307, em um ataque ao amanhecer no templo e nas residências de Paris. Em 1312, a ordem foi abolida por decreto papal e em 18 de março de 1314 o último grão-mestre, Jacque de Molay, foi queimado na fogueira em Paris com outros três templários. Com a ordem aparentemente destruída, quaisquer ex-membros sobreviventes se juntaram a outras ordens ou mosteiros.

Apesar das prisões e acusações de heresia contra a ordem, um documento conhecido como Pergaminho Chinon foi encontrado em 2001 nos arquivos do Vaticano que documenta que os Templários foram, de fato, exonerados pela Igreja Católica em 1312. Em setembro de 2001, Barbara Frale encontrou uma cópia do Pergaminho Chinon nos Arquivos Secretos do Vaticano , um documento que confirma explicitamente que em 1308 o Papa Clemente V absolveu Jacques de Molay e outros líderes da Ordem, incluindo Geoffroi de Charney e Hugues de Pairaud. 

Ela publicou suas descobertas no Journal of Medieval History em 2004. Outro pergaminho de Chinon, datado de 20 de agosto de 1308, dirigido a Filipe IV da França , conhecido pelos historiadores, afirmou que a absolvição havia sido concedido a todos os templários que confessaram a heresia “e os restauraram aos sacramentos e à unidade da Igreja”

Apropriação de uma legenda

A supressão dos templários significava que não havia ninguém para salvaguardar seu legado. Desde então, a ordem foi apropriada por outras organizações espúrias – principalmente como ancestrais da ordem maçônica que tem início no século 18 e, mais recentemente, por grupos extremistas de direita como os Cavaleiros Templários no Reino Unido e o terrorista assassino em massa Anders Behring Breivik .

A associação entre os antigos Cavaleiros Templários e a Maçonaria [é espúria na medida que maçons são meros fantoches] não é tanto um mito, mas sim uma campanha de marketing dos maçons desde o século XVIII para apelar à aristocracia europeia. O historiador Frank Sanello explicou em seu livro de 2003 , Os Cavaleiros Templários: os guerreiros de Deus, os banqueiros da Europa, que inicialmente foi  Andrew Ramsey , um maçom francês sênior da época, quem primeiro fez a [falsa] ligação entre os maçons e os Cavaleiros Templários.

Mas ele originalmente alegou que os maçons eram descendentes da Ordem das Cruzadas dos Cavaleiros Hospitalares. É claro que os hospitalares ainda estavam operacionais, ao contrário dos Cavaleiros Templários, então Ramsey mudou rapidamente sua reivindicação de que os Templários fossem a ascendência cruzada dos atuais maçons.

Os Cavaleiros Templários haviam sido mitologizados na cultura popular desde o século XIII no épico Parzival  do Graal pelo cavaleiro e poeta alemão Wolfram von Eschenbach. Neste épico do Graal, os Cavaleiros Templários foram incluídos na história como “guardiões do Graal”. Após a queda repentina da ordem, esses monges guerreiros tornaram-se associados a conspirações e ao ocultismo.

Para alguns, um mistério ainda envolve o destino da fortuna [um imenso tesouro] dos templários e as confissões dos monges cavaleiros (extraídas sob tortura) para adorar um ídolo chamado Baphomet. A ligação entre os templários e o ocultismo ressurgiria novamente no século XVI no livro De Henryculpa De Occulta Philosophia .

Mito dos dias modernos

A ficção moderna continua a se basear nos mistérios difundidos e nas teorias fantasiosas. Essas associações míticas são temas-chave para muitas obras populares de ficção, como a obra O Código Da Vinci , de Dan Brown, no qual os Templários guardam o Graal. A história dos Templários também chegou ao formato de jogo digital na franquia de sucesso mundial Assassin’s Creed , na qual o jogador deve assassinar um vilão Templário. A obra cinematográfica de Ridley Scott, Kingdom Of Heaven, esta mais próxima do ideal dos Cavaleiros Templários.

Nove séculos após a sua formação, os Templários continuam sendo a ordem mais icônica, conhecida e admirada de Cavaleiros das Cruzadas. O legado dos Templários cresceu além de seu papel militar medieval e o nome tornou-se sinônimo de ocultismo, conspirações, o Santo Graal e a busca pelo conhecimento. 

O verdadeiro legado dos Cavaleiros Templários originais permanece com a Ordem dos Cavaleiros de Portugal, a Ordem dos Cavaleiros de Nosso Senhor Jesus Cristo ( Ordem dos Cavaleiros de Jesus Cristo ). Esta ordem foi criada pelo rei Diniz de Portugal em 1319 com a permissão papal devido ao papel proeminente que os templários tiveram na ciação [consciente] do reino de Portugal. A nova cavalaria chegou até a antiga sede dos Templários em Tomar.  A cidade de Tomar nasceu dentro dos muros do Convento de Cristo , construído sob as ordens de Gualdim de Pais, o quarto grão-mestre dos Cavaleiros Templários no final do século XII.

Tomar é uma das jóias históricas de Portugal e, mais significativamente, foi a última cidade templária a ser encomendada para construção. Tomar foi especialmente importante no século XV, quando foi um centro de expansão ultramarina portuguesa sob o comando de Henrique, o Navegador , Grão-Mestre da Ordem de Cristo , organização sucessora dos Templários em Portugal.

Para o historiador Micheal Haag, essa nova ordem “era os antigos templários remanescentes da perseguição na França com outro nome” – mas prometia obediência ao rei de Portugal e não ao papa como seus predecessores templários. E assim a essência dos sucessores dos templários ainda existe hoje como uma ordem de mérito portuguesa por um serviço excepcional – e a história dos templários continua a fornecer uma rica fonte de inspiração para a busca do conhecimento, do esotérico, do místico, do ocultismo que eleva e ilumina a alma do ser humano .


[ Excerto do post:  Gigantesca Cruz Templária em Crop Circle intriga e atrai multidões na França:

Círculo de culturas [Crop Circle], não é mais novidade para o mundo. Eles aparecem nos EUA e na Europa há décadas e a poucos anos também no Brasil. O misterioso fenômeno de padrões criados pelo achatamento de uma grande área de lavoura recebeu um termo na década de 1980 por Colin Andrews: Crop Circle. Um gigantesco círculo de culturas apareceu do nada no campo de um fazendeiro no norte da França, provocando curiosidade de milhares de visitantes. Segundo relatos, o enorme sinal com a Cruz dos Templários apareceu em 5 de julho em Vimy, perto de Lens. Escusado será dizer que atraiu milhares de pessoas. O proprietário da terra, Gerard Benoit, notou o padrão enquanto dirigia seu trator pelo local. O design intrincado foi descrito como uma ‘Cruz dos Templários’.

É como um chamado para a ressurreição da antiga Ordem dos Templários, para seus membros hoje encarnados e espalhados pela Terra em todos os continentes e países, com o mesmo objetivo da Ordem Antiga, como um último chamado apenas em uma escala mais alta e purificada, não se moverá mais por interesses políticos e financeiros, mas apenas pelo ideal puro e simples da Cruz: a verdade que liberta e o sacrifício de amor que transcende.

Uma elevação que fala de [almas de] missionários que não são deste mundo e que agora se infiltraram nas cidades, em meio a todos os povos, que se deslocam entre as pessoas e se voltam para aqueles que estão prontos para recebê-las. Esta Cruz Templária é usada em como uma chave moderna nos grupos esotéricos da Grande Fraternidade Branca, que representa a chama violeta transmutadora e a essência do Cristo. Fim de citação]


“… Sempre mais numerosos os sinais. As luzes nos céus  serão  vermelhas, azuis, verdes, rápidas. Aumentarão.  Alguém vem de longequer encontrar os homens da Terra. Já houve encontros. Mas quem verdadeiramente viu calou-se”. 

Profecias e visões do Papa João XXIII, OFS, nascido Angelo Giuseppe Roncalli(Sotto Il Monte, 25 de Novembro de 1881 — Vaticano, 3 de Junho de 1963)


Leitura adicional:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.